P. 1
Acesita Inox Port

Acesita Inox Port

|Views: 334|Likes:
Publicado porjavierdecantador

More info:

Published by: javierdecantador on Nov 17, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

01/18/2012

pdf

text

original

www.acesita.com.

br
PANTONE PROCESS BLUE C
CMYK = 100% CYAN - 20% BLACK
O inox Acesita valoriza o seu açúcar
O Aço Inox Acesita na Produção de Açúcar
A Acesita desenvolveu os aços
inox 444 e 439 para reduzir seus
custos, melhorar a sua qualidade
e, assim, a performance da sua usina
e a competitividade do seu açúcar.
Os aços inoxidáveis apresentam um conjunto de características que
outros materiais não conseguem mostrar:
• preservam as características organolépticas (cor, sabor, aroma) dos alimentos;
• possibilitam elevado grau de higiene;
• elevada resistência à corrosão;
• excelentes propriedades mecânicas;
• facilidade de conformação;
• muito boa soldabilidade;
• inércia química (desprendimento de metal insignifcante e não reage com o
açúcar, portanto, não altera sua cor);
• inércia biológica (não favorece o desenvolvimento de colônias
de microorganismos ou, caso existam, são facilmente removidas);
• baixa rugosidade, permitindo limpeza mais efciente.
1
Vantagens dos Tubos de Aço Inox Acesita 444 e 439
2
• Devido às suas propriedades mecânicas e sua elevada resistência à corrosão, permite redução efetiva da
espessura (de 2,65mm no tubo de aço-carbono para 1,50mm no tubo de 444/439), o que resulta em melhor
efciência térmica. Em alguns casos, os tubos em aço inox Acesita 444, permitem redução de espessura ainda
maior.
• A redução de espessura de parede do tubo, acima mencionada, permite aumentar a área de troca térmica.
• A baixa rugosidade na parede dos tubos facilita a limpeza, devido à menor formação de incrustações,
tornando-os, conseqüentemente, mais efcientes com relação à troca térmica.
• Os aços inox 444 e 439 possuem condutividade térmica superior ao 304, característica que permite que os
dois ferríticos (444 e 439) apresentem efciência térmica superior quando comparados ao austenítico (304).
• Diminuição dos custos de manutenção, devido à excelente resistência à corrosão do material.
• Maior vida útil do equipamento, devido à grande resistência à corrosão desses aços. No caso do 444,
superior ao 304.
• Ganhos em qualidade e em preço do açúcar, por possibilitar a redução de pontos pretos no produto.
• Imune à corrosão sob tensão, por ter estrutura ferrítica.
• Produto adequado à utilização no processo, transporte e manipulação de alimentos. Na aplicação como
revestimento, esses aços apresentam melhor comportamento que o aço 304 nas juntas soldadas, por terem
um coefciente de dilatação mais próximo ao aço-carbono.
Relação custo/benefício altamente favorável
quando comparada com aço-carbono.
3

Aplicações do Aço Inox Acesita na Usina de Açúcar
O aço inox Acesita 439, na forma de tubos e chapas,
é indicado em todas as aplicações de usinas de açúcar, exceto
na sulftação e nos dois últimos efeitos de evaporação.
O aço inox Acesita 444, além de poder ser utilizado em
todas as aplicações indicadas para o 439, também pode
ser utilizado nos dois últimos efeitos de evaporação que
usam vapor vegetal V3 ou V4, que são mais agressivos. Isso
porque o aço inox Acesita 444 tem em sua composição o
Mo (molibdênio), que o torna mais resistente à corrosão
por pites, corrosão por frestas e corrosão microbiológica.
4 5
T
a
b
e
l
a

i
n
d
i
c
a
t
i
v
a

d
e

a
d
e
q
u
a
ç
ã
o

d
o
s

a
ç
o
s

i
n
o
x

p
a
r
a

a
p
l
i
c
a
ç
õ
e
s

n
a

f
a
b
r
i
c
a
ç
ã
o

d
e

a
ç
ú
c
a
r
S
e
t
o
r
E
q
u
i
p
a
m
e
n
t
o
s


A
ç
o
s

i
n
o
x

i
n
d
i
c
a
d
o
s
O
b
s
e
r
v
a
ç
ã
o
R
e
c
e
p
ç
ã
o

d
a

c
a
n
a
L
a
t
e
r
a
l

d
a

m
e
s
a

a
l
i
m
e
n
t
a
d
o
r
a
4
1
0
D
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

e

à

a
b
r
a
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.

C
a
m
b
o
t
a


d
a

m
e
s
a

a
l
i
m
e
n
t
a
d
o
r
a
4
1
0
D
P
r
e
p
a
r
o

d
a

c
a
n
a
L
a
t
e
r
a
l

d
a

e
s
t
e
i
r
a

d
e

c
a
n
a
4
1
0
D
E
x
t
r
a
ç
ã
o

d
e

c
a
l
d
o

(
C
o
n
v
e
n
c
i
o
n
a
l
)
P
e
n
e
i
r
a

r
o
t
a
t
i
v
a

/

C
u
s
h

c
u
s
h
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

e

à

a
b
r
a
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
T
u
b
u
l
a
ç
ã
o

d
e

c
a
l
d
o

/

e
m
b
e
b
i
ç
ã
o
4
4
4
3
0
4
L
G
a
m
e
l
ã
o

/

p
a
r
o
l

4
1
0
D
C
h
u
t

d
o
n
e
l
l
i
4
1
0
D
B
i
c
a
s

d
e

c
a
l
d
o
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
F
u
n
d
o

d
e

c
e
s
t
e
i
r
a
s

i
n
t
e
r
m
e
d
i
á
r
i
a
s
4
1
0
D
E
x
t
r
a
ç
ã
o

d
e

c
a
l
d
o

(
D
i
f
u
s
o
r
)
E
s
t
r
u
t
u
r
a

i
n
f
e
r
i
o
r

e

l
a
t
e
r
a
i
s

d
o

d
i
f
u
s
o
r
4
1
0
D
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

e

à

a
b
r
a
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
L
a
t
e
r
a
l

a
t
é

a
l
t
u
r
a

c
o
l
c
h
ã
o

d
e

c
a
n
a
4
1
0
D
C
h
a
p
a

p
e
r
f
u
r
a
d
a

d
o

f
u
n
d
o

d
o

d
i
f
u
s
o
r
4
1
0
D
C
o
n
d
u
t
o
r
e
s

d
e

c
a
l
d
o

d
o

d
i
f
u
s
o
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
e
t
o

d
o

d
i
f
u
s
o
r

4
3
9
G
e
r
a
ç
ã
o

d
e

v
a
p
o
r
L
a
v
a
d
o
r

d
e

g
a
s
e
s
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

e
s
p
e
c
i
a
l
m
e
n
t
e

n
a

e
n
t
r
e
s
s
a
f
r
a
,

c
o
m

m
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l
.
M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
T
u
b
u
l
a
ç
ã
o

