P. 1
Agricultura

Agricultura

|Views: 977|Likes:
Publicado porFranciscoCavaco

More info:

Published by: FranciscoCavaco on Nov 27, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

11/13/2012

pdf

text

original

RECURSO ALIMENTAR

A AGRICULTURA

SÍNTESE DA EVOLUÇÃO DA AGRICULTURA

CONCEITOS BÁSICOS DA AGRICULTURA:
Agricultura – é uma actividade económica que se baseia na exploração do solo com o objectivo de conseguir determinados produtos que se destinam à alimentação e à indústria.
ou

Agricultura - é a artificialização pelo homem do meio natural, com o fim de o tornar mais apto ao desenvolvimento de espécies vegetais para alimentos e matérias-primas para a Indústria. René Dumont . Parcela agrícola – é uma unidade de cultura que pode ter dimensões variáveis e ser aberto ou fechado.

• Espaço Rural – é a área onde se desenvolve a agricultura, a criação de gado, a silvicultura e outras actividades de carácter agrícola ou não.

Este espaço é variável de região para região

Factores naturais: • Clima •Relevo •Solos

Factores humanos: • Sistema de cultura •Desenvolvimento tecnológico • Tradições culturais • Organização económica

SISTEMA DE CULTURA ‐ corresponde ao modo como o Homem tira  proveito da terra, o qual é diferente de região para região.

Que diferenças encontras no cultivo das parcelas? Policultura- é o cultivo de diversas variedades de produtos agrícolas num terreno.

Monocultura – é o cultivo de uma só variedade de produto agrícola num terreno.

•Sistema agrícola intensivo - quando a terra está permanentemente ocupada com culturas ( nunca tem pousio).

Sistema agrícola extensivo - Sempre que a ocupação do solo não é contínua, procedendo-se ao descanso temporário (pousio) de parte da exploração agrícola.

Pousio – é o descanso rotativo de parte da terra da exploração agrícola.

Sistema de sequeiro - Sempre que as culturas se desenvolvem sem o recurso à rega.

Sistema de regadio - Quando se pratica a rega, como forma de complementar as águas das chuvas, a fim de aumentar a produção agrícola.

DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO:
• As técnicas agrícolas utilizadas diferem de região para região, do grau de desenvolvimento da população rural  e do grau tecnológico do país. • QUAIS AS DIFERENÇAS?

MORFOLOGIA AGRÁRIA – é a forma visível da paisagem agrária e envolve:
QUAIS AS DIFERENÇAS?

▪ a dimensão das parcelas ( latifúndio ou minifúndio) ▪ Forma das parcelas (geométrica ou irregular) ▪ Os limites da exploração agrícola ( abertos ou fechados) ▪ Rede de caminhos rurais ( densa ou escassa)

•Latifúndio – é uma parcela agrícola de grandes dimensões.

Minifúndio  – é uma  parcela agrícola de  pequenas dimensões.

Campos fechados – parcelas agrícolas com vedação nos seus limites.

Campos abertos – parcelas agrícolas sem vedação nos seus limites.

Rendimento agrícola  ‐ é a relação entre a produção e a superfície cultivada,  isto é, é o total de produção obtida numa exploração por hectare, durante um  ano. Expressa‐se em Kg / hectare

Produtividade agrícola - é a relação entre a produção obtida e o nº de trabalhadores ou seja relaciona-se a produção obtida relativamente ao trabalho fornecido por hectare. Expressa-se em Kg / agricultor

• A produtividade é alta ‐ sempre que o agricultor utiliza técnicas  de mecanização nas actividades agrícolas e por isso existe pouca  mão‐de‐obra a trabalhar numa exploração.

• A produtividade é baixa ‐ quando as técnicas são  rudimentares e existe muita mão‐de‐obra a trabalhar numa  exploração.

DISTRIBUIÇÃO MUNDIAL DO ESPAÇO AGRÍCOLA:

Como se distribui?

Pela observação do mapa conclui‐se que: 
há uma desigual distribuição mundial do espaço agrícola.

Áreas com maior espaço agrícola em relação à % da superfície total.

Áreas com menor espaço agrícola em relação à % da superfície total.

