P. 1
Memento Furp

Memento Furp

|Views: 21.624|Likes:
Publicado porpandora682001

More info:

Categories:Types, Brochures
Published by: pandora682001 on Nov 24, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

08/21/2013

pdf

text

original

CLORIDRATO DE METOCLOPRAMIDA

COMPOSIÇÃO BÁSICA

Cada comprimido contém:

Cloridrato de metoclopramida.......................................................10 mg

(Contém metabissulfito de sódio)

Cada ml de solução oral a 0,4% contém:

Cloridrato de metoclopramida.........................................................4 mg

(Contém bissulfito de sódio, metilparabeno, propilparabeno)

Cada ampola de 2 ml contém:

Cloridrato de metoclopramida.......................................................10 mg

AÇÕES

A metoclopramida possui atividade parassimpaticomimética e é um antagonista
de receptor de dopamina. Ela estimula a motilidade da porção superior do trato
gastrintestinal e aumenta a força de contração do esfíncter esofágico e a velocidade
de esvaziamento gástrico. Tem efeito antiemético em diversas situações clínicas.

FARMACOCINÉTICA

É rapidamente absorvida por via oral mas o metabolismo hepático de primeira
passagem reduz a biodisponibilidade em cerca de 75%.
Os níveis sangüíneos máximos ocorrem de um minuto a três minutos após a
administração intravenosa, de 10 minutos a 15 minutos após administração
intramuscular e de uma hora a duas horas após administração oral. A meia-vida
plasmática varia entre três horas e cinco horas. A ligação com proteínas plasmáticas
é de 13%. A distribuição é ampla, aparece no leite materno, atravessa a placenta e a
barreira hematoencefálica. A metabolização é hepática e a eliminação é renal (20% a
30% na forma inalterada e o remanescente tem conjugação hepática originando
metabolitos sulfonados e gliconatos) e aproximadamente 5% pelas fezes. Na pre-
sença de insuficiência renal, as doses devem ser reajustadas.

INDICAÇÕES

A metoclopramida é usada como antiemético em distúrbios da motilidade
gastrintestinal, como terapêutica auxiliar na doença do refluxo gastroesofágico, nos
estados de hipomotilidade gástrica, náuseas e vômitos de origem central e periféri-
ca (cirurgia, doenças metabólicas e infecciosas, nos efeitos secundários de fármacos
como os antineoplásicos e ainda de radioterapia). Terapêutica auxiliar nos procedi-
mentos radiológicos do trato gastrintestinal.

FUNDAÇÃO PARA O REMÉDIO POPULAR - FURP

144

CONTRA-INDICAÇÕES

A metoclopramida não deve ser prescrita para pacientes nos quais seja perigoso
o estímulo à atividade gastrintestinal por exemplo hemorragias, perfurações ou obs-
trução mecânica digestivas.
É contra-indicada em portadores de feocromocitoma, hipersensibilidade ao
fármaco, epilepsia ou que estejam recebendo outros medicamentos antimuscarínicos
ou capazes de causar sintomas extrapiramidais.

REAÇÕES ADVERSAS

De modo geral, a freqüência de efeitos adversos depende das doses e da dura-
ção da administração e são mais comuns em crianças, adultos jovens e idosos.
Os efeitos no sistema nervoso são os mais comuns e incluem sonolência, cansa-
ço, depressão ou agitação. Reações extrapiramidais são muito freqüentes em
lactentes; também ocorrem em crianças e adultos jovens.
Efeitos endócrinos incluem galactorréia, amenorréia, ginecomastia, impotência

e retenção hídrica.

Efeitos digestivos podem ser náuseas, obstipação ou diarréia.
Reações alérgicas como urticária, edema ou broncoespasmo foram descritas com
maior freqüência em indivíduos atópicos.
A discinesia tardia, um quadro neurológico grave, potencialmente irreversível,
foi descrita ocasionalmente em uso prolongado.

PRECAUÇÕES

O uso de metoclopramida no primeiro ano de vida implica grandes riscos de

efeitos adversos.

Pacientes com insuficiência renal devem ter as doses ajustadas para diminuir o
risco de efeitos extrapiramidais.
A injeção intravenosa de metoclopramida deve ser feita lentamente, durante um
minuto a dois minutos para evitar aparecimento de ansiedade ou agitação.
Os pacientes devem ser advertidos quanto ao perigo das atividades que requei-
ram atenção durante ou poucas horas após o uso do fármaco.
Como não existem estudos que comprovem a inocuidade do produto na fertili-
dade e no feto, a utilização na gravidez só se justifica após cuidadosa avaliação da
relação benefício/risco. A metoclopramida passa ao leite materno e portanto deve-
se avaliar os riscos antes do uso no período de aleitamento.

INTERAÇÕES MEDICAMENTOSAS

A ação da metoclopramida na motilidade gastrintestinal pode ser inibida pelo
uso concomitante de analgésicos opióides e de antimuscarínicos.
Aumenta a absorção de ácido acetilsalicílico e de paracetamol (acentua o efeito).
O uso simultâneo com antipsicóticos traz risco aumentado de efeitos

extrapiramidais.

FUNDAÇÃO PARA O REMÉDIO POPULAR - FURP

145

Em relação aos dopaminérgicos ocorre: antagonismo do efeito hipoprolactinêmico
da bromocriptina; aumento da concentração plasmática da levodopa; antagonismo
de efeitos antiparkinsonianos da pergolida.
A interação com lítio resulta em risco aumentado de efeitos extrapiramidais e
possibilidade de neurotoxicidade.
A metoclopramida reduz a biodisponibilidade da cimetidina em 25% a 30%. Deve-
se dar um intervalo de uma hora entre a ingestão das duas substâncias.
O uso concomitante com depressores do SNC (álcool, sedativos, hipnóticos) pode

ampliar a sedação.

POSOLOGIA

Adultos

•10 mg de cloridrato de metoclopramida, por via intramuscular ou oral, antes das
refeições e ao deitar. Idêntica dose pode ser administrada lentamente na veia. No
tratamento oncológico, usa-se a metoclopramida 30 minutos antes de quimioterapia.

Crianças com mais de 6 anos.

Não exceder 0,5 mg/kg/ dia.

Crianças com menos de 6 anos

•Cada dose não deve exceder 0,1 mg/kg, (ou uma gota cada 2 kg de peso corpo-

ral).

SUPERDOSES

Sintomas de doses excessivas podem incluir sonolência, desorientação e rea-
ções extrapiramidais. Nestes casos, deve-se proceder ao tratamento sintomático com
agentes antiparkinsonianos ou antimuscarínicos e terapêutica de apoio habitual. As
manifestações geralmente são autolimitadas e desaparecem em 24 horas. A subs-
tância não é dialisável.

APRESENTAÇÃO

Caixa com 500 comprimidos:
•embalagem com 20 comprimidos de 10 mg.
Caixa com 50 frascos conta-gotas com 10 ml de solução oral a 0,4%.
Caixa com 50 ampolas de 2 ml.

FUNDAÇÃO PARA O REMÉDIO POPULAR - FURP

146

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->