P. 1
A EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA

A EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA

|Views: 1.433|Likes:
Publicado poraniiinhaliima

More info:

Published by: aniiinhaliima on Nov 06, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/18/2013

pdf

text

original

A EXPANSÃO MARÍTIMA EUROPÉIA

A expansão marítima européia, processo histórico ocorrido entre os séculos XV e XVII, contribuiu para que a Europa superasse a crise dos séculos XIV e XV. Através das Grandes Navegações há uma expansão das atividades comerciais, contribuindo para o processo de acumulação de capitais na Europa. O contato comercial entre todas as partes do mundo (Europa, Ásia, África e América) torna possível uma história em escala mundial, favorecendo uma ampliação do conhecimento geog ráfica e o contato entre culturas diferentes. Fatores para a Expansão Marítima A expansão marítima teve um nítido caráter comercial, daí definir este processo como uma empresa comercial de navegação, ou como grandes empreendimentos marítimos. Para o sucesso desta atividade comercial o fator essencial foi à formação do Estado Nacional. Formação do Estado Nacional e a centralização política -os Grandes Navegações só foram possíveis com a centralização do poder político, pois fazia-se necessário uma complexa estrutura material de navios, armas, homens, recursos financeiros. A aliança rei-burguesia possibilitou o alcance destes objetivos tornando viável a expansão marítima. Avanços técnicos na arte náutica-o aprimoramento dos conhecimentos geográficos, graças ao desenvolvimento da cartografia; o desenvolvimento de instrumentos náutica-bússola, astrolábio, sextante - e a construção de embarcações capazes de realizar viagens a longa distância, como as naus e as caravelas. Interesses econômicos- a necessidade de ampliar a produção de alimentos, em virtude da retomada do crescimento demográfico; a necessidade de metais preciosos para suprir a escassez de moedas; romper o monopólio exercido pelas cidades italianas no Mediterrâneo que contribuía para o encarecimento das mercadorias vindas do Oriente; tomada de Constantinopla, pelo turcos otomanos, encarecendo ainda mais os produtos do Oriente. Sócias enfraquecimento da nobreza feudal e o fortalecimento da burguesia mercantil. Religiosos possibilidade de conversão do s pagãos ao cristianismo mediante a ação missionária da Igreja Católica. Expansão marítima portuguesa Portugal foi à primeira nação a realizar a expansão marítima. Além da posição geográfica, de uma situação de paz interna e da presença de uma forte burguesia mercantil; o pioneirismo português é explicado pela sua

1504 . D. Cristovão Colombo ofereceu seus serviços aos reis da Espanha. Dois importantes reinos cristãos que enfrentaram os mouros na Guerra de Reconquista. A seguir a principais etapas da expansão espanhola: 1492 . era condição primordial para as Grandes Navegações. à Igreja Católica e a possibilidade de cristianizar outros povos e a burguesia mercantil. Etapas da expansão A expansão marítima portuguesa interessava à Monarquia. resolveram assinar um acordo-proposto pelo papa Alexandre VI . 1499 -viagem de Pedro Álvares Cabral ao Brasil. 1434 -chegada ao Cabo Boja dor. O navegante recebeu três navios e. com o casamento de Isabel de Castela e Fernando de Aragão. como vimos. 1519 a 1522 . No ano de 1492 o último reduto mouro -Granada -foi conquistado pelos cristãos. João.Américo Vespúcio afirma que a terra descoberta por Colombo era um novo continente. à nobreza. as principais etapas da expansão de Portugal: 1415 -tomada de Ceuta. importante entreposto comercial no norte da África. Colombo acreditava que. A primeira dinastia portuguesa foi a Dinastia de Borgonha (a partir de 1143) caracterizada pelo processo de expansão territorial interna. 1487 -Bartolomeu Dias e a transposição do Cabo das Tormentas. sem saber chegou a um novo continente: a América. As rivalidades Ibérica Portugal e Espanha. 1498 -Vasco da Gama atinge as Índias ( Calicute ). que buscava seu fortalecimento. A formação do Estado Nacional português está relacionada à Guerra de Reconquista . a América. Expansão marítima espanhola A Espanha será um Estado Nacional somente em 14 69.centralização política que.chegada de Colombo a um novo continente. 1445 -chegada ao Cabo Verde. atingiria o Oriente. buscando evitar conflitos sobre os territórios descobertos ou a descobrir.luta entre cristãos e muçulmanos na península Ibérica. neste mesmo ano. A Dinastia de Avis é caracterizada pela expansão externa de Portugal: a expansão maríti ma.Fernão de Magalhães realizou a primeira viagem de circunavegação do globo. A seguir. interessada em conquista de terras. Entre os anos de 1383 e 1385 o Reino de Portugal conhece um movimento político denominado Revolução de Avis -movimento que realiza a centralização do poder político: aliança entre a burguesia mercantil lusitana com o mestre da Ordem de Avis. desejosa de ampliar seus lucros. 1420 -ocupação das ilhas da Madeira e Açores no Atlântico. navegando para oeste.

