Você está na página 1de 11

AGRAVO DE PETIÇÃO (art.

897, a, da CLT): É o recurso específico


contra qualquer decisão do juiz na execução, após o julgamento de embargos
do executado (art. 884 da CLT).
Cabimento: das decisões definitivas ou extintivas, proferidas pelo Juiz do
Trabalho na fase de execução (sentença dos embargos à penhora, embargos à
execução de terceiro, embargos à adjudicação e embargos à arrematação).
Prazo: 8 dias.
Efeito: devolutivo. Preparo não há.
Interposição: deverá ser elaborado em duas peças. A primeira dirigida ao
juízo da execução com pedido de remessa para o TRT; a segunda, em folha
apartada, ao Tribunal Regional do Trabalho competente.

Modelo de Agravo de Petição:

EXELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA 3ª VARA DO


TRABALHO DE MACEIÓ –AL.

PROCESSO Nº.....

NOME DO AGRAVANTE, por seu advogado que a esta subscreve, nos autos
da reclamação trabalhista promovida em face de NOME DA OUTRA
PARTE, por seu advogado e procurador, inconformado com a r. decisão
proferida nos embargos à execução interpostos pela recorrida e com
fundamento no art. 897, a, da CLT, vem, perante Vossa Excelência interpor
AGRAVO DE PETIÇÃO, de acordo com as razões anexas à presente.

Requer que seja o presente apelo recebido e encaminhado ao E. Tribunal


Regional do Trabalho da 19ª Região, para os devidos fins, como medida de
JUSTIÇA.

Nestes Termos,
Pede Deferimento.
Maceió,
ADVOGADO – OAB/AL.

1
Minuta de Agravo de Petição.

EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO.

AGRAVANTE:
AGRAVADO:
ORIGEM DA 3ª VARA DO TRABALHO DE MACEIÓ-AL.
PROCESSO N.

COLENDA TURMA.

A agravante, não se conformando com a decisão que julgou procedente os


embargo de execução interpostos pela Agravada, vem recorrer de Agravo de
Petição perante este Tribunal, visando à reforma daquela r. sentença.

A r. sentença recorrida julgou procedentes os embargos do devedor alegando


que o processo ficou parado por mais de cinco anos, sendo aplicável a
prescrição intercorrente no processo do trabalho, tendo sido extinta a
execução.

Entretanto, o Colendo TST tem entendimento de que “é inaplicável a


prescrição intercorrente na Justiça do Trabalho” (Súmula 114 do TST).
Portanto, a decisão da Meritíssima Vara do Trabalho é totalmente divorciada
da orientação predominante da jurisprudência sumulada do Colendo TST.

Dessa maneira, aguarda-se a criteriosa decisão destes Doutos Julgadores, que


por certo conhecerão deste recurso e no mérito lhe darão provimento para
reformar a decisão proferida nos embargos á execução, a fim de que seja
observado o disposto na Súmula jurisprudencial, tudo como medida de mais
sábia JUSTIÇA!

Nestes Termos,
Pede Deferimento.
Maceió (AL),
Advogado – OAB.
Resolva o seguinte problema:

1º) Versando a reclamação trabalhista, entre outros, sobre pedido de adicional


de periculosidade na base de 30% do salário auferido pelo empregado, a
sentença de mérito, transitada em julgado, reconheceu a procedência parcial
do pedido relativamente a alguns pedidos, tendo fixado o percentual do
adicional de insalubridade em 30% do salário mínimo.
Ofertados os cálculos pelo reclamante, o fez com aplicação de 30% de seu
salário. Impugnados os cálculos pela reclamada, ao fundamento de que a
decisão liquidanda determinara a aplicação do percentual de 30% do salário
mínimo, mesmo assim entendeu o Juízo da Execução fixar a aplicação do
percentual sobre o salário do reclamante, ao argumento de ocorrência de mero
erro de digitação na sentença de mérito, o que manteve na apreciação dos
embargos à execução ofertados pela executada.

Questão: Como advogado, ofereça a medida judicial que entender cabível em


prol da Reclamada.

