P. 1
Qualidade de Vida em Idosos Institucionalizados

Qualidade de Vida em Idosos Institucionalizados

|Views: 2.174|Likes:
Publicado porVinicius Coura
Trabalho academico Interdisciplinar descrevendo sobre os idosos institucionalizados, levando em consideraçoes âmbitos multifatoriais.
Trabalho academico Interdisciplinar descrevendo sobre os idosos institucionalizados, levando em consideraçoes âmbitos multifatoriais.

More info:

Categories:Types, School Work
Published by: Vinicius Coura on Nov 12, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PPT, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/05/2013

pdf

text

original

FACULDADE CIÊNCIAS DA VIDA INTERDISCIPLINAR 2010

COMPONENTES
ARIANE CORDEIRO CARLOS VINÍCIUS LUCIANA GOMES KARINA AMORIM WASLAN OLIVEIRA ORIENTADORA: ANA PAULA PIMENTA

QUALIDADE DE VIDA EM IDOSOS INSTITUCIONALIZADOS

Qualidade de vida é uma noção eminentemente humana, que tem sido aproximada ao grau de satisfação encontrado na vida familiar, amorosa, social e ambiente, e pressupõe a capacidade de efetuar uma síntese cultural de todos os elementos que determinada sociedade considera seu padrão de conforto e bembemestar; estar;
MINAYO, HARTZ & BUSS (2000)

O crescimento da população de idosos é um fenômeno mundial.
Os números mostram que, atualmente, uma em cada dez pessoas tem 60 anos de idade ou mais e, para 2050, estima-se que 2050, estimaa relação será de uma para cinco em todo o mundo. mundo.

GRÁFICO DEMONSTRATIVO
BILHÕES

População Mundial de Idosos acima de 60 anos

As conseqüências do crescente número de idosos implicam em aumento das demandas sociais, e passam a representar um grande desafio político, social e econômico. econômico.
(Chaimowicz & Greco, 1999) 1999)

Frente a esse processo de transição demográfica em ritmo acelerado e a deficiente inclusão dos idosos na sociedade, ocorre o aumento da demanda por instituições de longa permanência para idosos. idosos.

Os novos arranjos familiares reduzem a perspectiva de envelhecimento em um ambiente familiar seguro, por estas não possuírem condições financeiras de prover as necessidades dos idosos e/ou não haver disponibilidade de um de seus membros lhes acompanharem, além do preconceito, estigma e repulsa que a velhice causa, mesmo dentro da própria família. família.
(Morais M, 1998).

A institucionalização, muitas vezes, propicia o isolamento e privação social dos idosos, freqüentemente a piora do seu estado geral de saúde, ou então, surge como uma nova oportunidade na vida, trazendo resultados benéficos para seu bem estar biopsicossocial. biopsicossocial.
(Carvalho VFC;1996). VFC;1996)

O Estatuto do Idoso impõem alguns artigos a serem seguidos pelas instituições como: como:
Preservação dos vínculos familiares. familiares. Observância dos direitos e garantias dos idosos. idosos. Oferecer instalações físicas em condições adequadas de habitalidade; habitalidade; Proporcionar cuidados à saúde, conforme a necessidade do idoso; idoso; Promover atividades educacionais, esportivas, culturais e de lazer;

Grau de satisfação do idoso
Os idosos possuem percepções diferenciadas quando relacionados ao grau de satisfação. satisfação. Alguns consideram como se sentissem em casa, possuindo alimentação, proteção, moradia e atenção, também encontram pessoas para conversar e construir novas amizades, além de receber atendimento médico e de enfermagem. enfermagem.

Outros por sua vez, se sentem esquecidos pelos amigos e principalmente pela família, insatisfeitos, assemelham a instituição a uma mistura de hospital psiquiátrico com jardim de infância, indignam-se que por muitas indignamvezes são tratados como crianças e, além disso, refere-se que ali seria um dos locais referedisponíveis para se terminar de viver. viver.

Papel do enfermeiro
A atuação do enfermeiro junto ao idoso deve estar centrada na educação para a saúde, no "cuidar" tendo como base o conhecimento do processo de senescência e senilidade e no retorno a sua capacidade funcional para a realização das suas atividades, com objetivo de atender às suas necessidades básicas e alcançar sua independência e felicidade. felicidade.
(CAMPEDELLI, 1983).

A qualidade de vida na terceira idade transcreve sentimentos vividos e refletidos ao longo da história de vida. vida. Consiste num estado limiar e dinâmico de saúde/doença, em torno de um equilíbrio sólido, não alterando sentidos básicos do ser humano, não afetando princípios fundamentais da moralidade e bem estar social. É o reconhecimento de limitações social. individuais e respectiva compreensão do seu impacto na sociedade, um amadurecimento do estado de prazer e felicidade, é o ³ser´, ³ter´ e o ³estar´ do sentimento primoroso. primoroso.

Referências
Aires, M; Paz, AA.; Perosa, C.T. O grau de dependência e características de pessoas idosas institucionalizadas. Revista Bras. De ciências do Envelhecimento Humano, Passo fundo, 79-9179-91jul./dez.2006. Aires, M; Paz, AA.; Perosa, C.T. O grau de dependência e características de pessoas idosas institucionalizadas. Revista Bras. De ciências do Envelhecimento Humano, Passo fundo, 79-9179-91jul./dez.2006. Born, T. & Boechat, N.S. (2006). A qualidade dos cuidados ao idoso Institucionalizado. In: Freitas, E.; Py, L.; Cançado, F.; Doll, J. & Gorzoni, M. (Orgs.), Tratado de Geriatria e Gerontologia. Rio de Gerontologia. Janeiro: Guanabara Koogan. BORN, T. Cuidado ao idoso em instituição. In: PAPALÉO NETTO, M. (Org.) Gerontologia: a velhice e o envelhecimento em visão globalizada. São Paulo: Atheneu, 1996. p.403-14. p.403Chaimowicz, F. & Greco, D. B. (1999). Dinâmica da institucionalização de idosos em Belo Horizonte, Brasil. Revista de Saúde Pública, 33 (5), 454-60. Pública, 454DUARTE, M. J. R. S. Autocuidado para a qualidade de Vida. In: CALDAS, C. P. (Org.) A saúde do idoso: a arte de cuidar. Rio de Janeiro: Editora UERJ, 1998. p.17-34. p.17Hayflick L. Como e porque envelhecemos.RJ;1996. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). Censo Demográfico 2000. Rio de Janeiro (RJ): Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística; 2000 MINAYO,M.C. O desafio do conhecimento: Pesquisa Qualitativa em saúde. saúde. PEREZ, E.A. Enfermeira gerontologica: conceptos para la practica, Organizacion Panamericana de la Salud, 1993. RAMOS, L.R. O país do futuro não pensa no futuro, Gerontologia. v.3 n.1 p.52-54, 1995 p.52-

OBRIGADO!

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->