P. 1
Microbiologia 2ª Aula - Celula Procariotica e Eucariotica

Microbiologia 2ª Aula - Celula Procariotica e Eucariotica

|Views: 2.618|Likes:
Publicado porTatiana Moreira

More info:

Published by: Tatiana Moreira on Nov 20, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

05/08/2013

pdf

text

original

S.

Mendo
08/09

2ª Aula: Célula Procariota

Conceitos/conhecimentos chave a apreender
• Estrutura, tamanho e forma das células procariota e eucariota • Organização da cél. Procariota e da cél. Eucariota
(estruturas membranares internas: corpos de inclusão, nucleóide, ribossomas, plasmídeos; citoesqueleto, organelos, núcleo )

S.Mendo
08/09

• Membranas bacterianas e das Archae • Parede celular bacteriana (Gram + e Gram -) e de Archae • Componentes externos à parede celular procariótica e eucariótica (cápsulas, pili, fimbrias, flagelos- mobilidade bacteriana
e quimiotaxia; cílios e flagelos de eucariotas)

• Endósporos bacterianos

ESTRUTURA E FUNÇÃO DA CÉLULA PROCARIÓTICA
1. Estrutura simples, formas e tamanhos característicos.

S.Mendo
08/09

2. Possuem membrana plasmática, mas outras estruturas membranares estão ausentes. 3. A matriz citoplasmática possui corpos de inclusão, ribossomas e nucleóide. 4. Parede celular é morfológica e quimicamente complexa, geralmente possui peptidoglucano. 5. Componentes como, por ex., cápsulas e fimbrias localizam-se fora da parede celular. 6. Algumas bactérias endósporos. formam estruturas de resistência:

S.Mendo
08/09

S. Mendo

S.Mendo
08/09

FORMA E TAMANHO
DIMENSÕES E. coli: 2-6 m x 1.2-1.5 m Mycoplasma: 0.2 m Espiroquetas: 500 m

S. Mendo

S.Mendo
08/09

Coccus

Bastonetes: ex. Bacillus megaterium

Espirilos (bastonetes rígidos)

Vibrio (bastonetes curvos com flagelo)

S.Mendo
08/09

Walsby bacteria (Archae)

Actinomyces

Espécies pleomórficas (Mycoplasma)

Espiroquetas (bastonetes flexíveis)

TAMANHO DE PROCARIOTAS vs VÍRUS
diâmetro ~ Larg. x comp. (nm)

S.Mendo
08/09

Epulopiscium fishelsoni

MEMBRANAS CELULARES PROCARIÓTICAS
MEMBRANA PLASMÁTICA
proteínas e lípidos em proporções variáveis maioria dos lípidos são estruturalmente assimétricos, com terminais polares hidrofílicos (glicerol) e terminais apolares hidrofóbicos ( ác. gordos), formando uma camada bilipídica

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

Modelo do Mosaico Flúido Singer e Nicholson

S.Mendo
08/09

MEMBRANAS DA ARCHAE
• • • • Ligações éter entre glicerol e as cadeias laterais hidrofóbicas Lípidos não possuem ác. gordos mas isopreno (hidrocarbonetos de 5C) Lípidos são glicerol diéter e tetraéter. Construção da membrana em monocamada

C20 diéter (memb. Bicamada)

C40 tetraéter (memb. Monocamada)

FUNÇÕES DA MEMBRANA PLASMÁTICA
manter o citoplasma (particularmente desprovidas de parede celular) nas

S.Mendo
08/09

células

barreira selectiva permeável (movimento de iões e moléculas do interior para o exterior, e vice-versa, da célula) local onde se encontram as proteínas, muitas delas enzimas, e muitas envolvidas no transporte de substâncias de e para o interior da célula possui moléculas receptoras (ajudam as bactérias a detectar e responder a compostos químicos)
S. Mendo

