Você está na página 1de 4

"Fique quieto.

Agora vou sugá-lo até a verdadeira fronteira da morte, e quero que fi
que quieto, tão quieto que quase possa ouvir o fluxo do sangue em suas veias, tão qu
ieto que possa ouvir o fluxo deste mesmo sangue nas minhas. Mas lhe contarei um
segredo, se é que posso faze-lo, que se aplica não somente a vampiros, como a genera
is, soldados e reis. A maioria de nós prefere ver alguém morrer do que suportar uma
indelicadeza em nossa própria casa."

[Com um terno negro o advogado do diabo como era apelidado pelos juizes do tribu
nal,estava no concerto admirando a bela mulher que cantara.Com seu cabelo meio a
rrepiado e seu cavanhaque desenhado Raziel sorria para a mulher tentando chamar
sua atenção.Ela dançava como o movimento das aguas que se desintegrava ao amanhecer.Bu
scando pela vida,ela se perdeu nos olhos do homem que a contemplava e se afogou
em seu brilho.O homem nota que ela sentiu sua presença,agora era só soltar seu charm
e e ela seria mais uma vitima da noite.Ele fixa os olhos no dela e como um orgas
mo de fascinio ele a hipnotiza por um momento.] {FIM DE CONCERTO
} [Emily p
repara-se para sair,pega seu casaco,esta chovendo lá fora.] -Em
ily,não quer uma carona?[pergunta um dos seguranças que ja estava de saída de seu expe
diente]-Oh não,obrigada Alex,pode ir,irei aguardar um taxi.
[Ja passam das 23:00 e a noite a cada momento parece mais gelida,ela então a
vista um farol ao fundo...Raziel para com sua BMW X6 2009 um modelo prateado esp
ortivo abre o vidro e olha para a jovem]
-Belo show,mais faltou o gran finale[diz Raziel acompanhando as curvas do corpo
de Emily com os olhos]
[Emily sorri meio desconsertada,mais corresponde ao homem que a fitou por toda a
noite.]-Agradeço,mais não sei como poderia incluir um gran finale como diz...
[Meia noite,bate o sino na igreja do outro lado da rua,ela observa o relo
gio e fica aflita,pensando em ter aceitado a carona de Alex,nenhum taxi esta a r
odar,resolve então despedi-se do tal rapaz e seguir a pé.]-Olha se quiser aparecer m
ais vezes seria bom ve-lo novamente,mais agora tenho de ir,pois esta tarde e par
ece não haver condução,aproveitarei que a chuva ja estiou,tenha uma boa noite Senhor.#
Emily aressa o passo,pois surgi um medo repentino,não conhecia aquele homem,nem ao
menos sabia seu nome,como confiar?!-REalmente agradeço o convite,mais não ficaria b
em para uma moça como eu aceitar carona de um estranho.[Ela cobre o decote de sua
blusa e segura forte sua bolsa,com medo de que ele a roubasse.]
-Vamos,entre,eu insisto,esta rua esta cheia de perigo,olhe,eu me chamo Raziel,vi
u ja não mais um estranho para voce.[vendo que não mais havia escolhas,aceitou a car
ona de Raziel.]
-Realmente és muito bela,ao que vejo,pele macia,coxas torneadas,labios avermelhado
s e cabeos eternamente negros.[dizia raziel olhando-a e pensando em como seria b
om fazer a bela jovem gemer em cima dele]
-ah obrigada[se cobrindo]
{MEIA HORA SE PASSA E O SILENCIO AINDA TOMA CONTA DO CARRO ATÉ QUE...}
-Olha terei de passar em casa primeiro,pois tenho de ver minha mãe que esta de cam
a,não se importa não é ?!
-...olha eu não...[antes que emily terminasse Raziel a interrompe]
-ah que bom que não se importa,veja ali esta,ja chegamos.Venha,suba comigo,ou pref
eres ficar dentro de um carro estacionado em uma rua deserta?!Entre não tenha medo
.
[eles adentram a casa pouco iluminada.
-Raziel,mais não havia dito que sua mae estava de cama,este apartamento é muito pequ
eno para acomodar duas pessoas,ainda mais um delas estando doente]
-acalme-se,ela esta na casa ao lado,fique avontade ja retorno.
[Raziel sai.Emily em meio a sala de pouca luz por sinal muito abafada,aproveita
para admirar as pinturas na parede de Raziel;eram flores de todos os tipos,algun
s até tinham mulheres pintadas com algum tipo de petala nos labios,pôde passar minut
os a fins observando os quadros...fora então surpreendida por Raziel que disse pau
sadamente por suas costas]-"Lindas,não acha?"
[Por um momento Emily ficara gelada e palida,mais logo retomou a cor retrucando.

