Você está na página 1de 6

AS REGIÕES BRASILEIRAS

REGIÕES BRASILEIRAS

O Brasil encontra-se política e geograficamente dividido em cinco regiões


distintas, que possuem traços comuns no que se refere aos aspectos físicos,
humanos, econômicos e culturais. Os limites de cada região - Norte, Nordeste,
Sudeste, Sul e Centro-Oeste - coincidem sempre com as fronteiras dos
Estados que as compõem.
A região Norte é a que ocupa a maior parte do território brasileiro, com uma
área que corresponde a 45,27% dos 8.547.403,5 de km2 da área total do País.
Formada por sete Estados, tem sua área quase totalmente dominada pela
bacia do Rio Amazonas. A região Nordeste pode ser considerada a mais
heterogênea do País. Dividida em quatro grandes zonas - meio-norte, zona da
mata, agreste e sertão -, ocupa 18,26% do território nacional e tem nove
estados.
No Sudeste, região de maior importância econômica do País, está concentrado
também o maior índice populacional - 42,63% dos 157.079.573 brasileiros - e
produção industrial. É formada por quatro Estados e apresenta grandes
diferenças sob o aspecto físico, com litoral, serras e planícies.
Já o Sul, região mais fria do País, com ocorrências de geadas e neve, é a que
apresenta menor área, ocupando 6,75% do território brasileiro e com apenas
três Estados. Os rios que cortam sua área formam a bacia do Paraná em
quase toda sua totalidade e são de grande importância para o País,

1
principalmente pelo seu potencial hidrelétrico.
Finalmente, a região Centro-Oeste tem sua área dominada basicamente pelo
Planalto Central Brasileiro e pode ser dividida em três porções: maciço goiano-
mato-grossense, bacia de sedimentação do Paraná e as depressões. Formado
por quatro Estados, esta região vem sofrendo alterações significativas na sua
cobertura vegetal, com o cerrado sendo substituído gradativamente por
plantações ou criação de gado em função do processo de ocupação nesta
parte do Brasil.
Fonte: http://www.mre.gov.br/

REGIÕES BRASILEIRAS

As regiões do Brasil são uma divisão que tem caráter legal e que foi proposta
pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), em 1969. O IBGE
levou em consideração apenas aspectos naturais na divisão do país, como
clima, relevo, vegetação e hidrografia; por essa razão, as regiões também são
conhecidas como "regiões naturais do Brasil".
Há uma pequena exceção com relação à região Sudeste, que foi criada
levando-se parcialmente em conta aspectos humanos (desenvolvimento
industrial e urbano). Cada um destes grupos é uma região, e as regiões
brasileiras são...
Região Centro-Oeste
Com predominância do Ecossistema de Cerrado, a região pode ser dividida em
3 porções: maciço goiano-mato-grossense, bacia de sedimentação do Paraná
e as depressões. É formada por 3 Estados: Goiás, Mato Grosso, Mato Grosso
do Sul e o Distrito Federal. Possui um território de 1.604.852 km² (18,9% do
território nacional). Sua população é de cerca de 12 milhões de habitantes.
Região Nordeste
Com predominância do Ecossistema de Caatinga, a região encontra-se dividida
em quatro sub-regiões (zonas): meio-norte, zona da mata, agreste e sertão) e é
formada por 9 Estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte, Paraíba,
Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. Possui um território de 1.556.001 km²
(18,2% do território nacional), dentro dos quais está localizado o Polígono das
secas. Sua população é pouco superior a 50 milhões de habitantes.
Região Norte
Com predominância do Ecossistema de Floresta Amazônica, a região Norte é
formada por 7 Estados: Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá e
Tocantins. Possui um território de 3.851.560 km² (45,2% do território nacional),
e uma população pouco superior a 14 milhões de habitantes – o que faz dela a
região com menor densidade demográfica.
Região Sudeste
Com predominância do Ecossistema de Mata Atlântica, a região apresenta
grandes diferenças sob o aspecto físico, com litoral, serras e planícies e é
formada por 4 Estados: Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São
Paulo. Possui um território de 927.286 km² (10,6% do território nacional). Sua
população é de cerca de 77 milhões de habitantes.

