Você está na página 1de 9

III Fórum de Estudos Contábeis 2003

TRATAMENTO DE EFLUENTES DE MATADOUROS E FRIGORÍFICOS

Deividy Scarassati; Rogério Ferreira de Carvalho; Viviane de Lima Delgado; Cassiana M. R.


Coneglian; Núbia Natália de Brito; Sandro Tonso; Geraldo Dragoni Sobrinho e Ronaldo
Pelegrini.
Centro Superior de Educação Tecnológica (CESET) – UNICAMP
Rua Paschoal Marmo, 1888 - CEP:13484-370 - Limeira - SP
Curso de Tecnologia em Saneamento Ambiental
Laboratório de Pesquisas Ambientais – LAPA
lapa@ceset.unicamp.br

RESUMO

O presente trabalho descreve os processo de abate de animais (Aves, Bovinos e


Suínos) e aponta as relevantes questões ambientais envolvidas em cada processo,
bem como as formas de tratamento de efluentes para cada tipo de Matadouro e
Frigorífico. Análises das características dos despejos desta atividade industrial
apresenta valores altos de DBO, sólidos em suspensão, material flotável e graxas,
devido à presença de sangue, pedaços de carne, gorduras, entranhas e vísceras.
Processos importantes como recuperação do sangue, das gorduras e do conteúdo das
panças, podem reduzir substancialmente as cargas poluidoras e ainda produzir
subprodutos ventáveis. Para o tratamento desses despejos são utilizados sistemas
biológicos, precedidos de processos de remoção de sólidos grosseiros e gorduras.

Palavras-Chave: Matadouros, frigoríficos, abate de aves, suínos e bovinos.

INTRODUÇÃO É que, mesmo com funcionamento


satisfatório das caixas de retenção, o
Desde as origens do homem, a carne efluente contém alguma quantidade de
faz parte da sua alimentação. Exigindo, sangue, gordura, sólidos do conteúdo
portanto, o abate de animais, que vem intestinal dos animais, fragmentos de
aprimorando suas técnicas através dos tecidos. Os teores de sólidos em suspensão
tempos. Isto resulta em Processos de Abate e em nitrogênio orgânico são relativamente
que conseqüentemente geram águas altos e a DBO (Demanda Bioquímica de
residuárias. Oxigênio) é calculado de 800 a 32.000
Todos os estabelecimentos, via de mg/litro. Devido à sua constituição, estes
regra, lançam as águas residuárias despejos são altamente putrescíveis,
diretamente em cursos d’água que, se começando a decompor-se em poucas
forem volumosos e perenes, são capazes de horas, com cheiro nauseabundo que torna
diluir a carga recebida em maiores irrespirável o ambiente nas cercanias de
prejuízos. Porém, o que freqüentemente tais estabelecimentos. Indiscutivelmente, o
acontece é que os rios são de pequeno efluente de matadouros é responsável pela
porte e o efluente do Matadouro é tão pior imagem que o público tem desses
volumoso que torna as águas receptoras estabelecimentos e as autoridades
impróprias à vida aquática e a qualquer sanitárias nele vêem o grande poluidor dos
tipo de abastecimento, agrícola, comercial, mananciais das águas de abastecimento.
industrial ou recreativo. Nesses casos, o A quantidade de despejos é variável,
efluente do Matadouro se constitui, como relacionada com o volume de águas
agente de poluição das águas, em ameaça à consumida no estabelecimento, mas, como
Saúde Pública. dado indicativo, AZEVEDO NETTO e
HESS calculam 15 m3 de água residuária

