P. 1
Distrbios cos - EDEMA

Distrbios cos - EDEMA

|Views: 1.178|Likes:
Publicado porvanessinhaenf

More info:

Published by: vanessinhaenf on Nov 11, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/16/2012

pdf

text

original

Edema

FACULDADE ASSIS GURGACZ – FAG

Distúrbios Hemodinâmicos EDEMA
Prof. Carlos Eduardo Coral de Oliveira

Definição – É o acúmulo de líquido nos espaços intersticiais ou nas cavidades corpóreas. Nomenclatura: Nomenclatura
De acordo com a localização: Edema de braço Edema de perna Edema pulmonar Edema cerebral Edema de gengiva ANASARCA – edema intenso e generalizado, com tumefação profunda do tecido subcutâneo. Nas cavidades corpóreas: Hidrotórax Hidropericárdio Hidroperitôneo ou ascite Edema gravitacional Edema inflamatório Edema não inflamatório

De acordo com a causa:

Edema
Dois tipos: tipos

Edema

Linfoedema ou Edema de Vasos Linfáticos Ascite

Transudato – água, eletrólitos, gases dissolvidos, moléculas de baixo peso molecular, pobre em proteínas e sem células. Exsudato - água, eletrólitos, gases dissolvidos, rico em proteínas plasmáticas e células sanguíneas (leucócitos). O edema ocorre portanto, por transudação ou exsudação

Edema Classificação: Classificação: Edema inflamatório: Ocorre devido ao aumento da permeabilidade vascular (contração endotelial) durante a inflamação. vitaminas. moléculas pequenas. É do tipo exsudato. globinas. demais proteínas de coagulação.Transudatos . É do tipo transudato. anticorpos.5g/dL Albumina Não Exsudato 1.7g/dL Todas* Sanguíneas Edema Constituição do plasma sanguíneo .1. eletrólitos.. .5 . íons. ás células e aos tecidos e retirar CO2 e outros produtos do metabolismo celular e conduzi-los aos órgãos de desintoxicação e eliminação: fígado e rins. proteínas do sistema fibrinolítico.. nutrientes e demais macromoléculas.Edema Plasma Proteínas Tipos de proteínas Exsudato Transudato Água.Exsudatos Transudato 0 . Edema não-inflamatório: Ocorre devido a causas não-inflamatórias.6g/dL Todas* Inflamatórias (Leucócitos) Sim Sim Não *albumina. fibrinogênio. As trocas de líquidos e macromoléculas entre o sangue e os tecidos ocorrem especialmente através dos capilares devido aos efeitos opostos de duas forças: a pressão hidrostática e a pressão coloidosmótica (ou pressão oncótica). 60% do peso corpóreo = água 2/3 água = intracelular 1/3 água = extracelular 5% da água total = plasma Edema Fisiologia das trocas de líquidos corpóreos Função do sangue: Transportar e fornecer oxigênio e sangue: nutrientes. hormônios. sistema complemento. gases dissolvidos Fibrina Sim Não Sim Células 6 .

. Pressão hidrostática elevada Pressão coloidosmótica reduzida Obstrução linfática Retenção primária de sal e água . principalmente obesos dificuldade de circulação estase gravitacional ⇑ P. Fisiologicamente.: em geral. Edema de perna Edema gravitacional de perna Permanência em pé ou sentado durante muito tempo.Edema Pressão Hidrostática: Pressão exercida pelo líquido (água) na parede vascular Permite a saída de líquido com nutrientes.H.: Aumentos locais da P. Edema Pressão Hidrostática Elevada (⇑ P. Edema 1.. Edema Pressão Coloidosmótica: Pressão exercida pela concentração de proteínas plasmáticas = albumina (síntese hepática). metabólitos. gases. através dos capilares para o tecido conjuntivo. nutrientes.H. 3. Os vasos linfáticos são responsáveis em retirar o excesso de líquido dos espaços intersticiais.H. oxigênio. o organismo controla as trocas de líquidos.) Promove a saída excessiva de líquido impossibilitando sua retirada completa dos espaços intersticiais Pode ocorrer aumentos locais ou generalizados da P. impedindo a formação de edema. 4. Não permite a saída de proteínas plasmáticas e células. A pressão hidrostática promove a saída de líquido na extremidade arterial dos capilares – o sangue concentra-se devido a retenção das proteínas plasmáticas – eleva-se a pressão coloidosmótica na extremidade venosa do capilar – o líquido com os produtos do metabolismo celular é atraído por osmose.H. Edema de perna Fisiopatologia do edema não-inflamatório Causas do edema não-inflamatório: 1.H.. 2. retornando ao sangue.. devido ao comprometimento da drenagem venosa Trombose venosa profunda dos membros inferiores Trombo venoso dificulta o retorno sanguíneo estase e acúmulo de sangue ⇑ P. impedindo o acúmulo.