Mercantilismo Podemos definir o mercantilismo como sendo a política econômica adotada na Europa durante o Antigo Regime. O tratado de Tordesilhas não foi reconhecido pelas demais nações européias. o euro -centrismo. ou a hegemonia européia sobre o mundo. Houve uma ampliação do conhecimento humano sobre a geografia da Terra e uma verdadeira Revolução Comercial. através do acúmulo de riquezas. durante o reinado de Franc isco I iniciaram a expansão marítima. já a França. no final do conflito com a Inglaterra enfrenta um período de lutas no reinado de Luís XI (1461 -1483). . O o bjetivo principal destes governos era alcançar o máximo possível de desenvolvimento econômico. após este longo conflito.a Guerra das Duas Rosas (1455-1485). O atraso na centralização política justifica o atraso destas nações na expansão marítima: A Inglaterra e França envolveram -se na Guerra dos Cem Anos (1337-1453) e. França e Holanda. durante o reinado de Elizabeth I (1558-1603). Como já dissemos o governo absolutista interferia muito na economia dos países. a partir da unificação dos mercados europeus. a mudança do eixo econômico do mar Mediterrâneo para o oceano Atlântico. Somente após estes conflitos internos é que ingleses. Portugal não aceitou o acordo e no ano de 1494 foi assinado o Tratado de Tordesilhas. maior seria seu prestígio. a Inglaterra passa por uma guerra civil . e o processo de acumulação primitiva de capitais resultado na organização da formação social do capitalismo.. A Holanda tem seu processo de centralização política atrasado por ser um feudo espanhol. poder e respeito internacional. asiáticos. Navegações Tardias Inglaterra. Quanto maior a quantidade de riquezas dentro de um reino. CONSEQÜÊNCIAS As Grandes navegações contribuíram para uma radical transformação da visão da história da humanidade. enorme afluxo de metais para a Europa proveniente da América. dividindo as terras entre Portugal e Espanha. o retorno do escravismo em moldes capitalistas. e franceses.em 1493: um meridiano passando 100 léguas a oeste das ilhas de Cabo Verde. a formação do Sistema Colonial. A seguir algumas das principais mudanças: A decadência das cidades italianas. Somente com o enfraquecimento da Espanha e com o processo de sua independência é que os holandeses iniciarão a expansão marítima. africanos e americanos.