3
RECURSO EXTRAORDINÁRIO (art. 102, III, da CF/88).

O TST é a última instância trabalhista, entretanto, da decisão final do TST


cabe Recurso Extraordinário para o Supremo Tribunal Federal, se houver no
julgamento contrariedade a preceito constitucional.
Cabimento: que a causa decidida envolva, direta ou indiretamente, questão
Federal; contrariedade a dispositivo da Constituição; declaração de
inconstitucionalidade de tratado Lei Federal; que tenha julgado válida lei ou
ato do governo local contestado em face da Constituição Federal.
Prazo: 15 dias – Lei n. 8.038/90.
Endereçamento: Tribunal Superior do Trabalho.
Efeito: devolutivo (parág 2º do art. 893, da CLT).
Preparo: a empresa deverá efetuar o depósito recursal até o valor máximo
(caso ainda tenham sido atingidos os depósitos para o recurso anterior) e
recolher as custas processuais. Se o recorrente for o Reclamante, recolherá
somente as custas.
Se denegado o RE, caberá Agravo de Instrumento no prazo de 10 dias ao STF.
Interposição: será feita em duas peças: a primeira de interposição perante o
TST com pedido de remessa ao STF; a segunda, em folha apartada, ao STF.
Requisitos: peças que deverão ser apresentadas pelas partes, sob pena de não
ser admitido o recurso: cópias do acórdão impugnado, cópias da petição de
interposição de interposição do recurso denegado, cópia das contra-razões,
cópia da decisão agravada, cópia da certidão da respectiva intimação,
procurações outorgadas aos advogados do agravante e do agravado.

Modelo de Recurso Extraordinário.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR MINISTRO PRESIDENTE DO


COLENDO TRIBUNAL SUPERIOR DO TRABALHO.

(deixar 13 espaços).

Processo n°.......

Recorrente:

Recorrido:

NOME DO RECORRENTE, por seu advogado legalmente


constituído, nos autos da reclamação trabalhista proposta em face de NOME
DO RECORRIDO, vem, mui respeitosamente, à presença de Vossa
Excelência, com fundamento no art. 102, inciso III, alínea a, da Constituição
Federal, interpor RECURSO EXTRAORDINÁRIO, de acordo com as
razões anexas à presente.

Faz juntar, neste momento, o comprovante de recolhimento das


custas processuais, através da guia DARF em anexo.

Requer que seja este apelo recebido e encaminhado ao Excelso


Pretório, para os devidos fins.

Nestes Termos,

Pede deferimento.

Local e data e advogado.

(EM OUTRA FOLHA). RAZÕES DO RECURSO EXTRAORDINÁRIO.

RECORRENTE:

RECORRIDO:

ORIGEM: Seção de Dissídios Individuais do Colendo Tribunal Superior do


Trabalho.

PROCESSO Nº.

EXCELSO PRETÓRIO,

EXCELENTÍSSIMO MINISTRO-PRESEDENTE!

O conflito decorre de o recorrente entender que, em face da reclamação


trabalhista ajuizada contra a recorrida, alegando que trabalhava em turnos
ininterruptos de revezamento, tem direito a horas extraordinárias após a 6ª
diária.

A sentença de primeiro grau foi favorável ao recorrente tendo, sido


modificada no Égregio Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região e
confirmada em graus de Recursos de Revista e de Embargos no Tribunal
Superior do Trabalho, entendendo que o fato de se conceder intervalo de 30
(trinta) minutos retira o caráter de turno ininterrupto de revezamento, o qual
passa a ser interrompido, não se aplicando o inciso XIV do art. 7º da

5
Constituição Federal ao caso dos autos.

Contudo, o intervalo para refeição e repouso é norma de ordem higiênica e de


saúde prevista no artigo 7º da Constituição Federal, o qual deve ser concedido
mesmo nos turnos de revezamento, que, assim, não deixam de ser
ininterruptos, aplicando-se o caso em tela o inciso XIV, do artigo 7º da
Constituição Federal. Sendo assim, tem o direito o reclamante ao recebimento
das horas extras após a 6ª hora diária laborada.

Ao decidir manter o acórdão atacado e, via de conseqüência, excluir da


condenação o pagamento das horas extraordinárias laboradas após a 6ª diária,
o Colendo Tribunal Superior do Trabalho vulnerou a o artigo 7º, inciso XIV,
da Constituição Federal, ensejando o presente e extremo apelo.

