Você está na página 1de 4

aço 1020 e 1045 são aços de baixo carbono segundo norma SAE

o 1020 tem 0,2 % de carbono


o 1045 tem 0,45% de carbono

ambos são de facil usinabilidade e alta tenacidade e baixa dureza.

São aplicados na mecanica em geral como peças comuns por ter baixo custo.

O aço 1045 pode ser temperado e beneficiado, porem o 1020 não aceita este tipo de
tratamento.

precisa ver oq vc realmente precisa.. pois a demoninação vai muito longe... eis aki algumas
outra especificações

Classificação SAE

A classificação dos aços segundo as normas da SAE (Society of Automotive Engineers - EUA)
é a mais utilizada em todo o mundo para aços-carbono (aços sem adição de elementos de liga,
além dos que permanecem em sua composição no processo de fabricação) e aços de baixa
liga (aços com baixas porcentagens de elementos de liga).

A classificação SAE é baseada na composição química do aço. A cada composição


normalizada pela SAE corresponde a uma numeração com 4 ou 5 dígitos.

A mesma classificação também é adotada pela AISI (American Iron and Steel Institute-EUA)

Um extrato contendo exemplos das classificações de alguns aços mais comuns é apresentado
na listagem a seguir.

No total são previstas muitas dezenas de classificações. Nelas, os 2 dígitos finais XX indicam
os centésimos da porcentagem de C (Carbono) contida no material, podendo variar entre 05,
que corresponde a 0,05% de C, a 95, que corresponde a 0,95% de C. Se a porcentagem de C
atinge ou ultrapassa 1,00%, então o final tem 3 dígitos (XXX) e a classificação tem um total de
5 dígitos.

SAE 1XXX – aço-Carbono

SAE 10XX – aço-carbono simples (outros elementos em porcentagens desprezíveis, teor de


Mn de no máximo 1,0%) 
SAE 11XX – aço-carbono com S (Enxofre) 
SAE 12XX – aço-Carbono com S e P (Fósforo) 
SAE 13XX – aço com 1,6% a 1,9% de Mn (Manganês) (aço-Manganês) 
SAE 14XX – aço-Carbono com 0,10% de Nb (Nióbio) 
SAE 15XX – aço-Carbono com teor de Mn de 1,0% a 1,65% (aço-Manganês) 

SAE 2XXX – aço-Níquel

SAE 23XX – aço com Ni entre 3,25% e 3,75% 


SAE 25XX – aço com Ni entre 4,75% e 5,25% 

SAE 3XXX – aço-Níquel-Cromo

SAE 31XX – aço com Ni entre 1,10% e 1,40% e com Cr entre 0,55% e 0,90% 
SAE 32XX – aço com Ni entre 1,50% e 2,00% e com Cr entre 0,90% e 1,25% 
SAE 33XX – aço com Ni entre 3,25% e 3,75% e com Cr entre 1,40% e 1,75% 
SAE 34XX – aço com Ni entre 2,75% e 3,25% e com Cr entre 0,60% e 0,95% 
SAE 4XXX – aço-Molibdênio

SAE 40XX – aço com Mo entre 0,20% e 0,30% 


SAE 41XX – aço com Mo entre 0,08% e 0,25% e com Cr entre 0,40% e 1,20% 
SAE 43XX – aço com Mo entre 0,20% e 0,30%, com Cr entre 0,40% e 0,90% e com Ni entre
1,65% e 2,00% 
SAE 46XX – aço com Mo entre 0,15% e 0,30%, com Ni entre 1,40% e 2,00% 
SAE 47XX – aço com Mo entre 0,30% e 0,40%, com Cr entre 0,35% e 0,55% e com Ni entre
0,90% e 1,20% 
SAE 48XX – aço com Mo entre 0,20% e 0,30%, com Ni entre 3,25% e 3,75% 

SAE 5XXX – aço-Cromo

SAE 51XX – aço com Cr entre 0,70% e 1,20% 

SAE 6XXX – aço-Cromo-Vanádio

SAE 61XX – aço com Cr entre 0,70% e 1,00% e com 0,10% de V 

SAE 7XXX – aço-Cromo-Tungstênio

SAE 8XXX – aço-Níquel-Cromo-Molibdênio

SAE 81XX – aço com Ni entre 0,20% e 0,40%, com Cr entre 0,30% e 0,55% e com Mo entre
0,08% e 0,15% 
SAE 86XX – aço com Ni entre 0,30% e 0,70%, com Cr entre 0,40% e 0,85% e com Mo entre
0,08% e 0,25% 
SAE 87XX – aço com Ni entre 0,40% e 0,70%, com Cr entre 0,40% e 0,60% e com Mo entre
0,20% e 0,30% 

SAE 92XX – aço-Silício-Manganês

SAE 92XX – aço com Si entre 1,80% e 2,20% e com Mn entre 0,70% e 1,00% 

SAE 93XX, 94XX, 97XX e 98XX – aço-Níquel-Cromo-Molibdênio

SAE 93XX – aço com Ni entre 3,00% e 3,50%, com Cr entre 1,00% e 1,40% e com Mo entre
0,08% e 0,15% 
SAE 94XX – aço com Ni entre 0,30% e 0,60%, com Cr entre 0,30% e 0,50% e com Mo entre
0,08% e 0,15% 
SAE 97XX – aço com Ni entre 0,40% e 0,70%, com Cr entre 0,10% e 0,25% e com Mo entre
0,15% e 0,25% 
SAE 98XX – aço com Ni entre 0,85% e 1,15%, com Cr entre 0,70% e 0,90% e com Mo entre
0,20% e 0,30% 

Apesar da classificação SAE ser bastante extensa e completa, conforme mostrado no extrato
apresentado, muitos aços comumente usados não se enquadram nela, devido aos elementos
de suas ligas não estarem dentro das faixas previstas nesta classificação.