Industrialização: o governo estimulava o desenvolvimento de indústrias em seus territórios. Nos anos seguintes. Como o produto industrializado era ma is caro do que matérias-primas ou gêneros agrícolas. Era uma garantia de vender caro e comprar barato. povoamento e exploração comercial do continente americano pelos europeus iniciado logo após o descobrimento da América. Francesa é Holandesa Processo de ocupação territorial. como é o caso da colonização espanhola e portuguesa e da inglesa no sul dos EUA. Pacto Colonial: as colônias européias deveriam fazer comércio ape nas com suas metrópoles. a exploração de territórios conquistados era incentivada neste período. Foi dentro deste contexto histórico. deixando o país em boa situação financeira. desta forma entraria mais moedas do que sairia. Especializam -se na produção de metais preciosos e gêneros agrícolas para abastecer o mercado europeu. Inglesa. o Tratado de Tordesilhas divide o controle do Novo Mundo entre portugueses e espanhóis. De maneira geral. Além do comércio externo. que a Espanha explorou toneladas de ouro das sociedades indígenas da América como. as colônias européias na América dividem -se em colônias de exploração e de povoamento. ingleses e holandeses disputam o domínio do novo continente e sua exploração nos moldes do mercantilismo europeu. obtendo ainda produtos não encontrados na Europa. espanhóis. pela monocultura e pelo trabalho escravo. Protecionismo Alfandegário: os reis criavam impostos e taxas para evitar ao máximo a entrada de produtos vindos do exterior. portugueses. a policultura e a mão -de-obra familiar. Colonização Ibérica. Na busca do caminho para as Índias (nome genérico dado ao Oriente). que trazia moedas para a economia interna do país. Dois anos depois. exportar manufaturados era certeza de bons lucros. Cristóvão Colombo chega à América em 1492. portanto os governantes faziam de tudo para acumular estes metais. franceses. os maias. incas e astecas. Balança Comercial Favorável: o esforço era para exportar mais do que importar. Era uma forma de estimular a indústria nacional e também evitar a saída de moedas para outros países. A produção destina -se ao . Dentro deste contexto histórico ocorreu o ciclo econômico do açúcar no Brasil Colonial.Podemos citar como principais características do sistema econômico mercantilista: Metalismo : o ouro e a prata eram metais que deixavam uma nação muito rica e poderosa. por exemplo. As primeiras caracterizam -se pela grande propriedade. No segundo tipo de colônia predominam a pequena propriedade.

a terra é dividida entre os colonos. pelo sistema da mita uma parcela da população das comunidades indígenas é deslocada temporariamente para o trabalho compulsório nas atividades mineradoras. criada em Sevilha em 1503. detém o monopólio das mercadorias comercializadas entre a Espanha e a América. Maryland. A região cresce economicamente e passa a escoa r o excedente da produção para os mercados do sul. Na região andina. Colonização espanhola ± Inicia-se com a conquista das ilhas do Caribe no final do século XV e começo do XVI. Nova Jersey e Delaware). as populações nativas são praticamente exterminadas por causa das guerras. os astecas são arrasados em 1519. A Casa de Contratação. Nova York. Rhode Island e Connecticut) e ao centro (Pensilvânia. A exploração das minas de metais preciosos é a principal atividade econômica das colônias espanholas. A partir do século XVII. Por meio do repartimento. e. No século XVI I já estavam formadas as 13 colônias da Nova Inglaterra. é entregue a eles certo número de índios. Colonização inglesa Começa em 1607 com a colonização da América do Norte. Pequenos e médios proprietários. nos EUA. Desenvolve -se uma sociedade baseada no trabalho de escravos africanos e forma -se uma camada de ricos proprietários de terras e grandes comerciantes exportadores. com a implantação das capitanias hereditárias e a instalação de sesmarias. que são vendidos no Caribe e nas colônias do sul. Certa atividade industrial é tolerada no centro -norte por não competir com o comércio da metrópole. No México. A fragmentação após o processo de independência da América Espanhola dá origem às atuais nações. Sistemas de trabalho forçado gar antem a utilização de mão-de-obra indígena. . O processo é semelhante em todo o cont inente. a pecuária. Colonização portuguesa Com o declínio do comércio na Ásia. das doenças e da exploração de mão -deobra.mercado interno. Peru e Rio da Prata) e as três capitanias gerais (Cuba. Nos territórios sulistas (Virginia. pela encomenda. a mineração e as atividades missionárias expandem a ocupação para o interior. Nova Granada. a conquista e a destruição do Império Inca começam em 1532. destinada à exportação. Guatemala e Venezuela). Um exemplo é a colonização inglesa na região conhecida como Nova Inglaterra. Carolina do Norte. No Peru. O povoamento ocorre por meio de colônias pertencentes à realeza ou territórios concedidos pela Coroa à iniciativa particular. New Hampshire. Carolina do Sul e Geórgia) implanta-se a monocultura algodoeira. refugiados políticos e religiosos (protestantes calvinistas) instalam -se ao norte (Massachusetts. Formam pequenas propriedades baseadas no trabalho livre e no artesanato. Mais tarde cria -se o comércio triangular: comerciantes da Nova Inglaterra fabricam o rum para ser trocado por escravos na África. Com o contato dos espanhóis com as civilizações pré-colombianas. A administração dos territórios é distrib uída entre os quatro vice-reinados (Nova Espanha. Portugal passa a ocupar definitivamente o território brasileiro.

