Você está na página 1de 5

O DILÚVIO DESMASCARADO

Uma das histórias mais absurdas do Velho Testamento com


certeza é a que relata o dilúvio e a Arca de Noé. Um
besteirol sem limites, digno das mais profundas fantasias de
uma psique desvairada da natureza humana. E o mais
incrível é saber que existe gente tão ignorante que afirma
porA + B que aquele monte de bobagens ocorreu tal como
descrito no Gênesis.

Aqui analisaremos os absurdos científicos, geográficos e


históricos. Calce seu pé de pato e venha conosco, pois tudo
começa em Gênesis cap. 6

1. Quando os homens começaram a multiplicar-se sobre a terra, e lhes nasceram


filhas,
2. os filhos de Deus viram que as filhas dos homens eram belas, e escolheram
esposas entre elas.
3. O Senhor então disse: “Meu espírito não permanecerá para sempre no homem,
porque todo ele é carne, e a duração de sua vida será de cento e vinte anos.”
4. Naquele tempo viviam gigantes na terra, como também daí por diante, quando os
filhos de Deus se uniam às filhas dos homens e elas geravam filhos. Estes são os
heróis, tão afamados nos tempos antigos.
5. O Senhor viu que a maldade dos homens era grande na terra, e que todos os
pensamentos de seu coração estavam continuamente voltados para o mal.
6. O Senhor arrependeu-se de ter criado o homem na terra, e teve o coração ferido
de íntima dor.
7. E disse: “Exterminarei da superfície da terra o homem que criei, e com ele os
animais, os répteis e as aves dos céus, porque eu me arrependo de os haver
criado.“

Primeiramente, não eram todos filhos de Deus? Ou apareceu mais pessoas do nada? Estranho
isso, posto que Deus (supostamente) criara tudo e todos. E estes “Filhos de Deus” apaixonam-
se pelas filhas dos homens. Curioso. Então, deve-se admitir que são semi-deuses, certo? Isso
é evidenciado no versículo 4, quando se diz que viviam gigantessobre a terra. Mas, a religião
judaica não é monoteísta?

No versículo 6, acontece algo desconcertante: Deus se arrepende!! Muito curioso mesmo, já


que em Números 23:19 diz: Deus não é homem, para que minta; nem filho do homem, para
que se arrependa; porventura diria ele, e não o faria? Ou falaria, e não o confirmaria?.

A melhor enganação argumentação para isso, seria que Deus depois de ter se arrependido
por ter criado os homens, seria imune ao arrependimento. Só que isso não se sustenta,
tomando por base a atemporalidade de Deus. Isto é, Deus estaria (supostamente) fora das
barreiras do tempo-espaço. E olhe que eu nem questionei o porque do arrependimento, já que
Deus deveria saber de antemão o que ia acontecer por ele ser onisciente…

Observando o versículo 7, ficamos numa outra dúvida: Se foi o homem a causa do


arrependimento de deus, por que aniquilar os animais também? Deus não poderia ter
exterminado só o Homem? Afinal, Javé é onipotente, não?

Muito bem, agora vamos examinar como a gloriosa Arca foi feita, descrita Gênesis, cap. 6

14. Faze para ti uma arca de madeira resinosa: dividi-la-ás em compartimentos e a


untarás de betume por dentro e por fora.
15. E eis como a farás: seu comprimento será de trezentos côvados, sua largura
de cinqüenta côvados, e sua altura de trinta.
16. Farás no cimo da arca uma abertura com a dimensão dum côvado. Porás a
porta da arca a um lado, e construirás três andares de compartimentos.

1
17. Eis que vou fazer cair o dilúvio sobre a terra, uma inundação que exterminará todo
ser que tenha sopro de vida debaixo do céu. Tudo que está sobre a terra morrerá.
18. Mas farei aliança contigo: entrarás na arca com teus filhos, tua mulher e as
mulheres de teus filhos.
19. De tudo o que vive, de cada espécie de animais, farás entrar na arca dois, macho e
fêmea, para que vivam contigo.
20. De cada espécie de aves, e de cada espécie de quadrúpedes, e de cada espécie
de animais que se arrastam sobre a terra, entrará um casal contigo, para que lhes
possas conservar a vida.

