Você está na página 1de 48

z e r

o f a
Co m e l
a n
um

Saco para biberom


Craquelle

oc a
a rr
B
m ia
c r o
l i
Po
Nº 4 - Edição Gratuita Março 2009

ho p s Reciclagem
ork s Passeios fotograficos
s e W
Feira Gastronomia
Poesia
Reflexos D’Arte Reflexos D’Arte Reflexos D’Arte
Indice

Reflexos D’Arte
Editorial
Olá amigas e amigos,

Já vamos no número 4 da nossa revista!

Não tem sido fácil, mas o gosto de a fazer supera qualquer sacrifício. Lá diz o ditado, “quem corre
por gosto não cansa”…

Quando pensámos fazer esta revista, foi com o intuito de divulgarmos, aprendermos, e partilharmos
o que sabemos. Daí o termos pensado numa revista aberta. Aberta a quem quisesse participar, sem
ter aquela “coisa” oficial de passar por um editor.
E sobretudo sem o medo de sermos censurados levianamente. Porque neste movimento que são as
artes e o artesanato há, por vezes, uma competição menos correcta. Esquecemo-nos que a
variedade é amiga da criatividade e escondemos o que fazemos, não ensinamos o que aprendemos,
não partilhamos!

Todos nós temos um jeitinho para qualquer coisa e, muitas vezes, a timidez, a vergonha, a
insegurança, faz com que não mostremos aos outros aquilo que fazemos. E esse jeitinho especial que
pode ser uma aguarela, uma tela com uma técnica diferente, uma fotografia, um poema, um
bordado, um tapete, uma escultura, uma receita de culinária, um aproveitamento qualquer de
material já que se fala tanto em reciclagem, um conto, uma sugestão, etc.

A ideia da Revista, apesar de já haver outras revistas, apesar de já haver muito material na
internet, apesar de já ser muito fácil encontrar tutoriais para tudo, é, sobretudo a divulgação.

Nos primeiros números apresentámos alguns tutoriais, falámos de passeios a locais giros e 2
interessantes onde podemos dar azo à imaginação e fotografar o que bem nos apetecer, mostrámos
receitas, reciclámos um pouco, sugerimos ideias sem regras! Partilhámos curiosidades e poemas.

Já vamos no número 4 e esperamos chegar longe. Para isso é necessária a participação de todos.
Falem-nos dos vossos trabalhos, desde quadros, telas, bordados, esculturas, etc, passando pela
poesia, prosa, divagações, até à fotografia, à experiência de um passeio ao ar livre, à receita
daquele prato especial e tão fácil de fazer.

Foi com essa ideia que resolvemos fazer a revista.Podemos dizer que estamos satisfeitas com o
resultado.

Agora pensamos passar à fase seguinte.

Agora é a sua vez de participar. Mostre-nos os seus trabalhos, envie-nos fotografias, partilhe
informações. Vamos fazer desta revista, a nossa revista.

Esperamos que tenham gostado.

Ajudem-nos a fazer uma Revista nossa!.

Reflexos D’Arte
Novidades
Http://tralhitas.blogspot.com
Http://armadaemartista.blogspot.com
Http://www.flickr.com/photos/alexis7218/

Loja, design, decoração, workshops. artes decorativas

Rua Mendes Leal, nª24c, 2655-305 Ericeira

963259339

(Em frente ao Centro cultural da Ericeira)

visite o nosso blog em: http://fabricaarcoiris.blogspot.com/

Podes enviar as tuas novidades para:

Novidades@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Novidades

Podes enviar as tuas novidades


para:

Novidades@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Novidades

Reflexos D’Arte
Entrevista
Entrevista à artista ANDREIA CANITO - Telas abstratos a óleo.

www.asgcquadros.blogspot.com

Contacto : 918 539 021

Como caracterizas o teu trabalho?

O meu trabalho é uma forma de poder aliviar do stress do dia-a-dia... uma forma de dar largas á
imaginação.

Quando e como inicias-te a tua actividade artística ?

Tudo começou quando comprei a minha casinha e comecei a decora-la... comecei a ver revistas...a
ver quadros nas lojas e pensei... “Se calhar até podia ser eu a fazer...” e assim começou... li
revistas de trabalhos manuais e comecei a experimentar ...
Depois os amigos gostaram ...começaram a pedir-me para fazer para eles e a divulgarem a outros
amigos!

Qual foi a peça que mais prazer te deu criar? Porquê?

O meu primeiro quadro...sem dúvida... 6


Não sabia bem o que fazer...só tinha em mente as cores que ía utilizar...e foi surgindo algo abstrato
mas que cada vez que olho para ele adoro-o e foi mesmo o meu “primeiro amor”.

Em que pensas quando crias arte?

Em nada concreto... e é mesmo esse o meu objectivo...ser espontânea

Podes participar nesta


rúbrica enviando um mail para :

Entrevista@reflexosdarte.com
Reflexos D’Arte
Entrevista
Quais são os teus materiais preferidos? Porquê?

Eu adoro usar massa para fazer relevos nas telas...por mais simples que seja o quadro fica com uma
textura linda.

Quais os teus planos futuros?

Divulgar o meu trabalho ... e ter mais clientes!

O que mais gostas de fazer para além de arte?

Neste momento ... seguir a evolução diária da minha filhota e estar com amigos.

Como evoluiu a tua vida de artista?

Penso que não se pode chamar de vida artistica...pois infelizmente não tenho o tempo que gostaria
para poder aderir a mais iniciativas e evoluir um pouco mais ...mas cada vez que faço um novo
quadro sei que esta mais completo que o anterior...é uma evolução natural e progressiva.

O que dizem as pessoas quando vêm e compram as tuas peças ?

Quem vê normalmente gosta... uns mais outros menos...mas quem compra normalmente acha que
vendo os quadros com preços super acessiveis.
7

Podes participar nesta


rúbrica enviando um mail para :

Entrevista@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias

Decorações de interiores

Velaturas
Com a pintura decorativa normalmente fala-se de Velaturas. Estas tem duas
características que as distinguem das outras tintas : apresentam um tempo de trabalho
mais longo do que as tintas habituais. Ou seja, pode trabalhar durante um longo período
antes que sequem e se tornem colantes; As velaturas são tintas transparentes ou
translúcidas, pelo que se tornam muito menos opacas do que os produtos habituais. O grau
de transparência determina, em grande parte, o efeito decorativo final.