d
o

p
r
é
-
a
r
4
4
4
3
0
4
L
E
s
t
e
i
r
a
s

d
e

b
a
g
a
ç
o
4
1
0
D
S
u
l
f
t
a
ç
ã
o
C
o
l
u
n
a

d
e

s
u
l
f
t
a
ç
ã
o
3
1
6
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
.
T
r
a
t
a
m
e
n
t
o

d
e

c
a
l
d
o
A
q
u
e
c
e
d
o
r

d
e

c
a
l
d
o

(
v
e
r
t
i
c
a
l
/
h
o
r
i
z
o
n
t
a
l
)
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
O

a
ç
o

i
n
o
x
i
d
á
v
e
l

n
ã
o

r
e
a
g
e

c
o
m

o

a
ç
ú
c
a
r
,

p
o
r
t
a
n
t
o

n
ã
o

a
l
t
e
r
a

a

c
o
r

d
o

m
e
s
m
o
.
E
s
p
e
l
h
o
s
4
4
4
3
0
4
L
D
e
c
a
n
t
a
d
o
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
P
e
n
e
i
r
a

r
o
t
a
t
i
v
a
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
F
l
o
t
a
d
o
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
u
b
u
l
a
ç
õ
e
s

4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
a
n
q
u
e
s

d
e

d
o
s
a
g
e
m
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
B
a
l
ã
o

d
e

f
a
s
h
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
E
v
a
p
o
r
a
ç
ã
o
d
e

c
a
l
d
o
T
u
b
o
s

p
/
p
r
é
-
e
v
a
p
o
r
a
d
o
r

(
1
º

e

2
º

e
f
e
i
t
o
s
)

(
1
)
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
O

a
ç
o

i
n
o
x
i
d
á
v
e
l

n
ã
o

r
e
a
g
e

c
o
m

o

a
ç
ú
c
a
r
,

p
o
r
t
a
n
t
o

n
ã
o

a
l
t
e
r
a

a

c
o
r

d
o

m
e
s
m
o
.
T
u
b
o
s

p
/
e
v
a
p
o
r
a
d
o
r
e
s

(
3
º

a
o

5
º

e
f
e
i
t
o
s
)

(
1
)
4
4
4
3
0
4
L
E
s
p
e
l
h
o
s
4
4
4
3
0
4
L
R
e
v
e
s
t
i
m
e
n
t
o

c
a
l
a
n
d
r
a

e

c
o
r
p
o
4
4
4
C
o
n
d
e
n
s
a
d
o
r
e
s
4
4
4
3
0
4
L
T
u
b
u
l
a
ç
õ
e
s

4
4
4
3
0
4
L
S
e
p
a
r
a
d
o
r

d
e

a
r
r
a
s
t
e
4
4
4
3
0
4
L
T
a
n
q
u
e
s

p
a
r
a

m
e
l

e

x
a
r
o
p
e
4
4
4
3
0
4
L
F
á
b
r
i
c
a

d
e

a
ç
ú
c
a
r
T
u
b
o
s

p
/
c
o
z
e
d
o
r

d
e

b
a
t
e
l
a
d
a

e

c
o
n
t
í
n
u
o

(
1
)
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
O

a
ç
o

i
n
o
x
i
d
á
v
e
l

n
ã
o

r
e
a
g
e

c
o
m

o

a
ç
ú
c
a
r
,

p
o
r
t
a
n
t
o

n
ã
o

a
l
t
e
r
a

a

c
o
r

d
o

m
e
s
m
o
.
E
s
p
e
l
h
o
s
4
4
4
3
0
4
L
R
e
v
e
s
t
i
m
e
n
t
o

i
n
t
e
r
n
o

d
e

c
o
z
e
d
o
r
e
s
4
3
9
4
4
4
C
r
i
s
t
a
l
i
z
a
d
o
r

h
o
r
i
z
o
n
t
a
l

e

v
e
r
t
i
c
a
l
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
R
e
a
q
u
e
c
e
d
o
r

d
e

m
a
s
s
a
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
A
g
i
t
a
d
o
r

p
a
r
a

m
a
s
s
a
4
4
4
3
0
4
L
T
u
b
u
l
a
ç
õ
e
s
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
r
a
n
s
p
o
r
t
a
d
o
r
e
s

d
e

a
ç
ú
c
a
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
E
l
e
v
a
d
o
r

d
e

c
a
n
e
c
a
s
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
a
n
q
u
e
s

p
a
r
a

m
e
l

e

x
a
r
o
p
e
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
S
e
p
a
r
a
d
o
r

d
e

a
r
r
a
s
t
e
4
4
4
3
0
4
L
C
o
n
d
e
n
s
a
d
o
r
e
s
4
4
4
3
0
4
L
D
e
s
t
i
l
a
r
i
a
(
v
i
n
h
a
ç
a
)
C
o
n
d
u
ç
ã
o

d
e

v
i
n
h
a
ç
a

a
c
i
m
a

d
e

4
0
º
C
4
4
4
3
1
6
L
M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.

T
o
d
o

a
ç
o

i
n
o
x
,

q
u
a
n
d
o

e
n
t
e
r
r
a
d
o
,

d
e
v
e

s
e
r

p
i
n
t
a
d
o

p
o
r

f
o
r
a

c
o
m

p
i
n
t
u
r
a

à

b
a
s
e

d
e

e
p
ó
x
i
.
C
o
n
d
u
ç
ã
o

d
e

v
i
n
h
a
ç
a

a
t
é

4
0
º
C
4
4
4
3
0
4
L
3
1
6
L
N
o
t
a
:
(
1
)

B
a
ix
a

r
u
g
o
s
id
a
d
e

e

a
lt
a

r
e
s
is
t
ê
n
c
ia

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

in
c
r
u
s
t
a

m
e
n
o
s

e

f
a
c
ilit
a

a

lim
p
e
z
a
,

t
o
r
n
a
n
d
o

m
a
is

e
f
c
ie
n
t
e

a

t
r
o
c
a

t
é
r
m
ic
a
.

M
a
n
t
e
r

a

s
u
p
e
r
f
íc
ie

d
o

a
ç
o

in
o
x

lim
p
a

e

s
e
c
a

n
a

e
n
t
r
e
s
s
a
f
r
a

m
e
lh
o
r
a

s
u
b
s
t
a
n
c
ia
lm
e
n
t
e

s
u
a

r
e
s
is
t
ê
n
c
ia

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
.
H
ib
e
r
n
a
r

a
q
u
e
c
e
d
o
r
e
s
,

e
v
a
p
o
r
a
d
o
r
e
s

e

c
o
z
e
d
o
r
e
s

n
a

e
n
t
r
e
s
s
a
f
r
a

c
o
m

h
id
r
ó
x
id
o

d
e

s
ó
d
io

(

s
o
d
in
h
a

)
,

m
a
n
t
e
n
d
o

p
H

s
u
p
e
r
io
r

a

1
0
,

a

m

d
e

p
r
o
t
e
g
e
r

o
s

t
u
b
o
s

In
o
x

3
1
6
L
,

3
0
4
L
,

4
4
4

e

4
3
9

c
o
n
t
r
a

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

p
r
o
t
e
g
e

o

c
o
s
t
a
d
o

e

lim
p
a

a

p
a
r
t
e

e
x
t
e
r
n
a

d
o

f
e
ix
e

t
u
b
u
la
r
,

r
e
c
u
p
e
r
a
n
d
o

c
a
p
a
c
id
a
d
e

d
e

t
r
o
c
a

t
é
r
m
ic
a
.
U
t
iliz
e

a
ç
o

in
o
x

e
m

s
e
u
s

p
r
o
je
t
o
s
.