Faculdades Integradas Claretianas – Rio Claro – SP – Brasil


por tonelada de animal abatido, DEPENAGEM: Realizada por ação
reconhecendo que, para outros autores, mecânica em máquinas próprias,
essa estimativa vai de 4 a 20 m3. acompanhada de lavagem através de
Uma vez que o efluente, em sua chuveiros (Foto 2).
forma natural, não pode simplesmente ser
lançado num curso de água, o Matadouro ESCALDAGEM DOS PÉS: As aves são
Industrial fica obrigado a providenciar o transferidas para outro transportador, onde
seu tratamento para não criar problemas de são penduradas pela cabeça, e passam por
saúde pública e outros. Algumas vezes o processo de escaldagem dos pés e retirada
efluente, depois de tratamentos prelimi- mecânica das cutículas.
nares, pode, sem causar apreciável dano,
ser lançado na rede geral urbana. EVISCERAÇÃO: Remoção das vísceras
comestíveis (fígado, coração e moela),
ABATE DE AVES intestinos e pulmões (extraídos a vácuo),
com posterior lavagem das carcaças (Foto
ATORDOAMENTO: As aves são presas 3 - Anexo).
pelos pés a um transportador aéreo e o
atordoamento é feito pela aplicação de um PRÉ-RESFRIAMENTO: As carcaças
choque elétrico na região da cabeça. passam por tanque contendo água gelada,
onde permanecem cerca de 30 minutos e
SANGRIA: Realizada através do secciona- chegam atingir a temperatura de 0 a 5o C.
mento da veia jugular, com coleta do
sangue para reaproveitamento (Foto 1 - EMBALAGEM: Os pés e as vísceras
Anexo). comestíveis são juntados às carcaças e
embalados. Um esquema do abate de aves
ESCALDAGEM: As aves são imersas em é apresentado na Tabela 1 e o tratamento
tanque contendo água quente na primeira de efluentes pode ser visto Fotos 4, 5 e 6
etapa de lavagem para remover impurezas (Anexo).
e sangue para facilitar a retirada das penas.
Tabela 1
ABATE DE BOVINOS

ATORDOAMENTO: Realizado por meio EVISCERAÇÃO: A carcaça é aberta com


mecânico. Posteriormente o animal é serra elétrica manual e as vísceras são
pendurado, pela traseira, em um retiradas. Após lavagem, utilizando água
transportador aéreo e lavado para remoção quente, as carcaças são encaminhadas a
do vômito. câmaras frigoríficas ou a desossa.

SANGRIA: Por meio de corte dos grandes DESOSSA: As carcaças são divididas em
vasos do pescoço é feita retirada do seções menores e cortes individuais para
sangue, que é recolhido em canaleta comercialização. Um esquema do abate de
própria. bovinos é apresentado na Tabela 2.

REMOÇÃO DO COURO: Realizada


manualmente ou por máquina, quando
também são retirados a cabeça e mocotós.

Tabela 2
ABATE DE SUÍNOS

ATORDOAMENTO: Realizado através da ESCALDAGEM E DEPILAÇÃO: Os


aplicação de choque elétrico na região da animais são imersos em banhos de água
cabeça. Posteriormente o animal é preso, quente. Após a escaldagem é feita a
por uma das pernas, a um transportador remoção dos pêlos, inicialmente, em
aéreo. máquinas de depilação e, posteriormente,
manualmente com auxílio de facas.
SANGRIA: Por meio de seccionamento
dos grandes vasos ou punção diretamente EVISCERAÇÃO: As vísceras são retiradas
no coração é feita retirada do sangue, que é em operação manual, a carcaça é lavada e
recolhido para reaproveitamento. encaminhada para câmaras frigoríficas.
Um esquema do abate de suínos é
apresentado na Tabela 3.

Tabela 3
RESÍDUOS INDUSTRIAIS Aspecto Desagradável
DBO elevada (variando de 800 a 32.000
Os resíduos líquidos e sólidos gerados mg/L);
no abatedouro podem ser divididos em Grande presença de Óleos e Graxas;
resíduo do abate e resíduos gerados fora do Material Flotável (Gordura);
processamento. Alta Concentração de Sólidos
Sedimentáveis e Suspensos;
Resíduos do Abate: esterco de currais, Alta Concentração de Nitrogênio
vômitos, conteúdo estomacal, conteúdo Orgânico;
intestinal, resíduos do tanque de Presença de Sólidos Grosseiros;
purificação de gorduras. Presença de Microrganismos Patogênicos.