Existem 3 tipos de velaturas :


!
! A velatura à base de óleo tem sido utilizada desde sempre e pode ser fabricada
facilmente. As percentagens que indicamos são aproximadas. A humidade e a temperatura,
tem grande influência sobre o tempo de trabalho deste tipo de velatura. A experiência faz
com que saibamos utiliza-las da melhor maneira.
8
A mistura é:

Terebentina ( cerca de 50%)


Óleo de linhaça branqueado ( cerca de 45%)
Agente secante(cerca de 5%)

! A velatura sintética é semelhante à velatura tradicional a óleo. Esta é utilizada para


executar técnicas especiais tradicionais, como a imitação de mármore ou madeira.

! A velatura à base de água funciona de forma muito semelhante à dos produtos


anteriormente referidos. Trata-se de um tinta mais ou menos transparente, com um tempo
de trabalho longo e apresenta algumas vantagens, que tornam a sua aplicação mais simples e
agradável.

As vantagens :

- Não amarelece com o tempo


- Mesmo com tempo de trabalho longo seca mais depressa que uma velatura sintética ou à
base de óleo de linhaça
- tem uma reduzida presença de solventes sintéticos, por isso, é menos tóxica.

Reflexos D’Arte
Ideias
Decorações de interiores

Velaturas
Se não conseguir aplicar a velatura com o efeito desejado, pode corrigir o problema
com o seguinte :

Para as velaturas sintécticas ou à base de óleo

! Adicione óleo de linhaça branqueado com velatura, prolonga assim o tempo de


trabalho.

! Coloque ligeiramente nas paredes óleo de linhaça com uma esponja ou pano ( truque
aconcelhado para superfícies muito absorventes)

Para as velaturas à base de água 9


! No caso das velaturas coloridas com tinta acrilíca ou látex pode adicionar-se uma certa
quantidade de retardador.

! Se a velatura secar muito depressa pode aplicar uma demão de velatura sem cor

! A secagem demasiado rápida é, por vezes, originada por uma humidade do ar demasiado
reduzida. Pode aumentar a humidade com um humificador.

As tintas de água tradicionais podem se


Se quiseres participar na
transformar em velaturas incluindo
revista com os teus trabalhos envia
retardador. As velaturas podem ser um mail para :
coloridas, utilizando pigmentos universais
em pó ou líquidos e tintas sintéticas, Participa@reflexosdarte.com
acrílicas ou a óleo.

Reflexos D’Arte
Ideias
Bolsinha para biberom
Em tecido

Material Utilizado :

! Resto de tecidosde várias cores


! Fita a gosto pra decorar
! Molde do Cavalo encontra-se na página dos
gráficos

Passo a Passo :

1º Recorte o tecido para o saco do tamanho que deseja. Recorte uma rodela do mesmo
tecido para o fundo do saco.

2º Recorte os vários tecidos para fazer o cavalinho, seguindo o molde.

3º Monte o Cavalinho no tecido recortado para o saco, e chuleie as várias peças.

4º Cosa uma tira de tecido no cimo do tecido para fazer o franzido e o puxador
10
5º Cosa também uma fitinha a gosto

6º Depois cose-se a rodela do tecido ao outro bocado e os lados do saco, de seguida


cose-se o cimo do tecido com uma fitinha de um tecido diferente.

7º Finaliza-se o trabalho com os acabamentos necessários.

Reflexos D’Arte
Ideias
Craquelar uma caixa com duas cores
Tinta Acrilica

Materiais usados:

Caixa,tinta acrilíca nas cores que desejar (neste caso foi amarelo limão e verde água)
pinceis com a ponta macia,verniz craquellé para tinta acrilica daBona Pint,

1º - Lixe bem a caixa de madeira ( ou pode ser uma caixa de papelão que é o caso desta)

2º Pinte a caixa com uma cor de fundo ( neste


caso foi amarelo limão) depois de a tinta estar
seca coloca-se o craquellé e deixa-se secar.

11

3º Pinta-se de outra cor com um pincel bem


macio para não riscar. Deixa-se secar. Depois
de seco começa a tinta de cima a partir de
maneira a que se possa visualizar a de baixo.

4º No final enverniza-se com verniz


liquido ou em spray.

Reflexos D’Arte
Ideias
Craquelado
Quantas vezes encontramos caixas e caixinhas muitos giras nas nossas arrecadações e não
sabemos o que lhes fazer. Bem aqui vai uma ideia bem gira para colocarem numa dessas
caixas, que por sinal ficou bem gira.

Material usado:

! Caixa
! Verniz
! Craquellé dois passos
! Patine prateada ou dourada ( conforme o gosto)
! Cera incolor
! Pano macio
! Pincel
! Cola branca
! Fotocópias de fotografias

Passo a passo:

1º Lixa-se muito bem a caixa para retirar todo o pó e


verniz antigo.
2º Depois passa-se um pano húmido, e deixa-se
secar 12
3º Pincela-se a cola branca, bem esticada, e colam-
se as fotocópias das fotografias da maneira que se
quizer dispôr.

4º Pincela-se sem puxar com o 1º passo do craquellé deixando uma camada com mais ou menos 1
mm. Deixa-se secar.
5º Pincela-se sem puxar o 2º passo do craquellé no sentido inverso ao do 1º passo. Deixa-se
secar. Nesta altura começa o craquellé a partir.
6º Coloca-se a patine depois passa-se por cima cera incolor e retira-se o excesso com um pano
macio.
7º Deixa-se secar. Finaliza-se com verniz.