Correspondem :
• • • • • • • • • Europa,  Nordeste dos E.U.A.,  Sul  e Sudeste Asiático,  Costa litoral atlântica da América do Sul,  Sul da Austrália,  Nova Zelândia,  Ásia Oriental,  Madagáscar,  Sul da América do Sul

• • • •

Correspondem : regiões geladas, regiões de alta montanha, regiões de desertos, regiões de florestas densas.

TIPOS  DE SOLOS ARÁVEIS NO MUNDO
Que conclusão retiras da observação do gráfico?

Pela observação do gráfico constata‐se que:


apenas 22% dos solos do Mundo são potencialmente férteis, mas  destes só 11% são efectivamente utilizados para a prática agrícola.  78% dos solos são inférteis porque são demasiado húmidos, demasiado  pobres, demasiado estreitos, demasiado frios, são gelados, demasiado  secos e demasiado inclinados.  Se relacionarmos com os números assinalados no mapa verificamos que  correspondem a (1)‐ florestas densas equatoriais, (2) – regiões  desérticas, (3) – Solos gelados e (4) a regiões de alta montanha com  declives demasiado inclinados.

As áreas com maior espaço agrícola correspondem a regiões com :

• Climas favoráveis ( Climas temperados)
• • • • Solos férteis Relevos de menor altitude Desenvolvimento tecnológico / económico Tradições culturais agrícolas

FACTORES QUE CONDICIONAM A AGRICULTURA

Quais os factores que condicionam a actividade agrícola?

Factores Físicos

Factores Humanos

• Clima • Relevo • Solos

• Desenvolvimento Tecnológico • Económicos • Tradições culturais • Estabilidade ou instabilidade social

Factores Físicos:
1. Qual a influência do Clima na prática agrícola?
O CLIMA é considerado o factor mais importante na produção agrícola porque condiciona a distribuição geográfica das espécies vegetais e as variedades cultivadas. A temperatura, a humidade, a luz solar e o vento intervêm nas funções vitais das plantas.

TEMPERATURA

LUZ SOLAR

HUMIDADE

VENTO

A TEMPERATURA influencia a fotossíntese, a respiração e a transpiração
das plantas. Cada espécie agrícola tem um limite de tolerância para lá do qual podem morrer.


Exemplos:
TRIGO — Não resiste a temperaturas inferiores a - 17° C; - A temperatura mínima de floração é de 14°C; - A temperatura mínima de maturação é de 20° C.

• ZONAS TEMPERADAS — trigo, milho, vinha, beterraba • ZONAS INTERTROPICAIS - cacau, café, bananas, cana de açúcar.

A LUZ SOLAR tem um papel importante na realização da fotossíntese.
CADA ESPÉCIE VEGETAL TEM EXIGÊNCIAS PRÓPRIAS NO QUE RESPEITA À DURAÇÃO E INTENSIDADE DA LUZ SOLAR.

A HUMIDADE é o elemento fertilizador da terra e dissolve os sais minerais do solo para que estes possam ser assimilados pelas plantas. As exigências de água variam com as espécies agrícolas e com as fases do seu ciclo evolutivo.

CONDIÇÕES DE DESENVOLVIMENTO DE ALGUMAS ESPÉCIES VEGETAIS ESPÉCIES VEGETAIS TEMPERATURA PRECIPITAÇÃO

15 – 30 ºC

1000 - 2000 MM

21 – 32 ºC

800 - 1200 MM

10 – 32 ºC

1600 - 2000 MM

10 – 27 ºC

500 MM

> 15 ºC (VERÃO)

<750 MM

VENTO
O VENTO PODE EXERCER DOIS TIPOS DE ACÇÕES: • POSITIVA, DESEMPENHANDO FUNDAMENTAL NA POLINIZAÇÃO;

UM

PAPEL

• NEGATIVA, PODENDO DESTRUIR AS CULTURAS E CONTRIBUIR PARA A EROSÃO DO SOLO.

PROCEDIMENTOS ADOPTADOS PARA COMBATER OS OBSTÁCULOS COLOCADOS PELO CLIMA ADVERSO:

1- Para combater a secura

recorre-se à irrigação artificial.

2. Para combater temperaturas reduzidas e acelerar o desenvolvimento das plantas

recorre-se às estufas. recorre-se à drenagem dos solos. recorre-se à construção de vedações em torno das culturas.