Caso você não saiba, o côvado é uma antiga medida de distância; equivalente a mais ou
menos dezoito polegadas (45,72 centímetros). Assim, temos uma arca com as seguintes
medidas:
Comprimento: 300 x 45,72 = 137,16 metros
Largura: 50 x 45,72 = 22,86 metros
Altura: 30 x 45,72 = 13,76 metros
Gostaram? Mas o melhor é saber que só havia duas saídas. Uma porta lateral (citada no vers.
16) e uma janelinha (!) no topo com um côvado de dimensão, ou seja, 45,72cm. Uma arca meio
abafada, não acham?

Para efeito de comparação, aqui estão as dimensões do Contratorpedeiro Pará:


Deslocamento (toneladas): 3.320-padrão / 3.585-plena carga
Dimensões (metros): 126,3 x 13,5 x 7,3 (sonar) / 4,4 (quilha)
Velocidade (nós): 27,5

Se considerarmos que a Arca tinha um formato estilo “caixa de sapato”, fácil é calcular o
volume que ela ocupa para qualquer aluno do Ensino Fundamental. Basta multiplicar as
dimensões. 137,16 x 22,86 x 13,76 = cerca de 43.144,17 m³. Parece muito? Mas, não é. Leve
em conta que todos as espécies de animais estavam lá. Deveria haver um lugar para a comida,
não só dos animais, mas para a família de Noé também, afinal se eles matassem um carneiro,
estariam descumprindo as ordens de Deus. Outro detalhe importante é que haviam animais
carnívoros. Como impedir que os leões atacassem as zebras? Como impedir que as raposas
comessem os coelhos? E os gaviões, águias, abutres (estes últimos só se alimentam de
carniça) etc? Para os herbívoros seria mais fácil? Fazem idéia do quanto os elefantes comem
por dia?

Vamos examinar agora o critério para encher a Arca coma bicharada. Está muito bem descrito
em Gênesis cap. 7

1. O Senhor disse a Noé: “Entra na arca, tu e toda a tua casa, porque te reconheci justo
diante dos meus olhos, entre os de tua geração.
2. De todos os animais puros tomarás sete casais, machos e fêmeas, e de todos
animais impuros tomarás um casal, macho e fêmea;
3. das aves do céu igualmente sete casais, machos e fêmeas, para que se conserve
viva a raça sobre a face de toda a terra.
4. dentro de sete dias farei chover sobre a terra durante quarenta dias e quarenta
noites, e exterminarei da superfície da terra todos os seres que eu fiz.”
5. Noé fez tudo o que o Senhor lhe tinha ordenado.
6. Noé tinha seiscentos anos quando veio o dilúvio sobre a terra.
7. Para escapar à inundação, entrou na arca com seus filhos, sua mulher e as
mulheres de seus filhos.
8. Dos animais puros e impuros, das aves e de tudo que se arrasta sobre a terra,
9. entraram na arca de Noé, um casal macho e fêmea, como o Senhor tinha ordenado
a Noé.

O versículo 9 contradiz o versículo 2. Afinal, no vers. 2, Deus estipula sete casais de animais
puros. Mas, o vers. 9 diz somente um casal. Conseguem imaginar tanto bicho assim junto? E
numa caixa de sapato com apenas uma janelinha de menos de 46 cm no teto. Javé não
pensou muito no conforto de seus passageiros. Parece a administração dos trens urbanos.

2
Agora, vamos nos ater ao período e eventos durante a chuvarada, descritos ainda nocap.7.

17. O dilúvio caiu sobre a terra durante quarenta dias. As águas incharam e levantaram
a arca, que foi elevada acima da terra.
18. As águas inundaram tudo com violência, e cobriram toda a terra, e a arca flutuava
na superfície das águas.
19. As águas engrossaram prodigiosamente sobre a terra, e cobriram todos os altos
montes que existem debaixo dos céus;
20. e elevaram-se quinze côvados acima dos montes que cobriam.
21. Todas as criaturas que se moviam na terra foram exterminadas: aves, animais
domésticos, feras selvagens e tudo o que se arrasta na terra, e todos os homens.
22. Tudo o que respira e tem um sopro de vida sobre a terra pereceu.
23. Assim foram exterminados todos os seres que se encontravam sobre a face da
terra, desde os homens até os quadrúpedes, tanto os répteis como as aves dos céus,
tudo foi exterminado da terra. Só Noé ficou e o que se encontrava com ele na arca.
24. As águas cobriram a terra pelo espaço de cento e cinqüenta dias.

Bom, vamos analisar melhor alguns pontos do que foi dito.