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
pintura em Madeira

Cabide de criança
Materiais:

! Cabide de madeira
! Tintas acrilicas nas cores verde, amarelo, rosa, castanho escuro e
castanho sépia escuro
! Tinta de relevo azul
! Verniz

Passo a passo :

1º Lixa-se muito bem o cabide


2º Depois passa-se um pano húmido, e deixa-se secar
3º Pinta-se com as cores conforme a imagem ou como gostarem, convém darem
duas demãos, lixar entre elas.

13

4º Escreve-se com o tubo de tinta relevo o nome da criança e faz-se sobressair


algumas partes do desenho.

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias

Pátine

A pintura decorativa é uma criatividade humana das mais antigas. É uma forma de
modificar objectos, móveis e paredes, tornando o ambiente com um toque especial e
muito peculiar.
Na pré história quando os homens decoravam as suas cavernas com as cenas dos
rituais e expressões artísticas já se percebia que havia necessidade de enfeitar e
embelezar o seu ambiente.
Durante a história tivemos essa necessidade nas pirâmides do Egipto, os monumentos
de Roma e da grécia , as esculturas astecas, dos Incas e dos Maias.
Entre várias técnicas de pintura decorativa, destaca-se a pátine que produz um
aspecto de envelhecimento nas peças onde se utiliza.
Foi nos finais do século XV e início do XVI ( Renascimento) que se utilizou com 14
muita frequência esta técnica, principalmente nas igrejas. Com o tempo foram
surgindo novos materiais, texturas e um novo ofício. O de pintor decorador. Com
a pátine pode-se criar peças com aspecto envelhecido e ao mesmo tempo moderno
e inovador, basta colocar a nossa imaginação a funcionar.

Podes enviar os teus trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Trabalho com patine

Madeira
Materiais usados:

Tinta acrilica beje e verde


.Palhadaço
Cera incolor
.Betume diluído com aguarrás
.2 (dois) pincéis, um para cada cor de tinta
Pedaços de pano de algodão e flanela

Passo a passo :

1º Faça várias bolinhas mais ou menos do mesmo tamanho e com a mesma quantidade de palhadaço
2º Lixe e limpe a superfície da peça
3º Pinte a peça com pincel ou rolo na cor beje. Em qualquer técnica, a aplicação da tinta deverá ser no
sentido dos "veios" da madeira. Espere secar completamente
4º Passar com o palhadaço no sentido dos "veios" nunca transversal ou perpendicularmente
5º Com a cera incolor aplicar uma primeira demão com um pano de algodão e deixar secar por uns 15
minutos. 15
6º Com um pedaço de flanela, (verifique se a peça já esta bem seca para não remover a tinta bege),
lustrar com o cuidado . Passar cera incolor novamente, repetindo por mais duas vezes.
7º Com a tinta cor Verde pintar na peça após o último lustre.
8º Após secagem completa. Com um pedaço de pano de algodão, passar novamente cera na peça (desta
vez, uma demão somente).
9º Lustrar a peça com flanela limpa, espere secar por meia hora.
10 º Prepare o betume diluído em aguarrás, o palhadaço fino e passe uma demão do betume em toda a
peça. Em seguida, retire o excesso de betume com pedaço de pano de algodão
11 º Com o palhadaço passar na peça num único sentido e fazendo os riscos paralelos entre si.
Se preferir, passar, às vezes, um pouco inclinado, parecendo assim uma peça mais envelhecida e usada
ao longo do tempo .
12 º Deixar secar bem a peça, de preferência de um dia para outro. Encerar e lustrar. A peça poderá ser
envernizada com verniz fosco ou brilhante, ao invés de encerar

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Policromia Barroca

Envelhecimento

Materiais : 16
Objecto em madeira para efectuar a técnica, goma laca, guache vermelho, azul e verde, betume judaico, pó
talco, ouro em pasta.

Passo a passo:

1ºImpermeabilize a peça de madeira com duas demãos de goma-laca. Depois de secar com tinta guache
vermelha, azul e verde, pinte uma parte de cada cor. Passe goma laca e deixe secar. Aplique betume para
envelhecer e limpe o excesso com um retalho de lã.

2º Polvilhe o talco. Passe um pincel para igualar a aplicação.

3º Com a ponta do dedo aplique a pasta do ouro em algumas parte da peça.

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias

Arranjos Florais

Existem teorias acerca das cores e da sua influência. As cores secundárias são mais fáceis
de combinar, porque são mais suaves e harmoniosas. Os tons verdes , malvas e azuis
geralmente são muito harmoniosos. Já as cores quentes e vivas como o vermelho e o
amarelo servem para realçar uma cor especifica, se as combinarmos entre elas, o 17
resultado será muito agressivo e artificial. Quando escolher os tons para um arranjo de
flores secas há que ter em conta o local onde o vai colocar. Num local decorado com uma
decoração agressiva , um centro de cores suaves irá sobressair pela sua delicadeza.

Reflexos D’Arte
Ideias

Arranjos Florais
Combinações de cores para alguns raminhos

1º Combinação

Flores amarelas com ramos verdes e um laço azul escuro Cor neutra : branco
Cores primárias: amarelo,
2º Combinação vermelho e azul
Flores cor de rosa e ramos verdes e um laço azul escuro Cores secundárias: Laranja,
Fucsia, Grená, Malva, Cor de
3º Combinação Rosa e Verde
Flores cor de malva e ramos verdes e um laço azul escuro

4º Combinação

Flores brancas e ramos verdes e um laço azul escuro

Mas temos a vantagem de podermos usar a nossa imaginação no que toca às cores das flores. Podemos tentar
18
reproduzir os tons da natureza, como uma pradaria na Primavera, com flores silvestres de variadas cores.
Os talos e os ramos tem um papel muito importante na combinação das cores. Alguns até fornecem aromas como a
canela, o sândalo, os talos de lavanda, canela em rama, talos de rosas, palitos de cerejeira e talos de espigas de
trigo.
Para obtermos um arranjo harmonioso podemos utilizar uma variedade de materiais que se combinam com as
flores resultando em maravilhosos ramos e arranjos florais. As texturas e formas diferentes dos frutos secos, as
hortaliças, bagas e pinhas, citrinos, especiarias, etc, realçam a delicadeza das flores, nunca esquecendo a harmonia
e o equlíbrio do resultado final.

