P. 1
Cidadania a Nossa Democracia

Cidadania a Nossa Democracia

|Views: 146|Likes:
Publicado porPedro Moreira

More info:

Published by: Pedro Moreira on Nov 09, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/19/2015

pdf

text

original

FORMAÇÃO PARA A CIDADANIA

Organização do Estado Democrático: A Nossa Democracia
(CP 1 ² DR 3 ² Democracia representativa e participada)
José Jacinto & Marina Cruz 1

O Estado de Direito ± a Constituição
Nos termos do art. 2.º da CRP, ³A República Portuguesa é um Estado de direito democrático, baseada na soberania popular, no pluralismo de expressão e organização política democrática e no respeito e na garantia de efectivação dos direitos e liberdades fundamentais e na separação e interdependência de poderes (...)´.
José Jacinto & Marina Cruz 2

separa o poder executivo.  José Jacinto & Marina Cruz 3 . os quais compete tomar decisões em seu nome.Orgãos de soberania   O Estado tem funções política. O princípio da separação de poderes. o Estado tem os seus órgãos. Para cumprir as atribuições que lhe são confiadas pela Constituição e pelas leis. do poder legislativo e do poder judicial. legislativa e judicial.

O Governo (Poder Executivo). nos termos da Constituição:     O Presidente da República. Os Tribunais (Poder Judicial).Orgãos de soberania ± Composição e competências São órgãos da soberania. A Assembleia da República (Poder Legislativo). José Jacinto & Marina Cruz 4 .

R. directo e secreto dos cidadãos portugueses eleitores recenseados no território nacional. bem como dos cidadãos portugueses residentes no estrangeiro.) representa a República Portuguesa. a unidade do Estado e regular funcionamento das instituições democráticas e é. garante a independência nacional. que mantenham laços de efectiva ligação à comunidade nacional. é eleito por sufrágio universal. nos termos da lei.Presidente da República   O Presidente da República (P. por inerência.R. José Jacinto & Marina Cruz 5 . O P. Comandante Supremo das Forças Armadas.

cidadãos eleitores. portugueses de origem. maiores de 35 anos.Presidente da República   A idade mínima para se poder votar é de 18 anos. José Jacinto & Marina Cruz 6 . São elegíveis para Presidente da República.  O mandato do Presidente da República tem a duração de cinco anos e termina com a posse do novo Presidente eleito.

O Primeiro Ministro e os restantes membros do seu Governo prestam contas a esta Assembleia. nos termos eleitorais. José Jacinto & Marina Cruz 7 .Assembleia da República    A Assembleia da República é a assembleia representativa de todos os cidadãos portugueses. A Assembleia tem o mínimo de cento e oitenta e o máximo de duzentos e trinta (230) Deputados. É na Assembleia da República que são feitas as leis e são debatidos os grandes projectos nacionais.

os círculos por que são eleitos. José Jacinto & Marina Cruz 8 . isoladamente ou em coligação.  Os deputados representam todo o país e não (propriamente ou apenas) . pelos partidos políticos. nos termos da lei. As listas podem integrar cidadãos não inscritos nos respectivos partidos políticos.Assembleia da República  As candidaturas para deputado são apresentadas.

ao mesmo tempo. Os membros do Governo reúnem-se em Conselho de Ministros. o órgão superior da administração pública.Governo  O Governo é o órgão encarregue de conduzir a política geral do país e é. José Jacinto & Marina Cruz 9   . e pelos Secretários e Subsecretários de Estado e pode incluir um ou mais Vice-PrimeiroMinistro(s). O Governo é constituído pelo Primeiro-Ministro. pelos Ministros.

Os restantes membros do governo são nomeados pelo Presidente da República. O programa do governo é o instrumento onde constam as principais orientações políticas e medidas a adoptar ou a propor nos diversos domínios da actividade governamental.Governo    O Primeiro-Ministro é nomeado pelo Presidente da República. José Jacinto & Marina Cruz 10 . sob proposta do PrimeiroMinistro. ouvido os partidos representados na Assembleia da República e tendo em conta os resultados eleitorais.

Tribunais   Os tribunais são órgãos de soberania com competência para administrar a justiça em nome do povo. cujos direitos são violados. É nos tribunais que os cidadãos. José Jacinto & Marina Cruz 11 . podem exigir a efectivação desses mesmos direitos.

 José Jacinto & Marina Cruz 12 . As decisões dos tribunais devem ser fundamentadas na forma prevista na lei e são obrigatórias para todas as entidades públicas e privadas.Tribunais  Os tribunais são independentes e apenas estão sujeitos à lei.

Tribunais Judiciais de Primeira e Segunda Instância. Tribunais Administrativos e Fiscais. Supremo Tribunal Administrativo. José Jacinto & Marina Cruz 13 .Tribunais Existem as seguintes categorias de tribunais:      Tribunal Constitucional. Supremo Tribunal de Justiça.