Primeiramente, vamos imaginar a seguinte cena: Noé, família e bicharada numa arca feita de
madeira, impermeabilizada com betume (de onde ele tirou tanto betume?). Bom, as
emanações dos gases hidrocarbonetos (que são inflamáveis) deveriam ter empesteado o
ambiente (lembrem-se que só havia uma janelinha). Imagino que para alimentar os animais,
deveriam usar lamparinas (não tinha como entrar luz, pois o aguaceiro não parava e, como dito
antes, só havia uma janelinha.
Portanto, uma dessas duas coisas deveriam ter acontecido:

1) Todo mundo teria se asfixiado.


2) A Arca explodiria por causa da inflamação dos vapores combustíveis com uma mísera vela.
Agora, vamos imaginar uma cena pós chuvarada: Tudo alagado, nada vivo sobre a superfície
da Terra. Corpos de animais e pessoas boiando (inclusive mulheres, velhos e crianças). A ação
das bactérias e fungos iria causar o apodrecimento e o mau cheiro tomaria conta do mundo
todo. Enquanto isso, Noé e família pouco se importavam, pois eles eram os únicos justos e
Javé estava feliz com eles. Imagino o quão ruins eram aquelas criancinhas de colo…

Mas, e os fatores climáticos? De onde veio aquele aguaceiro? Bom, primeiro, vamos aprender
sobre nuvens.

As nuvens são classificadas com base em dois critérios: aparência e altitude.


Com base na aparência, distinguem-se três tipos: cirrus, cumulus e stratus. Cirrus são nuvens
fibrosas, altas, brancas e finas. Stratus são camadas que cobrem grande parte ou todo o
céu. Cumulus são massas individuais globulares de nuvens, com aparência de domos
salientes. Qualquer nuvem reflete uma destas formas básicas ou é combinação delas.

Com base na altitude, as nuvens mais comum na troposfera são agrupadas em quatro famílias:
Nuvens altas, médias, baixas e nuvens com desenvolvimento vertical. As nuvens das três
primeiras famílias são produzidas por levantamento brando sobre áreas extensas. Estas
nuvens se espalham lateralmente e são chamadas estratiformes. Nuvens com
desenvolvimento vertical geralmente cobrem pequenas áreas e são associadas com
levantamento bem mais vigoroso. São chamadas nuvens cumuliformes. Nuvens altas
normalmente tem bases acima de 6000 m; nuvens médias geralmente tem base entre 2000 a
6000 m ; nuvens baixas tem base até 2000 m.

Estes números não são fixos. Há variações sazonais e latitudinais. Em altas latitudes ou
durante o inverno em latitudes médias as nuvens altas são geralmente encontradas em
altitudes menores.

Devido às baixas temperaturas e pequenas quantidades de vapor d’água em altas altitudes,


todas as nuvens altas são finas e formadas de cristais de gelo. Como há mais vapor d’água
disponível em altitudes mais baixas, as nuvens médias e baixas são mais densas.

3
TIPOS BÁSICOS DE NUVENS

FAMÍLIA DE
TIPO DE
NUVENS E CARACTERÍSTICAS
NUVEM
ALTURA

Nuvens finas, delicadas,


Cirrus (Ci) fibrosas, formadas de cristais de
gelo.

Nuvens finas, brancas, de


cristais de gelo, na forma de
Cirrocumulus
Nuvens altas ondas ou massas globulares em
(Cc)
(acima de linhas. É a menos comum das
6000 m) nuvens altas.

Camada fina de nuvens brancas


de cristais de gelo que podem
Cirrostratus
dar ao céu um aspecto leitoso.
(Cs)
As vezes produz halos em torno
do sol ou da Lua.

Nuvens brancas a cinzas


Altocumulus
constituídas de glóbulos
(Ac)
Nuvens médias separados ou ondas.
(2000 - 6000 m)
Camada uniforme branca ou
Altostratus
cinza, que pode produzir
(As)
precipitação muito leve.

Nuvens cinzas em rolos ou


Stratocumulus
formas globulares, que formam
(Sc)
uma camada.

Camada baixa, uniforme, cinza,


Nuvens baixas
parecida com nevoeiro, mas não
(abaixo de Stratus (St)
baseada sobre o solo. Pode
2000 m)
produzir chuvisco.

Camada amorfa de nuvens


Nimbostratus
cinza escuro. Uma das mais
(Ns)
associadas à precipitação.

Nuvens densas, com contornos


salientes, ondulados e bases
freqüentemente planas, com
Cumulus (Cu) extensão vertical pequena ou
moderada. Podem ocorrer
Nuvens com isoladamente ou dispostas
desenvolvimento próximas umas das outras.
vertical
Nuvens altas, algumas vezes
espalhadas no topo de modo a
Cumulonimbus
formar uma “bigorna”.
(Cb)
Associadas com chuvas fortes,
raios, granizo e tornados.