Reflexos D’Arte
Ideias

A planta medicinal
Dispepsia

Digestão difícil e trabalhosa. As suas manifestações são muito variadas: sensação de peso ou de dor no
estômago, flatulência e ardor, geralmente depois das refeiçoes.
A má digestão, ou dispepsia gástrica, pode dever-se a causas alimentares, funcionais ou nervosas; em
qualquer delas não existe uma verdadeira lesão orgânica no aparelho digestivo. No entanto também pode
dever-se a causas orgânicas, como a úlcera do estômago ou do duodeno, o cancro do estômago, a estenose do
piloro aperto à saida do estômago) e outras patologias graves. Para corrigir é necessário uma correcção dos
hábitos alimentares tais como: mastigação deficiente; excesso de alimentos, especialmente do tipo gordo;
tóxicos, como o tabaco, o álcool, ou o café.

Vamos aqui apresentar algumas plantas e legumes dos quais pode usar para tratamento:

Cálamo-aromático - Facilita a digestão. Decocção ou infusão de rizoma.

Sanamunda -Activa a digestão. Usa-se em infusão de rizoma, raiz ou folhas secas.

Angélica - Tonifica e estimula as funções do aparelho digestivo. Infusão ou decocção da raiz.

Fel-da-Terra - Tonifica os processos digestivos, abre o apetite. Usa-se em infusão de sumidades floridas. 19
Drias - Aperitiva, digestiva, adstringente. Usa-se infusão de folhas.

Cardo-Santo -Tonifica o estômago e todo o aparelho digestivo. Usa-se em infusão ou decocção de folhas.

Luzerna - Fornece enzimas que melhoram os processos digestivos e combatem as fermentações. Usa-se
crua ( Brotos tenros), sumo fresco, infusão e extratos.

Urtiga Maior - Estimula a secreção de sucos digestivos e a motilidade do estômago. Usa-se sumo fresco e
infusão.

Poejo - Facilita os processos digestivos e aumenta a secreção de sucos. Usa-se em infusão.

Milefólio - Tónico digestivo, aumenta a produção de suco gástrico.Usa-se em sumidades floridas.

Alcaçus - Acalma a acidez e faz desaparecer a sensação de enfartamento.

Macela - Anti-inflamatória, digestiva, elimina os gases. Usa-se em infusão, pó, essência.

Cocleária - Facilita a digestão alivia as digestões pesadas. Usa-se em salada e sumo fresco.

Funcho - Facilita o esvaziamento do estômago e a digestão. Usa-se em infusão de sementes, essência.

Camomila - Alivia as nauseas e vómitos, estimula o apetite. Usa-se em infusão de capítulos florais.

Reflexos D’Arte
Ideias
1º Laçada normal

Passo a passo
1º Coloca-se a mão esquerda como se vê na imagem

2º Segura-se a ponta do fio com o polegar e o indicador e o resto da linha coloca-se á frente
do dedo médio e do anelar e depois por tráz do mindinho

20

3º Introduz-se a agulha na pequena laçada

Reflexos D’Arte
Ideias
1º Laçada normal

Passo a passo
4º Dê uma pequena laçada e encaminha a agulha dentro dessa laçada para puxar a linha
para se realizar a primeira laçada

5º Com a agulha puxa-se a linha para dentro da laçada até fazer a volta completamente

21

6º Finaliza-se a laçada como mostra na imagem seguinte

Reflexos D’Arte
Ideias
Ponto Cruz
Flor Primavera

22

Podes enviar os teus trabalhos


para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Bijoutaria
Anel
Trabalho enviado por Carla Soeiro

COMO FAZER UM ANEL DE ARAME:

Começou com uma simples sugestão da minha mana: “Gostas tanto de bijutarias… Já pensaste em fazeres a tua
própria bijutaria?”
Fui um pouco perdida a uma loja de materiais para bijutaria e foi aí que tudo começou. Parece difícil mas não é…
Os anéis de arame foi a primeira coisa que aprendi a fazer, graças à simpática rapariga dessa loja que me deu
umas dicas de ouro.

Aqui se segue um passo-a-passo, espero que gostem e que façam autênticas obras de arte.

Material:
!
!- Base de suporte para anel (para quem não tem, porque não experimentar na base de um batom, ou uma vela…)
!- Arame (0,5mm ou 0,6 mm)
!- Alicate de corte
!- Alicate de pontas chatas
!- Contas de cristal, vidro, cubos, pérolas (o que quiser!) 23

1 º Comece por cortar cerca de 1 metro de arame, e enrole à volta do suporte, dê 6 ou 7 voltas.

Reflexos D’Arte
Ideias
Bijoutaria
Anel
2 º De seguida remate o arame, para que a base do anel não se desmanche, ou seja, passe uma ponta do
arame por dentro das voltas que deu. Faça este passo em ambos os lados.

3 º Depois de escolher as peças que vai usar no anel, comece por colocar uma peça de cada vez em cada lado e cada
vez que colocar uma, tem que rematar, ou seja, ir sempre passando o arame 2 vezes pelas voltas que deu
previamente, vá sempre puxando com força o arame, para ir ficando esticado e sem folgas. 24

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Ideias
Bijoutaria
Anel

4º No fim de ter colocado a quantidade de contas que quiser, tem que dar várias voltas ao arame em cada lado
do anel, e ir apertando bem o arame com a ajuda do alicate de pontas chatas.
25

5º No fim, cortar o arame em excesso de modo a que acabe na parte de dentro do anel e apertar com o alicate,
para que não pique.

Reflexos D’Arte
Ideias
Bijoutaria
Anel

E aqui está o produto final!!!

26

Divirtam-se e visitem o blog onde se encontram peças como esta e muitas outras em:
http://mimosascores.blogspot.com

Podes enviar os teus


trabalhos para:

Participa@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Gráficos

27

Gráfico do saco para biberom da página 10

Reflexos D’Arte
Velho Vira Novo
«
Flores e mais flores!