2
Região Sul
Com predominância do Ecossistema de Mata de Araucárias, a região é
formada por 3 Estados: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Possui
um território de 575.316 km² (6,8% do território nacional) e sua população é de
mais de 26 milhões de habitantes.
Os limites das regiões sempre coincidem com limites de estados, não havendo
estados que se espalhem por duas regiões.
A área correspondente ao estado de Tocantins (integrante da região Norte), por
ter sido originária do desmembrado de Goiás (Centro-Oeste), foi a última
alteração na delimitação das regiões brasileiras.
Atualmente, muitos geógrafos e cientistas sociais preferem a divisão
geoeconômica proposta por Pedro Pinchas Geiger, em 1967, que leva em
conta os aspectos naturais e humanos. Essa divisão consiste de três regiões e
suas fronteiras não coincidem com as fronteiras estaduais: Amazônia, Centro-
Sul e Nordeste.
O vestuário típico folclórico no Brasil se compõem de três formas: roupas de
couro (Nordeste), vestidos de renda da Bahia e roupa típica gaúcha. Fonte:
Museu de Folclore (SP).
Fonte: http://www.sergiosakall.com.br/

MAIS UM POUCO DAS REGIÕES


1 • Centro-Oeste, 2 • Nordeste, 3 • Norte, 4 • Sudeste, 5 • Sul
As Regiões do Brasil são uma divisão que tem caráter legal e que foi proposta
pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) em 1969. O IBGE
levou em consideração apenas aspectos naturais na divisão do país, como
clima, relevo, vegetação e hidrografia; por essa razão, as regiões também são
conhecidas como "regiões naturais do Brasil". Há uma pequena exceção com
relação à região Sudeste, que foi criada levando-se parcialmente em conta
aspectos humanos (desenvolvimento industrial e urbano).
Cada um destes grupos é uma região, e as regiões brasileiras são:
Região Centro-Oeste
Compõe-se dos estados: Goiás, Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e do
Distrito Federal. Possui um território de 1 604 852 km2 (18,9% do território
nacional). Sua população é de cerca de 12 milhões de habitantes.
Região Nordeste
Compõe-se dos estados: Maranhão, Piauí, Ceará, Rio Grande do Norte,
Paraíba, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Bahia. Possui um território de 1 556
001 km2 (18,2% do território nacional), dentro dos quais está localizado o
Polígono das secas. Sua população é pouco superior a 50 milhões de
habitantes.
Região Norte
Compõe-se dos estados: Acre, Amazonas, Roraima, Rondônia, Pará, Amapá e
Tocantins. Possui um território de 3 851 560 km2 (45,2% do território nacional),
e uma população pouco superior a 14 milhões de habitantes – o que faz dela a
região com menor densidade demográfica.
Região Sudeste
Compõe-se dos estados: Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro e São

3
Paulo. Possui um território de 927 286 km2 (10,6% do território nacional). Sua
população é de cerca de 77 milhões de habitantes.
Região Sul
Compõe-se dos estados: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul. Possui
um território de 575 316 km2 (6,8% do território nacional) e sua população é de
mais de 26 milhões de habitantes.
Os limites das regiões sempre coincidem com limites de estados, não havendo
estados que se espalhem por duas regiões.
A área correspondente ao estado de Tocantins (integrante da região Norte), por
ter sido originária do desmembrado de Goiás (Centro-Oeste), foi a última
alteração na delimitação das regiões brasileiras.
Atualmente, muitos geográfos e cientistas sociais preferem a divisão
geoeconômica proposta por Pedro Pinchas Geiger em 1967, que leva em conta
os aspectos naturais e humanos. Essa divisão consiste de três regiões e suas
fronteiras não coincidem com as fronteiras estaduais, a saber: Amazônia,
Centro-Sul e Nordeste.
Maiores dados
Possui a maior Cidade: Sudeste (São Paulo) Maior Área: Norte Maior PIB:
Sudeste Maior IDH: Sul Mais Estados: Nordeste Maior População: Sudeste
Maior PIB per capita: Sudeste Maior Alfabetização: Sul Maior Densidade
Demográfica: Sudeste

AS PAISAGENS VEGETAIS DO BRASIL

Ecossistemas, biomas e formações vegetais

Quando estudamos os seres vivos em seu habitat ou meio ambiente, costumamos


utilizar o conceito de ecossistema: um sistema ou conjunto formado pelos seres vivos –

4
animais, vegetais, microorganismos – e pelas condições ambientais nas quais eles estão
integrados (solos, água, clima, relevo).
Os milhares de ecossistemas vizinhos e integrados numa paisagem maior
chamamos de bioma, ou seja, diz respeito a um imenso ecossistema, uma paisagem
natural, geralmente definido pela vegetação.
No Brasil além da floresta Amazônica (ou Amazônia) e da mata Atlântica,
costuma-se reconhecer as seguintes paisagens vegetais: a caatinga, a mata de araucária,
o cerrado, o Pantanal, os campos e a vegetação litorânea.

