Você está na página 1de 2
3.3. Referéncia deictica: deixis, anafora e co-referéncia Num texto ou num discurso existem expressées cuja referéncia (relagdo entre uma expressio e as entidades que pode designar) est dependente das coordenadas enunciativas de pessoa, espaco € tempo (cu, aqui, agora); e outras que tém de ser interpretadas em dependéncia de expressdes que ocorrem antes ou depois. Vejamos para exemplificar, o seguinte fragmento de As Farpas:* A camara municipal de Viseu mandou hd pouco tempo construir uma ponte sobre o rio Sitdo. Uma folha do sitio refere que esta ponte, logo depois de pronta, se desmoronou na ocasidio de Ihe passar por cima uma junta de bois. Neste fragmento, o significado da expresso hd pouco tempo depende do moment que ocorre a enunciacao, o tempo em que é proferido este discurso. E uma expressao deic- tica. A expressao do sitio ganha a sua referéncia se a relacionarmos com a regido onde 32 localiza a ponte e com a camara de Viseu. As expressdes esta ponte e Ihe referem mesma entidade (uma ponte), nomeada antes. ‘A expressiio se (se desmoronou) € uma anafora que nunca tem referéncia 2 semelhanga dos outros pronomes reflexos e reciprocos. O termo «deixis», etimologicamente, significa demonstragao, acto de de apontar. Actualmente, quando falamos de referéncia deictica, queremos deixis (a referéncia a partir das coordenadas enunciativas), mas também 2 anafora. ‘sto é, a construcdo da referéncia a partir do valor de outra expressio presente no consexzo verbal. 1 O aspecto perfectivo esté associado ao término/completamento de um estado ou ac 2.0 aspecto iterativo relaciona-se cam a existéncia de repeti¢ao de um estado ou accéo 3 Amodalidade apreciativa esté associada a Juizos de valor positivos ou negativos. 3 ™ rnogdes de permissio e obrigacao e a modalidade epistémica a valores de certeza e probabilidade. 4 QUEIROS, Eca e ORTIGAO, Ramalho, As Farpas, coordenagao de Maria Filomer: 12004, p.291 Portuguesa de Imprensa, s da lingua portuguesa que sao deicticas: Jeu, tu, nds, vos, voce, vocés ] pessoais P |ele, ela, eles, elas Deicticos | temporais |ontem, hoje, ha um més, depois de amanha, mais logo... j_—______+__ $$ $$ | Jaqui, ai, c4, Id, acolé, ali, este, esse, aquele, isto, isso, espaciais aquilo. Repare-se que, enquanto os pronomes pessoais eu ¢ fu apenas podem ser defcticos, um pronome como ele pode ser deictico ou anaférico. Seguem-se alguns exemplos de andfora: 1. Quando a rapariga viu 0 rapaz, fez-the sinal, mas ele jé a tinha visto. 2. Gost 3. As televisces multiplicaram-se. Jé nao chega uma por apartamento, cada divisdo tem asua. de ler o livro de Miguel Torga. E um autor que foca temas sociais interessantes. 4, Nao era a primeira vez que apareciam na nossa rua cées abandonados. Mas aquele era especial. 5. Que tu chegues e me contes o que se passou, espero-o com muita ansiedade! Em 1., cada uma das trés express6es anaféricas 6 um pronome pessoal: /be é um pronome pessoal na forma de complemento indirecto, que tem como antecedente o rapaz; ele € um pro- nome pessoal na forma de sujeito, que tem como antecedente 0 rapaz, ¢ a é um pronome pes- soal na forma de complemento directo, que tem como antecedente a rapariga. Em 2. a anafora € nominal — a expresso nominal wm autor refere o antecedente Miguel Torga. Em 3., as and- foras realizam-se por clipse; o nome elidido é televiséo. Em 4., vemos de novo um caso de and- fora pronominal com aquele. Em 5., a andfora realiza-se através do pronome demonstrativo, (espero-o) que tem um antecedente frasico (que tu chegues e me contes 0 que se passou).