E a Primavera está prestes a chegar!

O inverno foi rigoroso, e já andávamos todos fartinhos de chuva, vento, e dias cinzentos.

Com a chegada da Primavera, tudo começa a mudar de cor… até nós!

As cerejeiras, as amendoeiras, até as plantas de mato, tudo começa a florir. Tudo fica mais
alegre e andamos todos mais bem dispostos.

Assim, lembrámo-nos de sugerir umas flores. Individuais ou em pequenos vasos, para servir
de centros de mesa ou decorar uma estante.
28
Tudo feito com materiais recicláveis, como já vem sendo habitual.

Caixas de ovos, garrafas, latas, cápsulas de café, etc etc etc.

Com as caixas de ovos, fizemos pequenos raminhos coloridos. Os vasos são feitos com
embalagens de queijo fresco.

Reflexos D’Arte
Velho Vira Novo
Com embalagens (cápsulas) de café fizemos dois tipos de flores, em vasinhos de flores,
diferentes, alegres e coloridas.

Portanto, como podem ver, é tudo uma questão de imaginação.

Peguem em qualquer material, por exemplo garrafas de plástico, latas, e façam as vossas flores.

É uma boa maneira de passar um sábado à tarde com a miudagem, fazendo coisas bonitas e 29
alegres.

E já agora, um desses raminhos de flores, podem oferecer ao pai no dia 19 de Março.

Bom, amigos, vamos experimentar? E para a próxima edição queremos ver trabalhos e sugestões
vossas.

Boa Primavera!

Para contactar: Trabalhos realizados por :

Alexandra Rodrigues e Alda Nunes

Para participares nesta


rúbrica basta enviares um mail para :
Http://tralhitas.blogspot.com
Http://armadaemartista.blogspot.com Reciclagem@reflexosdarte.com
Http://www.flickr.com/photos/alexis7218/

Reflexos D’Arte
Divagações

Poema escrito por Trintinha

Primavera

"Que a Primavera te beije no rosto


Que o sol te ponha bem disposto
Que o vento te leve nos pensamentos
Que a água te apague os sofrimentos
Que o luar te acompanhe nos sonhos
Para tos fazerem belos e risonhos
Que a saudade não mate por fim
Esse desejo que tens por mim
Que todos os sacrifícios acabem 30
Onde o paraíso comece
Para aqueles que não sabem
Que o amor acontece
Bela é a Primavera!"

("Ode à Primavera" - adaptação minha de um texto da autoria de Lacrau)

Para participares nesta


rúbrica basta enviares um mail para :

Poemas@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Passeios Fotográficos

Nesta rubrica damos algumas sugestões


para belos passeios onde se conjuga o gosto
pela natureza, arquitectura, etc com o gosto
pela fotografia. Não é preciso ser um grande
fotógrafo ou ter uma grande máquina
fotográfica, basta a ideia de querer passar
um dia diferente dos outros, apreciar o que
há de bonito e brincar com a máquina
fotográfica!

Museu Nacional do Traje e Moda


Parque do Monteiro-Mor

Ocupando a encosta e vale entre o Palácio do Monteiro-Mor (hoje Museu Nacional do


Teatro) e o Palácio Angeja (hoje Museu Nacional do Traje), este parque foi iniciado no
século XVIII. D. Pedro José de Noronha Albuquerque Moniz e Sousa, 3º Marquês de
Angeja, quando, por herança, tomou posse do parque, projectou aqui instalar um museu
para albergar as suas ricas colecções naturalistas, etnográficas e de arte, que como
coleccionador havia recolhido e, tendo como seu complemento natural, um jardim
botânico. O projecto do jardim foi entregue ao italiano Domenico Vandelli, autor do Real
Jardim Botânico da Ajuda. Assim nasceu um parque à época considerado como um dos 31
jardins mais belos de Lisboa, de que persiste ainda o Lago dos Leões, escadarias e nichos
vários, mas que a morte de D. Pedro fez com que não fosse concluído.

Por volta de 1840, o 1º Duque de Palmela, D.


Pedro de Sousa Holstein adquire o palácio e
toda a sua propriedade à viúva do 6º marquês
de Angeja, tendo-se iniciado obras de
beneficiação e manutenção dos jardins.

Reflexos D’Arte
Passeios Fotográficos

Museu Nacional do Traje e Moda


Inicialmente contratou o horticultor belga
Rosenfelder, mas foi já sobe a direcção do médico e
botânico austríaco Friederich Welwitsch que se dá uma
mudança total a nível paisagístico, mais ao estilo
romântico inglês. Para isso, introduziu a cascata, o lago
dos cisnes, rematou os canteiros com pedra, criou
grutas acentuando um pouco o declive natural e colocou
varandins de ferro forjado. O prestígio deste jardim
era tal que os duques se viram obrigados a cobrar
entradas.

No entanto, em 1976, quando o Estado adquiriu a propriedade para aí instalar o Museu do


Teatro e o do Traje, veio a encontrar o jardim totalmente abandonado. Desta época data
então o nome do parque do Monteiro-Mor, sugerido por Natália Correia Guedes, como
homenagem ao Monteiro-Mor que tinha habitado o Palácio do Monteiro-Mor. Alguns meses
depois este foi recuperado, sob a responsabilidade de Luís Sousa Lara, procurando torná-lo
auto-suficiente. Salvou-se então uma Araucária heterophyla (espécie rara), no caso, o
primeiro exemplar plantado ao ar livre na Europa e que domina o parque. Reconstruiram-se os
canteiros e o traçado dos caminhos, introduziram novas espécies, povoaram-se lagos e
tanques com peixes, patos e cisnes, criaram-se viveiros para os pássaros, fizeram-se pontes e
32
colocaram-se bancos.

O objectivo foi o de recriar o jardim segundo a época


dos seus antigos proprietários, iniciando um projecto
de horto botânico, com culturas comestíveis e
medicinais, a cargo da sua equipa de jardineiros.
Actualmente é considerado um dos jardins mais
bonitos e sossegados de Lisboa.