3. Para combater os solos húmidos 4. Para combater a violência dos ventos

2. Qual a influência do Relevo na prática agrícola?


Em geral: As áreas planas de baixa e média altitude são mais favoráveis à prática agrícola porque:

- são espaços onde o solo é geralmente mais fértil. - a utilização de máquinas é mais fácil em terrenos planos.

Em geral: As áreas montanhosas de elevada altitude e declives acentuados são pouco propícias à prática da agricultura porque:

- a maior inclinação das vertentes reduz a fertilidade do solo, uma vez que as águas das chuvas arrastam consigo os nutrientes minerais e orgânicos empobrecendo-o. - a temperatura diminui tornando os solos gelados a partir de determinados limites de altitude. - o trabalho do Homem torna-se mais difícil devido à dificuldade em utilizar máquinas agrícolas em terrenos com declives acentuados.

QUAIS OS PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER ADOPTADOS PARA COMBATER OS OBSTÁCULOS COLOCADOS PELO RELEVO?

1. Para combater os declives acentuados das vertentes


recorre-se à construção de Socalcos.

Socalcos - patamares
construídos nas vertentes das elevações.

3. Qual a influência dos Solos na prática agrícola? O tipo de solos também influencia as produções agrícolas porque: • Serve de suporte para as plantas se fixarem, através das suas raízes. •Fornecem os nutrientes que as plantas necessitam para a sua alimentação. Assim:
•Os solos ricos em matéria orgânica e sais minerais revelam uma maior aptidão para o uso agrícola. •Os solos mais férteis são os solos castanhos das regiões temperadas e os das planícies aluviais. •Os solos menos férteis são os solos salinos ou argilosos porque são pobres em matéria orgânica e sais minerais.

QUAIS OS PROCEDIMENTOS QUE DEVEM SER ADOPTADOS PARA TORNAR OS SOLOS MAIS PRODUTIVOS?
1. Para aumentar a fertilidade

deve-se corrigir os solos com adubos correctivos e fertilizantes (naturais ou químicos) deve-se eliminar as ervas daninhas

2. Para evitar o empobrecimento em nutrientes

3. Para facilitar a circulação da água/ ar/ nutrientes

deve-se cavar, sachar e lavrar a terra deve-se colocar herbicidas, pesticidas ou recorrer a insectos (ex: joaninha) para combater as pragas ou utilizar plantas aromáticas que afastem as pragas das culturas

4. Para combater as pragas e doenças

FACTORES HUMANOS
1. SOCIAIS/ DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO


2. ECONÓMICOS 4. ESTABILIDADE OU INSTABILIDADE SOCIAL

3. TRADIÇÕES CULTURAIS

Factores Humanos:
1. Qual a influência do desenvolvimento tecnológico na prática agrícola?


Os países mais desenvolvidos têm possibilidade de utilizar : • técnicas mais avançadas na agricultura ultrapassando muitos dos problemas causados por factores de ordem natural. • máquinas sofisticadas aumentando a produtividade. • produtos químicos para aumentar o rendimento agrícola.

Os países menos desenvolvidos não têm as técnicas utilizadas pelos países desenvolvidos devido à falta de meios económicos.

ESTUFAS


COMPOSIÇÃO QUÍMICA E FÍSICA DO SOLO

A UTILIZAÇÃO DE ESTUFAS MODERNAS, ONDE É POSSÍVEL CONTROLAR A TEMPERATURA E A HUMIDADE, PERMITE UM DESENVOLVIMENTO RÁPIDO DAS CULTURAS AGRÍCOLAS E A SUA PROTECÇÃO FACE A CONDIÇÕES CLIMÁTICAS ADVERSAS.

A ANÁLISE DA COMPOSIÇÃO QUÍMICA E FÍSICA DOS SOLOS PERMITE SELECCIONAR AS CULTURAS AGRÍCOLAS QUE MELHOR SE ADAPTAM ÀS CARACTERÍSTICAS DO SOLO E PERMITE DETERMINAR QUAIS OS ADUBOS E CORRECTIVOS A APLICAR PARA SUPRIR AS CARÊNCIAS DIAGNOSTICADAS.