levando apenas à instalação de algumas feitorias. O ciclo do pau -brasil predominou em todo o período pré-colonial. e as colônias acabam servindo apenas como postos comerciais e estratégicos. optou-se pelo plantio da cana-de-açúcar. Nova Escócia e Nova França (Canadá) a partir de 1603. O povoamento é pequeno. por exemplo. as 13 colônias instituem uma tradição de autogoverno. Embora sua produção continuasse. a Coroa francesa utiliza-se de autoridades locais. Ele pressupõe que. Como sua exploração não fixava o homem a terra. A partir de 1682 vão para o vale do Mississipi (Louisiana) e fundam Nova Orleans. nas regiões do rio São Lourenço e dos Grande Lagos. em 1643. sempre. Québec é fundado em 1608 e Montreal. ao decidir integrar efetivamente a colônia à metrópole. substituindo em importância o anterior. após o apogeu de uma determinada atividade econômica. a qual continuou existindo durante toda a época da mineração no século XVIII. Colonização francesa Os franceses instalam-se na América do Norte. e não foi isso que aconteceu com a economia da cana de-açúcar. houve sempre um produto em torno do qual se organizava a maior parte da economia. não possibilitava a definitiva ocupação da colônia. surgia outro produto que entrava rapidamente em ascensão. o seu desaparecimento. A importância de determinado produto crescia até alcançar o apogeu e depois entrava em decadência.Apesar de submetidas ao controle da Inglaterra. que será fundamental na luta pela independência dos Estados Unidos. ocorre. Para manter o controle das colônias. é importante observar os limites do nome "ciclo". o da cana-de-açúcar (séculos XVI e XVII) e mais tarde o da mineração (século XVIII). Formam as colônias de Terra nova. identificando o ciclo do pau-brasil (século XVI). Contudo. Esse mecanismo repetitivo levou muitos historiadores a usarem a denominação ciclo econômico para o estudo do período colonial. . Economia e Sociedade Canavieira Durante toda a fase colonial brasileira. que atingia dois objetivos: atendia às necessidades de colonização e possibilitava grandes lucros a Portugal. Assim.

Contando com o solo argiloso comum no litoral e nas margens dos rios. Nos grandes engenhos só se plantava canade-açúcar. o cultivo da cana-de-açúcar desenvolveu-se em grandes propriedades. Alguns engenhos maiores chegaram a possuir centenas de escravos. A instalação da empresa açucareira no Brasil exigia a aplicação de imensos capitais para a compra de escravos. chamadas latifúndios. então. foi à Holanda que financiou a instalação dos engenhos no Brasil. ficava a capela e. contava-se com os indígenas e principalmente com os negros africanos que Portugal há muito escravizava. O engenho propriamente dito. ficariam com o direito de comercialização do produto final. etc. na Europa. Além disso. Constituindo por extensas áreas desmatadas de florestas. Na colônia. a parte mais lucrativa do empreendimento. onde residia o proprietário e sua família e concentrava se toda a administração. somente uma pequena parte das terras destinava-se ao cultivo de itens agrícolas para subsistência. Os portugueses associaram-se. como mandioca. o Nordeste transformou-se no principal pólo açucareiro do Brasil. onde se moía a cana e se fabricava o açúcar. No latifúndio. organizou-se a produção açucareira. que viviam amontoados na senzala. um grande barracão miserável onde se alojavam os escravos.Quanto à mão-de-obra necessária para o empreendimento. era composta pela moenda. usando-se mão-de-obra escrava. o açúcar. mais distante. num processo de dependência denominado pacto colonial. monocultura e escravidão Toda a vida colonial girava em torno das relações econômicas com a Europa: buscava-se produzir o que interessava à metrópole nas maiores quantidades possível e pelo menor custo. Dessa forma. feijão. aos holandeses que. em troca do financiamento para a instalação da empresa açucareira na colônia. seguidas de plantações de cana. era uma tarefa gigantesca. milho. Assim. tendo à frente as regiões de Pernambuco e Bahia. conhecido como engenho. o transporte e a distribuição do produto par a a Europa. Próximo a ela. onde se fabricava o açúcar. a casa das caldeiras e a casa de p urgar. o plantio da cana-de-açúcar e a instalação dos. o que caracterizava como monocultores e escravistas. para a qual Portugal não tinha recursos suficientes. . sujeita às exigências metropolitanas de produção de riquezas. situava-se a senzala. o engenho tinha como núcleo central a casa-grande. Latifúndio. originadas das sesmarias distribuídas pelos donatários e governadores-gerais.

