P. 1
Bênção ou maldição

Bênção ou maldição

|Views: 135|Likes:
Publicado porwaldirfo

More info:

Published by: waldirfo on Nov 11, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/29/2012

pdf

text

original

Hoje te proponho a vida e a felicidade, a morte e a desgraça

Moisés falou ao povo dizendo: 15"Vê que eu hoje te proponho a vida e a felicidade, a morte e a desgraça. 16Se obedecerdes aos preceitos do Senhor teu Deus, que eu hoje te ordeno, amando ao Senhor teu Deus, seguindo seus caminhos e guardando seus mandamentos, suas leis e seus decretos, viverás e te multiplicarás, e o Senhor teu Deus te abençoará na terra em que te fiz entrar, para possuí-la. 17Se, porém, o teu coração se desviar e não quiseres escutar, e se, deixando-te levar pelo erro, adorares deuses estranhos e os servires, 18eu vos anuncio hoje que certamente perecereis. Não vivereis muito tempo na terra onde ides entrar, depois de atravessar o Jordão, para ocupá-lo.
19Tomo hoje o céu e a terra como testemunhas contra vós, de que vos propus a vida e a morte, a bênção e a maldição. Escolhe, pois, a vida, para que vivas, tu e teus descendentes, 20amando ao Senhor teu Deus, obedecendo à sua voz e apegando-te a ele - pois ele é a tua vida e prolonga os teus dias, a fim de que habites na terra que o Senhor jurou dar a teus pais, Abraão, Isaac e Jacó" Palavra do Senhor!

Comentando a I Leitura

Hoje te proponho bênção e maldição
Não são muitos os caminhos a escolher, mas apenas dois: o da vida e o da morte. Parece, pois, que não há escolha: nossa sorte necessária, inelutável, é a morte. Ela vem, mesmo que ninguém a queira. Por outro lado, também o nosso espírito, o intimo de nós mesmos, parece não ter possibilidade de escolha: opta pela bênção, a felicidade, a vida. Tratar-se-á, porém, de possibilidade real de escolha, ou de ilusão? A proposta de Deus ao homem para aceitar a aliança é propriamente a escolha entre a vida e a morte. Não nos pertence definir a vida e a felicidade, porque isto cabe a Deus; é-nos dada apenas a possibilidade de aceitar o dom de Deus. Ninguém por si próprio escolhe a morte. Mas quem recusa a obediência, quem não aceita aquele tipo de morte que consiste em renunciar à vontade de definir a própria felicidade e não entrega nas mãos de Deus a própria vida, entra, de fato, no domínio da morte. É importante, portanto, descobrir que Deus quer nossa felicidade, e aceitar-lhe a proposta.
Salmo: 1, 1-2.3.4 e 6 (Sl 39[40],5a)

