Você está na página 1de 45

Universidade Federal do ABC – UFABC

Centro de Engenharia, Modelagem e Ciências


Sociais Aplicadas – CECS

O Ambiente e a
saúde: legislação
aplicada a saúde
ambiental
Profª. Dra. Luísa Helena dos S. Oliveira
luisa.oliveira@ufabc.edu.br
Saúde Ambiental
• Campo de estudo das condições ambientais que
possam afetar a saúde e o bem-estar humano.

• Preocupa-se com questões referentes a:


- saneamento básico;
- poluição ambiental;
- desenvolvimento sustentável.
Meio Ambiente
Na Legislação Brasileira:

Artigo 3º da Lei 6938 de 31 de agosto de


1981, com redação dada pela Lei 7804, de 18 de
julho de 1989 que dispõe sobre a Política
Nacional do Meio Ambiente:

“Conjunto de condições, leis, influências e


interações de ordem física, química e biológica,
que permite, abriga e rege a vida de todas as
suas formas.”
Meio Ambiente
• Paulo Affonso Leme Machado

“Patrimônio público a ser necessariamente


assegurado e protegido, tendo em vista o uso
coletivo.”

• Odum:

“Engloba as
comunidades, os
ecossistemas e a
biosfera.”
Meio Ambiente
meio ambiente natural: solo, água, ar,
flora, fauna
Engloba
meio ambiente cultural: patrimônio
arqueológico, artístico, histórico,
paisagístico, turístico

José Afonso da Silva


“Interação do conjunto de
elementos naturais, artificiais e
culturais que propiciem o
desenvolvimento equilibrado da
vida humana.”
Meio Ambiente

• Espaço
DINÂMICO
• Mundo
• Ambiente
muda constantemente

atividades do homem
Meio Ambiente

NECESSIDADES
VAIDADES
Mudanças Provocadas no
Ambiente

• Nômade - sedentário (10000 a.C.);


• Romanos - aquedutos (400 ou 500 a.C.);
• Industrialização (séc. XVIII);
• Mundo Atual.
Preocupações Ambientalistas

• A partir dos anos 50;


• Mais intensas a partir da década de 70;
• 1970 - Europa - Ano de Conservação da
Natureza;
• 1972 - Estocolmo - Conferência das Nações
Unidas sobre o Meio Ambiente;
• Novo entendimento político-jurídico e social do
ambiente e da co-responsabilidade mundial na
sua proteção;
• Criação do Programa das Nações Unidas para o
Ambiente (PNUMA), com sede em Nairobi.
Meio Ambiente, Trabalho e
Saúde
apropriação da natureza
Trabalho
processos produtivos situação de risco

afeta trabalhadores

comunidades vizinhas
Meio Ambiente, Trabalho e
Saúde
Trabalhador sofre intensamente as
conseqüências negativas da deterioração do
meio ambiente, sofrendo tripla agressão:
• como trabalhador;
• como cidadão;
• como consumidor.
Meio Ambiente, Trabalho e
Saúde
• Atual modelo de desenvolvimento mundial
(crescimento econômico e urbanização):
– Urbanização rápida e desordenada;
– Concentração de renda;
– Degradação ambiental;
– Degradação qualidade de vida.

• Gênese dos problemas de meio ambiente e saúde –


processo de produção e consumo.

• OMS - promovido estudos para um melhor


entendimento da relação ambiente – saúde, de forma
a subsidiar a definição de políticas e estratégias para
estes setores.
RISCO À SAÚDE
RELACIONADO AO AMBIENTE

• A OMS estima que 30% dos danos a saúde estão


relacionados aos fatores ambientais decorrentes de
inadequação do saneamento básico (água, lixo,
esgoto), poluição atmosférica, exposição a
substâncias químicas e físicas, desastres naturais,
fatores biológicos (vetores, hospedeiros e
reservatórios) entre outros.
Meio Ambiente, Trabalho e
Saúde
Pólo Petroquímico de Camaçari na Bahia:
• construído sobre importante manancial de água
mineral;
• dejetos já comprometem rio Capivara Pequeno e
o estuário de Jacuípe, chegando até o mar e
comprometendo os mananciais de água que
abastecem Salvador;
• trabalhadores apresentaram casos de:
leucopenia, surdez, doenças respiratórias.
Meio Ambiente, Produção
Industrial
• chaminés das fábricas despejam diariamente
toneladas de gazes, vapores e partículas no ar
• efluentes líquidos com
toneladas de metais pesados
são despejados em rios e
mananciais onde se captam
água para consumo
doméstico.
• Invasão da dinâmica da
produção no espaço e vida
das pessoas.
Meio Ambiente, Produção
Industrial
• parque industrial de São Paulo produz
anualmente 2,5 milhões de toneladas de
resíduos prejudiciais à saúde.
• dentre os principais setores industriais
brasileiros, com forte presença no mercado
internacional, quatro são altamente nocivos ao
meio ambiente:
- papel e celulose; - siderurgia;

