P. 1
Pensão Alimentícia

Pensão Alimentícia

|Views: 3.386|Likes:
Publicado porgilson48

More info:

Published by: gilson48 on Nov 08, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

02/02/2013

pdf

text

original

Pensão Alimentícia - Considerações Gerais Sumário 1. Introdução 2. Dedução da Base de Cálculo do IRRF 2.1 - Condição para Dedutibilidade 2.

2 - Momento em que é Devida a Dedução 2.3 - Hipóteses em que se Admite a Dedução 2.4 - Casos em Que Não se Admite a Dedução 3 - Indedutibilidade de Despesas com Educação e Médicas 4. Dedução na Declaração de Ajuste Anual de quem Paga Pensão Alimentícia 5. Tratamento para o Beneficiário do Rendimento 5.1 - Rendimento tributável para o Carnê -Leão 5.2 - Tratamento na Declaração de Ajuste Anual 6. Cálculo da Pensão Fixada em Juízo Sobre o Rendimento Líquido

1. Introdução A pensão alimentícia e os alimentos provisionais, dedutíveis previstos no art. 643 e sujeitos ao Carnê-leão previstos no inciso II, art. 106, ambos do Decreto nº 3.000/99 (RIR), podem ser entendidos da seguinte forma: A pensão alimentícia é o valor que uma pessoa deve pagar, periodicamente, ao excônjuge ou a parentes, para prover a subsistência desses, segundo as possibilidades do prestador e as necessidades do beneficiário, quando houver previsão na lei civil Os alimentos provisionais são os valores que o juiz determina que sejam pagas de forma provisória pelo alimentante para a manutenção do alimentado durante o processo judicial de separação, divórcio ou anulação de casamento. 2. Dedução da Base de Cálculo do IRRF Os valores efetivamente pagos a título de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família, quando em cumprimento de decisão judicial ou acordo homologado judicialmente, inclusive a prestação de alimentos provisionais, poderão ser deduzidos na determinação da base de cálculo mensal do Imposto de Renda, da pessoa física. 2.1 - Condição para Dedutibilidade A dedução a título de pensão alimentícia é permitida, somente quando for decorrente de acordo ou decisão judicial. Portanto fica claro que a pensão alimentícia paga à margem do processo judicial competente não poderá ser deduzida na determinação da base de cálculo do Imposto de Renda. 2.2 - Momento em que é Devida a Dedução

da complementação mensal facultativa do imposto . poderá ser deduzido nos meses subseqüentes.4 .114 e 643 d o RIR/99): I . II . 78.90. Entendimento firmado pelo Conselho de Contribuintes A Segunda Câmara do Primeiro Conselho de Contribuintes decidiu. c) o valor da pensão alimentícia não utilizado como dedução. de 3 de janeiro de 2003): a) é vedada a dedução cumulativa dos valores correspondentes à pensão alimentícia e à de dependente. aluguéis. posto que co mpatível com o espírito que preside as regras jurídicas de proteção à família. quando não tiver sido utilizado como dedução de outros rendimentos percebidos pelo contribuinte no mês (§ 2º do art 3º da Instrução Normativa SRF nº 277/03).83. quando se referirem à mesma pessoa. há que se admitir o abatimento da respectiva parcela.carnê-leão.do recolhimento mensal obrigatório . etc. ou homologada a amigável. 49 e 50 da IN SRF nº 15/01 e Instrução Normativa SRF nº 277. direitos autorais. observado o seguinte (art. IV . que uma vez demonstrada inequivocamente a efetiva prestação alimentar e a dependência econômica da ex-esposa e dos filhos. d) o valor relativo à pensão judicial utilizado como dedução do 13º salário não poderá ser deduzido na determinação da base de cálculo de quaisquer outros rendimentos.mensalão.776/90. 2.do Imposto de Renda Retido na Fonte sobre rendimentos do trabalho assalariado pagos por pessoas físicas ou jurídicas. quando o contribuinte apresentar a sua declaração no modelo completo.. rendimentos do trabalho não assalariado (autônomos). b) Quando a fonte pagadora não for responsável pelo desconto da pensão alimentícia.A pensão alimentícia poderá ser deduzida pela pessoa física que suporta o encargo correspondente somente a partir da sentença judicial que homologar o acordo firmado pelos cônjuges. publicado no DOU de 18.07. desde que haja anuência da empresa e que o beneficiário lhe forneça o original do comprovante de pagamento.3 . por meio do Acórdão nº 102-24.do imposto apurado na Declaração de Ajuste Anual. 2. os valores pagos a esse título podem ser considerados para fins de dedução da base de cálculo sujeita ao imposto mensal.Hipóteses em que se Admite a Dedução É admitida a dedução das importâncias pagas a título de pensão alimentícia na apuração da base de cálculo (arts. III . royalties.110.Casos em Que Não se Admite a Dedução Não é admitida a dedução dos valores pagos a título de alimentos e pensões no cálculo do imposto: . inclusive remuneração mensal de titular de empresa individual e de sócios ou dirigentes de pessoas jurídicas (pró -labore). no próprio mês do pagamento. mesmo quando paga enquanto não decretada a separação judicial.