IRRIGAÇÃO

O RECURSO A MODERNOS PROCESSOS DE IRRIGAÇÃO CONTROLADA (REGA POR ASPERSÃO, POR PIVOT, E GOTA-AGOTA) PERMITE UM APROVEITAMENTO RACIONAL DOS RECURSOS HÍDRICOS DISPONÍVEIS.

MECANIZAÇÃO

A UTILIZAÇÃO DE DIVERSOS TIPOS DE MÁQUINAS AGRÍCOLAS (TRACTORES, CEIFEIRAS-DEBULHADORAS, SEMEADORES, MÁQUINAS DE COLHER FRUTOS E LEGUMES, AVIÕES-PULVERIZADORES, ATOMIZADORES, ETC.) PERMITEM O AUMENTO DA PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA.

MODIFICAÇÃO GENÉTICA


HIDROPONIA

O PEIXE ORIUNDO DE ÁGUAS FRIAS, GENETICAMENTE PREPARADO PARA O EFEITO, CEDE OS SEUS GENES AO TOMATE, QUE PASSA A SER RESISTENTE À GEADA E, MESMO, A TEMPERATURAS ATÉ -4 ºC. ESTA MODIFICAÇÃO GENÉTICA PERMITE A PLANTAÇÃO DO TOMATE MAIS CEDO E EM CLIMAS MAIS RIGOROSOS. DEPOIS DA APANHA, O TOMATE CONSERVA-SE RIJO E VIÇOSO DURANTE MAIS TEMPO.

ALGUMAS CULTURAS AGRÍCOLAS, SOBRETUDO AS HERBÁCEAS, PODEM SER FEITAS EM SOLUÇÕES AQUOSAS QUE FORNECEM ÀS PLANTAS TODOS OS NUTRIENTES DE QUE NECESSITAM (CULTURAS HIDROPÓNICAS). ESTAS CULTURAS TÊM-SE EXPANDIDO, PRINCIPALMENTE, NAS REGIÕES ONDE O SOLO ARÁVEL É ESCASSO OU CONSIDERADO IMPRÓPRIO PARA A AGRICULTURA.

ADUBOS/CORRECTIVO S
A UTILIZAÇÃO DE ADUBOS E CORRECTIVOS PERMITEM AUMENTAR A FERTILIDADE DOS SOLOS E, CONSEQUENTEMENTE, UM ACRÉSCIMO DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA.


PESTICIDAS

A UTILIZAÇÃO DE ACARICIDAS, FUNGICIDAS, INSECTICIDAS E HERBICIDAS PERMITE COMBATER AS DOENÇAS, PRAGAS E INFESTANTES QUE AFECTAM AS CULTURAS AGRÍCOLAS.

SOLARIZAÇÃO

A SOLARIZAÇÃO, TÉCNICA QUE CONSISTE NA COBERTURA DO SOLO COM PLÁSTICO PREVIAMENTE HUMEDECIDO E QUE, POR INTERMÉDIO DA ENERGIA SOLAR, COMBATE OS PATOGÉNIOS DO SOLO E AS INFESTANTES DAS CULTURAS.

2. Qual a influência do factor económico na prática agrícola? Nos países desenvolvidos Nos países em desenvolvimento

• o desenvolvimento económico e social é elevado, • a população agrícola é, normalmente, bem informada e com boa formação cientifica e técnica, fazendo a escolha adequada dos adubos e sementes em função da natureza dos solos e do clima.

• o desenvolvimento económico e social é baixo, • o agricultor tem, normalmente, uma formação utilizando técnicas e tecnologias pouco apropriadas, pelo que dificilmente consegue ultrapassar os problemas causados pelos factores de ordem natural na prática da agricultura.

3. Qual a influência das tradições culturais na prática agrícola?

As tradições culturais podem também influenciar a organização do espaço agrícola.
Nas sociedades menos avançadas ainda se fazem sentir bastante essas tradições que passam de geração em geração: • Na selecção das espécies cultivadas. • Nas técnicas utilizadas no cultivo das espécies. Assim, por vezes, encontramos numa dada região as mesmas culturas há várias gerações, mesmo que não sejam as mais adequadas ao tipo de clima e de solo daquela área.