- alumínio; - petroquímica.
Agricultura e Saúde
AGROTÓXICOS -AGROQUÍMICOS
BIOCIDAS

• Carcinogênicos
• Mutagênicos
• Teratogênicos
Agricultura e Saúde
• décadas de 60 e 70 - fase áurea dos agrotóxicos no
Brasil.

• O mercado do veneno cresceu 421%


• O aumento médio da produtividade das 154
principais culturas brasileiras não ultrapassou a 5%.
Saneamento Básico
É constituído por quatro serviços que são:
• drenagem urbana (galeria de água fluvial);
• recolhimento e destinação de resíduos sólidos;
• tratamento de água;
• coleta e tratamento de esgoto sanitário.
Saneamento Básico
O serviço de saneamento básico é de
fundamental importância para a saúde das
populações. Sua inexistência provoca
contaminação do solo, da água e do ar,
proliferação de vetores e a conseqüente
disseminação das doenças.

Nos países subdesenvolvidos, 80% dos leitos


hospitalares vêm sendo ocupados por pacientes
com doenças causadas direta ou indiretamente
pela água de má qualidade ou pela falta de
saneamento.
Saneamento Básico
Dez mil pessoas/dia falecem devido à
conseqüências de acidente e doenças causadas
por falta de habitação adequada e de serviços
essenciais de água potável e esgoto sanitário.
Poluição
É a degradação da qualidade ambiental
resultante da atividade que, quer direta ou
indiretamente:
a) prejudique a saúde, a segurança e o bem-estar
da população;
b) criem condições adversas às atividades sociais e
econômicas;
c) afetem desfavoravelmente a biota;
d) afetem as condições estéticas ou sanitárias do
meio ambiente;
e) lançam matérias ou energia em desacordo com
os padrões ambientais estabelecidos.
Tipos de Poluições
TIPO CAUSAS CONSEQÜÊNCIAS

POLUIÇÃO VISUAL Excesso de propagandas, Agride o bem-estar e induz ao


notas políticas, anúncio, consumismo.
recados, avisos, luminosos,
placas.

POLUIÇÃO DA ÁGUA Agricultura, pecuária, Contaminação da água,


indústria, esgotos e lixo. assoreamento de rios e lagos,
drástica diminuição da água
potável.

POLUIÇÃO DOS SOLOS Uso de biocidas, lixo, Contato direto de poluentes com
desmatamento, queimadas, produtos agrícolas, erosão-
resíduos e indústrias. desertificação, contaminação da
água, descontrole ambiental dos
microrganismos que reciclam os
componentes orgânicos e
inorgânicos.
POLUIÇÃO RADIOATIVA Lixo atômico, uso e Irritação da pele, queda de cabelo,
deposição indiscriminado de câncer, hemorragia no nariz,
pilhas, baterias, produtos diminuição no número de glóbulos
químicos, entre outros. brancos e vermelhos,
convalescência - morte.
Tipos de Poluições
TIPO CAUSAS CONSEQÜÊNCIAS

POLUIÇÃO SONORA Transportes, Afeta o equilíbrio psíquico, a


estabelecimentos audição, o coração, a pressão, a
comerciais e industriais, circulação e a concentração,
atividades domésticas e de provoca insônia, impotência,
lazer. neurose, taquicardia, contrações
musculares.
POLUIÇÃO DO AR Indústrias, agricultura, Irritação das vias respiratórias,
domicílios e escapamento inversão térmica, efeito estufa,
de gases dos carros. destruição da camada de ozônio,
chuva ácida.
Poluição
A exposição à poluição apresenta muitas
possibilidades de interferência com a saúde
humana.