F
a
le

c
o
m

a

A
s
s
is
t
ê
n
c
ia

T
é
c
n
ic
a

d
a

A
c
e
s
it
a

q
u
a
n
d
o

d
a

e
s
p
e
c
if
c
a
ç
ã
o

p
a
r
a

m
e
lh
o
r
a
r

s
e
u

d
e
s
e
m
p
e
n
h
o
.

Aplicações do Aço Inox Acesita na Usina de Açúcar
O aço inox Acesita 439, na forma de tubos e chapas,
é indicado em todas as aplicações de usinas de açúcar, exceto
na sulftação e nos dois últimos efeitos de evaporação.
O aço inox Acesita 444, além de poder ser utilizado em
todas as aplicações indicadas para o 439, também pode
ser utilizado nos dois últimos efeitos de evaporação que
usam vapor vegetal V3 ou V4, que são mais agressivos. Isso
porque o aço inox Acesita 444 tem em sua composição o
Mo (molibdênio), que o torna mais resistente à corrosão
por pites, corrosão por frestas e corrosão microbiológica.
4 5
T
a
b
e
l
a

i
n
d
i
c
a
t
i
v
a

d
e

a
d
e
q
u
a
ç
ã
o

d
o
s

a
ç
o
s

i
n
o
x

p
a
r
a

a
p
l
i
c
a
ç
õ
e
s

n
a

f
a
b
r
i
c
a
ç
ã
o

d
e

a
ç
ú
c
a
r
S
e
t
o
r
E
q
u
i
p
a
m
e
n
t
o
s


A
ç
o
s

i
n
o
x

i
n
d
i
c
a
d
o
s
O
b
s
e
r
v
a
ç
ã
o
R
e
c
e
p
ç
ã
o

d
a

c
a
n
a
L
a
t
e
r
a
l

d
a

m
e
s
a

a
l
i
m
e
n
t
a
d
o
r
a
4
1
0
D
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

e

à

a
b
r
a
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.

C
a
m
b
o
t
a


d
a

m
e
s
a

a
l
i
m
e
n
t
a
d
o
r
a
4
1
0
D
P
r
e
p
a
r
o

d
a

c
a
n
a
L
a
t
e
r
a
l

d
a

e
s
t
e
i
r
a

d
e

c
a
n
a
4
1
0
D
E
x
t
r
a
ç
ã
o

d
e

c
a
l
d
o

(
C
o
n
v
e
n
c
i
o
n
a
l
)
P
e
n
e
i
r
a

r
o
t
a
t
i
v
a

/

C
u
s
h

c
u
s
h
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

e

à

a
b
r
a
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
T
u
b
u
l
a
ç
ã
o

d
e

c
a
l
d
o

/

e
m
b
e
b
i
ç
ã
o
4
4
4
3
0
4
L
G
a
m
e
l
ã
o

/

p
a
r
o
l

4
1
0
D
C
h
u
t

d
o
n
e
l
l
i
4
1
0
D
B
i
c
a
s

d
e

c
a
l
d
o
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
F
u
n
d
o

d
e

c
e
s
t
e
i
r
a
s

i
n
t
e
r
m
e
d
i
á
r
i
a
s
4
1
0
D
E
x
t
r
a
ç
ã
o

d
e

c
a
l
d
o

(
D
i
f
u
s
o
r
)
E
s
t
r
u
t
u
r
a

i
n
f
e
r
i
o
r

e

l
a
t
e
r
a
i
s

d
o

d
i
f
u
s
o
r
4
1
0
D
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

e

à

a
b
r
a
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
L
a
t
e
r
a
l

a
t
é

a
l
t
u
r
a

c
o
l
c
h
ã
o

d
e

c
a
n
a
4
1
0
D
C
h
a
p
a

p
e
r
f
u
r
a
d
a

d
o

f
u
n
d
o

d
o

d
i
f
u
s
o
r
4
1
0
D
C
o
n
d
u
t
o
r
e
s

d
e

c
a
l
d
o

d
o

d
i
f
u
s
o
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
e
t
o

d
o

d
i
f
u
s
o
r

4
3
9
G
e
r
a
ç
ã
o

d
e

v
a
p
o
r
L
a
v
a
d
o
r

d
e

g
a
s
e
s
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

e
s
p
e
c
i
a
l
m
e
n
t
e

n
a

e
n
t
r
e
s
s
a
f
r
a
,

c
o
m

m
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l
.
M
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
T
u
b
u
l
a
ç
ã
o

d
o

p
r
é
-
a
r
4
4
4
3
0
4
L
E
s
t
e
i
r
a
s

d
e

b
a
g
a
ç
o
4
1
0
D
S
u
l
f
t
a
ç
ã
o
C
o
l
u
n
a

d
e

s
u
l
f
t
a
ç
ã
o
3
1
6
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
.
T
r
a
t
a
m
e
n
t
o

d
e

c
a
l
d
o
A
q
u
e
c
e
d
o
r

d
e

c
a
l
d
o

(
v
e
r
t
i
c
a
l
/
h
o
r
i
z
o
n
t
a
l
)
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
O

a
ç
o

i
n
o
x
i
d
á
v
e
l

n
ã
o

r
e
a
g
e

c
o
m

o

a
ç
ú
c
a
r
,

p
o
r
t
a
n
t
o

n
ã
o

a
l
t
e
r
a

a

c
o
r

d
o

m
e
s
m
o
.
E
s
p
e
l
h
o
s
4
4
4
3
0
4
L
D
e
c
a
n
t
a
d
o
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
P
e
n
e
i
r
a

r
o
t
a
t
i
v
a
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
F
l
o
t
a
d
o
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
u
b
u
l
a
ç
õ
e
s

4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
a
n
q
u
e
s

d
e

d
o
s
a
g
e
m
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
B
a
l
ã
o

d
e

f
a
s
h
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
E
v
a
p
o
r
a
ç
ã
o
d
e

c
a
l
d
o
T
u
b
o
s

p
/
p
r
é
-
e
v
a
p
o
r
a
d
o
r

(
1
º

e

2
º

e
f
e
i
t
o
s
)

(
1
)
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
O

a
ç
o

i
n
o
x
i
d
á
v
e
l

n
ã
o

r
e
a
g
e

c
o
m

o

a
ç
ú
c
a
r
,

p
o
r
t
a
n
t
o

n
ã
o

a
l
t
e
r
a

a

c
o
r

d
o

m
e
s
m
o
.
T
u
b
o
s

p
/
e
v
a
p
o
r
a
d
o
r
e
s

(
3
º

a
o

5
º

e
f
e
i
t
o
s
)