Os juízes não podem ser responsabilizados pelas suas decisões. exercer a acção penal e defender a legalidade democrática e os interesses que a lei determinar. José Jacinto & Marina Cruz 14 . O Ministério Público é o órgão do Estado encarregado de representar o Estado. salvas as excepções consignadas na lei. Ao Ministério Público está também atribuído o patrocínio oficioso de trabalhadores e seus familiares.Tribunais    Os Juízes dos tribunais judiciais formam um corpo único e regem-se por um só estatuto.

Local Regiões Autónomas Os Açores A Madeira José Jacinto & Marina Cruz 15 .Administração Pública Central ± Regional .

bem como na formação de um governo regional. exercida através de um regime político-administrativo próprio. sociais e culturais.  A autonomia regional materializa-se nas eleições das assembleias locais. económicas. que se fundamenta nas suas características geográficas. pelos residentes das respectivas regiões.As Regiões Autónomas  Os Açores e a Madeira gozam de autonomia regional. José Jacinto & Marina Cruz 16 .

em cada uma das regiões autónomas. por um Ministro da República.As Regiões Autónomas As Regiões Autónomas têm os seguintes órgãos:   Assembleia Regional ± Presidente da Assembleia Regional. Governo Regional ± Presidente do Governo Regional. José Jacinto & Marina Cruz 17 . A soberania da República é especialmente representada.

se dividem em FREGUESIAS. a Constituição de 1976 introduziu em Portugal o poder local. que por sua vez.   José Jacinto & Marina Cruz 18 .O Poder Local  Para além do poder central. estes em MUNICÍPIOS. O PODER LOCAL centra-se nas AUTARQUIAS ± Municípios e Freguesias. O País está dividido em DISTRITOS.

O Poder Local  O município é a autarquia local que visa a prossecução de interesses próprios da população residente na circunscrição concelhias. mediante órgãos representativos por ela eleitos. visam a prossecução de interesses próprios da população residente em cada circunscrição paroquial. José Jacinto & Marina Cruz 19 .  As freguesias são autarquias locais que. dentro do território municipal.

O Poder Local Os órgãos das autarquias   Os Municípios: Assembleia Municipal Câmara Municipal As Freguesias: Assembleia de Freguesia Junta de Freguesia José Jacinto & Marina Cruz 20 .

Aprovar o Plano Director Municipal. José Jacinto & Marina Cruz 21     . Algumas competências da Assembleia Municipal: Acompanhar e fiscalizar a actividade da Câmara. directo e secreto. Aprovar o Plano de Actividades. propostos pela Câmara.O Poder Local Assembleia Municipal A assembleia municipal é o órgão deliberativo do município. Orçamento e suas revisões. É formada pelos presidentes das juntas de freguesia e por membros eleitos por sufrágio universal.

eleito pelos cidadãos eleitores recenseados na sua área. José Jacinto & Marina Cruz 22   . pessoas com deficiência. Algumas áreas de intervenção da Câmara Municipal: Acção Social ± disponibiliza apoio técnico e financeiro na área da infância. É o órgão executivo colegial do município. idosos. minorias e desenvolvimento comunitário.O Poder Local Câmara Municipal A câmara municipal é constituída por um presidente e por vereadores. sem abrigo.

José Jacinto & Marina Cruz 23 .  Acção Social Escolar ± neste âmbito dão os seguintes apoios: cantinas. transportes escolares. colónias de férias. do Pré-Escolar ao Secundário. suplemento alimentar. Cultura e Desporto.  Habitação Social e Reabilitação Urbana.O Poder Local Algumas áreas de intervenção da Câmara Municipal (cont.):  Educação ± disponibiliza apoio a projectos da Escola de todos os níveis do ensino. e actividades de tempos livres.

directo e secreto dos cidadãos recenseados na área da freguesia. Junta de Freguesia A Junta de Freguesia é o órgão colegial da freguesia.   José Jacinto & Marina Cruz 24 . sendo que dois exercerão as funções de secretário e de tesoureiro.O Poder Local Assembleia de Freguesia A Assembleia de Freguesia é eleita por sugrágio universal. É constituída por um presidente e por vogais. segundo o sistema de representação proporcional.

etc. passar atestados nos termos da lei. Compete à junta de freguesia.O Poder Local Competências da Junta de Freguesia As juntas de freguesia têm competências próprias e competências delegadas pela câmara municipal. bem como à informação e defesa dos direitos dos cidadãos. com vista à prossecução de obras ou eventos de interesse para a freguesia. celebrar protocolos de colaboração com instituições públicas. particulares e cooperativas que desenvolvam a sua actividade na área da freguesia. José Jacinto & Marina Cruz 25   . nomeadamente. deliberar as as formas de apoio a entidades e organismos legalmente existentes.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->