Resíduos gerados fora do processa- Uma característica importante dos


mento: esgotos sanitários, lixo comum, despejos líquidos dos Abatedouros e
lodo do sistema de tratamento de água Frigoríficos é que pela elevada DBO e por
industrial. serem ricos em proteínas estes são
altamente putrescíveis, podendo provocar
fortes odores. No Tratamento dos despejos
ASPECTOS E IMPACTOS deve ser avaliado criteriosamente o
AMBIENTAIS atendimento aos Padrões de Qualidade do
Corpo Receptor de Amônia.
EFLUENTES LÍQUIDOS

Segundo consultas efetuadas a TRATAMENTO DE DESPEJOS DE


fabricantes e técnicos no setor de MATADOUROS E FRIGORÍFICOS
equipamentos para Matadouros e
Frigoríficos, o consumo de água varia Os processos de tratamento
muito de um Matadouro e Frigorífico para comumente usados na depuração dos
outro, sendo difícil estimar um valor despejos de Matadouros e Frigoríficos são:
aproximado. Entretanto, utiliza-se como Processos Anaeróbios;
base de cálculo: Sistema de Lagoas Aeróbias;
Lodos Ativados e suas Variações;
Para Abate de Aves: 25 - 50 litros por Filtros Biológicos de Alta Taxa;
Cabeça Discos Biológicos Rotativos (Biodiscos)