É feliz quem a Deus se confia!
1Feliz

é todo aquele que não anda conforme os conselhos dos

e jamais as suas folhas vão murchar. tome sua cruz cada dia. 20-25. Mc 8. ser rejeitado pelos anciãos. Ele divide as pessoas em dois grupos: os obedientes à vontade do Senhor (vv. sem cessar. O Salmo 1 é um salmo de instrução. e quem perder a sua vida por causa de mim. são iguais à palha seca espalhada e dispersada pelo vento. que à beira da torrente está plantada. Lc 8. que não entra no caminho dos malvados. Ao contrário.1 (Prediz a morte e ressurreição).31 (Primeiro Anúncio da Paixão). em . 23Depois Jesus disse a todos: "Se alguém me quer seguir. 24Pois quem quiser salvar sua vida. 3Eis que ele é semelhante a uma árvore. esse a salvará Naquele tempo disse Jesus aos seus discípulos: 22"O Filho do homem deve sofrer muito. Eis que tudo o que ele faz vai prosperar. Mt 16. o que o fato requeria. 6Pois Deus vigia o caminho dos eleitos. dia e noite. Mt 10. em profundidade. 2mas encontra seu prazer na lei de Deus e a medita. renuncie a si mesmo. Evangelho do dia: Lucas (Lc 9. Mt 16. 24-27. de que adianta a um homem ganhar o mundo inteiro. O horizonte messiânico no qual se moviam e com o qual interpretavam a pessoa do Mestre os impedia de compreender. nem juntos aos zombadores vai sentar-se. 30-9. Leituras paralelas: Mc 16. Para ser entendida. Cada grupo experimentará as conseqüências de sua atividade: a vida e prosperidade para os obedientes. vai perdê-la. ostracismo e perda das raízes para os maus. esse a salvará.perversos. 21. pelos sumos sacerdotes e doutores da lei. se se perde e se destrói a si mesmo?" Palavra da Salvação! Contexto: Ministério de Jesus na Galiléia. ela sempre dá seus frutos a seu tempo. Mc 8. e siga-me. 34-38 (condições para seguir a Jesus). deve ser morto e ressuscitar no terceiro dia". 4Mas bem outra é a sorte dos perversos. Quem perder a sua vida por causa de mim. 1-3). 25Com efeito. e os maldosamente desobedientes (vv 4-5). 28. 22-25) Comentando o Evangelho A perda é salvação A conclusão da caminhada terrena de Jesus escondia um sentido dificilmente compreensível para os discípulos. mas a estrada dos malvados leva à morte.

Não lhes passava pela cabeça a possibilidade de existir um Messias cuja glória fosse alcançada em meio a sofrimentos e. Com ela. . entendida à maneira do mundo. Convite e apelo para. num contexto de morte violenta. é fator de perda. Tempo de crescer em comunhão com todos os homens. 1996) A história da Quaresma Pe. que o Evangelho exige de nós. Ano “A”. (O EVANGELHO DO DIA. a Igreja nos prepara para a Páscoa com esse período de 40 dias. de mudança de vida. muito menos. o amor fraterno. Isto é. a perda é penhor de salvação. O contraste entre o projeto de Jesus e a mentalidade de seus discípulos era flagrante. de acolher com mais amor a misericórdia de Deus que nos quer perdoar. na lógica do Reino. geralmente a gente tem uma idéia de uma coisa negativa. Vamos apenas repeti-la e ficar onde estamos? Ou vamos descobrir algo novo e progredir na vida? Desde antigamente. o silêncio. ao passo que a salvação. e a morte seja superada pela ressurreição. de mula sem cabeça e outras coisas mais. Lucas Quaresma. assegurando-lhe sua veracidade. Penso. principalmente com os mais pobres e necessitados.sintonia com o pensar de Jesus. Tempo de medo. Só a fé na ressurreição pode nos levar a dar crédito às palavras de Jesus. Para outros a quaresma parece superada pelo modernismo e é hoje apenas uma recordação negativa do passado ou um retrato na parede. Na lógica de Jesus. A quaresma é para cada um de nós um tempo de oração e de conversão. Jaldemir Vitório. do abandono por parte dos amigos e conhecidos provenha a solidariedade do Pai. E é também o tempo onde as comunidades se preparam para viver o mistério da páscoa. Quaresma: "Converter-se e crer no Evangelho" Mais uma vez estamos começando a quaresma. Tempo forte na caminhada do ano eclesiástico. Eles nos lembram o rosto sofrido de Jesus e nos convidam a viver com mais fidelidade a caridade. seus irmãos. como antigamente. de cachorro zangado. simplesmente. da humilhação de Jesus resulte exaltação. a conversão. para nós cristãos é o tempo de conversão. do sofrimento redunde a mais plena alegria. era preciso fazer uma violenta inversão de valores. a prece. experimentará a salvação. O esquema tradicional era insuficiente para explicá-la. Só quem é capaz de renunciar-se a si mesmo como ele. ou seja. Jesus provou ser impossível experimentar a misericórdia do Pai sem abrir mão das ambições mundanas. E quando se fala em quaresma. uma vez mais. o Pai deu seu aval às palavras do Filho. Daí ser possível esperar que. tempo da hora de Jesus Cristo do seu seguimento em que ele caminha em direção da sua hora que é a entrega total da sua vida a Deus pelos homens. ©Paulinas.

