Pacientes com doença renal crônica

Carolina, Kellen, Pâmela e Sabrina

INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA 

A Insuficiência Renal Crônica (IRC) é o resultado das doenças renais irreversíveis e progressivas provocadas por doenças que tornam o rim incapaz de realizar suas funções. O rim afetado não consegue filtrar adequadamente o sangue, ocorrendo um acúmulo de diversas substâncias, que dependendo do nível de acúmulo, necessita tratamento através de diálise. 

pois a função de um rim é capaz de manter o organismo em equilíbrio.  . pois se um dos rins funciona normalmente. As causas da IRC podem ser diversas. não há retenção de substâncias. tanto é assim que uma pessoa pode doar um rim e continuar com vida normal. Diabetes Mellitus e Glomerulonefrites.INSUFICIÊNCIA RENAL CRÔNICA  1. 2. mas as mais freqüentes são: Hipertensão Arterial. Na IRC é muito freqüente que os dois rins sejam afetados.

Assim evita-se o aparecimento de doenças ósseas. Quando ingeridos junto com as refeições reduzem a absorção de fósforo no intestino. . Controlam também os níveis sanguíneos de cálcio. diminuindo seu níveis sanguíneos. Tome as doses sempre às refeições e conforme a receita do médico.CLASSES DE MEDICAMENTOS  QUELANTES DE FÓSFORO São os chamados quelantes de fósforo.

VITAMINA D O rim doente não produz mais a forma ativa da vitamina D (calcitriol). Por isso. É usada prevenir e tratar o hiperparatireoidismo secundário associado à doença renal crônica.VITAMINAS  VITAMINAS HIDROSSOLÚVEIS Elas são perdidas durante a diálise. Incluem as vitaminas do complexo B e o ácido fólico. que serve para manter os ossos fortes. devem ser repostas.  .

Com isso. Pode ser aplicado por via subcutânea ou endovenosa  HIDRÓXIDO DE FERRO Necessário para a produção de sangue (eritropoiese).PARA O SANGUE  ERITROPOETINA Este é o hormônio que controla a produção de glóbulos vermelhos no sangue. . Serve para impedir a anemia. evita-se a transfusão sangüínea.

Outros não. Existem vários categorias de antihipertensivos sendo que os mais usados são:   . O paciente renal crônico deve manter a pressão arterial abaixo de 140 x 80 mm Hg para correr menos risco de doenças cardiovasculares como derrames e infartos.ANTI-HIPERTENSIVOS  Alguns pacientes precisam tomar diariamente para controlar a pressão arterial.

ANTI-HIPERTENSIVOS  Diuréticos Inibidores simpáticos Betabloqueadores Inibidores da Enzima Conversora da Angiotensina (IECA) Antagonistas dos receptores da angiotensina (ARAs)     .

ANTI-HIPERTENSIVOS  Inibidores dos canais de cálcio Vasodilatadores diretos  .

Sufoniluréias Biguanidas   .ANTIDIABÉTICOS ORAIS  São usados no Diabetes tipo 2 quando não forem atingidos níveis de glicose desejáveis. mesmo depois de medidas dietéticas e exercício.

suína ou humanas. quando os medicamentos orais não conseguem manter a glicemia nos níveis desejados. as insulinas podem ser de origem bovina. Ela reduz os níveis de glicose do sangue. Na forma de medicamento.   . São empregadas no Diabetes do tipo 1 e no do tipo 2. neste último.INSULINAS  A insulina é um hormônio produzido pelo pâncreas do ser humano e de vários animais.

A principal complicação de seu uso é a hipoglicemia.INSULINAS  No caso do Diabetes do tipo 2. as insulinas tambem podem ser combinadas com os antidiabéticos orais.   . Esse é um acontecimento muito comum em pacientes com Insuficiência Renal que não se alimentam adequadamente.

Causa a diminuição parcial ou total da sensibilidade dolorosa na pele no local da punção da fístula. meia hora antes da hemodiálise. no local da fístula artério-venosa.   .ANESTÉSICO  Emulsão de lidocaína e prilocaína ou somente lidocaína. sob uma bandagem oclusiva por. ao menos. É um creme que pode ser aplicado na pele.

A hemodiálise que é um processo realizado na clínica de diálise. através de uma máquina de Hemodiálise. geralmente três vezes por semana. na qual ocorre uma filtragem do sangue.UNIDADE HOSPITALAR  O tratamento clínico em portadores de Insuficiência Renal Crônica baseia-se no uso correto dos medicamentos e também fundamentalmente em dois tipos de Diálise a hemodiálise e a diálise peritoneal.  .

sob supervisão da Enfermagem e do Médico. que protege os órgãos do abdômen. pelo próprio paciente ou familiar. chamada peritônio. a filtragem do sangue ocorre através de uma membrana.  . após treinamento na clínica de diálise.UNIDADE HOSPITALAR  Na diálise peritoneal. As duas modalidades são equivalentes na eficiência. Esta diálise é realizada geralmente na casa do paciente. daí o nome peritoneal.

A partir do diagnóstico e do estadiamento da doença renal crônica (fase pré-diálise). 3. Melhorar a qualidade de vida e retardar a progressão para o estágio final E necessidade de terapia de substituição (fase dialítica).IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Os portadores de tal doença necessitam de tratamento medicamentoso regular. o que justifica a inclusão do profissional Farmacêutico na equipe de assistência à saúde. 2. . algumas medidas devem ser tomadas com o objetivo de: Diminuir co-morbidades.  1.

bem como da dislipidemia e hiperuricemia.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Os alvos são: Orientação nutricional (controle da uremia. potassemia. quando presentes.  Outras duas comorbidades devem ser combatidas já nessa fase: anemia e hiperparatireoidismo secundário. Controle agressivo da hipertensão arterial e do diabetes mellitus. . 1. uricemia e glicemia). 2.

através do acompanhamento do paciente renal crônico. enfermeiros. por médicos.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Como pacientes em diálise crônica dependem de acompanhamento regular. a inclusão do profissional Farmacêutico permite subsidiar a equipe. assistentes sociais e nutricionistas. pode contribuir com a equipe de saúde. objetivando alcançar resultados concretos que melhorem a qualidade de vida relacionada a medicamentos. profissional do medicamento. O Farmacêutico.  . e a sobrevida do paciente. com informações que demonstrem a incidência e permitam a resolução de Problemas Relacionados ao uso de Medicamentos.

portanto. Realização do acompanhamento farmacoterapêutico. a relevância em oportunizar aos futuros profissionais farmacêuticos. Participação em projetos que permitam sua atuação junto à equipe multidisciplinar.IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Verifica-se.   . instrumentalizando-os para o exercício da Atenção Farmacêutica e contribuindo em sua formação acadêmica.

IMPLANTAÇÃO DA FARMÁCIA CLÍNICA  Visando torná-los aptos a intervir na realidade. de complementar. sintetizar e aplicar os conhecimentos. .

Ingrid Helen Holk. Nelson José Rodrigues Filho. Edmar Miyoshi . João Luis Coelho Ribas. Josiane Cristine Bachmann Madalozzo.BIBLIOGRAFIA  Artigo: ACOMPANHAMENTO FARMACÊUTICO DE PACIENTES INSUFICIENTES RENAIS QUE REALIZAM HEMODIÁLISE NA NEFROMED.abcdasaude.br/artigo. Edição 2. http://www.com.php?268 Acessado em 15/11/10  .

BOA NOITE!!! .

APRESENTAÇÃO (ORDEM)     1 AO 5 PÂMELA 6 AO 10 KELLEN 11-15 SABRINA 16-20 CAROL .

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful