Você está na página 1de 1

Movimento dos trabalhadores Rurais sem terra

• Origem do movimento: MST surgiu a partir da necessidade de promover a


reforma agrária. Esse por sua vez é um sistema que visa distribuir terras de
forma justa. A partir desse pensamento e da oposição real em que o Brasil se
encontra, pessoas que não possuem terras para plantio organizaram um
movimento de protesto contra a centralização de terras nas mãos de poucos.
• Área de atuação: O movimento é organizado em 24 estados brasileiros a partir
de comissões de frente que buscam a reforma agrária de forma verdadeira. Cada
comissão é responsável pelos setores de saúde, direitos humanos, gênero,
educação, cultura, comunicação, formação, projetos e finanças, produção,
cooperação, meio ambiente e frente de massa.
• Objetivos: Como forma de reivindicação e de fazer valer a reforma agrária, o
MST ocupa os latifúndios e se mobilizam em massa de forma que os
proprietários fiquem sem maneiras de reagir. Também adquiriu ao longo do
tempo características absorvidas de outras lutas sociais em busca dos direitos
humanos.

O MST a partir de sua manifestação impactante universalizou sua causa e


tornou conhecida a necessidade de fazer valer o direito do homem de ter seu
espaço para morar e promover seu sustento e ainda trouxe à tona a ocupação
improdutiva de terras por pessoas que visam apenas terem posses.
• Liderança:
O MST é comandado por uma direção nacional com vários integrantes - não
há um presidente ou líder oficial do grupo. Porém, seu principal dirigente é,
sem dúvida, João Pedro Stedile, de 49 anos, gaúcho de Lagoa Vermelha,
formado em economia, pós-graduado na Universidade Autônoma do México
e autor de vários livros sobre a reforma agrária.