(
1
)
4
4
4
3
0
4
L
E
s
p
e
l
h
o
s
4
4
4
3
0
4
L
R
e
v
e
s
t
i
m
e
n
t
o

c
a
l
a
n
d
r
a

e

c
o
r
p
o
4
4
4
C
o
n
d
e
n
s
a
d
o
r
e
s
4
4
4
3
0
4
L
T
u
b
u
l
a
ç
õ
e
s

4
4
4
3
0
4
L
S
e
p
a
r
a
d
o
r

d
e

a
r
r
a
s
t
e
4
4
4
3
0
4
L
T
a
n
q
u
e
s

p
a
r
a

m
e
l

e

x
a
r
o
p
e
4
4
4
3
0
4
L
F
á
b
r
i
c
a

d
e

a
ç
ú
c
a
r
T
u
b
o
s

p
/
c
o
z
e
d
o
r

d
e

b
a
t
e
l
a
d
a

e

c
o
n
t
í
n
u
o

(
1
)
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
M
a
i
o
r

r
e
s
i
s
t
ê
n
c
i
a

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

c
o
m

g
a
n
h
o

d
e

p
r
o
d
u
t
i
v
i
d
a
d
e
,

d
e
v
i
d
o

à

r
e
d
u
ç
ã
o

d
a
s

p
a
r
a
d
a
s

p
a
r
a

m
a
n
u
t
e
n
ç
ã
o
.

M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.
O

a
ç
o

i
n
o
x
i
d
á
v
e
l

n
ã
o

r
e
a
g
e

c
o
m

o

a
ç
ú
c
a
r
,

p
o
r
t
a
n
t
o

n
ã
o

a
l
t
e
r
a

a

c
o
r

d
o

m
e
s
m
o
.
E
s
p
e
l
h
o
s
4
4
4
3
0
4
L
R
e
v
e
s
t
i
m
e
n
t
o

i
n
t
e
r
n
o

d
e

c
o
z
e
d
o
r
e
s
4
3
9
4
4
4
C
r
i
s
t
a
l
i
z
a
d
o
r

h
o
r
i
z
o
n
t
a
l

e

v
e
r
t
i
c
a
l
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
R
e
a
q
u
e
c
e
d
o
r

d
e

m
a
s
s
a
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
A
g
i
t
a
d
o
r

p
a
r
a

m
a
s
s
a
4
4
4
3
0
4
L
T
u
b
u
l
a
ç
õ
e
s
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
r
a
n
s
p
o
r
t
a
d
o
r
e
s

d
e

a
ç
ú
c
a
r
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
E
l
e
v
a
d
o
r

d
e

c
a
n
e
c
a
s
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
T
a
n
q
u
e
s

p
a
r
a

m
e
l

e

x
a
r
o
p
e
4
3
9
4
4
4
3
0
4
L
S
e
p
a
r
a
d
o
r

d
e

a
r
r
a
s
t
e
4
4
4
3
0
4
L
C
o
n
d
e
n
s
a
d
o
r
e
s
4
4
4
3
0
4
L
D
e
s
t
i
l
a
r
i
a
(
v
i
n
h
a
ç
a
)
C
o
n
d
u
ç
ã
o

d
e

v
i
n
h
a
ç
a

a
c
i
m
a

d
e

4
0
º
C
4
4
4
3
1
6
L
M
a
i
o
r

v
i
d
a

ú
t
i
l

e

m
e
l
h
o
r

r
e
l
a
ç
ã
o

c
u
s
t
o
/
b
e
n
e
f
í
c
i
o
.

T
o
d
o

a
ç
o

i
n
o
x
,

q
u
a
n
d
o

e
n
t
e
r
r
a
d
o
,

d
e
v
e

s
e
r

p
i
n
t
a
d
o

p
o
r

f
o
r
a

c
o
m

p
i
n
t
u
r
a

à

b
a
s
e

d
e

e
p
ó
x
i
.
C
o
n
d
u
ç
ã
o

d
e

v
i
n
h
a
ç
a

a
t
é

4
0
º
C
4
4
4
3
0
4
L
3
1
6
L
N
o
t
a
:
(
1
)

B
a
ix
a

r
u
g
o
s
id
a
d
e

e

a
lt
a

r
e
s
is
t
ê
n
c
ia

à

c
o
r
r
o
s
ã
o

in
c
r
u
s
t
a

m
e
n
o
s

e

f
a
c
ilit
a

a

lim
p
e
z
a
,

t
o
r
n
a
n
d
o

m
a
is

e
f
c
ie
n
t
e

a

t
r
o
c
a

t
é
r
m
ic
a
.

M
a
n
t
e
r

a

s
u
p
e
r
f
íc
ie

d
o

a
ç
o

in
o
x

lim
p
a

e

s
e
c
a

n
a

e
n
t
r
e
s
s
a
f
r
a

m
e
lh
o
r
a

s
u
b
s
t
a
n
c
ia
lm
e
n
t
e

s
u
a

r
e
s
is
t
ê
n
c
ia

à

c
o
r
r
o
s
ã
o
.
H
ib
e
r
n
a
r

a
q
u
e
c
e
d
o
r
e
s
,

e
v
a
p
o
r
a
d
o
r
e
s

e

c
o
z
e
d
o
r
e
s

n
a

e
n
t
r
e
s
s
a
f
r
a

c
o
m

h
id
r
ó
x
id
o

d
e

s
ó
d
io

(

s
o
d
in
h
a

)
,

m
a
n
t
e
n
d
o

p
H

s
u
p
e
r
io
r

a

1
0
,

a

m

d
e

p
r
o
t
e
g
e
r

o
s

t
u
b
o
s

In
o
x

3
1
6
L
,

3
0
4
L
,

4
4
4

e

4
3
9

c
o
n
t
r
a

c
o
r
r
o
s
ã
o
,

p
r
o
t
e
g
e

o

c
o
s
t
a
d
o

e

lim
p
a

a

p
a
r
t
e

e
x
t
e
r
n
a

d
o

f
e
ix
e

t
u
b
u
la
r
,

r
e
c
u
p
e
r
a
n
d
o

c
a
p
a
c
id
a
d
e

d
e

t
r
o
c
a

t
é
r
m
ic
a
.
U
t
iliz
e

a
ç
o

in
o
x

e
m

s
e
u
s

p
r
o
je
t
o
s
.