"vivia entre as feras e os anjos o serviam" é o novo Adão. realizada. Viver a quaresma. que foi salvo pela arca. aparece também no livro do Gênese 9. mas uma travessia! Algo como aconteceu a Noé. outros 40 anos curtindo sua decepção e reconquistando aos poucos a confiança. as forças.O número não foi escolhido à-toa. a fuga para Madiã. mas 40 anos ou mais! Nós estamos sempre a caminho. no caminho da libertação. que pôs fim ao dilúvio. À sua frente ia Moisés. Aí a decepção. no deserto. a sentir os dramas do povo. ao lugar certo. continuando a caminhada do povo junto à libertação. E é ao mesmo tempo a garantia de que esse barco realmente pode nos conduzir ao porto seguro.. Superar a provação. mas nesta luta é que estamos continuando a luta contra satanás. a direção em que devemos caminhar. Como chegar lá? Uma pista nos vem do antigo povo de Deus. Deus o chamou para guiar o seu povo. Caminhada ou travessia? A primeira carta de São Pedro 3. na esperança de chegar. em paz com Deus e com a natureza. Aprendeu a viver. Revoltou-se contra a opressão dos egípcios.18-22 compara a nossa provação a uma passagem pelas águas. mais velho . realizando a nova humanidade. jovem. durante 40 anos. porém. . de experiência. É um compromisso de seguir o Evangelho. quando se diz que Deus pendurou o seu arco de guerra e fez a paz com os homens. Mas agora o nosso barco é outro. A 1ª foi no Egito: 40 anos de aprendizagem. Mas o que tem isso a ver conosco hoje? Que luz isso trás para nossa luta de todos os dias? O Destino ou o Paraíso? Jesus nos indica o ponto de chegada. É o homem no paraíso. É a cruz de Cristo. Diziam que ele viveu 120 anos. Isso significa que Jesus passou pela aprovação e saiu vitorioso. Ninguém o seguiu. É a nova humanidade. de educação. Desde a tradição do livro do Êxodo (Ex 16. Nesta quaresma. o Homem. considera-se que o povo de Deus passou 40 anos no deserto antes de chegar à terra prometida. no deserto. a descobrir a solidariedade. Este povo é parecido conosco. Mas. Essa mensagem de paz diga-se de passagem. na saída do Egito. Certamente. Não é "apenas isso". a outros passos a dar..tem a sua etapa a vencer. não duram 40 dias. E aí supera a tentação de satanás. qual é o passo que eu devo dar? Os próximos passos Não devemos. superada também esta 2ª provação. A tentação é sossegar diante dos problemas. Enfim. ao castigo. O amadurecimento de Moisés é exatamente esse: Passar de sua percepção ainda ingênua das coisas para uma visão lúcida da vontade de Deus e das necessidades de seu povo. a maturidade. adulto. Achou que deveria lutar pelo seu povo. não conseguiu superar. A história de Moisés nos diz que há etapas e provações diferentes na vida. Cada um. olhar só para a nossa situação pessoal. e teve 3 longas provações de 40 anos na vida. E o arco de Deus se tornou o arco Íris.8-15. a cruz de Jesus. nossa luta. vencer a batalha contra o mal. aquela que Adão. O batismo não é um ponto de chegada. De Moisés. Nele embarcamos com o batismo. os rabinos contavam uma história curiosa. aquele que caminhou por 40 anos no deserto. vencido Satanás. a sua caminhada. é antes de tudo lutar contra tudo que nos separa. à liberdade.35). No Evangelho de São Marcos 1-13 Jesus passa 40 dias no deserto. Nossas provações. Ele que. Não uma caminhada.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->