I. Aços Carbono (mais usual em construção metálica) 


Segundo a NBR 6215 aço carbono é aquele não contém elementos de liga isto é, apenas
teores residuais de Cr = 0,20%, Ni = 0,25% etc e no qual os teores de Si e Mn não ultrapassem
limites máximos de 0,60% e 1,65% respectivamente. 
São classificados em função do teor de carbono. 
a)Baixo Carbono: C £ 0,30% 
Limite de resistência: 440 N/mm² 
Características: 

Boa tenacidade, conformabilidade e soldabilidade. 

Baixa temperabilidade. 
Aplicações: 

Pontes, edifícios, navios, vagões, caldeiras, tubos gerais, estruturas mecânicas, etc. 

b) Médio Carbono: 0,30% < C £ 0,50% 


Limite de resistência: 440 a 590 N/mm² 
Características: 

Média conformalidade e soldabilidade. 

Média temperalidade. 

c) Aço de Alto Carbono: 


Limite de resistência: 590 a 780 N/mm² 
Características: 

Má conformabilidade e soldabilidade. Altas temperaturas e resistência ao desgaste. 


Aplicações: 

Peças metálicas, parafusos especiais, implementos agrícolas, trilhos e rodas ferroviárias, etc.

Os aços são ligas metálicas de ferro e carbono, com percentagens deste último variáveis entre
0,008 e 2,11%. Distinguem-se dos ferros fundidos, que também são ligas de ferro e carbono,
mas com teor de carbono entre 2,06% e 6,67%.

A diferença fundamental entre ambos é que os aços, pela sua ductibilidade, são facilmente
deformáveis por forja, laminação e extrusão, enquanto que peças em ferros fundidos são
fabricadas pelo processo de fundição.

Classificação dos aços


Os aços podem ser classificados da seguinte maneira:

Quantidade de carbono 
Composição química 
Quanto à constituição microestrutural 
Quanto à sua aplicação 

A classificação mais comum é de acordo com a composição química, dentre os sistemas de


classificação química o SAE é o mais utilizado, e adota a notação ABXX, onde AB se refere a
elementos de liga adicionados intencionalmente, e XX ao percentual em peso de carbono
multiplicado por cem.

Além dos componentes principais indicados, os aços incorporam outros elementos químicos,
alguns prejudiciais, provenientes da sucata, do mineral ou do combustível empregue no
processo de fabricação, como o enxofre e o fósforo. Outros são adicionados intencionalmente
para melhorar algumas características do aço para aumentar a sua resistência,
ductibilidade,dureza ou outra, ou para facilitar algum processo de fabrico, como usinabilidade, é
o caso de elementos de liga como o níquel, o cromo, o molibdênio e outros.

No aço comum o teor de impurezas (elementos além do Ferro e do Carbono) estará sempre
abaixo dos 2%. Acima dos 2 até 5% de outros elementos já pode considerado aço de baixa-
liga, acima de 5% é considerado de alta-liga. O Enxofre e o Fósforo são elementos prejudicais
ao aço pois acabam por intervir nas suas propriedades físicas deixando o aço quebradiço.
Dependendo das exigências cobradas, o controle sobre as impurezas pode ser menos rigoroso
ou então podem pedir o uso de um antisulfurante como o magnésio e outros elementos de liga
benéficos.

O aço inoxidável é um aço de alta-liga com teores de cromo e de níquel em altas doses
(ultrapassam 20%)

O aço é actualmente a mais importante liga metálica, sendo empregue de forma intensiva em
numerosas aplicações tais como máquinas, ferramentas, em construção, etc . Entretanto, a sua
utilização está condicionada a determinadas aplicações devido a vantagens técnicas que
oferecem outros materiais como o alumínio no transporte por sua maior leveza e na construção
por sua maior resistência a corrosão, o cimento (mesmo combinado com o aço) pela sua maior
resistência ao fogo, e os materiais cerâmicos em aplicações que necessitem de elevadas
temperaturas.

Ainda assim actualmente emprega-se o aço devido a sua nítida superioridade frente às demais
ligas considerando-se o seu preço. Já que:

Existem numerosas jazidas de minerais de ferro suficientemente ricas, puras e fáceis de


explorar, além da possibilidade de reciclar a sucata. 
Os procedimentos de fabricação são relativamente simples e económicos, e são chamados de
aciaria. Os aços podem ser fabricados por processo de aciaria eléctrica, onde se utiliza
eléctrodos e processo de aciaria LD, onde se utiliza sopro de oxigénio no metal líquido por
meio de uma lança. 
Apresentam uma interessante combinação de propriedades mecânicas que podem ser
modificados dentro de uma ampla faixa variando-se os componentes da liga e as suas
quantidades, mediante a aplicação de tratamentos. 
A sua plasticidade permite obter peças de formas geométricas complexas com relativa
facilidade. 
A experiência acumulada na sua utilização permite realizar previsões de seu comportamento,
reduzindo custos de projectos e prazos de colocação no mercado. 
Tal é a importância industrial deste material que a sua metalurgia recebe a denominação
especial de siderurgia, e a sua influência no desenvolvimento humano foi tão importante que
uma parte da história da humanidade foi denominada Idade do ferro, que se iniciou em 3500
a.C., e que, de certa forma, ainda perdura.

Propriedades
A propriedades médias de um aço com 0,2% de carbono em peso geram em torno de:

Densidade média do aço': 7860kg/m³ (ou 7,86g/cm³) 


Coeficiente de Expansão Térmica: 11,7 10-6 (C°)-1 
Condu
 3 anos atrás

Você também pode gostar