Observação: Nimbostratus e Cumulonimbus são as nuvens


responsáveis pela maior parte da precipitação.
Fonte: http://fisica.ufpr.br/grimm/aposmeteo/cap6/cap6-2-2.html

Bom, segundo Gênesis 7:20, o nível das águas chegou a quase 7 metros (15 côvados x
45,72cm) dos picos mais altos. Considerando que o Everest tem cerca de 8.844 metros, as
águas chegaram a 8.851 metros. É muita água! E mais um detalhe: As chuvas viriam de um
lugar ACIMA das nuvens. Curioso hein? Ou seja, as nuvens estariam chovendo debaixo
d’água. Claro que sempre há aqueles que defendem a idéia das fontes do paraíso. Uma idéia
absurda. Mesmo porque, não há vapor d’água a determinada altura. E mesmo que houvesse, o

4
frio transformaria a água em granizo. Então, as pessoas e animais não morreriam afogadas,
mas de traumatismo craniano dado o tamanho das pedras de gelo.

E ainda há alguns crédulos que alegam uma analogia estúpida de uma torneira imersa num
balde. Muito conveniente… Ainda mais pelo fato desses indivíduos esquecerem que a
água NÃO BROTA da torneira. Ela vem de um reservatório que fica em lugar alto. Mais alto
que o referido balde. Assim, defender esta besteirona é, ou estupidez cavalar ou mau-
caratismo intelectual. Você escolhe.

Para cada 10 metros que um mergulhador desce no mar, a pressão (em atmosferas) sofre um
acréscimo de uma unidade. Se ele descer a 20m, estará sob uma pressão de 3 atm (1 atm da
pressão ao nível do mar, mais 2 atm porque ele desceu 20m). Com 8.851m, a pressão no que
seria originalmente o nível do mar sofreria um acréscimo de mais de 880 atm !!!

Sob essa pressão, nada existiria sobre a Terra. Nenhuma pintura rupestre, fóssil ou mesmo as
Pirâmides do Egito!! Mas, elas estão lá. E , mais engraçado, não há nenhum relatos dos povos
sobre tal acontecimento.
Não tem? Tem sim!

Chama-se Epopéia do Gilgamesh. Foi dele que o Gênesis foi grandemente copiado. Afinal, o
Gilgamesh é o escrito mais antigo que se tem notícia. Para baixar o texto do Gilgamesh,
clique AQUI.
Bom, o resto do relato do Gênesis descreve as peripécias de Noé e Cia Ltda.

O dilúvio não passa de CBD (Conversa pra Boi Dormir). Uma cópia descarada de escritos mais
antigos, travestido aos interesses dos judeus em explicar como Deus gosta de matar tudo e
todos quando não seguem exatamente o que ele manda. E pior: Ainda insistem no chamado
“livre-arbítrio”.
Para terminar, só nos resta algumas perguntas.

1. No meio daquelas pessoas todas, APENAS Noé e família prestavam?


2. Bebês, velhos, pessoas doentes e deficientes físicos mereciam o aniquilamento?
3. Mesma pergunta para animais e plantas.
4. De onde veio aquele aguaceiro? e Para onde ele foi? (favor responder sem violar as Leis da
Termodinâmica)
5. Como o planeta resistiu a enormes pressões e forças?
6. Por que ninguém mais viu o ocorrido?
7. Se é apenas um conto alegórico, como é que há gente que atesta que é tudo verdade?
Baseado em que, elas falam isso?
8. Será que Noé não demonstrou compaixão por aqueles que foram mortos? Ele era de boa
índole, não era?
9. Se Deus é tão poderoso, por que não fez as pessoas más ficarem boas? Onde está o
perdão e a misericórdia divina?
10. Se Deus é onisciente, por que ele permitiu que a maldade se alastrasse? Por que ele não
impediu antes?

Perguntas, perguntas e mais perguntas… Todas elas sem resposta. Afinal, não se justifica o
injustificável, nem se explica o inexplicável… Enquanto isso, Noé e família descarregam tudo.
Mantimentos, roupas e animais. E eles fazem isso cercados pelos cadáveres de pessoas,
animais e plantas que foram mortos pelo dilúvio enviado pelo misericordioso Deus…

Texto adaptado
Fonte: http://ceticismo.net/religiao/o-diluvio-desmascarado/