Ambos os museus possuem dinâmicos serviços


educativos, desenvolvendo frequentemente
actividades nos espaços do jardim. Na recepção do
Museu Nacional do Teatro, inicia-se um percurso de
descoberta do parque que poderá ser efectuado por
crianças individuais.

Reflexos D’Arte
Passeios Fotográficos

Fotografias por :

Alexandra Rodrigues

Contactos
Morada: Largo Júlio de Castilho, Lumiar, 1600-483 Lisboa
Telefone: 21 7590318
Fax: 21 7591224

Preços
Museu e Parque: 4 € (inclui entrada no Museu Nacional do Teatro)
Parque: 2 €

Entrada Livre - Professores e alunos de qualquer grau de ensino, desde que comprovada documentalmente,
mesmo quando em visita individual, não integrada em visita de estudo.
33
Igualmente beneficiam de visita livre os membros dos grupos de amigos de todos os museus e palácios do IMC,
desde que façam prova documental dessa qualidade.

Descontos de 50% - visitantes com idade entre os 15 e os 25 anos, visitantes com mais de 65 anos e visitantes
portadores de deficiência.
Domingos até às 14h: Entrada Livre

Acessos
Saída da cidade no sentido Norte, na direcção de Loures e Mafra

Horário
Museu: Aberto de Terça a Domingo das 10h00 às 18h00
Biblioteca: Aberta de Terça a Sexta-Feira das 10h00 às 13h00 e das 14.30 às 17.30
Encerra à Segunda-feira, Domingo de Páscoa, 1º de Maio, 25 de Dezembro e 1 de Janeiro

Transportes
Metro: Lumiar
Autocarro: 1, 3, 7, 36, 106 e 108 Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com
Reflexos D’Arte
Gastronomia

ALIMENTAÇÃO MACROBIÓTICA

A alimentação Macrobiótica tem vindo a crescer ao longo dos últimos anos.


Quer seja por desordens de saúde, por motivos espirituais, éticos ou
simplesmente pelo prazer de conhecer novos e mais saudáveis sabores, a
alimentação Macrobiótica quando bem preparada é uma grande surpresa
34
para os nossos sentidos . Além de promover uma saúde geral mais equilibrada
e um bem-estar mais duradouro, muitas vezes originando recuperação de
enfermidades específicas.

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Gastronomia

Curiosidades:
A Macrobiótica tem a sua origem etimológica nas palavras gregas “makro” e “bios”,
significando literalmente “grande vida”. Não se trata apenas de longevidade, mas também
de tudo o que de grande a vida pode e deve ter: felicidade, amor, liberdade, paz,
harmonia...
Baseada em princípios milenares, a Macrobiótica chega-nos através das mais saudáveis
tradições orientais e ocidentais, constituindo-se como uma filosofia e vivência prática
que abrange e unifica todos os aspectos da civilização humana e da ordem natural.
A sua descoberta conduz-nos a uma procura de maior qualidade a vários níveis
(alimentação, exercício, respiração, emoções, pensamento e relações humanas).
Tem como pressuposto base a ideia de que o ser humano pode recuperar e manter a sua
saúde, bem como responsabilizar-se pela sua própria vida, desenvolvendo um espírito de
gratidão e respeito por tudo o que está à sua volta.

O estilo de vida macrobiótico preconiza a plena vida, implementando o velho aforismo alma
sã em corpo são. O japonês George Ohsawa (1893-1966) é o principal responsável pela
divulgação dessa cultura no ocidente. Considera esta arte/ciência que o alimento principal
para os seres humanos são os cereais integrais, comidos crus, cozidos, assados, fritos, 35
7
germinados, enfim, em inúmeras formas de preparo e apresentação. Para esclarecer
melhor a quem está acostumado com a visão científica desses assuntos, um tópico
importante a ser destacado é que se dá muita atenção ao equilíbrio sódio-potássio na
escolha e no preparo da alimentação. A proporção dos mesmos deve se aproximar, na
alimentação, da proporção existente nas células do organismo humano. Isso não quer dizer
que precisaremos de uma tabelinha analítica da ocorrência desses dois elementos nos
diversos alimentos. A habilidade em discernir essas características vem com a prática,
através da observação e meditação sobre os conceitos de Yin e Yang, principais colunas do
pensamento dialético oriental.

Existe ainda um outro tabu que é o do paladar. Será que é possível saborear a cozinha
macrobiótica? 'Considerando os gastrónomos, é conveniente saber que uma alimentação
macrobiótica é altamente variada, saborosa e pode ter requintes gourmet. É preciso
saber fazer. Este tipo de alimentação no dia a dia é mais variada do que aquilo que a maior
parte das pessoas come porque acabam por escolher sempre a mesma coisa ao pequeno
almoço e ao almoço.'

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com
Reflexos D’Arte
Gastronomia
Esparguete Salteado com Oregãos, Molho de Cenoura
e Beterraba com Seitan e Tempura de Alga Nori
Ingredientes para 4 pessoas:

! 1/2 kg de cenouras
! 2 cebolas
! 2 beterrabas
! 1/2kg de seitan
! azeite, sal e vinagre de ameixa

Tempo necessário :

Cerca de duas horas

***************
Corte os legumes em pedaços pequenos e junte água (sem cobrir os legumes).
Deixe cozinhar até ficarem macios. Tempere com azeite, sal e vinagre de ameixa. Triture
até obter um puré cremoso. À parte corte o seitan em quadradinhos e salpique com um
pouco de farinha e frite em óleo vegetal abundante até ficarem dourados. Escorra em
papel absorvente e tempere com um pouco de shoyu (molho de soja). Misture o seitan no 36
puré e envolva bem. Rectifique o tempero e polvilhe com oregãos. Sirva por cima do
esparguete. Este prato pode ser servido com legumes verdes escaldados e triângulos de
alga nori passada por polme de farinha de trigo e frita.

