Você está na página 1de 10

Cozinhando um frango

com Palmirinha e Paulo –


Identidades Culinárias na
Televisão

Cássia Magalhães e Nelson Nunes


Teorias Contemporâneas do Discurso
Professores: Dra. Giani David Silva e Dr. Jerônimo
Coura Sobrinho
Objetos de trabalho
 Palmirinha Onofre


• Apresento
u por 
10 anos
o
program
a TV
Culinári
a
• Onde: TV
Gazeta
(UHF)
• Horário:
Diariam
ente,
das 13h
às 14h.


L a rica
To ta l
Paulo
Oliveira
O cozinheiro não é um chef, mas um
solteirão às voltas com seu dia-a-
dia agitado e os ingredientes
nunca são aqueles encontrados nas
receitas tradicionais, mas sim os
que estão à mão.
Culinária de guerrilha, a cozinha
verdade.

TV
Culinária
Palmirinha
Onofre
Sempre carinhosa com os
espectadores quase netos , é a
vovô que adora cozinhar tudo do
bom e do melhor para sua família.
A cozinha é seu reino, onde
Prato do dia:

INSERIR MAGEM

Peito de Frango ao Molho de


Champanhe Frango Total Flex
Por Palmirinha Por Paulo Oliveira
Formação Identitária
• A identidade social não contempla
a totalidade da significação do
discurso, pois seu possível efeito de
influencia não é dado por
antecipação; por outro lado, é certo
que o discurso não é apenas
linguagem, sua significação
depende também da identidade
social de quem fala. Pela
combinação delas, constrói-se
o poder de influência do
Identidades
Identidade discursiva: tem a particularidade de ser construída
pelo sujeito falante para responder à questão : “Estou aqui para
falar como ?” Assim sendo, depende de um duplo espaço de
estratégias : de “credibilidade” e de “captação”.
Na busca de produzir um efeito de verdade e assim
legitimar identidade social do sujeito falante
com seu público , cada um explicita seu ethos e
incorpora um discurso que lhe garante
autenticidade numa situação de comunicação .
A identidade discursiva dos apresentadores leva
em consideração o perfil do público e dos canais
de transmissão dos programas .

Identidade social : processo de legitimação de alguém, de


reconhecimento de um sujeito por outros sujeitos em nome de um
valor aceito por todos.
Um saber reconhecido , um estatuto atribuído pelo
poder , por filiação , condecoração ou outro , pode ser
influenciado pela situação de comunicação ,
variando de acordo com o papel exercido nela pelo
sujeito e pela sua intencionalidade .
( Charaudeau )

 Estratégias Discursivas

 Podem almejar:
-o reforço da legitimidade do sujeito
falante
-a preservação e transcendência da sua
credibilidade
 -a captação da adesão absoluta do
interlocutor

 Atitudes discursivas
adotadas:


Palmirinha Paulo Em comum
Atitudes Neutralidade (saberes -Engajamento -Sedução (intencionam a
Discursivas inquestionáveis legitimados (ser de convicção, cuja força identificação com interlocutor)
pelo estereótipo da avô) influencia o interlocutor) -Dramatização (valores afetivos e
-Ironia experiências socialmente divididas)
Relação com Amiguinha, amiguinho, Rapaziada, amigos solteiros, Percepção do Ethos
público bonitinha vagabundos, alcóolatras
Entonação na Doçura na voz; uso de Tom enfático; fala de igual para
fala diminutivos; infantilização igual; sem rodeios; gírias (“deu
Metodologia Ingredientes pré-cortados, errado? Engole
“A la vonté”, o choro!)
sujeito à falta de Caráter didático
de ensino / frescos, com medidas definidas ingredientes, recorrendo ao que tiver
Caráter (“Creme de leite especial “) disponível (“Qualquer mostarda
serve”)
Negócio Merchandising que condiciona Chamamento explícito em busca do Necessidade de viabilidade
o prato anunciante comercial do programa
Cenário Cozinha equipada, utensílios Cozinha típicade um homem solteiro cozinha
novos típicos de família (estereótipo), utensílios precários e
tradicional, limpa velhos,louça suja

Apresenta-ção Típica avô (estereótipo), Homem jovem comum, roupas de


pessoal avental “ficar em casa”, chinelo etc
Trilha sonora Bolero ou sertanejo de fundo É mais um elemento cênico, compõe
durante todo programa determinadas cenas
Merchandisi
ng
P a lm irin h a e

P a u lo
 O liv e ira ,


o d iá lo g o
- O reconhecimento das diferenças discursivas de cada um leva a

instituição da própria identidade, que passa pela consciência da


existência do outro. Isso nos remete ao Princípio da Alteridade,
que estabelece a relação de troca entre os indivíduos,
considerando suas semelhanças e diferenças.

- O diálogo acontece na medida em que compartilham um


processo– o ato de cozinhar e de disseminar este saber – mesmo


tendo cada um estabelecido seu contrato de comunicação.
Embora a motivação seja comum, a singularidade sócio-discursiva
ressalta os contrastes, e neste caso, leva a segmentação de
público.

Interesses relacionados