Para Abate de Bovinos: 2500 litros por


Cabeça, assim distribuídos: PROCESSOS ANAERÓBIOS
900 litros na sala de matança;
1000 litros nas demais dependências como Os Processos Anaeróbios são
bucharia, triparia, miúdos, sanitários, etc.; bastante apropriados para depurar despejos
600 litros nos anexos externos como pátios provenientes de matadouros e frigoríficos,
e currais, incluindo a lavagem de cami- dada a natureza dos despejos. Altas Cargas
nhões. de DBO e de sólidos em suspensão
características próprias destes despejos,são
Para Abate de Suínos: 1200 litros por requisitos básicos para o sucesso do
Cabeça, assim distribuídos: tratamento anaeróbio.
300 litros na sala de matança; As bactérias anaeróbias, que
400 litros nas demais dependências; funcionam na ausência de oxigênio livre,
500 litros nos anexos externos. degrada os despejos orgânicos em gases
Os Efluentes Líquidos dos Abatedouros e (principalmente metano e gás carbônico)
Frigoríficos possuem as seguintes caracte- com a produção de ácidos intermediários.
rísticas principais: A estabilização em condições anaeróbias é
lenta, pelo fato das bactérias anaeróbias se Quando existe turbulência suficiente o
reproduzirem numa vagarosa taxa. sistema se aproxima de uma aeração
A eficiência de remoção de DBO nas prolongada sem retorno de lado. Os
Lagoas Anaeróbias é na ordem de 50% a equipamentos de aeração são encontradas
60%. no mercado sob a forma de aeradores
A DBO efluente é ainda elevada, superficiais fixos ou flutuantes ou escoras
implicando na necessidade de uma unidade rotativas horizontais. (BRAILE, P. M. &
posterior de tratamento. As unidades mais CAVALCANTI, J. E. W. A. 1979).
utilizadas para tal são as Lagoas Facul- As lagoas aeradas de mistura
tativas (VON SPERLING, MARCOS completa são essencialmente aeróbias. Os
1997). aeradores servem não só para garantir a
A seguintes condições locais devem oxigenação do meio, mas também para
se avaliadas quando se consideram as manter os sólidos em suspensão
lagoas anaeróbias: (biomassa) dispersos no meio líquido. O
-Proximidade de áreas residenciais ou tempo de detenção típico em uma lagoa
comerciais, em que odores em potencial aerada de mistura completa é da ordem de
possam causar incômodos: aconselha-se 2 a 4 dias.
que exista, no mínimo, meio quilômetro de A qualidade de efluente de uma lagoa
distância das habitações isoladas e de 1 a 2 aerada de mistura completa não é adequada
Km das áreas residenciais. para lançamento direto, pelo fato de conter
-Condições de solo: é importante a elevados teores de sólidos em suspensão.
determinação de profundidade do lençol de Por esta razão, estas lagoas são
água subterrânea e natureza do solo, com normalmente seguidas por outras lagoas,
respeito a sua permeabilidade e onde a sedimentação e estabilização destes
aplicabilidade. sólidos possa ocorrer. Tais lagoas são
-É essencial que a cobertura natural da denominadas de lagoas de decantação.
lagoa seja desenvolvida tão rápido quanto
possível, para minimizar odores e
assegurar retenção adequada do calor. LODOS ATIVADOS
Coberturas artificiais, como PVC e
Hypalon, também podem ser usadas. É o tratamento mais eficiente e mais
Sistemas para coletas de gás metano, largamente utilizado nos matadouros e
constituem um dos principais cuidados na frigoríficos.
construção de coberturas. O sistema de lodos ativados a ser
-Se a água utilizada no processamento escolhido dependerá do grau de tratamento
industrial contiver altos teores de sulfatos, desejado.
os despejos não podem ser tratados em Existem diversas variantes do
Lagoa Anaeróbias. O oxigênio é separado processo de lodos ativados, as principais e
de sulfatos por bactérias anaeróbias, mais utilizadas são:
produzindo gás sulfídrico que causa graves Lodos Ativados Convencionais;
problemas de odores. Lodos Ativados com Aeração Prolongada;
Lodos ativados com fluxo intermitente;
SISTEMAS DE LAGOAS AERÓBIAS Há ainda uma variante, similar
conceitualmente aos lodos ativados
São projetadas com tempo de convencionais. Esta variante é denominada
detenção variando de 2 a 10 dias com uma aeração modificada ou lodos ativados de
profundidade de lâmina d’água de 2,4 a altíssima carga, possui as mesmas unidades
4,5m. do sistema convencional, mas com uma
Em muitos casos a turbulência não é maior carga de DBO por unidade de
suficiente para manter os sólidos do fundo volume do reator.
em suspensão, ocorrendo em conseqüência Os processos de lodos ativados, às
a degradação anaeróbia dos mesmos. vezes, podem ser associados a outros
métodos de tratamento, como lagoas discos para vazões maiores.(SPERLING,
anaeróbias e filtros biológicos. 1995)
Um biodisco é constituído por uma
série de discos dispostos diametralmente
