Você está na página 1de 4

c 

c  
 
c 
 
   
 

Os povos bantos, que habitavam o litoral da África, falavam diversas línguas (como o quicongo,
o quimbundo e o umbundo). Muitos vocábulos que nós usamos freqüentemente vieram desses
idiomas. Quer exemplos? "Bagunça", "curinga", "moleque", "dengo", "gangorra", "cachimbo",
"fubá", "macaco", "quitanda"...

Outros vocábulos também vieram de diferentes povos africanos, os jejes e os nagôs (que
falavam línguas como o fon e o ioruba). Palavras como "acarajé", "gogó", "jabá" e muitas outras
passaram a fazer parte do nosso vocabulário, foram incorporados à nossa cultura. Em geral,
trata-se de nomes ligados à religião, à família, a brincadeiras, à música e à vida cotidiana.

Quer um exemplo bem trivial? "Bunda". Essa palavra também é africana, pode ter certeza. Se
não fosse por ela, teríamos que dizer "nádegas", que é efetivamente o termo português para essa
parte do corpo humano. Da mesma maneira, em vez de "cochilar", teríamos que dizer
"dormitar". Em vez de "caçula", usaríamos uma palavra bem mais complicada: "benjamim".
Empolado, não é?

Dizem que a língua banta tem uma estrutura parecida com o português, devido ao uso de muitas
vogais e sílabas nasais ou abertas. Deve ser verdade, observe os sons da palavra "moleque" e de
"gangorra". Parece também que o jeito malemolente (isto é, devagar e cheio de ginga) de falar
facilitou a integração entre o banto e o português.

A verdade é que hoje a gente usa tantas palavras africanas que nem repara em sua origem. Quer
ver? O que seria do Brasil sem o "samba"? E tem mais: "cachaça", "dendê", "fuxico",
"berimbau", "quitute", cuíca", "cangaço", "quiabo", "senzala", "corcunda", "batucada",
"zabumba", "bafafá" e "axé".

Para quem não sabe, "bafafá" significa confusão. E "axé" é uma saudação com votos de paz e
felicidade.

  

      



Ora! Eles viveram anos no Brasil como escravos, infelizmente. E a língua portuguesa é
riquissima exatamente por isso. E o povo africano só venho somar, enriquecendo mais ainda
com seus hábitos e costumes e sua língua numa variedade grande de dialetos. A língua
poprtuguesa recebeu influência de todas nações que invadiram a Península Ibérica na época das
grandes conquistas, como dos mouros e dos árabes, por exemplo. Leia a história da sua origem.
É linda! Imagine uma outra nação vivendo aqui dentro do Brasil que tem o português como
língua oficial. Não podia dá outra... Somando-se o fato de que o brasileiro tem uma facilidade
muito grande de se integrar ao novo, sem preconceitos, alem de muito criativo. Adotou
inclusive hábitos e costumes, como o jogo da capoeira com sua ginga; a culinária africana com
sua criatividade criando a famosissima feijoada e contribuiu com uma das suas grandes marcas,
a influência e crenças religiosa. Maravilhoso.

A
abará: bolinho de feijão.
acará: peixe de esqueleto ósseo.
acarajé: bolinho de feijão frito (feijão fradinho).
agogô: instrumento musical constituído por uma dupla campânula de ferro, produzindo dois
sons.
angu: massa de farinha de trigo ou de mandioca ou arroz.

B
bangüê: padiola de cipós trançados na qual se leva o bagaço da cana.
bangulê: dança de negros ao som da puíta, palma e sapateados.
banzar: meditar, matutar.
banzo: nostalgia mortal dos negros da África.
banto: nome do grupo de idiomas africanos em que a flexão se faz por prefixos.
batuque: dança com sapateados e palmas.
banguela: desdentado.
berimbau: instrumento de percussão com o qual se acompanha a capoeira.
búzio: concha.