F
a
le

c
o
m

a

A
s
s
is
t
ê
n
c
ia

T
é
c
n
ic
a

d
a

A
c
e
s
it
a

q
u
a
n
d
o

d
a

e
s
p
e
c
if
c
a
ç
ã
o

p
a
r
a

m
e
lh
o
r
a
r

s
e
u

d
e
s
e
m
p
e
n
h
o
.
Informações Técnicas
6

COMPOSIÇÃO QUÍMICA (% em peso)
C Mn Si P S Cr Ni Mo N
2
Outros
444 0,025 1,00 1,00 0,04 0,03 17,5 a 19,5 1,00 1,75 - 2,50 0,035 0,20+4(C+N
2
)≤Ti+Nb≤0,80
439 0,030 1,00 1,00 0,04 0,03 17,0 a 19,0 0,5 - 0,030 0,20+4(C+N
2
)≤Ti+Nb≤0,75
304 0,08 2,00 0,75 0,045 0,03 18,0 a 20,0 8,0 a 10,5 - 0,10 -
304L 0,03 2,00 0,75 0,045 0,03 18,0 a 20,0 8,0 a 12,0 - 0,10 -
316 0,08 2,00 0,75 0,045 0,03 16,0 a 18,0 10,0 a 14,0 2,00 a 3,00 0,10 -
316L 0,03 2,00 0,75 0,045 0,03 16,0 a 18,0 10,0 a 14,0 2,00 a 3,00 0,10 -
PROPRIEDADES MECÂNICAS TÍPICAS DOS AÇOS INOXIDÁVEIS
AÇO
Limite de Resistência à
Tração (MPa)
Limite de Escoamento
(MPa)
Alongamento 50mm
(%)
Dureza Rockwell - B
(HRB)
Limite da Fadiga
(MPa)
Embutimento
Erichsen (mm)
444 490 337 32 85 - 10
439 420 240 28 85 - 9
304 700 300 54 85 241 12
304L 600 240 45 85 - 12
316 620 300 52 85 269 12
316L 530 260 45 88 - 12
PROPRIEDADES FÍSICAS TÍPICAS DOS AÇOS INOXIDÁVEIS (ESTADO RECOZIDO)
AÇO
Massa Específca
(g/cm
3
)
Coefciente de Expansão Térmica
Médio de 0ºC a
Condutividade
Térmica
a 100ºC
(W/m.ºK)
Resistividade
Elétrica
(nW.m)
Calor Específco
(J/Kg.ºK)
Módulo de
Elasticidade
(GPa)
100ºC µm/m.ºC 538ºC µm/m.ºC
444 7,8 10,0 11,4 26,8 620 420 200
439 7,7 10,4 11,4 24,2 630 460 200
304 8,0 17,2 18,4 16,2 720 500 193
304L 8,0 17,2 18,4 16,2 720 500 193
316 8,0 15,9 17,5 16,2 740 500 193
316L 8,0 15,9 17,5 16,2 740 500 193
C(SAE 1010) 7,8 12,2 14,3 57,8 142 - -
7
Resistência à Corrosão
Resistência à Corrosão por Frestas, Corrosão por Pites, Corrosão Microbiológica:
439 < 304 < 444 < 316
A resistência à corrosão por pites e por frestas do aço inox 439 é inferior à do aço inox 304, que, por sua vez, tem
resistência inferior à do aço inox 444. No entanto, o aço inox 439 é recomendado em várias aplicações (aquecedores
primeiro e segundo efeitos de evaporação, cozedores, cristalizadores, secadores, entre outros) porque a sua
resistência à corrosão é considerada adequada para os diversos meios em que esses equipamentos trabalham.

P
o
I
e
n
c
i
a
I

d
e

P
i
I
e

(
m
V
)

x

5
C
E


Tipo de Aço InoxidáveI
pH= 3,0
pH= 8,0
RELAÇÃO POTENCIAL DE PITE X TIPO DE AÇO INOX (Solução de 3,5% NaCl)
Quanto mais elevado o
potencial de pite, mais
resistente se apresenta o aço
inox a essa forma de corrosão.
8
Resistência à Corrosão Atmosférica
Após dois anos de exposição atmosférica em diferentes tipos de
ambientes (marinho, urbano, industrial e rural) o aço inox Acesita 444
apresentou melhor resistência à corrosão atmosférica do que o aço
inox 304 e similar à do aço inox 316.
Resistência à Corrosão Intergranular
Os aços inoxidáveis, quando submetidos a altas temperaturas,
seja em uso ou em processos de soldagem, estão sujeitos à
sensitização e conseqüente corrosão intergranular quando expostos
a meios ácidos oxidantes. Esta causa está relacionada com a
precipitação de Cr23(CN)6 nos contornos de grão e empobrecimento
de Cr nas regiões adjacentes. Em meios ácidos redutores,
pode haver início de corrosão por pites nessas regiões (contorno
de grão). São adicionados à composição química dos aços
inoxidáveis elementos formadores de carbonetos, a fm de remover
C e N, visando eliminar a formação de Cr23(CN)6; este processo
é chamado de estabilização. Os aços inox Acesita 444 e 439
estão protegidos contra a sensitização por serem estabilizados
ao Ti e Nb, apresentando, assim, alta resistência a esse fenômeno.
Resistência à Corrosão sob Tensão
Por ter estrutura ferrítica, 439 e 444 são imunes a essa forma de corrosão.
304 444
Resultado das superfícies dos aços inox após
dois anos de exposição à beira-mar.
9
Otimizando o Desempenho com Aço Inox Acesita
10
Mandrilamento
Opcionalmente podem ser utilizados tubos de aço 444 com espessura de parede inferior a 1,50mm, desde que sejam observados cuidados especiais com: manuseio,
mandrilamento, projeto do equipamento, etc.
Para maior efciência e qualidade no mandrilamento, recomenda-se a utilização de mandriladora para fazer a pré-expansão dos tubos ainda no amarrado, seguido de
mandrilamento com o mesmo equipamento acima, contendo no mínimo 5 rolos e com controle eletrônico de torque, possibilitando a expansão suave dentro dos limites
necessários, evitando estrangulamento da parede dos tubos (excesso de expansão). As paredes dos furos do espelho que receberão os tubos devem ser lisas e isentas de
impurezas como areia, rebarbas e outras irregularidades.
Em casos onde os diâmetros dos furos do espelho apresentam variações acentuadas, de forma ou diâmetro, haverá maior deformação do tubo durante o mandrilamento.
Esta condição exige cuidados especiais na especifcação da espessura de parede dos tubos. Entretanto, como o aço inox resiste bem a deformações, ele pode ser considerado
no projeto, possibilitando as maiores reduções de espessura, apresentando, dessa forma, vantagens, bastando para isso utilizar equipamentos adequados. Na defnição da
espessura, é importante considerar, além da análise técnica, uma boa análise da relação custo/benefício.
Soldagem
Os aços Inox Acesita 444 e 439 têm boa soldabilidade. Para o 444 deve ser empregado eletrodo 316L e para o 439 eletrodo 308L ou 309L. Podem ser usados os processos
MIG, TIG com ou sem metal de adição, eletrodo revestido.
Orientação sobre hibernação
Para preservar os tubos de aço inox contra corrosão e aumentar sua vida útil, a Acesita recomenda:
1 - ao terminar a safra, realizar limpeza interna dos tubos com hidrojateamento, de forma a garantir a remoção das incrustações;
2 - realizar esgotamento da calandra e limpeza externa nos tubos e interna na calandra;
3 - após a limpeza, fazer hibernação dos equipamentos com solução de hidróxido de sódio, mantendo pH maior que 10, à temperatura ambiente até o fnal da entressafra.
Para maior proteção dos tubos, deve-se preencher o equipamento com a solução, tanto na parte interna quanto na parte externa dos tubos;
4 - próximo do início da safra seguinte, fazer nova limpeza com jato de água;
5 - esse procedimento deve ser repetido em toda a entressafra;
6 - em caso de necessidade de manutenção do equipamento, esta deverá ser feita somente após limpeza com hidrojateamento, conforme descrito nos itens 1 e 2, seguida
da hibernação, conforme orientação no item 3, quando necessário;
7 - caso perceba qualquer anormalidade nos tubos, pede-se fazer contato com a Assistência Técnica da Acesita para análise do caso.
Os tubos de aço inox 439 podem ser aplicados em aquecedores de caldo, pré, primeiro e segundo efeitos de evaporação e cozedores. Recomendamos que se faça hibernação
durante a entressafra pelo lado externo dos tubos com hidróxido de sódio (“sodinha”) mantendo pH superior a 10, conforme orientação da Acesita. Vale ressaltar que a
hibernação tem custo baixo, traz diversos benefícios e se aplica a todos os aços inox, como 316, 304 e 444. Os principais benefícios da hibernação são: proteger o feixe
tubular e a calandra durante a entressafra. Limpar os óxidos pelo lado externo dos tubos e os resíduos de arraste, devolvendo a capacidade de troca térmica dos tubos.
11
A fábrica de tubos da Acesita, localizada dentro de sua
planta industrial em Timóteo - MG, emprega tecnologia
de ponta na fabricação de tubos de aço inox pelo
processo CBR - Center Bend Roll - na conformação e
HFI - High Frequency Induction - na soldagem, através
de equipamento Kawasaki Steel Co.
A Fábrica
Esta máquina pode trabalhar com alta velocidade
(90m/min), permitindo à Acesita fornecer ao mercado
tubos de alta competitividade, resistência e qualidade
adequados às aplicações nas usinas de açúcar, indústria
automobilística, construção civil e em diversos outros
segmentos.
12
Normas
Os tubos de aço inox 444 (UNS S44400) e 439 (UNS S43932) fornecidos
pela Acesita atendem respectivamente às normas ASTM A268/A268M e
A240/A240M, sem tratamento térmico e soldados pelo processo de alta
freqüência (HF).

