P. 1
Agua para hemodiálise

Agua para hemodiálise

|Views: 2.768|Likes:
Publicado porRegininha22
por Renato Finotti
por Renato Finotti

More info:

Published by: Regininha22 on Nov 28, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

07/31/2013

pdf

text

original

A AGUA PARA HEMODIÁLISE – UM BEM PRECIOSO

RENATO FINOTTI JUNIOR Nefrologia HRMS – Novembro/2010 Yuan Lee, prêmio Nobel em Química (1986), disse: “A água é esquisita. É um líquido, quando deveria ser um gás; expande quando deveria contrair; e dissolve quase tudo que toca, se tiver tempo suficiente. No entanto, sem a esquisitice da água, a Terra deveria ser mais uma bola de gelo sem vida no espaço”. A água para hemodiálise quando inadequadamente tratada, coloca em risco a vida e a segurança do paciente. Para se ter uma idéia da magnitude do problema, para um indivíduo normal, o padrão estabelecido para ingestão de água são dois litros por dia ou 14 litros por semana. Além disso, a água dentro do tubo digestivo de uma pessoa normal é separada do sangue por uma membrana biológica altamente seletiva; o pouco de toxinas absorvidas no tubo digestivo e que chega ao sangue pode ser eliminada através de rins sadios. Pacientes que fazem 3 sessões de hemodiálise de 4 horas por sessão, estão expostos à aproximadamente 360 litros de água por semana, 25 vezes mais que a exposição à água pela ingestão diária. Aproximadamente 20.000 até 30.000 litros de água tratada entram em contato anualmente com o sangue do paciente através da membrana dialisadora. Durante uma hemodiálise fluem aproximadamente de 120 a 180 litros de solução de diálise através do dialisador, e esta solução de diálise é separada do sangue por uma membrana muito fina e pouco seletiva. A RDC nº 154, de 15 de junho de 2004 estabelece ausência de coliforme total, o número máximo aceitável de bactérias heterotróficas de 200UFC/ml na água e de 2000UFC/ml no dialisato; para as endotoxinas, uma concentração máxima aceitável de 2 EU/ml; portanto a análise

microbiológica e de endotoxina são necessárias para garantir ausência de risco biológico. A água fornecida pelo sistema de tratamento contém elementos químicos inerentes e adquiridos durante o tratamento, portanto a presença dos mesmos após o tratamento de osmose reversa pode ser um indicativo da necessidade de realizar manutenção do equipamento. Considerando a necessidade de redução de riscos aos quais fica exposto o paciente portador de insuficiência renal crônica que realiza diálise, a ANVISA estabeleceu o regulamento técnico para funcionamento dos serviços de Diálise, a Resolução –RDC nº 154, de 15 de junho de 2004. Os contaminantes químicos podem causar sérios agravos à saúde do paciente, as substâncias consideradas tóxicas na hemodiálise estão listadas no Quadro II da RDC nº 154/2004/Anvisa. Portanto para definir as características e dimensionamento do sistema de tratamento da água de uma unidade, torna-se necessário conhecer a composição da água fornecida ao setor de Hemodiálise. Logo no monitoramento deste serviço usaremos a Portaria 518/2004/MS, para avaliar a água que abastece a clínica, e a RDC nº 154/2004/ANVISA, para avaliar a água tratada que entrará em contato com o organismo do paciente através do processo de hemodiálise. Diversos são os métodos empregados para o tratamento de água destinada a hemodiálise, sendo que a osmose reversa deve ser considerada indispensável, diante da qualidade físico-químico e microbiológico que ela oferece. Sistemas conjugados, incluindo filtros mecânicos, deionizadores, elementos de carvão ativado e, por fim o processo por osmose reversa, com ou sem o uso de lâmpadas ultra-violeta e ozonização, parecem ser a conduta mais adequada para o tratamento da água a ser utilizada em rotinas de hemodiálise. Filtro de Areia

É o primeiro estágio de pré-tratamento e tem por objetivo a remoção de material particulado grosso presente na água de alimentação. Abrandador É o equipamento que remove principalmente cálcio, magnésio e outros cátions polivalentes. Contém resinas que trocam sódio por cálcio e magnésio. Carvão Ativado

Tem a função de adsorção, retendo cloro, cloretos, cloraminas, e substâncias orgânicas. São bastante porosos e têm alta afinidade por matéria orgânica, retendo ácido húmico, fúlvico, etc. Osmose Reversa A osmose reversa propicia uma água extremamente “pura” do ponto de vista físico, químico e bacteriológico. Retém entre 95 e 99% dos contaminantes químicos., e praticamente todas as bactérias, fungos e vírus. Portanto a vida se apóia no comportamento anormal da água que é uma molécula simples e estranha que pode ser considerada o líquido da vida.

Renato Finotti Jr é Farmacêutico Industrial, responsável pelo Tratamento de Água para Hemodiálise do HRMS e outros Centros.

“As falhas dos homens eternizam-se no bronze, as suas virtudes escrevemos na água”. William Shakespeare

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->