complementar. na casa de purgar. arrumadeiras.Na moenda. esse caldo era engrossado ao fogo em grandes tachos. Formando o poderoso grupo socioeconômico da colônia. assim. finalmente. donos dos engenhos. Os escravos. comerciantes. negros africanos eram responsável pela quase totalidade dos trabalhos braçais executados na colônia. A sociedade açucareira teve. constituindo "as mãos e pés do senhor". na casa das caldeiras. padres. Senhores e escravos Durante o ciclo da cana-de-açúcar. A essa camada intermediária pertenciam também os feitores. moleques de recados. O poder dessa aristocracia canavieira ia além de suas terras. . estando às mulheres submetidas a um papel subordinado. Formando uma pequena parcela da população. amas de crianças. e. etc. a sociedade colonial se definia a partir da casa-grande e da senzala. blocos duros e escuros. que não possuíam instalações para produzir o açúcar (engenhos). para a Holanda. onde passavam por processo de refinação. que habitavam as casas-grandes. expandindo-se pelas vilas. capatazes. moradores das poucas vilas e cidades da época. ficando pronto o açúcar para comercialização e consumo. formados pelo que hoje chamaríamos de rapadura. A autoridade do senhor de casa-grande era absoluta: em família a obediência lhe era incondicional e o respeito como chefe superior. dominando as Câmeras Municipais e a vida colonial. artesãos. vigiados por um feitor. sendo obrigados a vender a cana a um senhor de engenho. Alguns exerciam trabalhos domésticos na casa-grande como cozinheiras. havia os homens livres. trabalhavam de sol a sol na lavoura e na produção de açúcar. um caráter explicitamente patriarcal. plantadores de cana com poucos recursos. havia os brancos colonizadores. Os escravos. considerados simples mercadorias. principalmente. formavam a base econômica dessa sociedade indígena e. o melaço de cana era colocado em fôrmas de barro para secar e alcançar o "ponto de açúcar". esses blocos eram desenformados dando origem aos "pães de açúcar". extraindo-se o caldo. em sua maioria. de lá. indiscutível. Após algum tempo. Os "pães de açúcar" eram então encaixotados e enviados para Portugal. militares e funcionários públicos. a cana era esmagada. sofrendo constantes castigos físicos.