S.Mendo

SISTEMAS MEMBRANARES INTERNOS
MESOSSOMA - invaginações da membrana plasmática em forma de vesículas ou túbulos; parece estar associado à divisão da célula bacteriana e muitas vezes aparece associado ao cromossoma bacteriano (nucleóide).
pode estar envolvido na formação da parede celular durante a divisão celular; pode estar associado ao processo de replicação dos cromossomas; pode estar envolvido em processos de secreção
A membrana plasmática e todo o seu interior é também denominado protoplasto

08/09

S.Mendo
08/09

CITOPLASMA PROCARIÓTICO
CORPOS DE INCLUSÃO: grânulos de material orgânico e inorgânico facilmente observáveis ao microscópio
de natureza orgânica - contêm Glicogénio (polímero de glucose) ou Poli-ßHidroxibutirato (de natureza lipídica).

de natureza inorgânica - grânulos de polifosfato (reserva de fosfatos por ex. para síntese de ác. nucleicos); grânulos de enxofre.

S.Mendo
08/09

RIBOSSOMAS: constituídas por proteínas envolvidos no processo de tradução
DNA
transcrição

e

RNA;

mRNA

tradução

proteína

S.Mendo
08/09

RIBOSSOMAS DOS PROCARIOTAS

– 70S

dimensões: 14-15nm x 20nm 2.8x106Da constituído por duas subunidades: 50S e 30S subunidade menor (30S): rRNA 16S + 21 cadeias polipeptídicas rRNA 16S: . altamente conservado entre espécies . pequenas variações importantes no estudo de filogenias . importante na caracterização de estirpes bacterianas

S.Mendo
08/09

NUCLEÓIDE
Cromossoma bacteriano dsDNA circular superenrolado

PLASMÍDEOS
. DNA circular . Replica-se independentemente da célula bacteriana, . nº de cópias variável

DNA plasmídico DNA cromossomal
S. Mendo

S.Mendo
08/09

CHAPERONAS: “Proteínas de stress” Importantes no transporte de proteínas através das membranas

S.Mendo
08/09

PAREDE CELULAR PROCARIÓTICA
confere forma e proteção da lise osmótica nas bactérias patogénicas, possui componentes que contribuem para a sua patogenicidade protecção contra substâncias tóxicas local alvo de alguns antibióticos

Diferenças estruturais nas paredes celulares bacterianas
Microscopia de transmissão (TEM) :

S.Mendo
08/09

. Camada de peptidoglucano ou mureína (20-80nm) . Sem espaço periplásmico

. Camada de peptidoglucano (2-7nm) rodeada por uma . Espaço periplásmico (1-71nm) . Membrana externa (7-8nm)

S.Mendo
08/09

PEPTIDOGLUCANO, ou mureína:
polímero idênticas composto por várias subunidades

N- acetil glucosamina (NAG) * Ácido N- acetil murâmico (NAM) L-alanine, D- glutâmico, D- alanina e Lisina ou * Ácido diaminopimélico (DAP)

açucares

+ vários amino ácidos:

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

PEPTIDOGLUCANO
Gram positivo Gram negativo

S.Mendo
08/09

PAREDE CELULAR DAS BACTÉRIAS DE GRAM +
Peptidoglucano + Ác. teicóicos Ác. teicóicos (carga negativa) são polímeros de glicerol ligados por grupos fosfato estão ligados ao peptidoglucano por ligações covalentes com o NAM ou a lípidos da membrana plasmática denominados Ác. lipoteicóicos

S.Mendo
08/09

PAREDE CELULAR DAS BACTÉRIAS DE GRAM Lipoproteínas de Braun (M. Externa) Lipopolissacarídeos (LPSs)

Membrana externa

porinas lipoproteínas
Periplasma M citoplasmática

lípido A + polissacarídeo central + cadeia lateral O (antigénio O) ex: Salmonella typhimurium
. LPSs ajudam a estabilizar a estrutura membranar . LPSs podem actuar como endotoxinas