106 do RIR/99). mediante recibo que identifique o beneficiário ou por meio de cópia de cheque nominativo emitido em nome do beneficiário da pensão alimentícia. do RIR/99. §4º. c) o valor deduzido fica sujeito à comprovação. neste caso não fica sujeito à incidência do . 50. Este tratamento é dado quando o valor da pensão for descontado em folha de pagamento e repassado ao beneficiário. 78. § único da IN SRF nº 15/01): a) na Declaração de Ajuste Anual não poderá ser utilizada a dedução de pensão alimentícia cumulativamente com a dedução de dependentes relativamente à mesma pessoa. § 2º da IN SRF nº 15/01).Indedutibilidade de Despesas com Educação e Médicas As despesas com educação e médicas dos alimentados. No entanto. 49.Rendimento tributável para o Carnê -Leão As importâncias recebidas a título de pensão alimentícia em face das normas do Direito de Família. em cumprimento de acordo ou decisão judicial.1 . 3 . Tratamento para o Beneficiário do Rendimento 5. observando-se que (art. sujeitam-se à Tributação mensal na forma do carnê-leão (art. conforme art. no caso de despesas de educação (art. b) incidente sobre ganhos de capital na alienação de bens e direitos. c) devido sobre ganhos líquidos obtidos em operações no mercado de renda variável. 4.700. uma vez que no simplificado o desconto de 20% dos rendimentos substitui todas as deduções admitidas na legislação. são passíveis de dedução pelo alimentante na Declaração de Ajuste Anual. não são dedutíveis da base de cálculo do IRRF ou do Carnê-leão. exceto na hipótese de mudança da relação de dependência no anocalendário.a) devido sobre rendimentos de tributação exclusiva na fonte como ganhos de capital em aplicações no mercado financeiro. quando realizadas pelo alimentante em cumprimento de decisão judicial ou de acordo homologado judicialmente. Dedução na Declaração de Ajuste Anual de quem Paga Pensão Alimentícia A dedução de pensão alimentícia na Declaração de Ajuste Anual somente é permitida quando o contribuinte declarar no modelo completo. b) o contribuinte que pagar a pensão alimentícia e apresentar a declaração no modelo completo deverá informar o beneficiário (nome e CPF) e o valor pago na Relação de Pagamentos e Doações efetuadas.00. observado limite anual individual de R$ 1. inclusive alimentos provisionais. 5.

