Você está na página 1de 1

Carta aos trabalhadores da Groundforce e às suas estruturas representativas (sindicatos e Comissão de Trabalhadores)

Caros camaradas,

Os militantes, trabalhadores e estudantes reunidos no ENCONTRO para preparar a Greve Geral, para obrigar o governo a RETIRAR O PLANO DE AUSTERIDADE realizado a 13 de Novembro, em Lisboa afirmam estar solidários com a vossa determinação em não aceitar o processo de despedimento, não podendo senão reconhecer a posição corajosa da vossa CT quando afirma: Este despedimento não é irreversível. () Iremos até ao fim do mundo para salvar os postos de trabalho destes trabalhadores”.

Fazemos nossas as palavras da Comissão Coordenadora das CTs do Parque Industrial da Autoeuropa, bem como de trabalhadores vidreiros e do sector químico da Marinha Grande, ao afirmarem ser necessária a unidade de todo o movimento sindical para impor a retirada deste ataque, na Groundforce/Tap e nos outros sectores alvo do mesmo processo.

Saudamos ainda a posição da CGTP, ao exigir ao Governo a manutenção dos postos de trabalho, ao mesmo tempo que denuncia que a operação contra os trabalhadores da Groundforce faz parte do processo para a privatização da TAP.

Manifestamos a nossa total disponibilidade naquilo que, no quadro da democracia, estiver ao nosso alcance para ajudar a organizar a mobilização com todos os trabalhadores e as suas organizações, a fim de obrigar o Governo a garantir a retirada do processo de despedimento dos 336 trabalhadores da Groundforce.

Sim, este despedimento não é uma situação irreversível. As Centrais sindicais podem ter a última palavra para fazer recuar o Governo. Os resultados da luta dependem da luta.

Adélia Gatoeiro (dirigente do STIV-CGTP); Adélia Gomes (SPGL-CGTP); Adilson Fernandes (estudante da FLUL); Aires Rodrigues (dirigente do POUS); Ana Sofia Cortes (delegada sindical do STFPSA-CGTP); Ana Tavares Silva (membro da Coordenadora dos professores contratados do SPGL); Antoine Laurain (professor de francês); António Chora (Coordenador da CT da Autoeuropa); António Dores (SNEsup); Carlos Melo (SBSI-UGT); Carmelinda Pereira (dirigente do POUS); Cláudio Lordelo (vidreiro da Ifavidro); Daniel Gatoeiro (Sindicato dos Químicos); Emanuel Rodrigues (SPRC-CGTP); Helena Carvalho (SINTAP- UGT); Isabel Pires (dirigente do SPGL); Jaime Crespo (SPGL / membro da Comissão pela Proibição dos Despedimentos); Joaquim Carpinteiro Vaz (vidreiro da Ifavidro); Joaquim Pagarete (membro da Coordenadora dos professores aposentados do SPGL); Luísa Martins Garcia (SPGL); Margarida Pagarete (estudante da FPUL); Mª da Luz Fernandes (func. pública aposentada); Mª do Rosário Rego (SPGL); Paula Montez (membro da Comissão pela Proibição dos Despedimentos); Vladimir Rodrigues (pintor).

Interesses relacionados