Você está na página 1de 10

Disciplina: Geografia do Turismo

Docentes:
dr. Mário Jessen
dr. Emídio Nhantumbo
dr. Armindo Ernesto
TURMA “B”

Novembro de 2004

Abner Mutekuza Foia


Relatório do Inquérito aos
Estabelecimentos Turísticos e Hoteleiros,
na Vila Sede do distrito de Morrumbene

1. Introdução
O turismo e uma actividade socio-económica que envolve vários
sectores da economia e contribui para o desenvolvimento do pais.
Alem de movimentar varias áreas da economia, a actividade turística,
influencia na actividade económica básica das regiões onde se
desenvolve, em particular, criando alterações tanto a nível económico
politico e social.
Muitos são os serviços e infra-estruturas que devem ser criadas ou
readaptadas de forma a criar condições para responder a demanda
turística, no país, província, distrito ou localidade receptora.

1.1 Objectivo Geral


 Avaliar o estágio do desenvolvimento do Turismo em
Morrumbene
1.2 Objectivos Específicos
 Identificar o tipo, nível de infra-estruturas turísticas existentes na
vila sede de Morrumbene
 Analisar o tipo de serviços prestados pelos operadores.

 Avaliar o fluxo turístico,

1.3 Metodologia
Com vista a obtenção desta informação o grupo serviu-se das
seguintes metodologias: revisão bibliográfica (tendo buscado
algumas informações relativas a localização, população), observação
directa (fez-se visita a 05 estabelecimentos ou infra-estruturas de
restauração e similares) inquérito (que consistiu em responder a um
formulário previamente elaborado para o efeito) estatístico (Calculo
das percentagens em relação as respostas obtidas através do método
estatístico), e análise e interpretação de dados (onde procurou-se
interpretar os dados colhidos no terreno confrontando-os com a
observação feita pelos intervenientes).

Para uma apreciação do tema a que nos propomos a retratar, o


relatório obedecerá a estrutura seguinte: Introdução, objectivo
Geral, objectivos específicos, metodologia, caracterização da
área de estudo, analise e compilação de dados, constatações,
conclusão, recomendações e referências bibliográficas.

2. Caracterização da Área de Estudo


2.1 Localização Geográfica
O distrito de Morrumbene é um dos distritos centrais da província de
Inhambane, localizando-se ao longo da Estrada Nacional nº1 (EN1), a
cerca de 25 km da cidade da Maxixe a capital económica da província.

Faz fronteira a Norte com o distrito de Massinga (o mais populoso da


província), na parte Sul pelo Município da Maxixe, ao Ocidente pelo
distrito de Funhalouro e a Leste pelo oceano Índico.

2.2 Clima
O distrito é atravessado pelo trópico de Capricórnio na parte central o
que lhe confere um clima tropical, sendo a zona costeira com o clima
tropical húmido e mais para o interior o clima tropical seco.

2.3 Actividades Económicas


Das actividades económicas desenvolvidas pelas populações deste
distrito destacam-se a agricultura, pesca (destacando-se como um dos
maiores produtores de camarão ao nível da província) e o comércio
( este comércio é baseado principalmente na comercialização da
copra, Morrumbene tem o maior palmar da província).
2.4 População
Dados do último Censo Geral de População e Habitação de 1997
divulgados no ano de 1999, indicam que este distrito tem uma
população de 110.817, sendo 50.4% da população com idade superior
a 18 anos.

Para o ano de 2004 prevê-se que esta população atinja os 134.294


com 24.8% da população com idade entre 25 a 49 anos com maior
destaque para a mulher. (INE,1999. Pag.43). Este aumente aumento
em relação aos dados de 1999 representa um crescimento em cerca
de 21.2%.

2.5 Educação
O distrito de Morrumbene, possui uma rede de infra-estruturas
escolares composta por 154 escola, sendo 60 de EP1, 09 de EPC, 2 de
ESG1 e 1 de ESG2, 81 para Educação de Adultos, apresentando um
efectivo de 151.483 alunos sendo 33.319 raparigas.

2.6 Saúde
Na concernente a Saúde, o distrito possui uma rede sanitária composta
por 14 unidades, sendo 07 Centros de Saúde e 7 Postos. Do período de
2000 até ao primeiro semestre de 2004, a situação epidemiológica do
distrito, apontava a malária como a doenças mais frequente com
239.664, seguido de diarreias com 51.526 casos registados.

2.7 Indústria e Comércio


O distrito não apresenta um parque industrial de grande destaque, a
maior parte das empresas existentes são de pequena escala
(carpintarias, padarias, etc.). Para além desta destacam-se também
uma pedreira e uma fábrica de óleo a partir de copra.

Segundo relatório balanço do governo distrital de 1986/2004, o distrito


possui 66 lojas das quais 34 estão operacionais.
2.8 Vias de Acesso, Abastecimento de Água e
Telecomunicações
O distrito é atravessado pela Estrada nacional nº1 (EN1). Para além
desta importante via, apresenta outras que fazem ligaçõeses com as
localidades e Postos Administrativos (estradas terciárias), que neste
momento segundo o relatório acima citado são transitáveis, expecto as
que ligam a vila às instâncias turísticas de Linga-Linga e a que liga a
vila à Pagula- Tambajane.

A rede de distribuição de água é deficiente devido ao estado de


degradação a que se encontra a mesma. Até ao presente possui 26
furos de água e 3 fontanários. Em relação ao saneamento do meio, são
produzidas latrinas melhoradas para vendas ás populações.

As telecomunicações naquele distrito são garantidas pelas rede fixa


das TDM e pela rede móvel da mCel.