além de servir para mover as moendas e transportar o açúcar. ou seja. Sua produção . uma pequena produção de aguardente e rapadura . Sendo assim. Como conseqüência da maciça importação de mercadorias européias. penetrando depois no interior. Entretanto. Na criação de gado. realizadas para complementar as necessidades da população. como a mandioca que constituía a base da alimentação da população colonial. importância comercial da criação de gado era muito menor que a da produção de açúcar. para Portugal e. solto nas terras. havia o cultivo de alguns produtos agrícolas complementares. dentro do próprio engenho. iniciou-se a criação do gado que se desenvolveu no Nordeste. O fumo ou tabaco era produzido principalmente para ser trocado por neg ros escravos na costa africana.Auge do ciclo da cana-de-açúcar Durante os séculos XVI e XVII. onde era muito valorizado. utilizada no consumo interno da colônia e também no escambo de escravos africanos. diversas fazendas no interior. quase toda a riqueza gerada por este ciclo econômico foi desviada da colônia para as áreas metropolitanas. caracterizando as condições do pacto colonial. os senhores de engenho do Nordeste importavam da Europa desde roupas e alimentos até louças e objetos de decoração. principalmente dos escravos. sempre à procura de melhores pastagens. havia algumas atividades secundárias. Dessa forma. o Brasil tornou-se o maior produtor de açúcar do mundo. alcançado. O gado era criado de forma extensiva. assim. principalmente dos indígenas. Originaram-se. havia. Ao mesmo tempo. Sendo uma atividade complementar. e. próximo aos engenhos. que concentrava quase completamente o interesse e as atividades de toda a colônia. Atividades complementares da economia açucareira Embora a economia do período colonial tenha se baseado num único produto. para os holandeses. Além da criação e gado. móvei s e outros utensílios. da importação de escravos e da participação dos holandeses e portugueses no comércio de açúcar. mais ao sul. o gado penetraram no interior. ao norte. as margens do rio São Francisco. predominando o trabalho livre. o que acabou levando ao desbravamento da atual região Nordeste. já no século XVII. Ostentando sua opulência. o Maranhão e o Ceará. o gado era fonte de alimentação e fornecia o couro que era usado na confecção de roupas. calçados. gerando imensa riqueza para os senhores de engenho. quase não havia escravos. sobretudo.

contavam com o clima temperado de boa parte de seu território. Situação muito diferente aconteceu com a América Inglesa. a riqueza do açúcar levou os holandeses a invadirem o Brasil. muito semelhante àquele que haviam deixado na E uropa. Fundando as chamadas Treze Colônias. Durante alguns anos. Isso marcou o início da decadência econômica do Nordeste açucareiro. além de exercerem o controle da produção. a quem interessava assegurar a venda dos tecidos produzidos na Europa. em cuja colonização. em 1654. passando a fabricar açúcar nas suas colônias das Antilhas. Após sua expulsão. as vestimentas vinham da Europa. já que. produzindo riquezas que quase nunca ficavam nas áreas coloniais. os holandeses tornaram -se os maiores concorrentes dos produtores nordestinos. desenvolveu-se uma economia dinâmica. as metrópoles definiam o tipo de propriedade e a forma de produzir. Para lá se dirigiram colonos que fugiram de perseguições religiosas ou políticas e que tinham interesse em se instalar na colônia e produzir para sua sobrevivência. realizou-se com base no pacto colonial. Já o cultivo de algodão desenvolveu-se mais no Maranhão e visava apenas à produção de tecidos rústicos usando na confecção das roupas dos escravos.desenvolveu-se mais na Bahia e em Alagoas. logo se desdobrando em atividades comerciais e manufatureiras. Ao mesmo tempo. o Brasil e a América Espanhola transformaram-se num conjunto de colônias de exploração. Resulta daí uma economia e uma organização social que espelhavam a dominação e a dependência. com produção para o mercado interno. No século XVII. para garantir os ganhos e o domínio colonial. só iniciada no século XVII. teve predomínio as colônias de povoamento. Especialmente no norte (região conhecida como Nova Inglaterra) e no centro da costa atlântica da América do Norte. eles dominaram o Nordeste e se apropriaram de suas técnicas de produção. o que levou toda a colônia a uma profunda crise. A produção de artigos manufaturados na colônia era controlada pela metrópole portuguesa. Colônias de Exploração e Colônias de Povoamento A colonização portuguesa no Brasil. Para atender às exigências metropolitanas. para os senhores de engenho e suas famílias. Veja o quadro abaixo: COLÔNIA DE EXPLORAÇÃO COLÔNIA DE POVOAMENTO . produzindo as origens da riqueza dos Estados Unidos. assim como a espanhola na América.

Latifúndio Monocultura Trabalho compulsório: escravidão e servidão indígena Mercado externo Pacto colonial Pequena propriedade familiar Policultura e desenvolvimento de manufaturados Trabalho livre e "servidão por contrato" Mercado interno Liberdade econômica .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->