Pacientes com doença renal crônica

Carolina, Kellen, Pâmela e Sabrina

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA 

A Insuficiência Renal Crônica (IRC) é o resultado das doenças renais irreversíveis e progressivas provocadas por doenças que tornam o rim incapaz de realizar suas funções. O rim afetado não consegue filtrar adequadamente o sangue, ocorrendo um acúmulo de diversas substâncias, que dependendo do nível de acúmulo, necessita tratamento através de diálise. 

pois a função de um rim é capaz de manter o organismo em equilíbrio. tanto é assim que uma pessoa pode doar um rim e continuar com vida normal. 2.  . não há retenção de substâncias. Na IRC é muito freqüente que os dois rins sejam afetados. Diabetes Mellitus e Glomerulonefrites. As causas da IRC podem ser diversas.INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA  1. pois se um dos rins funciona normalmente. mas as mais freqüentes são: Hipertensão Arterial.

CLASSES DE MEDICAMENTOS  QUELANTES DE FÓSFORO São os chamados quelantes de fósforo. diminuindo seu níveis sanguíneos. . Assim evita-se o aparecimento de doenças ósseas. Tome as doses sempre às refeições e conforme a receita do médico. Controlam também os níveis sanguíneos de cálcio. Quando ingeridos junto com as refeições reduzem a absorção de fósforo no intestino.

 . devem ser repostas. que serve para manter os ossos fortes.VITAMINAS  VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS Elas são perdidas durante a diálise. Por isso. É usada prevenir e tratar o hiperparatireoidismo secundário associado à doença renal crônica. Incluem as vitaminas do complexo B e o ácido fólico. VITAMINA D O rim doente não produz mais a forma ativa da vitamina D (calcitriol).

Pode ser aplicado por via subcutânea ou endovenosa  HIDRÓXIDO DE FERRO Necessário para a produção de sangue (eritropoiese).PARA O SANGUE  ERITROPOETINA Este é o hormônio que controla a produção de glóbulos vermelhos no sangue. . Com isso. evita-se a transfusão sangüínea. Serve para impedir a anemia.

O paciente renal crônico deve manter a pressão arterial abaixo de 140 x 80 mm Hg para correr menos risco de doenças cardiovasculares como derrames e infartos. Outros não.ANTI-HIPERTENSIVOS  Alguns pacientes precisam tomar diariamente para controlar a pressão arterial. Existem vários categorias de antihipertensivos sendo que os mais usados são:   .

ANTI-HIPERTENSIVOS  Diuréticos Inibidores simpáticos Betabloqueadores Inibidores da Enzima Conversora da Angiotensina (IECA) Antagonistas dos receptores da angiotensina (ARAs)     .

ANTI-HIPERTENSIVOS  Inibidores dos canais de cálcio Vasodilatadores diretos  .

ANTIDIABÉTICOS ORAIS  São usados no Diabetes tipo 2 quando não forem atingidos níveis de glicose desejáveis. mesmo depois de medidas dietéticas e exercício. Sufoniluréias Biguanidas   .

São empregadas no Diabetes do tipo 1 e no do tipo 2.   . Ela reduz os níveis de glicose do sangue. neste último. as insulinas podem ser de origem bovina. quando os medicamentos orais não conseguem manter a glicemia nos níveis desejados. suína ou humanas.INSULINAS  A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas do ser humano e de vários animais. Na forma de medicamento.

Esse é um acontecimento muito comum em pacientes com Insuficiência Renal que não se alimentam adequadamente. as insulinas tambem podem ser combinadas com os antidiabéticos orais. A principal complicação de seu uso é a hipoglicemia.   .INSULINAS  No caso do Diabetes do tipo 2.

meia hora antes da hemodiálise. Causa a diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa na pele no local da punção da fístula. É um creme que pode ser aplicado na pele.ANESTÉSICO  Emulsão de lidocaína e prilocaína ou somente lidocaína.   . ao menos. sob uma bandagem oclusiva por. no local da fístula artério-venosa.

 . através de uma máquina de Hemodiálise. A hemodiálise que é um processo realizado na clínica de diálise. geralmente três vezes por semana.UNIDADE HOSPITALAR  O tratamento clínico em portadores de Insuficiência Renal Crônica baseia-se no uso correto dos medicamentos e também fundamentalmente em dois tipos de Diálise a hemodiálise e a diálise peritoneal. na qual ocorre uma filtragem do sangue.

a filtragem do sangue ocorre através de uma membrana.  . As duas modalidades são equivalentes na eficiência.UNIDADE HOSPITALAR  Na diálise peritoneal. chamada peritônio. sob supervisão da Enfermagem e do Médico. daí o nome peritoneal. pelo próprio paciente ou familiar. Esta diálise é realizada geralmente na casa do paciente. após treinamento na clínica de diálise. que protege os órgãos do abdômen.

3.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Os portadores de tal doença necessitam de tratamento medicamentoso regular. A partir do diagnóstico e do estadiamento da doença renal crônica (fase pré-diálise). o que justifica a inclusão do profissional Farmacêutico na equipe de assistência à saúde. Melhorar a qualidade de vida e retardar a progressão para o estágio final E necessidade de terapia de substituição (fase dialítica). 2. . algumas medidas devem ser tomadas com o objetivo de: Diminuir co-morbidades.  1.

IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Os alvos são: Orientação nutricional (controle da uremia. . uricemia e glicemia). 1. 2. potassemia.  Outras duas comorbidades devem ser combatidas já nessa fase: anemia e hiperparatireoidismo secundário. quando presentes. bem como da dislipidemia e hiperuricemia. Controle agressivo da hipertensão arterial e do diabetes mellitus.

por médicos. pode contribuir com a equipe de saúde. assistentes sociais e nutricionistas. com informações que demonstrem a incidência e permitam a resolução de Problemas Relacionados ao uso de Medicamentos. enfermeiros.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Como pacientes em diálise crônica dependem de acompanhamento regular.  . objetivando alcançar resultados concretos que melhorem a qualidade de vida relacionada a medicamentos. através do acompanhamento do paciente renal crônico. O Farmacêutico. e a sobrevida do paciente. profissional do medicamento. a inclusão do profissional Farmacêutico permite subsidiar a equipe.

  . a relevância em oportunizar aos futuros profissionais farmacêuticos.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Verifica-se. instrumentalizando-os para o exercício da Atenção Farmacêutica e contribuindo em sua formação acadêmica. Participação em projetos que permitam sua atuação junto à equipe multidisciplinar. portanto. Realização do acompanhamento farmacoterapêutico.

.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Visando torná-los aptos a intervir na realidade. de complementar. sintetizar e aplicar os conhecimentos.

http://www. Josiane Cristine Bachmann Madalozzo.php?268 Acessado em 15/11/10  . João Luis Coelho Ribas.abcdasaude.br/artigo.BIBLIOGRAFIA  Artigo: ACOMPANHAMENTO FARMACÊUTICO DE PACIENTES INSUFICIENTES RENAIS QUE REALIZAM HEMODIÁLISE NA NEFROMED.com. Edmar Miyoshi . Edição 2. Nelson José Rodrigues Filho. Ingrid Helen Holk.

BOA NOITE!!! .

APRESENTAÇÃO (ORDEM)     1 AO 5 PÂMELA 6 AO 10 KELLEN 11-15 SABRINA 16-20 CAROL .