Ante as razões, espera que o presente apelo seja conhecido e provido, a fim de
que seja reformado o r. julgado, para confirmar integralmente a sentença de
primeiro grau que lhe foi favorável, como medida de inteira JUSTIÇA!

Nestes Termos,

Pede Deferimento,

Local e data. Advogado.

Resolva o seguinte problema:

1º) “A”, ajuizou reclamação trabalhista em face da empresa “B”, alegando que
a empresa descontou do seu salário de forma indevida, o período de licença-
paternidade de 5 dias, fazendo jus ao ressarcimento do valor descontado do
seu salário.

A sentença de primeiro grau foi favorável ao pedido do reclamante, tendo sido


modificada no Égregio Tribunal Regional do Trabalho da 19ª Região e
confirmada em grau de Recurso de Revista no Tribunal Superior do Trabalho,
onde o mesmo entendeu que o desconto foi devido pela reclamada pelo fato
do reclamante não ter comprovado o afastamento da licença-paternidade no
dia do parto de sua esposa, não se aplicando o inciso XIX do art. 7º da
Constituição Federal, c/c com art. 10 § 1º da ADCT, CF/88 ao caso dos autos.

Questão: Como advogado, ofereça a medida judicial que entender cabível em


prol do Reclamante.

AGRAVO DE INSTRUMENTO (art. 897, b, da CLT).

Cabimento: dos despachos que denegarem a interposição de qualquer


recurso, seja: (RO, RR, AP, recuso extraordinário). Serve para destrancar os
recursos.
Prazo: 8 dias.
Endereçamento: ao juízo prolator do despacho que denegou a interposição do
recurso com pedido de remessa ao Tribunal ad quem, devendo ser elaborado
em duas peças. Deve-se também mencionar na peça que estão sendo juntadas
as cópias das peças indispensáveis à sua interposição, elencadas no art. 897,
§5º, I e II, da CLT. Quais sejam: cópia da decisão agravada, certidão da
respectiva intimação, cópia das procurações outorgadas aos advogados do
agravante e do agravado, petição inicial, da contestação, da decisão originária,
facultativamente, com outras peças que o agravante entender úteis.
Efeito: devolutivo
Preparo: 30% sobre o recurso que deseje destrancar.

Modelo de Agravo de Instrumento.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTORJUIZ DA 5ª VARA DO


TRABALHO DE MACEIÓ-AL.

Processo n.

NOME DO AGRAVANTE, já devidamente qualificado nos autos da


reclamação trabalhista ajuizada em face de NOME DA OUTRA PARTE, por
seu advogado que a esta subscreve, com fundamento na alínea b do artigo 897
da CLT, vem, mui respeitosamente, à presença de V.Excia., interpor
AGRAVO DE INSTRUMENTO contra decisão que denegou regular
processamento ao recurso interposto.

Outrossim, junta nesta oportunidade as peças indispensáveis e outras


facultativas, conforme exigência do art. 897, §5º, da CLT

Requer que seja o presente apelo recebido e encaminhado ao E. Tribunal


Regional do Trabalho da 19ª Região, para os devidos fins, como medida de

7
JUSTIÇA.

Nestes Termos,
Pede Deferimento.
Maceió, 02 de junho de 2006.

ADVOGADO – OAB/AL.

RAZÕES DO AGRAVO DE INSTRUMENTO.

EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA 19ª REGIÃO.

AGRAVANTE:
AGRAVADO:
ORIGEM DA 5ª VARA DO TRABALHO DE MACEIÓ-AL.
PROCESSO N.

COLENDA TURMA.

O Meritíssimo Juiz da 5ª Vara do Trabalho de Maceió houve por bem negar


seguimento ao recurso ordinário, que foi interposto dentro do prazo legal, sob
o fundamento de que as custas não foram recolhidas.

Data vênia, merece forma a r. decisão que denegou seguimento ao Recurso


Ordinário interposto, para que o mesmo possa ter o respectivo processamento.

O reclamante-agravante intentou reclamação trabalhista contra a reclamada-


agravada e pleiteou o pagamento das verbas rescisórias não satisfeitas, com
pedido dos benefícios da justiça gratuita. Juntou, para tanto, a pertinente
declaração, de que sua situação financeira não lhe permitia demandar sem
prejuízo próprio ou da família.

O pedido foi indeferido e, julgada a reclamação foi o reclamante-agravante


condenado a pagar as custas processuais.

