Você está na página 1de 3

c 

 

 

  
  



Processo nº: _________________________ 




cc !c"#$% 
&
 ' ' 
 ''  ()& " 
*+ '  ( "'  ,)  „ „ 
''
 ", 
 '
'  - ' * c  %  . 


REVOGAÇÃO DE PRISÃO

/' 012"034"/' 5


) 6 ''
6  "
 "
)3" 7" 899" ' : ' &  


% ''
 


8
& 
 '  ( '  * ;
"%  &


  
'+ < =>49"?1"66@

 "+/'  '
$,  
'+ &'" 
 '  ( "+
' 
,'% # '
&
%   
*+ 
' ) )*+    %    


Presunção da Inocência e Necessidade da Prisão


1 )'
 
 '/   
/    +"'  


A
 
'+ ''    

 "'5   ' % 
%  ' &

 '
 (, "& /  "   '"
B C8C=Processo Penal",0"24 "+6 "
,"1DD9"
>31@

2'

*+8  1D99" ' 
)3""')
(

 ' *+ 
A
"
' %  Ëninguém será considerado
culpado até o trânsito em julgado da sentença penal condenatória´ "
' " ' ")
  ,
 '' )",
' -   

/    '' 

0c
*+ 
/  =
/  ";
8//

 Processo Penal9 "
 ,"E+6 .'"1DD9>42@. 

³Sabido que é um mal a prisão do acusado antes do trânsito em julgado da
sentença condenatória, o direito objetivo tem procurado estabelecer institutos e
medidas que assegurem o desenvolvimento regul ar do processo com a
presença do imputado sem o sacrifício da custódia, que só deve ocorrer em
casos de absoluta necessidade. Tenta -se assim conciliar os interesses sociais,
que exigem a aplicação e a execução da pena ao autor do crime, e os do
acusado, de não ser preso senão quando considerado culpado por sentença
condenatória transitado em julgado´ =''' '% '@

> 
'+ ;
<  # (   
''
/

   '*+"
%   '' ''
'A
  
 , 
   

 ' % < ' #   
=>49"66@ 

3
 F$< " ' /  G' ;
6 ' F ) 
 *+" % 
 ' $/(,   ' < +&

 # ) 
   
  # 
F < 
/ (  O mérito da causa sequer foi
examinado!!! 

H'
 ''  * ;
+  
  *+ 
'+
 
 "'  '  ''' '' 
' 
/    

Ic' &"'
'5" ,

%   F   '' < 
 '
'A
 ' '' '' 
  ' 
'+
  

9
(
 + /

  ,  'A
   *+  

  ?1 ' 
)>49 
 # 
,6 5% F ,  
;
+  ",
 ' %JA
  ''
  
'+ 

D
  '5 , $' 
  
'A
 /' 
  ''
  '   *+ '' /'
'' 
' '' ''
/'
 '  ,
   " ' #" „ 
„ 

„  „ 
C$% F,  ' *'
 K  ' 
' %
'
'"
 % " '   "< 
/(,  

14  
 
  )
'  !8LMc= ,
'
 (
"19D"N# 1DD>O"( ' "6 ) G@.³O eixo, a base, o
fundamento de todas as prisões cautelares no Brasil residem naqueles
requisitos da prisão preventiva. Quando pres entes, pode o Juiz
fundamentadamente decretar qualquer prisão cautelar; quando ausentes, ainda
que se trate de reincidente ou de quem não tem bons antecedentes, ou de
crime hediondo ou de tráfico, não pode ser decretada a prisão antes do trânsito
em julgado da decisãoPE ''

13r  "

' ' '' ''%  ' #  *+ 
'+
 , 
,  %   "
'% +F$
,'& '%  ' % "
' 
/   "'


 * ;/
" #



' *+

 ' & 
-
*+ 
 " ' 
 *+ ' #"

'  periculum libertatis

Garantia da Ordem Pública 

11 &) ' $ #
   ;/
  Q
"
' 
< ,  
 ' ' ,  ' 
 +" ' 
(
  '' 

Oonveniência da instrução criminal 

11 %   +     F &  / 
&
 
/ ' ,    " ' ,,
  '' "< '  
,  ' "
,%  ,  '  (  

% 
 ' ''  ''' '' 
' 
/   "< '    

12B 
+'   &   G'   '*+%   , '  
& 


Aplicação da Lei Penal 

10R 
  ''   %      " ' 
 ''  &  G' 

10'F , '' 
' 


*+ 
 "#$ 
' 

& ' c'  
/   <  ;
  ' # 
,
G' " '    '& 
,  -')' 
  # '
* 



   '" % -c % ' #
  %   
 ,)*+ 6
'+     +  '
 
 "& -


'A
 ' '' '' ' #  ' '   *+ "& 

)'012" 66" '  ''' '' 
' 
/    



 ' 'B '"




6c & 
 



  "13 # F 244H 




 
 ,) /

|