4. Qual a influência da instabilidade política e social na prática agrícola?

NAS REGIÕES ONDE OCORREM CONFLITOS VIOLENTOS, A POPULAÇÃO É, MUITAS VEZES, COMPELIDA A REFUGIAR-SE NOUTRAS REGIÕES, ABANDONANDO AS ÁREAS RURAIS.

ESTE ABANDONO TRADUZ-SE NUMA DIMINUIÇÃO DRÁSTICA DA PRODUÇÃO AGRÍCOLA E CONDUZ À EROSÃO DOS SOLOS ABANDONDOS E DESPROTEGIDOS.

ACTIVIDADES
1. Refere os principais factores que condicionam a prática da agricultura. 2. Explica de que modo o relevo pode influenciar a prática e o desenvolvimento da agricultura. 3. Explica de que modo o clima influencia a prática agrícola. 4. Explica a importância que os solos têm na prática agrícola. 5. Indica os procedimentos adoptados para combater os obstáculos colocados pelo clima adverso. 6. Indica os procedimentos adoptados para combater os declives acentuados e favorecer a formação de solo arável. 7. Indica os procedimentos adoptados para tornar os solos mais produtivos.

TIPOS DE AGRICULTURA

Agricultura tradicional ou de subsistência

Agricultura moderna ou de mercado

LOCALIZAÇÃO DA AGRICULTURA TRADICIONAL

LOCALIZAÇÃO DA AGRICULTURA TRADICIONAL

REGIÕES ONDE PREDOMINAM OS PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO

• ÁFRICA • AMÉRICA LATINA • SUL E SUDESTE DA ÁSIA

LOCALIZAÇÃO DA AGRICULTURA MODERNA

LOCALIZAÇÃO DA AGRICULTURA MODERNA

REGIÕES ONDE PREDOMINAM OS PAÍSES DESENVOLVIDOS

• EUROPA • E.U.A • CANADÁ • JAPÃO • AUSTRÁLIA • ARGENTINA • (…)

CARACTERÍSTICAS DA AGRICULTURA TRADICIONAL E MODERNA 1. OBJECTIVOS DA PRODUÇÃO
AGRICULTURA TRADICIONAL AGRICULTURA MODERNA

AUTO-CONSUMO

OBTENÇÃO DE LUCRO

2. DIMENSÃO DAS EXPLORAÇÕES AGRÍCOLAS

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA

REDUZIDA (MINIFÚNDIO)

ELEVADA (LATIFÚNDIO)

3. VARIEDADE DAS ESPÉCIES CULTIVADAS
AGRICULTURA TRADICIONAL AGRICULTURA MODERNA

POLICULTURA

MONOCULTURA e ESPECIALIZAÇÂO DE CULTURAS
 CULTIVAM-SE AS ESPÉCIES QUE MELHOR SE ADAPTAM ÀS NECESSIDADES DO MERCADO E ÀS APTIDÕES REGIONAIS.


CULTIVAM-SE VÁRIAS ESPÉCIES

4. GRAU DE MECANIZAÇÃO

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA

REDUZIDO OU NULO  INSTRUMENTOS SIMPLES (ENXADA, FOICE, ARADO, ETC.)

MUITO ELEVADO  GRANDE DESENVOLVIMENTO TECNOLÓGICO

5. SELECÇÃO DAS SEMENTES

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA

UTILIZAM-SE AS SEMENTES DAS COLHEITAS ANTERIORES

PESQUISA PERMANENTE DE SELECÇÃO DE SMENTES

6. TIPO DE FERTILIZANTES UTILIZADOS

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA
QUÍMICOS (PRODUZIDOS EM LABORATÓRIO)

NATURAIS (ESTRUME)

7. PESTICIDAS E HERBICIDAS

AGRICULTURA TRADICIONAL
NÃO SÃO UTILIZADOS

AGRICULTURA MODERNA
UTILIZAM-SE COM FREQUÊNCIA

8. MÉTODOS DE IRRIGAÇÃO

AGRICULTURA TRADICIONAL
RUDIMENTARES

AGRICULTURA MODERNA
MODERNOS (POR ASPERSÃO, POR PIVOT, GOTA-A-GOTA, ...)

