P. 1
QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO

QUESTÕES DO PRÉ-MODERNISMO

|Views: 12.576|Likes:
Publicado porjunioranglo2007

More info:

Published by: junioranglo2007 on Nov 22, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/16/2013

pdf

text

original

Iria morrer, quem sabe naquela noite mesmo? E que tinha ele feito de sua vida? Nada.

Levara toda ela atrás da miragem de estudar a pátria, por amá-la e querê-la muito, no intuito de contribuir para a sua felicidade e prosperidade. Gastara a sua mocidade nisso, a sua virilidade também; e, agora que estava na velhice, como ela o recompensava, como ela o premiava, como ela o condecorava? Matando-o. E o que não deixara de ver, de gozar, de fruir, na sua vida? Tudo. Não brincara, não pandegara, não amara - todo esse lado da existência que parece fugir um pouco à sua tristeza necessária, ele não vira, ele não provara, ele não experimentara. Desde dezoito anos que o tal patriotismo lhe absorvia e por ele fizera a tolice de estudar inutilidades. Que lhe importavam os rios? Eram grandes? Pois se fossem... Em que lhe contribuiria para a felicidade saber o nome dos heróis do Brasil? Em nada... O importante é que ele tivesse sido feliz. Foi? Não. Lembrou-se das suas causas de tupi, do folklore, das suas tentativas agrícolas... Restava disso tudo em sua alma uma satisfação? Nenhuma! Nenhuma! Lima Barreto O trecho acima pertence ao romance O TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA, de Lima Barreto. Da personagem que dá título ao romance, podemos afirmar que: a) foi um nacionalista extremado, mas nunca estudou com afinco as coisas brasileiras. b) perpetrou seu suicídio, porque se sentia decepcionado com a realidade brasileira. c) defendeu os valores nacionais, brigou por eles a vida toda e foi condenado à morte justamente pelos valores que defendia. d) foi considerado traidor da pátria, porque participou da conspiração contra Floriano Peixoto. e) era um louco e, por isso, não foi levado a sério pelas pessoas que o cercavam. C "... por ocasião do seu lançamento, o movimento literário, entre nós, pelo menos com referência aos prosadores, caracterizava-se por uma absoluta e completa estagnação. Não se escrevia nem se publicava nada que valesse realmente a pena." (Edgar Cavalheiro). Trata-se de alusão a a) "Urupês". b) "Mar Morto". c) "O Seminarista". d) "O Minotauro". e) "Sagarana". A "Só ele não fala, não canta, não ri, não ama. Só ele, no meio de tanta vida, não vive. " Os comentários acima são endereçados, por Monteiro Lobato, a) ao nordestino. b) ao menor. c) ao sertão.

Resende. e) o estilo conservador do antigo regionalismo romântico. b) pré-modernista." O autor a que se refere o trecho acima é considerado um: a) romântico. D Leia com atenção: "Data de 1915 a publicação de "Triste Fim de Policarpo Quaresma". F. d) Monteiro Lobato. as obras de Euclides da Cunha e de Lima Barreto. b) L. e) Otto L. Trata-se de uma obra de a) Dalton Trevisan. romance de grande densidade critica e carregado de uma visão agressiva e realista que. retrata a vida no subúrbio carioca. elaborado em linguagem cientificista-naturalista. . c) a expressão de aspectos até então negligenciados da realidade brasileira. em função de seu pessimismo. C "Caso raro: fazendo uma poesia formalmente trabalhada. entre outras coisas. O autor desse romance é: a) Monteiro Lobato b) Euclides da Cunha c) Graça Aranha d) Alcântara Machado e) Lima Barreto E Nas duas primeiras décadas de nosso século.d) ao caboclo. d) a prática de um experimentalismo lingüístico radical. D "Hoje ainda há perigo em bulir no vespeiro: o caboclo é o 'Ai Jesus!' nacional". Verísimo. tão diferentes entre si. sua angústia em face de problemas pessoais e das incertezas do novo século que despontava. atingiu uma popularidade acima das expectativas. têm como elemento comum: a) a intenção de retratar o Brasil de modo otimista e idealizante. e) ao paulistano. c) João Antonio. através de uma linguagem rica de comunicações e de recursos expressivos". b) a adoção da linguagem coloquial das camadas populares do sertão.