. Possuem mecanismos para enganar o sistema imunitário

S. Mendo

S.Mendo
08/09

Gram +: protoplastos

Lisozima

Hidrolisa a ligação NAM-NAG, enfraquecendo a parede celular; Em água pode ocorrer lise da célula Inibe a síntese de peptidoglucano

Penicilina

Gram -: esferoplastos

S.Mendo
08/09

PAREDES CELULARES DAS ARCHAE
Sem peptidoglucano Coloração de Gram + ou Gram – (dependendo da comp. Química) Parede complexa de heteropolisacáridos

Pseudomureína

S.Mendo

ESTRUTURAS PRESENTES NA PARTE EXTERNA DA PAREDE CELULAR
FUNÇÃO
protecção adesão movimento celular

08/09

S.Mendo
08/09

compostos por subunidades proteicas arranjadas helicoidalmente; revestem as células bacterianas; estão implicados na adesão das bactérias aos tecidos do hospedeiro.

Pilus e fimbrias: são filamentos finos tubulares

Pilus sexual: (pl: Pili)

maior que as fimbrias; necessários para a conjugação bacteriana.

S.Mendo
08/09

estendem-se plasmática e parede celular.

Flagelos:

para

fora

da

membrana

Implicados na mobilidade de algumas bactérias Podem existir em número e posição variável, sendo úteis na identificação de bactérias

S. Mendo

CONSTITUIÇÃO

S.Mendo
08/09

filamento – cilindro oco constituído por flagelina corpo basal (embebido na célula- Memb. citoplasmática) Gancho – liga o filamento ao corpo basal (flexível)

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

algumas bactérias é constituída por polipeptídeos ex. Bacillus anthracis ác. poli D-glutâmico.

que se depositam na parte exterior da parede celular. Em

Cápsula: polissacarídeos ou complexos glicoproteicos

Outras bactérias podem apresentar camadas menos rígidas designadas por camada limosa- Glicocálice.
Ajuda a resistir à fagocitose (ex.Streptococcus pneumoniae); pode ser um factor determinante da patogenicidade da bactéria. Protecção contra detergentes e dessecação Adesão a superfícies de objectos sólidos

S. Mendo

MOBILIDADE BACTERIANA E QUIMIOTAXIA
3M

S.Mendo
08/09

0 Acetato

Termotaxia Fototaxia Aerotaxia Osmotaxia

E. coli: 270 rev/seg.

Quimiotaxia: movimentos bacterianos em resposta a um gradiente químico (atracção ou repulsão- quimiotaxia positiva ou negativa), detectado por quimioreceptores (proteínas que estão localizadas no espaço periplásmico ou na membrana plasmática).

S.Mendo
08/09

ENDÓSPOROS BACTERIANOS: células que resultam de um processo de diferenciação; são formas de resistência (calor, radiação, desinfectantes, dessecação). Desenvolvem-se no interior de células vegetativas: Bacillus, Clostridium, Sporosarcina Posição do esporo é importante na identificação de bactérias: central, sub-terminal e terminal

S.Mendo
08/09

ME permite distinguir 4 camadas: 1. Exospório 2. Capa do esporo ou manto 3. Cortex 4. Corpo central do esporo

S. Mendo

S.Mendo
08/09

PROPRIEDADES DO CORPO CENTRAL DO ESPORO
10 % do seu peso seco é constituído por ácido dipicolínico complexado com iões de cálcio -dipicolinato de cálcio; baixo conteúdo em água; pH do citoplasma mais baixo que o da cél. vegetativa (1 un.); baixo teor em água; Elevada quantidade de proteínas (SASP´s) que se ligam ao DNA protegendo-o de potenciais danos causados por UV, dessecação e calor seco; SASP´s funcionam como fonte de C e energia necessária à germinação.