Oferecido o recurso ordinário ao Tribunal Regional do Trabalho, em que foi


reiterado o pedido de isenção de custas, teve indeferido seu pedido o seu
processamento por deserto.
Diante do exposto, espera o agravante que seja reformado o r. despacho
denegatório, recebendo-se o recurso trancado e encaminhado-o para
julgamento, nos termos da lei, por ser medida de inteira JUSTIÇA!

Nestes Termos,
Pede Deferimento.
Maceió(AL), 02 de junho de 2006.

Advogado –OAB.

RECURSO DE REVISÃO – VALOR DA CAUSA.

Não se encontra, este recurso no rol daqueles constantes do art. 893 da CLT, e
sim no art. 2º, § 2º, da Lei n. 5.584/70 – Normas de Direito Processual do
Trabalho.

Cabimento: quando o valor da causa for indeterminado no pedido, o Juiz o


fixará. Em Audiência, ao aduzir razões finais, qualquer das partes poderá
impugnar o valor fixado e, se o Juiz o mantiver, pode impetrar o Recurso de
Revisão. Prazo 48 horas. Efeito devolutivo. Preparo não há.

Interposição: deverá ser elaborado em duas peças. A primeira dirigida à Vara


de Trabalho e a segunda contendo as razões recursais, endereçada ao
Presidente do Tribunal Regional. Deve ser acompanhado da cópia da petição
inicial e da Ata da Audiência, em cópia autenticada pela Secretaria da Vara.

Modelo de Recurso de Revisão.

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DA...........VARA DO


TRABALHO DE MACEIÓ – AL.

(DEIXAR 13 ESPAÇOS).

Processo nº....

NOME DO RECORRENTE, nos autos da reclamação


trabalhista que contende com NOME DA OUTRA PARTE, por seu advogado
abaixo assinado (procuração inclusa), vem, mui respeitosamente, á presença
de Vossa Excelência, com fundamento no art. 2º, § 2º, da Lei n. 5.584/70,
interpor o presente RECURSO DE REVISÃO, de acordo com as razões

9
anexas.

Requer, pois, que seja acolhido e remetido ao E. Tribunal


Regional do Trabalho da 19ª Região de Maceió – AL.

Termos em que,

Pede Deferimento.

Local e Data.

Advogado – OAB/AL n.

(EM OUTRA FOLHA)

RAZÕES DO PEDIDO DE REVISÃO

RECORRENTE: NOME DO RECORRENTE

RECORRIDO: NOME DA OUTRA PARTE.

PROCESSO N.

ORIGEM: ....... Vara do Trabalho de ..........

EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ PRESIDENTE DO


EGRÉGIO TRIBUNAL REGIONAL DO TRABALHO DA .... REGIÃO.

Egrégio Tribunal,

Data vênia, impõe-se a revisão do valor da causa, que está em


descompasso com o inciso I do art. 259 do CPC.

O Recorrido na petição inicial discriminou direitos


perseguidos que totalizam R$ 4.500,00, e deixou de atribuir o valor à causa.

Somando-se as verbas postuladas pelo o Reclamante, estas


ultrapassam a quantia de R$ 2.500,00. O próprio pedido de horas extras, se
eventualmente deferido, na qualidade apontada na inicial, ultrapassam em R$
1.200,00.

Da forma como foi dado o valor à causa, está se impedindo o


direito da Recorrente ao duplo grau de jurisdição, pois, caso mantido o valor
da causa, nenhum recurso caberá da sentença, a não ser de matéria
constitucional, que não é ventilada no processo.
Ante as razões expostas, espera que seja revisto o valor da
causa que foi fixado em R$ 100,00 (cem reais), como medida de inteira
Justiça.

Nestes Termos,
Pede Deferimento.
Local e Data

Advogado – OAB/AL n.

NÃO É PARA FAZER.

2º) Inconformado com a r. sentença que acolheu apenas parcialmente os


pedidos relacionados na inicial, o reclamante interpôs recurso ordinário no
prazo legal.
Alagando não ter havido comprovação do pagamento das custas processuais
arbitradas em R$ 50,00, o Meritíssimo Juiz do Trabalho de uma Varas da
Capital de Maceió denegou seguimento ao recurso.

Questão: Como advogado do reclamante, acione a medida judicial cabível.

11