Você está na página 1de 27

Deficiência de

Carnitina

Luís Felipe Ferres


Luís Filipe Nakayama
Luiz Felipe Lessa
Triacilgliceróis

 Principal
forma de armazenamento
de substrato energético
 Energia contida na molécula:
 5% no glicerol
 95% nos ácidos graxos
 São armazenados nos adipócitos

Lipase Hormônio
Sensível
 Localizada no adipócito
 Ativada quando fosforilada por
proteína quinase A (glucagon,
epinefrina, ACTH,GH)
 Inibida através da desfosforilação
(insulina)

 Perilipina – recobre as gotículas de
gordura
 Desfosforilada – impede o acesso da
Ácidos Graxos


 Principal substrato energético para
os humanos
 Supre as necessidades energéticas
entre as refeições e períodos de
demanda aumentada
 São mobilizados pela hidrólise do
triacilglicerol
Caso Clínico

 Uma jovem de 21 anos foi trazida ao


serviço médico estudantil da UNIFESP
apresentando queixas de cansaço e
de tolerância reduzida a exercícios
físicos. Um exame neurológico
cuidadoso revelou fraqueza muscular
nas extremidades. Várias biópsias
musculares foram realizadas e o
exame microscópico indicou que o
músculo estava repleto de vacúolos
contendo lipídeos. Medidas químicas
indicaram que as amostras de
músculo continham quantidade muito
elevada de triglicerídeos, e
Carnitina

 Formada a partir de Lisina e


Metionina, em presença de Fe e
vitaminas C, B6 e B3
 Pode ser obtida na Dieta
Função intracelular da
carnitina
 Realiza o transporte de ácidos
graxos ativados de cadeia longa
para a matriz mitocondrial de
forma reversível
 Carnitina palmitoil transferase I (CPT
I) : Localizada na membrana
mitocondrial externa
 Carnitina palmitoil transferase II
(CPT II): Localizada na membrana
mitocondrial interna

Função intracelular da
carnitina
 Carnitina Acilcarnitina Translocase –
realiza a passagem da acil
carnitina para a matriz
mitocondrial e da carnitina para o
espaço intermembranas
β Oxidação

 Quebra seqüencialmente o Acila em


duas unidades – um acetil CoA e
um acil CoA (com 2 carbonos a
menos)
 São produzidos um FADH2 (~1,5
ATP) e um NADH (~2,5 ATP) que
serão oxidados na cadeia de
transporte de elétrons
Deficiências de carnitina

 Carência nos níveis de carnitina


sintetizada nos rins e no fígado
 Defeito nas proteínas de membrana
plasmática de alta afinidade em
tecidos como músculo, rim,
coração e fibroblastos (CPTI, CPTII
e translocase) → primária
 Defeitos na via de β oxidação,
geralmente hereditários →
secundária
Falta da carnitina e
atividade da piruvato
desidrogenase
 A diminuição do
aporte de ácidos
graxos, por conta
da falta de
carnitina, promove
um maior uso do
piruvato no ciclo
TCA

 Em situações de
maior demanda
energética
(exercícios físicos
ou jejum
prolongado)
Acúmulo de triglicerídeos
nos músculos na
deficiência de carnitina
O músculo, assim como outros
tecidos, armazena ácidos graxos
na forma de triacilglicerol
 Ocorre acúmulo de triacilgliceróis
nos músculos da paciente pois a
deficiência de carnitina promove
defeito na oxidação de ácidos
graxos
 Excesso de ácidos graxo no músculo
são reconvertidos a triacilgliceróis
Corpos Cetônicos

 Importateadaptação em períodos de
jejum prolongado
 Produtos hidrossolúveis da oxidação de
lipídeos
 São formados em mitocôndrias
hepáticas e renais a partir do Acetil-
Coa
 Tipos:
 Acetona – tóxica e volatilizada no pulmão
 Acetoacetato e β-hidroxibutirato
– combustíveis para tecidos não hepáticos (músculo
cardíaco, músculo esquelético e cérebro)

Corpos Cetônicos

 A síntese de
corpos cetônicos
comeca com a
condensação de
duas moléculas
de acetil CoA
para formar
acetoacetil coA,
em uma reação
que é o reverso
da etapa final da
β oxidação
Aproveitamento extra
hepático dos corpos
cetônicos
 β hidroxibutirato é
oxidado a
acetoacetato (D-β-
hidroxibutirato
desidrogenase)
 Acetoacetato é ativado
para formar o éster
da coenzima A
(acetoacetil-CoA)
 O éster da coenzima A
sofre uma tiólise e
forma 2 acetil CoA
(entra no ciclo TCA)

Obs: β cetoacil-CoA

transferase – enzima
mitocondrial ausente no
fígado
Deficiência de carnitina e
fraqueza muscular
 As deficiências de carnitina resultam
em acúmulo de gordura nos
músculos e desordens funcionais
nos músculos cardíaco e
esquelético ( fraqueza muscular)
 As manifestações como cansaço e
baixa tolerância a exercícios físicos
se dão pela fraqueza muscular que
decorre da interrupção da rota
metabólica da β-oxidação e da
consequente interrupção da
Carnitina para
emagrecimento
Carnitina para
emagrecimento
A suplementação de carnitina, em
indivíduos saudáveis, NÃO
propricia benefício no processo de
emagrecimento visto que ele já
possui o composto em quantidade
adequada no seu organismo
 No entanto, há uma exceção no caso
de ingestão com a finalidade de
práticas físicas prolongadas uma
vez que facilita a β oxidação
Papel da CPT II

 Transfere o grupo acil (de cadeia longa),


da acilcarnitina, para o grupo CoA
presente na matriz mitocondrial
 Acil CoA resultante segue para a β
oxidação

Cadeias curtas e médias
são afetadas?

 Não dependem de carnitina para


o transporte

 Atravessam a membrana pelos
próprios transportadores de
membrana
Carnitina na dieta

 Como os níveis de carnitina estão


baixos no músculo é provável que
a paciente tenha problema na
síntese do composto
 A ingestão de carnitina é efetiva no
tratamento da paciente, no
entanto a absorção intestinal é
pobre e as bactérias entéricas
metabolizam formando um
composto com odor de peixe podre
Bibliografia

 MEISENBERG, G. & SIMMONS, W.H. –


“Principles of Medical Biochemistry” (2nd
Edition)
 NELSON, D.L. & COX, M.M. – “Lehninger
Principles of Biochemistry” (3rd Edition)
 DEVLIN, T.M. – “Manual de Bioquímica com
Correlações Clínicas” (Sexta Edição)
 MONTGOMERY, R., CONWAY, T.W. &
SPECTOR, A.A. – “Bioquímica Uma
Abordagem Dirigida por Casos” (Quinta
Edição)
 SMITH, C., MARKS, A.D. & LIEBERMAN, M. –
“Bioquímica Médica Básica de Marks -
UMA ABORDAGEM CLÍNICA” (Segunda
Edição)

Você também pode gostar