Ensaios realizados nos tubos
• Achatamento
• Achatamento reverso
• Flangeamento
• Eddy Current (este ensaio é realizado durante o processo de fabricação)
Tolerâncias de norma
• Para diâmetro = ± 0,25mm
• Para espessura = ± 10%
• Para comprimento = - 0,00 e + 5,00mm
Tolerâncias para altura do cordão de solda
Altura do cordão de solda pelo lado interno = 0,20mm máximo.
DIMENSÕES
Descrição Unidade Peso e área por espessura e diâmetro
Espessura de parede mm 1,20mm 1,50mm 2,65mm
Diâmetro externo mm 38,1 31,75 38,1 31,75 76,2 38,1 31,75
Peso por metro kg 1,09 0,9 1,35 1,11 2,75 2,3 1,89
Área interna de troca m
2
/m 0,1122 0,0922 0,1103 0,0903 0,2300 0,1030 0,0831
Área externa de troca m
2
/m 0,1197 0,0997 0,1197 0,0997 0,2394 0,1197 0,0997
Normas e Tolerâncias
Os valores acima são teóricos e variam de acordo com a espessura real da parede dos tubos.
Parede: de 0,80mm a 3,00mm
Diâmetro: de 25,4mm a 76,20mm
Comprimento: até 13 metros
13

O inox Acesita valoriza o seu açúcar .

. assim.O Aço Inox Acesita na Produção de Açúcar A Acesita desenvolveu os aços inox 444 e 439 para reduzir seus custos. a performance da sua usina e a competitividade do seu açúcar. melhorar a sua qualidade e.

• excelentes propriedades mecânicas. • muito boa soldabilidade. • inércia química (desprendimento de metal insignificante e não reage com o açúcar. portanto. • inércia biológica (não favorece o desenvolvimento de colônias de microorganismos ou. • facilidade de conformação. • baixa rugosidade. caso existam. sabor. • elevada resistência à corrosão. aroma) dos alimentos.Os aços inoxidáveis apresentam um conjunto de características que outros materiais não conseguem mostrar: • preservam as características organolépticas (cor. • possibilitam elevado grau de higiene. não altera sua cor). permitindo limpeza mais eficiente. são facilmente removidas). 1 .

Vantagens dos Tubos de Aço Inox Acesita 444 e 439 2 .

por terem um coeficiente de dilatação mais próximo ao aço-carbono. os tubos em aço inox Acesita 444.• Devido às suas propriedades mecânicas e sua elevada resistência à corrosão. • Diminuição dos custos de manutenção. • Produto adequado à utilização no processo. por ter estrutura ferrítica. devido à grande resistência à corrosão desses aços. superior ao 304. por possibilitar a redução de pontos pretos no produto. transporte e manipulação de alimentos. • Os aços inox 444 e 439 possuem condutividade térmica superior ao 304. Relação custo/benefício altamente favorável quando comparada com aço-carbono. característica que permite que os dois ferríticos (444 e 439) apresentem eficiência térmica superior quando comparados ao austenítico (304). • Maior vida útil do equipamento.65mm no tubo de aço-carbono para 1. • A baixa rugosidade na parede dos tubos facilita a limpeza. permite aumentar a área de troca térmica. permite redução efetiva da espessura (de 2. mais eficientes com relação à troca térmica. • A redução de espessura de parede do tubo. esses aços apresentam melhor comportamento que o aço 304 nas juntas soldadas. No caso do 444. Em alguns casos. acima mencionada. 3 . o que resulta em melhor eficiência térmica. tornando-os. conseqüentemente. • Imune à corrosão sob tensão. Na aplicação como revestimento. devido à menor formação de incrustações. devido à excelente resistência à corrosão do material.50mm no tubo de 444/439). permitem redução de espessura ainda maior. • Ganhos em qualidade e em preço do açúcar.

além de poder ser utilizado em todas as aplicações indicadas para o 439. é indicado em todas as aplicações de usinas de açúcar. Aplicações do Aço Inox Acesita na Usina de Açúcar O aço inox Acesita 444. corrosão por frestas e corrosão microbiológica. Isso porque o aço inox Acesita 444 tem em sua composição o Mo (molibdênio). que são mais agressivos. na forma de tubos e chapas. 4 . que o torna mais resistente à corrosão por pites. também pode ser utilizado nos dois últimos efeitos de evaporação que usam vapor vegetal V3 ou V4. exceto na sulfitação e nos dois últimos efeitos de evaporação.O aço inox Acesita 439.