9. ESTUDOS DO TIPO DE SOLO

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA

NÃO SÃO EFECTUADOS

SÃO EFECTUADOS EM LABORATÓRIO

10. GRAU DE DEPENDÊNCIA DAS CONDIÇÕES NATURAIS
AGRICULTURA TRADICIONAL
MUITO ELEVADO NÃO TÊM TÉCNICAS PARA COMBATER AS CONDIÇÕES NATURAIS ADVERSAS REDUZIDO DEVIDO ÀS MODERNAS TECNOLOGIAS UTILIZADAS

AGRICULTURA MODERNA

12. MÃO-DE-OBRA NECESSÁRIA

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA
REDUZIDA SUBSTITUIÇÃO DA MÃO DE OBRA POR TRABALHO MECANIZADO

MUITO NUMEROSA O TRABALHO É MANUAL

13. DESTINO DA PRODUÇÃO
AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA
MERCADO (INTERNO E EXTERNO)

AUTO-CONSUMO

14. RENDIMENTO AGRÍCOLA
PRODUÇÃO OBTIDA POR UNIDADE DE SUPERFÍCIE.

AGRICULTURA TRADICIONAL

AGRICULTURA MODERNA

REDUZIDO

ELEVADO

15. PRODUTIVIDADE AGRÍCOLA
RELAÇÃO ENTRE A PRODUÇÃO TOTAL OBTIDA E A MÃO-DE-OBRA UTILIZADA.

AGRICULTURA TRADICIONAL
REDUZIDA

AGRICULTURA MODERNA
ELEVADA

LOCALIZAÇÃO DOS PRINCIPAIS TIPOS DE AGRICULTURA TRADICIONAL E MODERNA:

QUAIS AS PRINCIPAIS FORMAS DE AGRICULTURA TRADICIONAL?
1. Agricultura itinerante sobre queimada Estudo de caso – Pág. 124 do manual

• Forma de agricultura mais primitiva; • Pratica-se nos países menos desenvolvidos de África, Ásia ou América Latina em áreas de floresta tropical ou savana com fraca D. Populacional; • Consiste na queima de floresta para o arroteamento das terras; • Aproveitam as cinzas como fertilizante; • Praticam policultura; • Utilizam instrumentos muito primitivos; • Fraco rendimento e produtividade; • O esgotamento dos solos implica que a aldeia tenha um carácter itinerante.

Agricultura sedentária de sequeiro

• Forma de agricultura em que não existe recurso a qualquer tipo de rega; • Pratica-se nas regiões com maiores densidades populacionais dos planaltos de África (Quénia, Ruanda, Burundi); • É mais intensiva e minuciosa do que a agricultura itinerante; • Fazem rotação de culturas e recorrem ao pousio; • Fertilizam as terras com o estrume do gado; •Fraco rendimento e produtividade mas maior que na agricultura itinerante.

Agricultura de oásis

• Pratica-se no Norte de África, nas regiões de oásis; • É irrigada; • É intensiva na ocupação do solo; • Praticam policultura; • A propriedade é muito dividida (minifúndio); • Plantam-se palmeiras e tamareiras para evitar o avanço das areias do deserto e para fazer sombra às culturas evitando que se queimem ou que haja evaporação da água disponível.

•Agricultura da Ásia das Monções ou Rizicultura

• Pratica-se na Ásia das Monções; • Encontra-se em equilíbrio com as condições naturais; • É intensiva na ocupação do solo; • Cultivam arroz; • Utilizam muita mão-de-obra aproveitando a grande densidade populacional existente; •Utilizam técnicas agrícolas simples, minuciosas e intensivas; • Têm duas ou mais colheitas anuais devido às transplantações; • O rendimento é elevado mas a produtividade é reduzida devido ao trabalho ser manual.

QUAIS OS PRINCIPAIS FORMAS DE AGRICULTURA MODERNA?
Agricultura Europeia

• Pratica-se na Europa em explorações de pequena e média dimensão; • Utiliza um sistema de cultura intensivo; • É policultural, mas caminha para a especialização de culturas; • Muito mecanizada, utiliza estufas, irrigação artificial…; • Recorre a fertilizantes químicos; • Tem elevado rendimento e produtividade agrícola.

Agricultura tipo norte-americana

• Pratica-se em extensas propriedades dos E.U.A e Canadá; • Tem elevada mecanização; • É monocultural, registando-se uma especialização de culturas regional (EX: belts); • Recorre a fertilizantes químicos; • Tem elevado rendimento e produtividade agrícola.