Posse de Floriano c) Maioridade . Três pernas permitem o equilíbrio. Incitatus derranca o país.Tráfego Negro . apresentado como uma "raça intermediária". Nenhuma ferretoada o põe de pé. Pelo 13 de maio. coça a cabeça. d) Aluísio de Azevedo. mal esvoaça o florido decreto da Princesa e o negro exausto larga num uf! o cabo da enxada. A crônica foi extraída do livro: a) "Negrinha" b) "O Macaco que se fez Homem" c) "Urupês" d) "O Presidente Negro" e) "O Escândalo do Petróleo" C O texto fala de fatos históricos. e) parnasiano. Vem Floriano: estouram as granadas de Custódio. Para que assentos.Posse de Floriano d) Parlamentarismo . Social. como individualmente..Libertação dos Escravos . meter a quarta. imagina e deixa que do velho mundo venha quem nele pegue de novo. E Quando Pedro I lança aos ecos o seu grito histórico e o país desperta esturvinhado à crise de uma mudança de dono.. d) barroco. O caboclo não dá pela coisa. se a natureza os dotou de sólidos. respectivamente: a) Monarquia . e) Monteiro Lobato. no entanto. inútil. em todos os atos da vida. a modorrar. B "Às vezes se dá ao luxo de um banquinho de três pernas . Gumercindo bate às portas de Roma.Libertação dos Escravos .para os hóspedes. portanto. Jeca antes de agir. o caboclo ergue-se.c) modernista. MONTEIRO LOBATO É nesta crônica que Monteiro Lobato fotografa a imagem do caipira.Eleição de Floriano b) Regência . O caboclo continua de cócoras. rachados calcanhares sobre os quais se sentam?" O trecho anterior é claramente representativo da obra de: a) Lima Barreto. Nada o desperta. que ainda o obrigaria a nivelar o chão. A 15 de novembro troca-se um trono vitalício pela cadeira quadrienal.Presidencialismo . O país bestifica-se ante o inopinado da mudança. c) Euclides da Cunha. espia e acocora-se. acocora-se.Lei do Ventre Livre . de novo. o caboclo olha. que perdeu o primitivismo do índio sem. adquirir a força do colonizador. b) Augusto dos Anjos.

das suas tentativas agrícolas . Advogado. O importante é que ele tivesse sido feliz. do folclore. Trata-se de: a) Policarpo Quaresma. símbolo da miséria e do atraso a que foram relegados nossos caipiras B Desde os dezoito anos que o tal patriotismo o absorvia e por ele fizera a tolice de estudar inutilidades.. Lembrou-se das suas coisas de tupi.." Estamos falando de: a) Chico Buarque b) Caetano Veloso c) Gilberto Gil d) Roberto Carlos e) Milton Nascimento C A crítica é unânime em classificar o escritor Monteiro Lobato ligado ao movimento: a) pré-modernismo b) surrealismo c) futurismo d) dadaísmo e) cubismo A Sobre Monteiro Lobato não procede a seguinte afirmação: a) Nasceu em Taubaté e morreu em São Paulo. b) Brás Cubas. Foi? Não. Promotor Público. passado.. Em que lhe contribuiria para a felicidade saber os nomes dos heróis do Brasil? Em nada . exila-se na Argentina e) Crítico veemente do sistema agrícola brasileiro na figura de Jeca Tatu. Que lhe importavam os rios? Eram grandes? Pois que fossem! . representante da gente no Senado.... c) Quincas Borba. Restava disso tudo em sua alma uma satisfação? Nenhuma! Nenhuma! O trecho anterior apresenta reflexões de importante personagem da literatura brasileira.Libertação dos Escravos – República E Jeca Tatu de Monteiro inspirou um cantor brasileiro a compor: JECA TOTAL: "Jeca total deve ser Jeca Tatu presente. Fundou a Companhia de Petróleos do Brasil b) Inovador quando defende a arte de Anita Malfatti em famoso artigo publicado pelo Estado: "Paranóia ou Mistificação" c) Avançado quando satiriza o purismo da linguagem no conto também famoso: "O Colocador de Pronomes" d) Promoveu campanhas nacionais em favor do ferro e petróleo: Preso pelo Governo Vargas em 1941. .e) Independência .

c) sua linguagem tende ao solene. d) o seu final dramático determinado pela sua trajetória de vida. aliado à idéia de progresso. b) cientificismo triunfante que. com vocabulário erudito e tom grandiloqüente. b) apresenta certa dificuldade em termos de enquadramento em um único gênero literário. e) cientificismo militante disposto a abranger temas como o cálculo algébrico. marcou boa parte da lírica contemporânea aos primeiros anos da República. B O título da obra de Lima Barreto. e) Euclides da Cunha segue um esquema determinista na estrutura das três partes da obra. e) Diadorim. d) disciplina. b) falsidade. reproduzindo na poesia as preocupações e temas de Lima Barreto. militar em sua origem. a crítica literária e arquitetura para retirar o caráter subjetivo da poesia. TRISTE FIM DE POLICARPO QUARESMA. sem jamais fazer concessões a temas considerados prosaicos ou de mau gosto. c) generosidade. d) origina-se de reportagens para "O Estado de São Paulo". d) esteticismo que depurava a forma de seus sonetos à perfeição. antecipa ao leitor sobre o protagonista: a) a indiferença com que passou a lidar com a pátria. c) pessimismo acusatório que denunciou o latifúndio e a política oligárquica. é INCORRETO afirmar que: a) o autor. A Só NÃO compõe a personalidade de Policarpo Quaresma: a) desvairismo. b) o fim de vida em um hospício no qual o enclausuraram.d) Paulo Honório. c) a sua morte terrível motivada pela loucura. C . A É correto afirmar que Augusto dos Anjos foi o poeta do a) pessimismo aliado à ciência que acusava a degradação humana mediante associações e comparações com processos químicos e biológicos. e) ufanismo. D Sobre "Os Sertões". e) a sua trajetória de vida reveladora de um destino trágico. desaprova a causa dos sertanejos. nas quais o autor expõe fatos relacionados à Guerra de Canudos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->