3. Analise e Compilação dos Dados


O grupo visitou o5 estabelecimentos todos localizados na sede
distrital, com quatro delas pertencentes a cidadãos nacionais e um
pertencente a estrangeiro. Para melhor visualização dos dados vide a
tabela que se segue.

Nome do Tipo Classi Frequência Nacionalid Tipo de


estabelecimen de f. no ade constru
to Estabe estabeleci proprietár ção
l. mento io
Quiosque Quiosq S/C Boa moçambica Durável
Nickson ue na
Complexo Bar S/C Boa portuguesa Durável
Magalo
Quiosque Quiosq S/C Razoável moçambica Durável
Paraíso ue na
Escondidinho
Mini Quiosque Quiosq S/C Razoável moçambica Durável
Chicuava ue na
Quiosque Quiosq S/C Boa moçambica Durável
Tropical ue na
Todos estabelecimentos possuem trabalhadores nacionais com maior
destaque para a mulher. Estes, apresentam baixa qualidade de
serviços devido a falta de formação, bem como do número menor dos
trabalhadores que se encontram por cada estabelecimento, havendo
outras que funcionam com apenas um único trabalhador. Para melhor
ilustrar este problema vide o quadro que segue.
Nome do Nº Nacionalid Serviços Serviços
estabelecimento Tra ade Prestados +
b. Trabalhad Aprecia
ores dos
Quiosque Nickson 4 moçambica Bar/Cozinha Bar
na
Complexo Magalo 2 moçambica Bar Bar
na
Quiosque Paraíso 2 moçambica Bar Bar
Escondidinho na
Mini Quiosque 1 moçambica Bar/Cozinha Bar
Chicuava na
Quiosque Tropical 3 moçambica Bar/Cozinha/Quartos Bar
na

A demanda turística é muito fraca, pois durante a permanência do


grupo não foi notório o movimento de turistas, facto que foi
confirmado pelos entrevistados. O tipo de cliente que têm escalado
este ponto na sua maioria está em transito, para as zonas norte,
centro e sul do país, classificados segundo a OMT por excursionistas.

Do trabalho efectuado só foi possível entrevistar três turistas, dos


quais um sul africano e dois moçambicanos, com a mesma motivação
de viagem, trabalho. Segundo os trabalhadores dos estabelecimentos,
os excursionistas gostam mais de bebidas alcoólicas.

4. Constatações

No geral os proprietários dos estabelecimentos visitados, afirmaram


não se fazerem registo dos clientes que escalam os seus
estabelecimentos. A ligação entre eles e a comunidade está
relacionada com o fornecimento de alguns produtos de machamba
como: tomate, cebola, etc, contudo não são todos estabelecimentos
que o fazem.

A fiscalização aos estabelecimentos não é regular, pois, segundo os


entrevistados os fiscais das Direcções provinciais de Trabalho e
Turismo só aparecem uma vez ao ano e em outros afirmara nunca
terem sido visitados por estes. Quanto aos visitados, informaram que
as visitas eram de carácter educativo, que consistiram na
sensibilização destes para o licenciamento das actividades.

As dificuldades encontradas, são na maioria relacionada com falta de


recursos financeiros o que ocasiona atrasos no pagamento de salários,
concorrência com os vendedores informais aliado a falta de
fiscalização por parte do conselho executivo.

Durante o tempo de permanência da equipa que fazia o trabalho de


campo, só foi possível encontrar quatro excursionistas. No geral
queixaram-se da fraca qualidade de serviços prestados, destacando a
questão higiénica, infra-estruturas degradadas, mal localizadas, falta
de profissionalismo por parte dos empregados, aliado aos preços altos
cobrado e sem serviços que justifiquem.
As tabelas que se seguem ilustram os pontos de vistas dos três (3)
turistas entrevistados quanto ao local:

Descrição Muito Boa Satisfató Não


Boa ria satisfató
ria
Estético 1 2
Social 3
Ambiental 2
Segurança 1 2
Higiene 3
Cultural 1
Infra- 1 2
Estrutura

Variação do custo
Descrição
Alto Médio Baixo Baixíssimo
Alojamento 2 1
Alimentação 2 1
Custo de 1 2
vida
N:B Os números constantes nas tabelas referem-se aos turistas que
responderam para cada item.

5. Conclusão
Morrumbene apresenta um baixo nível de desenvolvimento turístico,
aliado as infra-estruturas que são de baixa qualidade, com
trabalhadores sem nenhuma formação na área hoteleira.
A promoção do turismo não constitui prioridades dos operadores, uma
vez que a sua rentabilidade não é maior em relação ao comércio.

Os turistas que escalam Morrumbene, são os que se deslocam em


serviço, ou de passagem para outros pontos do país.

6. Recomendações

 melhoramento das estradas (para instâncias turística)


 criação de locais de entretenimento
 formação do pessoal em matéria de restauração e similares
 inventariação das potencialidades do distrito
 consciencializar os operadores para o seu licenciamento
 fiscalizações permanentes pela DP Trabalho e DP Turismo
 melhoramento da infra-estruturas

7. Referências Bibliográficas

INE, Projecções Anuais da População por distritos 1997-2010 —


Moçambique (Região – Sul) Vol.III . Artes Gráficas. Maputo 1999

INE, II Recenseamento Geral da População e Habitação – 1999 –


resultados definitivos. Vol.III . Artes Gráficas. Maputo 1999

Relatório Balanço das Actividades Desenvolvidas no Distrito de


Morrumbene de 1986 a 2004. 2004