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Gastronomia

Almondegas de soja
Ingredientes:

! água: 3 chávenas ! tomate: 1.5 chávenas


! alho: 2 dentes ! óleo de soja: q.b.
! azeite: q.b. ! salsa: 4 colheres de sopa
! cebola: 3 colheres de sopa ! Soja (resíduo): 2.5 chávenas água: 3 chávenas
! farinha de trigo: 2 colheres de sopa
! sal: q.b

***************
Prepare a massa: num recipiente pequeno misture a soja, a farinha, metade da salsa picada, 1 das
colher de sopa de cebola picada e tempere com sal. Forme bolinhas e frite-as em óleo de soja bem quente.
Após a fritura, coloque as almôndegas sobre folha de papel absorvente. Prepare o molho: refogue em azeite
o alho picado, a restabte cebola e o tomate picado e sem sementes, mexendo sempre. Junte a polpa de
tomate, sal e a água. Tape a panela e reduza a temperatura para o mínimo logo que levante fervura. Deixe
cozer durante 5 minutos. Retire do lume e junte a restante salsa picada. Disponha as almôndegas numa
37
travessa e cubra-as com o molho. Sirva em seguida.

Dica para hidratar a soja : Para a soja ficar mais constituída deixe-a ficar em água no mínimo durante 30
minutos.

Reflexos D’Arte
Gastronomia
Panquecas com Ricota e Molho de Ervas

Ingredientes para 4 pessoas:

! claras: 4
! farinha: 2 colheres de sopa
! farinha de trigo: 300 gr
! hortelã: 1 colher de chá
! leite soja: 4 chávenas
! manjericão: 1 colher de chá
! azeite: 2 colheres de sopa
! Queijo Ricota: 500 gr
! sal: q.b.
! salsa: 3 colheres de sopa

Tempo necessário :

Cerca de 1 hora

***************
Prepare a massa: bata na batederia eléctrica ou com a varinha mágica duas claras, uma das duas
chávenas de leite magro, a farinha de trigo, a margarina derretida e o sal. Frite pequenas porções desta 38
massa num pouco de óleo a ferver - o suficiente para cobrir o fundo - (deite na frigideira duas colheres de
sopa de massa de cada vez) e vá reservando as panquecas num local aquecido. Prepare o recheio: esmague o
queijo Ricota, junte duas das três colheres de sopa de salsa e tempere com sal. Recheie as panquecas com
esta massa, enrolando depois a massa e disponha-as num prato de ir à mesa. Prepare por último o molho:
misture o leite com a farinha restante, tempere com sal e leve a lume brando num tachinho, mexendo sempre
até engrossar. Retire do lume, junte a restante salsa picada, o manjericão e a hortelã e bata bem. Cubra as
panquecas com este molho e sirva em seguida.

Bom apetite

Reflexos D’Arte
Gastronomia
Salada Niçoise
Ingredientes para 4 - 6 pessoas:

! anchovas: 1 lata
! azeitonas: q.b.
! batata: 250 gr
! feijão verde: 300 gr
! 3 ovos
! 1 pepino
! salsa: q.b.
! tomate: 4

Tempo necessário :

Cerca de 20 minutos

***************

Coza os ovos e as batatas. Corte o feijão verde em pedaços, assim como o tomate em gomos, os ovos
em quartos, as batatas e o pepino às rodelas. Coloque nos pratos camadas de batata, pepino e feijão verde
(ou favas) e, em volta, os gomos de tomate e ovo. Por cima disponha as anchovas e as azeitonas. Polvilhe com
salsa picada e sirva. 39
Bom apetite

Para participares nesta


rúbrica tens de enviar um email para:

Gastronomia@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops

WORKSHOPS

Mês de Março

07/03 - das 10:00 às 13:00 - Biscuit ( I )


07/03 - das 15:30 às 18:30 - Demonstração gratuita da máquina sizzix
14/03 - das 10:00 às 13:00 - Pintura e colagem em ovos de chacota
21/03 - das 10:00 às 13:00 - Quadros com técnica de endurecimento de algodão
28/03 - das 15:30 às 18:30 - Flores com meia de seda

Centro Comercial Drugs


Av. Chaby Pinheiro, 25 R/C loja 11
40
2725 - 265 Mem Martins

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops

Se souberes de algum workshop, feira ou loja e quizeres


expôr aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

!Estrada de Mem Martins, 276


41
!Estrada de Mem Martins
C.C. Galáxia, lj 8 B
2725 Mem Martins
Retrosaria.maio@sapo.pt
219 203 479

Aulas de Bordados

!Castelo Branco
!Ponto Cruz
!Ponto Grilhão
!Bainhas abertas
!Tricôt
!Macramé
!Arraiolos
!Trapilho, etc...

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops

Feira de Artesanato em Azeitão


De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Azeitão, Rossio, Portugal 2º Domindos de cada mês
Para mais informações: saolourencodel@sapo.pt

Feira de Velharias e Artesanato Urbano em Vila


Franca de Xira
De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Vila Franca de Xira, Rua do Chave D'ouro, Portugal
1ºs sábados de cada mês na Rua Almirante Cândido dos Reis, mais conhecida por cá como a Rua do Chave
D'ouro.
O horário é das 9h às 18h.
Para mais informações: mailto:freguesia@jf-vfxira.pt

A 32ª Feira Nacional de Artesanato de Vila do


Conde
Realiza-se de 25 de Julho a 9 de Agosto de 2009
Av. Júlio Graça, Vila do Conde, Portugal
Para mais informações : http://fna.vconde.org/index.php 42

Site de Feiras de Artesanato Internacionais


Https://www.querofeiras.com/viagens%5Ffeiras/

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops
Casa Animada - Massamá

O GAVE (Grupo de Artistas Vale de Eureka) tem um espaço de exposição e venda de Artesanato e
Artes Plásticas no espaço " Casa Animada " em Massamá.

Este espaço tem o nome de Oficina de Artesanato e Artes Plásticas.

A Direcção da GAVE espera com o apoio de todos na divulgação do espaço , bem como espera também
estar a conseguir dar mais um passo em frente na divulgação do Artesanato e dos trabalhos dos seus
associados.