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

Célula Eucariota

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

ESTRUTURA E FUNÇÃO DA CÉLULA EUCARIOTA
1. Núcleo delimitado por membrana 2. Organelos com membranas (estruturas intracelulares que desempenham funções específicas dentro da célula)

ULTRAESTRUTURA DA CÉL. EUCARIOTA

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

MATRIZ CITOPLASMÁTICA
CITOESQUELETO
Microfilamentos: filamentos proteicos (actina) envolvidos nos movimentos e forma das células Microtúbulos: filamentos de e - tubulina dispostos helicoidalmente, formando um cilindro de 25nm de diâmetro Manter a forma da célula Movimentos celulares Processos de transporte intracelular (constituem o fuso mitótico) Filamentos intermédios: juntamente com os outros dois tipos de filamentos forma o CITOESQUELETO

S.Mendo
08/09

RETÍCULO ENDOPLASMÁTICO: RER - associado a ribossomas (síntese proteica) REL - sem ribossomas (células produzindo grandes quantidades de lípidos) • transporte de lípidos, proteínas e outros materiais através da célula

S.Mendo
08/09

COMPLEXO DE GOLGI: Intimamente associado com o RE, estrutural e funcionalmente Acumula materiais que serão secretados, ex: formação de lisossomas Modifica proteínas por adição de grupos específicos

S.Mendo
08/09

LISOSSOMAS: sintetizados a partir do RE e do Complexo de Golgi envolvidos na digestão intracelular

FORMAÇÃO E FUNÇÃO DOS LISOSSOMAS

S.Mendo
08/09

RIBOSSOMAS: 80S (60S + 40S) associados ao RE ou livres realizam a síntese proteica (mRNA ---- proteína)

S.Mendo
08/09

MITOCÔNDRIA: ciclo TCA ; produção de ATP algumas células podem ter mais de 1000 mit. envolvida por duas membranas (interna e externa) contém ribossomas e DNA reproduz-se por fissão binária

S.Mendo
08/09

CLOROPLASTOS: organelos citoplasmáticos presentes em algas e plantas superiores que possuem pigmentos (clorofila, por ex.)

locais de síntese e armazenamento de reservas alimentares local onde ocorre a fotossíntese contêm DNA, ribossomas, grânulos de amido

S.Mendo
08/09

NÚCLEO: delimitado pelo envelope nuclear (constituído por membrana interna e externa) possui poros nucleares que resultam da fusão das membranas interna e externa localização dos cromossomas NUCLÉOLO: importante para a síntese de ribossomas e de RNA ribossomal

S.Mendo
08/09

resíduos

VACÚOLO: importante na digestão de nutrientes e excreção de

ESTRUTURAS EXTERNAS À MEMB. PLASMÁTICA
FLAGELOS

S.Mendo
08/09

CÍLIOS

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

S.Mendo
08/09

Como é feito o transporte de moléculas (nutrientes) para dentro da célula
Difusão passiva Difusão facilitada Transporte activo

S.Mendo
08/09

Transporte activo
08/09

S.Mendo

Transporte activo
A.

S.Mendo
08/09

. Uniport (Promove a entrada de um tipo de molécula) . Symport (Transporte de 2moléculas no mesmo sentido (H+ + açucares) . Antiport (Moléculas transportadas em direcções opostas)

B.

Translocação de grupos (e.g. enzimas que transportam
moléculas de açucar específicas para o interior da célula, modificando-as quimicamente- P )

C.

Transporte por proteínas do periplasma e transporte de Proteínas (Translocases) Ex. Sistema ABC e Sistema Sec (Sec YEG)

S.Mendo
08/09

Fora da célula

Dentro da célula

Transporte simples: Energia da FEM

H+

H+

Translocação de grupos: Modificação química da substância transportada

-P R~P

1

2

3

Sistema ABC de transporte: Envolve proteínas periplasmáticas e energia do ATP

ATP

ADP+Pi

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->