Agricultura de Plantação

• É uma agricultura com características modernas; •Pratica-se em países com clima tropical em explorações que pertencem, normalmente, a multinacionais com sede nos países industrializados; • são utilizadas tecnologias modernas com a utilização de mão-de-obra local (mais barata). •É monocultural, cultivando-se essencialmente produtos tropicais e matérias-primas de interesse industrial (cacau, café, algodão, borracha…) que se destinam à exportação; • A monoprodução constitui um entrave ao desenvolvimento destes países devido à grande dependência económica relativamente ao comércio mundial.

AGRICULTURA DE PLANTAÇÃO

OS IMPACTES DA AGRICULTURA E O DESENVOLVIMENTO DA AGRICULTURA BIOLÓGICA

Problemas/Impactes da Agricultura Tradicional

PAÍSES EM DESENVOLVIMENTO:
Fraca produtividade e insuficiência de alimentos dando origem à Fome e subnutrição o que provoca Epidemias, mortes e conflitos sociais.

-

Desflorestação e erosão dos solos devido às queimadas. Desertificação Física e humana, ou seja, o avanço progressivo dos desertos devido à destruição dos solos, aumenta o Êxodo Rural.

- Esgotamento dos solos e Poluição dos cursos de água e do ambiente em geral devido à produção intensiva de um único produto (monocultura), utilizando químicos em grandes quantidades.

Problemas/ Impactes da Agricultura Moderna

PAÍSES DESENVOLVIDOS:

-

Sobreprodução (excesso de produção). Poluição e Erosão dos Solos, da águas e da atmosfera devido ao uso exaustivo de produtos químícos. lntrodução de espécies geneticamente manipuladas (transgénicas) cujas consequências para o Homem ainda não se encontram correctamente avaliadas, mas que devido à sua elevada produtividade têm vindo a ser cada vez mais cultivadas. (Ler Doc. 2 da pág. 131 do Manual)

-


O que é a Agricultura Biológica?

A agricultura que se caracteriza pela não utilização de adubos artificiais, aliando os conhecimentos tradicionais às modernas técnicas agrícolas e preservando a terra para as gerações vindouras. Melhora a fertilidade do solo e favorece a biodiversidade.

O que é a agricultura biológica  é um tipo de agricultura biológica

Para quê a agricultura biológica ? Os principais objectivos  da agricultura biológica são:
1. 2. 3. Produzir alimentos de suficiente quantidade; alta qualidade em Interagir de forma construtiva e equilibrada com os sistemas e ciclos naturais; Promover e desenvolver ciclos biológicos dentro do sistema de produção, envolvendo microorganismos, flora e fauna do solo, plantas e animais;

4.

Para quê a agricultura biológica?  Manter e/ou aumentar a fertilidade do solo a
longo prazo; Promover o correcto uso da água e a gestão racional dos recursos hídricos e da vida neles existentes; Contribuir para a conservação do solo e da água; Utilizar na medida do possível, recursos renováveis nos sistemas agrícolas organizados localmente;

5.

6. 7.

8.

Para quê a agricultura biológica? Trabalhar, na medida  possível, num ciclo do
fechado no que respeita à matéria orgânica (resíduos das culturas, estrumes, etc.) e elementos nutritivos; Trabalhar na medida do possível, com matérias e substâncias que possam ser reutilizadas ou recicladas, tanto na exploração agrícola como fora dela;

9.

10. Dar todas as condições de vida aos animais que lhes permitiram atingir os aspectos básicos do seu bem estar;

Para quê a agricultura biológica? 
11. Minimizar todas as formas de poluição que possam resultar de práticas agrícolas; 12. Considerar o impacto social e ecológico do sistema agrícola; 13. Produzir produtos não alimentares com base em recursos renováveis e completamente biodegradáveis (não poluentes);

Para quê a agricultura biológica? elevada qualidade 14. Produzir alimentos de
nutritiva, sem resíduos de produtos químicos tóxicos; 15. Reduzir ao mínimo o consumo de energia fóssil e utilizar os recursos locais; 16. Permitir aos agricultores uma melhor valorização das suas produções e uma dignificação da sua profissão.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->