alterações comportamentais
Extremos:
morte

problema gravíssimo

Poluição: controle complexo sociais

envolve questões econômicas

culturais
Por que o Setor Saúde está
atuando na área ambiental?
ATIVIDADES HUMANAS
(produção agrícola, industrial e energética, uso e gestão das águas,
destino dos resíduos, urbanização, distribuição de renda, qualidade
dos serviços públicos de saúde e estratégias de proteção do meio
ambiente e trabalho )

SAÚDE

AMBIENTE FÍSICO AMBIENTE BIOLÓGICO


(natureza e composição (tipo e distribuição de
química dos solos, recursos habitats da flora e da fauna,
hídricos e atmosféricos, compreendendo os agentes
clima, temperatura, patogênicos, os
umidade, radiação e reservatórios e os vetores)
chuvas)

Fonte: OMS, 1992


Vigilância Ambiental em Saúde

Conjunto de ações que proporciona o conhecimento,


e a detecção de qualquer mudança nos fatores
determinantes e condicionantes do meio ambiente
que interferem na saúde humana

FINALIDADE

Recomendar e adotar medidas de prevenção e


controle dos fatores de riscos relacionados às
doenças e outros agravos à saúde
Fonte: CGVAM, 2001
Desenvolvimento Sustentável
O desenvolvimento sustentável é aquele que
satisfaz as necessidades do presente sem
comprometer a possibilidade das gerações
futuras satisfazerem as suas, baseia-se em dois
conceitos chaves: a prioridade na satisfação das
necessidades das camadas mais pobres da
população, e às limitações que o estado atual da
tecnologia e da organização social impôs sobre o
meio ambiente.

(Comissão Brundtland)
Desenvolvimento Sustentável
• a satisfação das necessidades básicas da população
(educação, alimentação, saúde, lazer, etc.);
• a solidariedade para com as gerações futuras (preservar o
ambiente de modo que elas tenham chance de viver);
• a participação da população envolvida (todos devem se
conscientizar da necessidade de conservar o ambiente e
fazer cada um a parte que lhe cabe para tal);
• a preservação dos recursos naturais (água, solo, etc.);
• a elaboração de um sistema social garantindo emprego,
segurança social e respeito a outras culturas (erradicação
da miséria, do preconceito e do massacre de populações
oprimidas, como por exemplo os índios);
• a efetivação dos programas educativos.
Sistema Nacional de Vigilância
Ambiental em Saúde - SINVAS

Conjunto de ações e serviços prestados por órgãos


e entidades públicas e privadas relativos a
vigilância ambiental em saúde

Conhecimento, detecção ou prevenção de qualquer


mudança nos fatores determinantes e
condicionantes do meio ambiente que interferem
na saúde humana

Recomendar e adotar medidas de prevenção e


controle dos fatores de riscos relacionados às
doenças e outros agravos à saúde
Fonte: OMS, 2001
Sistema Nacional de Vigilância
Ambiental em Saúde - SINVAS

Anos
1972

1974

1977

80
Áreas de atuação do SINVAS

 Água para Consumo Humano


 Ar
 Solos contaminados
 Desastres Naturais
 Substâncias Químicas
 Acidentes com Produtos Perigosos
 Fatores Físicos
Legislação Aplicada a
Saúde Ambiental
 Degradação ambiental