FLORESTA AMAZÔNICA

Abrange além do Brasil áreas da Bolívia, Colômbia, Venezuela, Equador, Peru,


Guiana, Suriname e Guiana Francesa.
Latifoliada, heterogênea, perene (sempre verde), mata densa.
Costuma ser dividida em três tipos de matas conforme sua proximidade dos rios:
-mata de igapó: ao longo dos rios e permanentemente inundada pelas cheias fluviais.
Plantas de menor porte higrófilas.
-mata de várzea: sujeita a inundações periódicas ao longo dos rios, destaca a
seringueira.
-mata de terra firme ou caaetê. Recobre os baixos planaltos sedimentares, abrange a
maior parte da floresta não sujeitos a inundações. Formada por plantas de porte alto.

MATA ATLÂNTICA

Esse tipo de vegetação quase não existe mais, restando alguns trechos esparsos
em encostas montanhosas, como na serra do Mar. A mata Atlântica, ou floresta
latifoliada tropical, corresponde, mais ou menos, ao domínio do clima tropical úmido.

CAATINGA

Vegetação típica de clima semi-árido do Sertão nordestino. É uma vegetação


pobre, com plantas xerófilas, principalmente cactáceas. Aparecem também arbustos e
pequenas árvores, como o juazeiro, e aroeira, etc. A vegetação perde suas folhas durante
a estação da seca.
A fauna é abundante em répteis, entre os quais se destacam os lagartos e cobras,
além de roedores e aracnídeos.

MATA DE ARAUCÁRIA

A mata de Araucária ou floresta aciculifoliada corresponde mais ou menos às


áreas de clima subtropical. Nela predominam os pinheiros. Encontra-se hoje quase
totalmente devastada (muito aproveitada para a fabricação de móveis).

CERRADO

É um tipo de vegetação mista, com plantas de médio porte misturadas com


gramíneas, próprio do clima tropical típico, ou semi-úmido, do Brasil Central.
Geralmente, o cerrado típico apresenta dois estratos de plantas: um arbóreo, com
árvores de pequeno porte; outro herbáceo, de gramíneas ou vegetação rasteira.
Cerca de 45% da sua vegetação foi destruída, processo acelerado nas últimas
décadas devido a expansão da agropecuária.

5
O PANTANAL

Vegetação heterogênea, que abrange a planície ou depressão do Pantanal Mato-


Grossense, localizada a oeste do Brasil. Nesse complexo de vegetações encontra-se
desde plantas higrófilas (nas áreas alagadas pelo rio) até as xerófilas (nas áreas altas e
secas), além de diversos tipos de palmeiras, gramíneas, e bosques.
É o local com maior concentração de flora das Américas.

OS CAMPOS

Constituem um tipo de vegetação rasteira (herbácea) localizada principalmente


no sul do Brasil, onde predominam diversos tipos de capins: barba-de-bode, gordura,
mimoso, jaraguá, etc.

VEGETAÇÕES LITORÂNEAS

São características das terras baixas e planícies do litoral. Constituem vários


tipos de vegetações diferentes, englobadas como vegetações litorâneas pela proximidade
com o litoral. Aí aparecem os mangues, ou manguezais (áreas de solo pantanoso), a
vegetação de praias, as dunas e as restingas.

A BIOSFERA DO BRASIL

A delimitação da biosfera brasileira está assentada em três elementos fundamentais:


- os aspectos climáticos
- os aspectos do relevo;
- os aspectos da cobertura vegetal
A combinação desses elementos permite observas os macrossistemas que
chamamos de biomas e que também podem ser chamados de domínios naturais ou
morfoclomáticos, segundo Aziz Ab’Saber.
É preciso considerar também que a ocupação do território pela sociedade
brasileira, em suas várias fases históricas, vem promovendo grande devastação nas áreas
mais povoadas, e, consequentemente, a maior parte desses biomas está profundamente
alterada, apesar dos esforços de preservação.