com ganho de produtividade. com maior vida útil. Maior vida útil e melhor relação custo/benefício. 304L 304L Fábrica de açúcar Agitador para massa Tubulações Transportadores de açúcar Elevador de canecas Tanques para mel e xarope Separador de arraste Condensadores 439 439 439 439 444 444 444 444 444 444 444 304L 304L 304L 304L 304L 304L 304L Maior resistência à corrosão. O aço inoxidável não reage com o açúcar. recuperando capacidade de troca térmica. 5 . devido à redução das paradas para manutenção. deve ser pintado por fora com pintura à base de epóxi. Equipamentos Aços inox indicados Observação Preparo da cana Extração de caldo (Convencional) Extração de caldo (Difusor) Condutores de caldo do difusor Teto do difusor 439 Lavador de gases 444 444 410D 304L 304L Geração de vapor Tubulação do pré-ar Esteiras de bagaço Maior resistência à corrosão. Maior vida útil e melhor relação custo/benefício. Todo aço inox. Melhor relação custo/benefício. portanto não altera a cor do mesmo. tornando mais eficiente a troca térmica. 410D 410D 410D 439 444 304L 410D 444 410D 304L Maior resistência à corrosão e à abrasão. com ganho de produtividade. além de proteger os tubos Inox 316L. protege o costado e limpa a parte externa do feixe tubular. mantendo pH superior a 10. com ganho de produtividade. evaporadores e cozedores na entressafra com hidróxido de sódio (“sodinha”). quando enterrado. Fale com a Assistência Técnica da Acesita quando da especificação para melhorar seu desempenho. Utilize aço inox em seus projetos. com ganho de produtividade. portanto não altera a cor do mesmo. Melhor relação custo/benefício. devido à redução das paradas para manutenção. Manter a superfície do aço inox limpa e seca na entressafra melhora substancialmente sua resistência à corrosão. Hibernar aquecedores. Melhor relação custo/benefício. Sulfitação Coluna de sulfitação Aquecedor de caldo (vertical/horizontal) Espelhos Decantador 439 444 444 439 439 439 439 439 439 439 444 444 444 444 444 444 444 444 444 444 304L 304L 304L 304L 304L 304L 304L 304L 304L 304L 304L Tratamento de caldo Flotador Tubulações Tanques de dosagem Balão de flash Peneira rotativa Maior resistência à corrosão. 304L. Destilaria (vinhaça) Nota: Condução de vinhaça acima de 40ºC Condução de vinhaça até 40ºC 444 444 304L 316L 316L Maior vida útil e melhor relação custo/benefício. devido à redução das paradas para manutenção. O aço inoxidável não reage com o açúcar. 439 444 304L 410D 410D Lateral da mesa alimentadora 410D Maior resistência à corrosão e à abrasão. O aço inoxidável não reage com o açúcar. Melhor relação custo/benefício. portanto não altera a cor do mesmo. devido à redução das paradas para manutenção. Tubos p/pré-evaporador (1º e 2º efeitos) (1) Tubos p/evaporadores (3º ao 5º efeitos) (1) Espelhos Evaporação de caldo Revestimento calandra e corpo Condensadores Tubulações Separador de arraste Tanques para mel e xarope Tubos p/cozedor de batelada e contínuo (1) Espelhos Revestimento interno de cozedores Cristalizador horizontal e vertical Reaquecedor de massa 439 439 439 439 444 444 444 444 444 444 444 444 444 304L 304L 304L 304L 304L 304L Maior resistência à corrosão. com ganho de produtividade. Maior vida útil e melhor relação custo/benefício. devido à redução das paradas para manutenção.Tabela indicativa de adequação dos aços inox para aplicações na fabricação de açúcar Setor Recepção da cana “Cambota” da mesa alimentadora Lateral da esteira de cana Peneira rotativa / Cush cush Tubulação de caldo / embebição Gamelão / parol Chut donelli Bicas de caldo Fundo de cesteiras intermediárias Estrutura inferior e laterais do difusor Lateral até altura colchão de cana Chapa perfurada do fundo do difusor 410D 439 444 304L Maior resistência à corrosão e à abrasão. (1) Baixa rugosidade e alta resistência à corrosão incrusta menos e facilita a limpeza. 444 e 439 contra corrosão. devido à redução das paradas para manutenção. especialmente na entressafra. com ganho de produtividade. 316L Maior resistência à corrosão.

Informações Técnicas 6 .

03 0.08 0.0 18.03 0.7 8.0 10.ºK) 420 460 500 500 500 500 Módulo de Elasticidade (GPa) 200 200 193 193 193 193 7 444 439 304 304L 316 316L C(SAE 1010) .75 - PROPRIEDADES MECÂNICAS TÍPICAS DOS AÇOS INOXIDÁVEIS AÇO 444 439 304 304L 316 316L Limite de Resistência à Limite de Escoamento Tração (MPa) (MPa) 490 420 700 600 620 530 337 240 300 240 300 260 Alongamento 50mm (%) 32 28 54 45 52 45 Dureza Rockwell .0 8.00 2.00 2.COMPOSIÇÃO QUÍMICA (% em peso) C 444 439 304 304L 316 316L 0.00 1.0 8.5 a 19.2 16.5 17.0 7.8 7.0 a 14.00 1.5 8.0 18.0 a 10.2 17.8 Coeficiente de Expansão Térmica Médio de 0ºC a 100ºC µm/m.0 16.03 0.00 2.0 a 18.20+4(C+N2)≤Ti+Nb≤0.03 0.4 18.2 15.9 12.80 0.m) 620 630 720 720 740 740 142 Calor Específico (J/Kg.0 a 20.0 Mo 1.10 0.4 17.035 0.5 14.0 16.03 0.10 0.8 24.5 8.00 0.045 0.20+4(C+N2)≤Ti+Nb≤0.03 Mn 1.04 0.00 0.4 18.9 15.2 16.00 N2 0.03 Cr 17.0 Ni 1.0 a 19.00 a 3.75 0.00 Si 1.00 2.ºC 11.0 10.4 11.10 Outros 0.75 0.04 0.0 10.0 8.2.4 17.0 a 12.030 0.75 P 0.025 0.ºC 10.2 16.045 S 0.ºK) 26.5 17.045 0.2 57.2 16.3 Condutividade Térmica a 100ºC (W/m.10 0.045 0.0 a 14.75 .0 a 20.03 0.50 2.00 a 3.00 2.B (HRB) 85 85 85 85 85 88 Limite da Fadiga (MPa) 241 269 Embutimento Erichsen (mm) 10 9 12 12 12 12 PROPRIEDADES FÍSICAS TÍPICAS DOS AÇOS INOXIDÁVEIS (ESTADO RECOZIDO) AÇO Massa Específica (g/cm3) 7.030 0.0 a 18.08 0.2 538ºC µm/m.8 Resistividade Elétrica (nW.75 0.

cristalizadores. secadores. Resistência à Corrosão RELAÇÃO POTENCIAL DE PITE X TIPO DE AÇO INOX (Solução de 3. mais resistente se apresenta o aço inox a essa forma de corrosão. tem resistência inferior à do aço inox 444. Corrosão por Pites.Resistência à Corrosão por Frestas. cozedores. o aço inox 439 é recomendado em várias aplicações (aquecedores primeiro e segundo efeitos de evaporação. por sua vez.5% NaCl) Quanto mais elevado o potencial de pite. 8 . Corrosão Microbiológica: 439 < 304 < 444 < 316 A resistência à corrosão por pites e por frestas do aço inox 439 é inferior à do aço inox 304. entre outros) porque a sua resistência à corrosão é considerada adequada para os diversos meios em que esses equipamentos trabalham. que. No entanto.