FILTROS BIOLÓGICOS DE ALTA em torno de um eixo horizontal sobre o
TAXA qual têm movimento de rotação, estão
parcialmente imersos na água residual e
A finalidade principal da utilização de servem de habitat à biomassa.
filtros biológicos em despejos de O tratamento por biodiscos faz-se por
matadouros e frigoríficos é diminuir as degradação da matéria orgânica em
cargas dos despejos e seus picos condições aeróbias, processando-se de
Os filtros são normalmente circulares forma idêntica ao do tratamento por lamas
e compreendem, basicamente, um leito de ativadas. A principal diferença resulta do
material grosseiro, tal como pedras, ripas e fato da cultura de microorganismos não
material plástico, sobre o qual o efluente é permanecer em suspensão como no caso
aplicado sob a forma de gotas ou jatos. das lamas ativadas mas fixa aos discos.
A classificação dos filtros biológicos A rotação dos discos alterna o contato
é determinada através da quantidade de da biomassa com a matéria orgânica
DBO aplicada, dessa forma, podem ser: quando mergulha na água residual e com a
Filtros biológicos de baixa carga; atmosfera com absorção de oxigênio
Filtros biológicos de alta carga. quando emerge. Durante este processo, as
A principal função dos filtros células absorvem e assimilam o oxigênio
biológicos é de suavizar as cargas de do ar em quantidade suficiente para
choque e propiciar alguma redução inicial transformar as impurezas que se encontram
da DBO, e em muitos casos, estes na água, sob a forma de substâncias
dispositivos são usados antecedendo a minerais decantáveis, formando também
algum tipo de lodos ativados. novas células que se reagrupam em
flóculos ou que se integram no filme
biológico que cobre os discos. Ao
DISCOS BIOLÓGICOS ROTATIVOS tratamento biológico por biodiscos segue-
(BIODISCOS) se um decantador.
Estas estações são geralmente
Neste sistema um conjunto de discos, fabricadas para fazer em face de uma
geralmente de plástico de baixo peso, gira população na ordem dos 6000 habitantes
em torno de um eixo horizontal. Metade do equivalente.
disco é imerso no esgoto a ser tratado As principais vantagens que se
enquanto a outra metade fica exposta ao ar. associam à utilização de biodiscos são:
As bactérias formam uma película aderida Boa qualidade do efluente final;
ao disco que quando exposta ao ar é Redução do volume de lamas produzidas;
oxigenada. Esta quando novamente em Baixo consumo energético.
contato com o efluente contribui para a
oxigenação deste. Quando esta película
cresce demasiadamente, ela se desgarra do CONCLUSÃO
disco e permanece em suspensão do meio
líquido devido ao movimento destes Todos os Processos de Tratamento de
contribuindo para um aumento da Efluentes mencionados reduzem a DBO de
eficiência. 70 - 95% e os sólidos em suspensão de 80 -
Este sistema é limitado para o 95%. Geralmente, o grau de tratamento
tratamento de pequenas vazões. O exigido, as condições locais, limitação de
diâmetro máximo dos discos é reduzido área, custos de capital e operacionais, irão
sendo necessário um grande número de determinar a seleção do sistema a ser
adotado.
Os Efluentes de Frigoríficos e BIBLIOGRÁFIA
Matadouros na sua maior parte não
possuem resíduos perigosos, sendo
constituído basicamente de matéria SPERLING, Marcos Von, Príncipios do
orgânica, contudo, as formas de Tratamento Biológico de Águas
tratamentos utilizadas não necessitam de Residuárias, Universidade Federal de
sistemas complexos e de custos elevados. Minas Gerais - 1997 – Volume 1, 3 e 4
Dependendo da origem dos efluentes
nos processos de abate, pode-se obter PASQUAL, Mucciolo Carnes – Indústria e
medidas de prevenção a poluição referente Comércio – 1985
como:
-Reuso da água em empregos menos SILVA, Carlos Artur Barbosa da Perfis
exigentes (Ex: Água de lavagem dos Agroindustriais– Ministério da Agricultura
animais na lavagem de currais; Água da Matadouro Misto de Bovinos e Suínos.
lavagem de carcaças de suínos na
depilação); BRAILE, P. M. e CAVALCANTI, J. E.
-Troca dos “chillers” que utilizam água W. A., Manual de Tratamento de Águas
gelada por outros que utilizem líquidos Residuárias Industriais CETESB
criogênicos;
-Utilização de bocais para “spray” no lugar Sites consultados:
de tubos furados; www.apesb.pt/comunicacoes/com_34.htm
-Reuso da água da purga de caldeiras para http:/cejota.hypermart.net/abate.htm
limpeza geral. www.abatehumanitario.com.br
www.engetecno.com.br
www.apemeta.com.br
www.abcs.com.br
www.unb.br
ANEXOS

Foto1: Sangria Foto 4: Entrada do Efluente no Sistema de


Tratamento

Foto2: Transporte de Penas Foto 5: Flotador (Separação de Óleos e


Graxas)

Foto6: Saída do Efluente do Sistema de


Foto3: Peneira Estática de Vísceras Tratamento

Interesses relacionados