 Efeitos deletérios à saúde


- de curto prazo (agudos)
- de médio e longo prazo (crônicos)
- em populações sadias
- em crianças e idosos
- exacerbação de doenças preexistentes
- doenças cardiovasculares
- doenças respiratórias não específicas
• Resolução 001/86, CONAMA - qualquer
alteração das propriedades físicas, químicas e
biológicas, do meio ambiente causada por
qualquer forma de matéria ou energia
resultantes das atividades humanas, que
indireta ou diretamente afetam: a saúde, as
atividades humanas, a biota, a qualidade dos
recursos naturais.
PNMA
• Política Nacional do Meio Ambiente, PNMA, Lei
n°6938/81 - compatibilizar o desenvolvimento
econômico - social com a preservação da
qualidade do meio ambiente e do equilíbrio
ecológico e preservação dos recursos
ambientais, com vistas a sua utilização
racional e disponibilidades permanentes.
• Seus fins e mecanismos de aplicação
constituem o Sistema Nacional de Meio
Ambiente, além de criarem o Conselho
Nacional do Meio Ambiente (CONAMA).
• Instrumento de política nacional (art 9, III ) -
“avaliação de impacto ambiental’’.
PNMA
Objetivos:
• Preservação e restauração dos recursos
naturais e dos processos ecológicos essenciais
das espécies e ecossistemas.
• Preservação da diversidade e da integridade
do Patrimônio genético do país.
• Proteção especial de determinadas áreas
naturais consideradas patrimônio nacional :
Amazônia, Serra do Mar, Pantanal, Zona
Costeira.
• Controle das atividades potencial ou
efetivamente poluidoras.
Instrumentos
• Estabelecimento de padrões de qualidade
ambiental;
• Zoneamento ambiental,
• Avaliação de impactos ambientais,
• Licenciamento de atividade poluidora,
• Fomento a criação e absorção de tecnologia
voltada a melhoria da qualidade ambiental,
• defesa e penalidades ao não cumprimento das
medidas necessárias à correção e preservação
ambiental
Lei de crimes ambientais
• Lei n°9605/98 , Art.3° “As pessoas jurídicas
serão responsabilizadas administrativa, civil, e
penalmente conforme o disposto nesta Lei,
nos casos em que a infração seja cometida por
decisão de seu representante legal, contratual,
no interesse e benefício de sua entidade.”
• A lei é omissa quanto a que tipo de pessoa
jurídica poderá ser punida criminalmente por
infrações a seus dispositivos, sendo em tese,
até mesmo as pessoas jurídicas de direito
público (Municípios, Estados, União, Distrito
Federal, Autarquias e Entidades Fundacionais).
Penalidades

• Art.21 As penalidades aplicáveis isolada,


cumulativa, ou alternativamente às
pessoas jurídicas, de acordo com o
disposto no Art.3°, são:
I - Multa
II - Restritiva de direitos
III - Prestação de serviços à comunidade.
(inovação na forma de ações e planos
ambientais de recuperação de áreas
degradadas, “ganho ambiental”)
IBAMA/CETESB/MMA/CONAMA/PNMA/Constituição
Federal estabelecem políticas para preservação e
manutenção da qualidade ambiental.... Mas

Quanto vale uma vida?


como ficam as mortes e, antes disso, as pessoas que adoecem e que irão adoecer pela
falta de saneamento, poluição atmosférica, condições insalubres de trabalho? O que
será preciso para as organizações enxergarem a saúde como um fator primário,
fundamental para atenção e atuação? Contabilizar vidas perdidas e filas em hospitais
não resolve. Contabilizar os gastos de saúde para poder haver uma justificativa
econômica? Ou os dias perdidos de produção de trabalho? No caso da poluição
atmosférica (diesel e enxofre), não seria justo a empresa ser autuada por infração não
apenas por crime ambiental, mas por crime contra a vida?
Quanto vale a vida de um homem, uma mulher ou uma criança?
Quem e como se mede a perda de um ente querido, de um filho, de uma mãe ou um
pai? A questão é muito simples: qual o valor da vida?

NINGUÉM PODE DESCONSIDERAR O DIREITO UNIVERSAL À SAÚDE E À VIDA. E MAIS


DO QUE ISTO, FALAMOS DA
PRESERVAÇÃO DA VIDA NO PLANETA EM QUE VIVEMOS.
Mapa da Injustiça Ambiental e
Saúde no Brasil:

http://www.conflitoambiental.icict.fiocruz.br/
index.php?pag=mapas
BIBLIOGRAFIA
PHILIPPI JÚNIOR, A. Saneamento, saúde e ambiente:
fundamentos para um desenvolvimento sustentável.
Coleção Ambiental. Barueri: Manole, 2005.
PHILIPPI JÚNIOR, A. et al. Curso de gestão ambiental. Coleção
Ambiental. Barueri: Manole, 2004.
TAUK-TORNISIELO, S. M. et al. Análise ambiental: estratégias
e ações. Fundação Salim Farah Maluf, CEA (Centro de Estudos
Ambientais)/Unesp- Rio Claro, 1995.
BRAGA, B. et al. Introdução à engenharia ambiental. 2ª ed.,
São Paulo: Pearson Prentice Hall, 2005.
VORMITTAG, E. Saúde na sustentabilidade. Trabalho de
Conclusão de Curso de Especialização Gestão de
Sustentabilidade do Centro de Estudos Sustentabilidade da
Faculdade de Administração da Fundação Getúlio Vargas, São
Paulo, 2009.