pode haver início de corrosão por pites nessas regiões (contorno de grão). quando submetidos a altas temperaturas. assim. urbano. alta resistência a esse fenômeno. visando eliminar a formação de Cr23(CN)6. industrial e rural) o aço inox Acesita 444 apresentou melhor resistência à corrosão atmosférica do que o aço inox 304 e similar à do aço inox 316. estão sujeitos à sensitização e conseqüente corrosão intergranular quando expostos a meios ácidos oxidantes. a fim de remover C e N.Resistência à Corrosão Atmosférica Após dois anos de exposição atmosférica em diferentes tipos de ambientes (marinho. seja em uso ou em processos de soldagem. Em meios ácidos redutores. 9 . Os aços inox Acesita 444 e 439 estão protegidos contra a sensitização por serem estabilizados ao Ti e Nb. Resistência à Corrosão Intergranular Os aços inoxidáveis. este processo é chamado de estabilização. Resistência à Corrosão sob Tensão Por ter estrutura ferrítica. 439 e 444 são imunes a essa forma de corrosão. São adicionados à composição química dos aços inoxidáveis elementos formadores de carbonetos. apresentando. Esta causa está relacionada com a precipitação de Cr23(CN)6 nos contornos de grão e empobrecimento de Cr nas regiões adjacentes. 444 304 Resultado das superfícies dos aços inox após dois anos de exposição à beira-mar.

Otimizando o Desempenho com Aço Inox Acesita 10 .

mantendo pH maior que 10. rebarbas e outras irregularidades. seguido de mandrilamento com o mesmo equipamento acima. Vale ressaltar que a hibernação tem custo baixo. primeiro e segundo efeitos de evaporação e cozedores.Mandrilamento Opcionalmente podem ser utilizados tubos de aço 444 com espessura de parede inferior a 1. pede-se fazer contato com a Assistência Técnica da Acesita para análise do caso. realizar limpeza interna dos tubos com hidrojateamento. Recomendamos que se faça hibernação durante a entressafra pelo lado externo dos tubos com hidróxido de sódio (“sodinha”) mantendo pH superior a 10. Limpar os óxidos pelo lado externo dos tubos e os resíduos de arraste. Esta condição exige cuidados especiais na especificação da espessura de parede dos tubos. conforme descrito nos itens 1 e 2.50mm. 3 . uma boa análise da relação custo/benefício. Para o 444 deve ser empregado eletrodo 316L e para o 439 eletrodo 308L ou 309L. etc. seguida da hibernação. apresentando.esse procedimento deve ser repetido em toda a entressafra. ele pode ser considerado no projeto. fazer nova limpeza com jato de água. Os tubos de aço inox 439 podem ser aplicados em aquecedores de caldo. 6 . Para maior eficiência e qualidade no mandrilamento. devolvendo a capacidade de troca térmica dos tubos. Orientação sobre hibernação Para preservar os tubos de aço inox contra corrosão e aumentar sua vida útil. 304 e 444. de forma a garantir a remoção das incrustações. pré. dessa forma. como o aço inox resiste bem a deformações. Entretanto. esta deverá ser feita somente após limpeza com hidrojateamento. recomenda-se a utilização de mandriladora para fazer a pré-expansão dos tubos ainda no amarrado. eletrodo revestido. possibilitando as maiores reduções de espessura.realizar esgotamento da calandra e limpeza externa nos tubos e interna na calandra. TIG com ou sem metal de adição. bastando para isso utilizar equipamentos adequados. quando necessário.próximo do início da safra seguinte. deve-se preencher o equipamento com a solução. a Acesita recomenda: 1 . fazer hibernação dos equipamentos com solução de hidróxido de sódio. mandrilamento. projeto do equipamento. Podem ser usados os processos MIG.caso perceba qualquer anormalidade nos tubos. Os principais benefícios da hibernação são: proteger o feixe tubular e a calandra durante a entressafra. contendo no mínimo 5 rolos e com controle eletrônico de torque.em caso de necessidade de manutenção do equipamento. 5 . Soldagem Os aços Inox Acesita 444 e 439 têm boa soldabilidade.ao terminar a safra. como 316. traz diversos benefícios e se aplica a todos os aços inox. tanto na parte interna quanto na parte externa dos tubos. As paredes dos furos do espelho que receberão os tubos devem ser lisas e isentas de impurezas como areia. 7 . vantagens. Na definição da espessura. além da análise técnica. conforme orientação no item 3. Para maior proteção dos tubos. 11 . conforme orientação da Acesita. possibilitando a expansão suave dentro dos limites necessários. haverá maior deformação do tubo durante o mandrilamento. evitando estrangulamento da parede dos tubos (excesso de expansão). Em casos onde os diâmetros dos furos do espelho apresentam variações acentuadas.após a limpeza. 2 . é importante considerar. à temperatura ambiente até o final da entressafra. de forma ou diâmetro. 4 . desde que sejam observados cuidados especiais com: manuseio.

permitindo à Acesita fornecer ao mercado tubos de alta competitividade. resistência e qualidade adequados às aplicações nas usinas de açúcar. 12 . indústria automobilística. emprega tecnologia de ponta na fabricação de tubos de aço inox pelo processo CBR .MG. localizada dentro de sua planta industrial em Timóteo .na soldagem. A Fábrica Esta máquina pode trabalhar com alta velocidade (90m/min).na conformação e HFI .Center Bend Roll .A fábrica de tubos da Acesita. construção civil e em diversos outros segmentos.High Frequency Induction . através de equipamento Kawasaki Steel Co.

9 38.09 31.1197 0.1197 0. sem tratamento térmico e soldados pelo processo de alta freqüência (HF).00mm Tolerâncias para altura do cordão de solda Altura do cordão de solda pelo lado interno = 0.3 0.0.65mm 38.1103 0.20mm máximo.00mm Diâmetro: de 25.0903 0.80mm a 3.20mm Comprimento: até 13 metros 0.2394 Os valores acima são teóricos e variam de acordo com a espessura real da parede dos tubos.50mm 31.20mm 38.Normas Os tubos de aço inox 444 (UNS S44400) e 439 (UNS S43932) fornecidos pela Acesita atendem respectivamente às normas ASTM A268/A268M e A240/A240M.1197 31.0997 Parede: de 0.75 1.1 1.2300 0. Ensaios realizados nos tubos • Achatamento • Achatamento reverso • Flangeamento • Eddy Current (este ensaio é realizado durante o processo de fabricação) Tolerâncias de norma • Para diâmetro = ± 0.75 1.35 1.1030 0.75 2.4mm a 76.89 0.0922 0.1 2.0997 0.11 76. 13 .0831 0.25mm • Para espessura = ± 10% • Para comprimento = .00 e + 5.1 1.2 2.75 0. DIMENSÕES Descrição Espessura de parede Diâmetro externo Peso por metro Área interna de troca Área externa de troca Normas e Tolerâncias Unidade mm mm kg m2/m m2/m Peso e área por espessura e diâmetro 1.0997 0.1122 0.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->