Cálculo da Pensão Fixada em Juízo Sobre o Rendimento Líquido Na hipótese do valor da pensão ser fixado em percentual aplicável sobre o rendimento líquido mensal. 5º do RIR/99). 5º do RIR/99): a) apresentar a declaração em nome de cada um deles. RB = rendimento bruto. em cumprimento de acordo ou decisão judicial. inclusive alimentos provisionais. comporão os rendimentos tributáveis na Declaração de Ajuste Anual. PD = parcela a deduzir correspondente à faixa da base de cálculo (da tabela progressiva) a que pertencer o rendimento bruto. a fonte pagadora ou o contribuinte deverão.[ _T_ 100 onde: x (RB .Imposto de Renda na Fonte. Quando a decisão ou acordo judicial especificar os beneficiários da pensão alimentícia. 6. No caso de pensão alimentícia recebida por menores ou por incapazes. D = dedução de dependentes. que não o beneficiário da pensão. a apresentação da Declaração de Ajuste e o pagamento do imposto devido é de responsabilidade da pessoa sob cuja guarda estiver o beneficiário da pensão (art. qualquer que seja o modelo adotado pelo contribuinte: completo ou simplificado. separadamente. uma vez que o imposto deve ser calculado e pago pelo próprio beneficiário do rendimento.D .2 . Exemplo: . CP = Contribuição Previdenciária. PA = percentagem da pensão alimentícia fixada em juizo.CP . caso o contribuinte tenha outros dependentes sob sua guarda. para obter o valor correto da pensão a ser paga. sob CPF próprio.P)] + PD} x _PA_ 100 P = valor da pensão a ser paga. 5.CP . T = alíquota da faixa da tabela progressiva a que pertencer o rendimento bruto. ou b) incluir as importâncias recebidas pelos filhos em sua declaração e considerá-los como dependentes.Tratamento na Declaração de Ajuste Anual As importâncias recebidas a título de pensão alimentícia. utilizar a seguinte fórmula: P = {RB . o responsável pela guarda do menor poderá opcionalmente (§ único do art.

700.000.00 Alíquota da faixa a que pertence o rendimento bruto da tabela progressiva: 27.P)] + 423.205..275P} x 0..65 + 0.9175P = 895.69 0..Supondo que no mês de setembro de 2003 uma pessoa que recebe um salário de R$ 3.Demonstrativo do cálculo do Imposto de Renda: Rendimento bruto (-) INSS (-) 01 dependente (-) Pensão alimentícia (=) Base de cálculo (X) 27.985..30 P = {2...14 R$ 663...[931.205.30 P = {3.P)] + 423.08} x 0..494.08} x 0...0825P = 895..08 R$ 240.931..00 .P)] + PD} x _PA_ 100 P = {3..30 P = {3.CP .5% Parcela a deduzir da tabela progressiva correspondente à faixa a que pertence o rendimento bruto .......63 R$ 106.63 .80 .80 + 0.33 R$ 423.700..00 ....275P + 423.00 .30 P = 895.Cálculo do valor da pensão alimentícia a ser paga..388.0825P P .69 + 0.63 .37 .205. mediante aplicação da fórmula: P = {RB .275 x (3. cujo valor foi fixado judicialmente em 30% do rendimento líquido do mês....[ _T_ x (RB ...00 R$ 976..[0.700.412..6 9 P = 895..9175 P = 976.37 .00 R$ 205..D .700.. Rendimento bruto INSS descontado Dependente (1) R$ R$ R$ 3.275P] + 423.700.0..23 II .63 106.25 100 x (3.106.69 0.5% da tabela progressiva (-) Parcela a deduzir da tabela progressiva (=) Imposto de Renda R$ 3.23 R$ 2.CP .08 Percentual da pensão alimentícia fixado sobre o rendimento líquido: 30% I ...5 100 P = {3..0...00 deva pagar pensão alimentícia.00 205.08} x 0.37 ...00 .63 [_27.494. R$ 423..08} x _30_ 100 .

12 30% 976. III . o cálculo deverá ser refeito utilizando-se a alíquota e a parcela a deduzir correspondentes à faixa a que pertence o rendimento bruto (RB).25 3.00 205.254.700.Comprovação do valor da pensão alimentícia: Rendimento bruto (-) INSS descontado (-) IRRF (=) rendimento líquido (X) percentual fixado da pensão (=) valor da pensão alimentícia R$ R$ R$ R$ R$ R$ 3.Atenção: Observamos que se o rendimento bruto (RB) deduzido do valor relativo a dependentes da Contribuição Previdenciária e da pensão alimentícia resultar em valor pertencente à faixa inferior da tabela progressiva.63 240.23 .

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->