C
cachaça: aguardente.
cachimbo: aparelho para fumar.
cacimba: cova que recolhe água de terrenos pantanosos.
Caculé: cidade da Bahia.
cafife: diz-se de pessoa que dá azar.
cafuca: centro; esconderijo.
cafua: cova.
cafuche: irmão do Zumbi.
cafuchi: serra.
cafundó: lugar afastado, de acesso difícil.
cafuné: carinho.
cafungá: pastor de gado.
calombo: quisto, doença.
calumbá: planta.
calundu: mau humor.
camundongo: rato.
Candomblé: religião dos negros iorubás.
candonga: intriga, mexerico.
canjerê: feitiço, mandinga.
canjica: papa de milho verde ralado.
carimbo: instrumento de borracha.
catimbau: prática de feitiçaria .
catunda: sertão.
Cassangue: grupo de negros da África.
caxambu: grande tambor usado na dança harmônica.
caxumba: doença da glândula falias.
chuchu: fruto comestível.
cubata: choça de pretos; senzala.
cumba: forte, valente.
Cumbe: povoação em Angola.

D
dendê: fruto do dendezeiro.
dengo: manha, birra.
diamba: maconha.

E
efó: espécie de guisado de camarões e ervas, temperado com azeite de dendê e pimenta.
Exu: deus africano de potências contrárias ao homem.

F
fubá: farinha de milho.

G
guandu: o mesmo que andu (fruto do anduzeiro), ou arbusto de flores amarelas, tipo de feijão
comestível.

I
inhame: planta medicinal e alimentícia com raiz parecida com o cará.
Iemanjá: deusa africana, a mãe d¶ água dos iorubanos.
iorubano: habitante ou natural de Ioruba (África).

J
jeribata: alcóol; aguardente.
jeguedê: dança negra.
jiló: fruto verde de gosto amargo.
jongo: o mesmo que samba.

L
libambo: bêbado (pessoas que se alteram por causa da bebida).
lundu: primitivamente dança africana.

M
macumba: religião afro-brasileira.
máculo: nódoa, mancha.
malungo: título que os escravos africanos davam aos que tinham vindo no mesmo navio; irmão
de criação.
maracatu: cortejo carnavalesco que segue uma mulher que num bastão leva uma bonequinha
enfeitada, a calunga.
marimba: peixe do mar.
marimbondo: o mesmo que vespa.
maxixe: fruto verde.
miçanga: conchas de vidro, variadas e miúdas.
milonga: certa música ao som de violão.
mandinga: feitiçaria, bruxaria.
molambo: pedaço de pano molhado.
mocambo: habitação muito pobre.
moleque: negrinho, menino de pouca idade.
muamba: contrabando.
mucama: escrava negra especial.
mulunga: árvore.
munguzá: iguaria feita de grãos de milho cozido, em caldo açucarado, às vezes com leite de
coco ou de gado. O mesmo que canjica.
murundu1: montanha ou monte; montículo; o mesmo que montão.
mutamba: árvore.
muxiba: carne magra.
muxinga: açoite; bordoada.
muxongo: beijo; carícia.
maassagana: confluência, junção de rios em Angola.

O
Ogum ou Ogundelê: Deus das lutas e das guerras.
Orixá: divindade secundário do culto jejênago, medianeira que transmite súplicas dos devotos
suprema divindade desse culto, ídolo africano.

P
puita: corpo pesado usado nas embarcações de pesca em vez fateixa.

Q
quenga: vasilha feita da metade do coco.
quiabo: fruto de forma piramidal, verde e peludo.
quibebe: papa de abóbora ou de banana.
quilombo: valhacouto de escravos fugidos.
quibungo: invocado nas cantigas de ninar, o mesmo que cuca, festa dançante dos negros.
queimana: iguaria nordestina feita de gergelim .
quimbebé: bebida de milho fermentado.
quimbembe: casa rústica, rancho de palha.
quimgombô: quiabo.
quitute: comida fina, iguaria delicada.
quizília: antipatia ou aborrecimento.

S
samba: dança cantada de origem africana de compasso binário ( da língua de Luanda, semba =
umbigada).
senzala: alojamento dos escravos.
soba: chefe de trigo africana.

T
tanga: pano que cobre desde o ventre até as coxas.
tutu: iguaria de carne de porco salgada, toicinho, feijão e farinha de mandioca.

U
urucungo: instrumento musical.

V
vatapá: comida.

X
xendengue: magro, franzino.

Z
zambi ou zambeta: cambaio, torto das pernas.
zumbi: fantasmas.
|