Horário da Casa Animada - Massáma

Terça a Sexta das 10h00 às 17h00 - encerrado 13h00 às 14h00


Domingos das 10h00 às 17h00 - encerrado 13h00 às 14h00

Http://gave2004.blogspot.com

Visitem-nos !!!!

Fabrica do Arco-Íris

loja, design, decoração, workshops. artes decorativas


43
Workshops:

Pintura em tecido, pintura em madeira, bijutaria, pintura acrílica, feltro com Agulha,
feltro com sabão, pasta fimo, desenho á vista, découpage, velas artesanais, flores de
sabonete, scrapbooking, biscuit, flores de papel, pintura com espátula

Rua Mendes Leal, nª24c, 2655-305 Ericeira

(Em frente ao Centro cultural da Ericeira)

visite o nosso blog em: http://fabricaarcoiris.blogspot.com/

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Feiras e Workshops
Feiras de Artesanato de Aveiro

De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Aveiro, Portugal 2º Domingo de cada mês.


Organização: Barrica (Ass. de Artesãos de Aveiro) Contacto: 234 424 014.

Crafts & Design


Até 31-12-2009 em Lisboa, Jardim da Estrela, Portugal
Uma mostra de artesanato e design que já conquistou um espaço muito seu. Ao primeiro domingo de
cada mês no Jardim da Estrela.

Zimbr'ARTE - Feira das Artes e do Artesanato


De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Sesimbra, Portugal 4.º Domingo do mês.
Para mais informações: gdae_ggfm@cm-sesimbra.pt

Feira de Velharias e Artesanato Urbano em


Sintra
De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Sintra,no Jardim do Soldado Desconhecido, perto da estação de
comboios de Sintra, Portugal. 1ºs e 3ºs sábados de cada mês 44
O horário é das 9h às 19h.
Para mais informações: 219236101

Feira de Artesanato de Cascais


De 01-01-2009 até 31-12-2009 em Cascais, Portugal, 2º Sábado de cada mês, no Largo Visconde da
Luz
Horário: das 9:00 até ás 19 horas
Organização: Grupo Ecológico de Cascais
Contacto: 214 847 136 email: gec@sapo.pt

Se souberes de algum
workshop ou feira e quizeres expôr
aqui envia um email para :

feirasw@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Penso logo Digo
A Primavera e o mito

21-03-2007 12:18:00

O equinócio da Primavera marca o fim do Inverno e o início da nova


estação porém, a mitologia também está associada a esta altura do
ano.

A Primavera é a estação que se segue ao Inverno. Tem início no hemisfério norte a 20 de Março e termina a 21
de Junho, com o nome de “Primavera boreal”.
No hemisfério sul dá-se o nome de “Primavera austral” e inicia a 21 de Setembro, terminando a 21 de
Dezembro.
O início desta estação do ano é marcado por um equinócio, o que significa que o dia e noite têm a mesma
duração. Ao longo do ano apenas existem dois equinócios, um no mês de Março e outro no mês de Setembro.
A partir do equinócio de Março os dias começam a ser maiores no hemisfério norte. Quando se dá o equinócio
de Setembro começam a diminuir. O inverso acontece no hemisfério sul.
Nas culturas nórdicas o equinócio da primavera é celebrado com rituais que deram origem a costumes hoje
em dia associados à Páscoa.
O Homem da antiguidade criou um mito em torno das Estações do Ano, relatado por Homero no século VII
a.C.
Homero conta que existiu uma altura, no sudoeste da Europa, em que era sempre Primavera. Os campos eram
verdejantes e férteis, as flores nunca murchavam e a temperatura estava sempre amena.
A responsável por tal fenómeno era Démeter, a deusa da fecundidade dos campos. Esta deusa foi a quarta
esposa de Zeus, o pai de todos os deuses, e com ele teve uma filha chamada Core. 45
A criança era a alegria da mãe e tinha por hábito brincar nos campos verdes, repletos de flores.
Um dia Hades, deus dos infernos e tio da criança, passou no carro puxado a cavalos e ao avistar Core
encantou-se com a beleza desta, raptou-a e levou-a para as profundezas do inferno. Lá casou com ela e Core
adoptou o nome de Perséfone.
Démeter, ao aperceber-se da ausência da filha iniciou uma busca, durante nove dias e nove noites, sem
sucesso.
Ao décimo dia, o Sol que estava a par de toda a situação decidiu contar-lhe quem havia raptado Core.
Desgostosa, a deusa resolveu abandonar as funções que exercia no Olimpo (morada dos deuses).
Démeter viajou e morou por toda a Terra, que acabou sozinha e sem protecção. Os campos secaram, as
plantas começaram a murchar e, perante tal situação, Zeus viu-se obrigado a intervir.
Não era possível devolver Perséfone à mãe pois, já se tinha tornado esposa de Hades e por isso não podia
abandonar as profundezas dos infernos para regressar ao mundo dos vivos.
No entanto, Zeus conseguiu chegar a um acordo com o irmão: Perséfone manter-se-ia ao lado do marido mais
um ano e depois poderia ir visitar a mãe durante alguns meses. Após a visita regressaria ao inferno, para
junto do marido.
As visitas de Perséfone à mãe acontecem todos os anos. Nessa altura a alegria de Démeter faz com que
brotem flores, frutos e os campos voltam a ser verdes outra vez: é a Primavera.

Esperamos ouvir notícias e saber as tuas


opiniões, dúvidas e sugestões.

Reflexos D’Arte
Participa
Como devem calcular uma revista não é uma coisa
fácil de se organizar e isso requer trabalho e
empenho da nossa parte e agradecemos a vossa
participação.
Neste momento somos poucos a ter esta
responsabilidade, e como tal, pedimos-te que te
juntes a nós participando com ideias, pensamentos e
trabalhos enviando-nos até ao final de cada mês para
sair no próximo.
Se quiseres participar na
revista com os teus trabalhos envia um
mail com fotografias e descrição do passo a
passo para :

Participa@reflexosdarte.com

46

Este espaço
pode ser seu!!!!
Contacte-nos
publi@reflexosdarte.com

Reflexos D’Arte
Reflexos D’Arte

Reflexos D’Arte