dificuldade de drenagem venosa elevação da drenagem venosa ⇑ P. ⇓ volume sanguíneo Retenção renal de Na+ e H2O ⇑ volume plasmático Edema crescente ♥ insuficiente EDEMA Hipoperfusão renal Edema Venas Pulmonares .: Na ICC. Edema de pulmão Aumento generalizado da P.H. causa edema generalizado (ANASARCA) ICC direita – débito cardíaco reduzido O sangue não é bombeado convenientemente pelo V.H. através dos pulmões para o V. insuficiente acumula sangue o sangue que vem dos pulmões não consegue entrar aumenta a pressão sangüínea retrógrada acúmulo de sangue nos capilares pulmonares ⇑ P.H. a perda de líquido por edema diminui o volume de sangue ocorre hipoperfusão renal e aldosteronismo secundário Edema crescente agravamento do quadro Insuficiência Cardíaca Ativação do sistema Renina-AngiotensinaAldosterona ⇑ reabsorção renal de Na+ ⇑ P.A.E.E.D.D.Edema Edema pulmonar na ICC esquerda V.H. Edema (anasarca) Obs. insuficiente acumula sangue o sangue da circulação sistêmica que chega ao coração não consegue entrar estase sangüínea sistêmica ⇑ P.H. Edema (anasarca ou gravitacional: perna e região sacral) Edema V.: ocorre na ICC direita. surge na circulação sistêmica queda na P.

Edema Pressão Coloidosmótica Reduzida (⇓ P.: ANASARCA diminuição do volume sanguíneo Hipoperfusão renal e aldosteronismo secundário edema crescente Agravamento do quadro Edema 3. Edema generalizado Tratamento: Corrigir o erro primário Administrar “papa de albumina” Edema Perda excessiva de proteínas plasmáticas doenças renais plasmáticas: Síndrome nefrótica Aumento da permeabilidade capilar glomerular perda de proteínas plasmáticas durante a filtração sanguínea PROTEINÚRIA ⇓ P.linfedema Obstrução inflamatória resulta em fibrose local inflamatória: deposição de fibras colágenas causando obstrução dos vasos linfáticos. Edema generalizado Desnutrição protéica grave Falta de aas para síntese hepática de albumina ⇓ P.) Redução da concentração de proteínas plasmáticas – Albumina – o líquido intersticial não retorna ao sangue Ocorre Anasarca: Síntese reduzida de proteínas plasmáticas doenças hepáticas plasmáticas: ou por falta de substrato (aas) Hepatopatias difusas: CIRROSE Diminuição da síntese de albumina ⇓ P. Parasitose Filaríase (Wuchereria bancrofti) A infecção promove fibrose maciça dos linfonodos e vasos linfáticos na região inguinal Obstrução Edema intenso localizado: Elefantíase .Edema 2.C.C. ocorre por obstrução inflamatória ou neoplásica Ocorre edema localizado .C Edema generalizado inicialmente periorbitário (pálpebras) Obs.C. Obstrução Linfática Drenagem linfática comprometida: o excesso de líquido no espaço intersticial não é removido Em geral.

CA de mama Ressecção cirúrgica de linfonodos e vasos linfáticos axilares para impedir a disseminação ou cicatrização relacionada à cirurgia e radiação Edema de braço A. rodeada por tecido gorduroso. retirada por mastectomia. Elefantíase Edema 4. Edema Morfologia do edema: Microscopia: Alargamento dos espaços entre os constituintes celulares (acúmulo de líquido) Retenção primária de sal (sódio) e água A absorção renal de sódio promove obrigatoriamente a reabsorção de água corrente sanguínea: Aumento da pressão hidrostática (aumenta volume sg) Redução da pressão coloidosmótica (o sangue dilui-se) Causa: ANASARCA (periorbitário) Insuficiência renal aguda Glomerulonefrite estreptocócica Edema pulmonar . de forma irregular. B. Mamografia.Edema Edema Obstrução neoplásica pelo crescimento tumoral ou devido a neoplásica: ressecção cirúrgica de linfonodos e vasos linfáticos. Massa densa. observada em uma das mamas. Massa branca firme e irregular ao centro.

giros distendidos com achatamento contra o crânio. crises hipertensivas. sulcos estreitados. ICC. cerebral: neoplasias. . obstrução venosa) Tecido tumefeito. pulmonar: líquidos e hemácias Edema cerebral localizado ou generalizado (abcessos. Edema Síndrome nefrótica edema periorbitário e anasarca nefrótica: Edema pulmonar líquido espumoso e sanguinolento: ar. síndrome nefrótica. gravitacional ou anasarca – desnutrição. traumatismos.Edema Macroscopia: Edema de cacifo: compressão digital do tecido subcutâneo desloca o líquido intersticial e deixa uma depressão modelada do dedo que lentamente retorna ao normal Local.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->