-Pintar é apenas um hobbie que tenho.] -É.....Emily o acaricia o corpo.o que me deu para beber.sempre gostei muito de rosas.belas.esta na hora.]-Nunca vi arvore igual a es ta..podemos ir agora ? [Raziel poem a mao em seu ombros. [ela recusa a taça]-não nao..e quanto as pinturas.Emily deixa a taça cair ao chão.sabe na luz do luar as rosas ficam mais l indas.]-Mas.era lisa como se fosse uma pele macia. [Raziel da um sorriso doce pegando delicadamente a maos de Emily..assim como a criação de plantas. [Ele observa suas curvas e seu corpo e a toca nos ombros a deixando arrepiada.Emily não sabe o porque de estar desnorteada e então segue até Raziel.mais são de verdade?!Parecem tão reais.Quem é voce?[E le apenas a olha sem a responder seu olhar a fascina ele se aproxima mais não a to ca só circula por ela] -Esta confusa pq luta contra seus desejos..não tinha casca..isso não é alcoolico.esta drogada..esta tonta pq sua cabeça luta contra o q ue seu corpo quer.procura intensam ente por seu labios que eram avermelhados e o beija intensamente.e falando baixinho assoprando no seu pescoço ele fala.irei desde que não demore muito -Só ate sua bebida terminar.]-o que queres. ela toma mais um gole da bebida e se sente ainda mais relaxada. [Raziel a conduz até a estufa que ficava nos fundos da casa ao lado onde sua "mae" estava.afinal nem voce deveria beber...tira .] -sim sim.disse que me levaria em casa.pois acha ser frut o de sua imaginação]-devo estar imaginando coisas... Ao sentir seu toque.tem traços femininos[Emily ignora o que ve.mais diga-me o que tens em sua estufa? -Primeiro aceite a bebida. [ele continua com a taça na mao a entregando] -Quanto ao que planto...ela esta cheia de desejos por aq uele homem..irei embora sozinha! [Ela o empurra e tenta sair da estufa..Raziel esta tarde.....pois esta trancada.tenta lutar mais sua vontade é maior. [Ele a vira e acaricia seu rosto lhe dando um beijo roubado Ela recebe o beijo e sente seu corpo adormecer aos poucos..(Raziel sussurra a olhando) -Entregue-se [Emily fecha os olhos e se abraça ao corpo de Raziel quase caindo.violetas todas brilhando na luz da lua cheia] -Olhando bem pra elas tornam meu quadro apenas uma pintura morta não acha? [Os olhos de Emily brilham e o aroma exala]-Nossa são maravilhosas.suas raízes lembravam pernas.meio tonta.ro sas...então o toque suave faz seu corpo arrepiar a exci tando de forma incomum.ao abrir o local Emily ja fica admirada com o colorido de azuis.mais não quer se entregar.a inda tens de me levar para casa. [Ele entrega uma taça para ela sorrindo e olhando seu olhos] -Minha verdadeira paixão esta na minha estufa..parece uma mulher.podemos ir? [Emily toma mais um gole da bebida.ele da um passo para traz a olhando e sorr ir] -Pare!Não sairá. confusa.enquanto vc termina de beber que tal me acompanhar e admirar minha verdade ira arte...então aceita conhec er a estufa de Raziel] -Pois bem.venha buscar [Emily vira-se até Raziel e vai até ele calmamente.deixe-me agora mostrar meu talento ja que hoje apreciei o seu.lotus.ela sente um gostinho doce e agradavel nao er a nada que conhecia só se sente mais relaxada] -Antes de irmos venha ver minha estufa..Ra ziel a abraça e morde seu labio inferior fazendo ela tremer em seus braços depois a beija entrelaçando a lingua e acariciando sua nuca..geralmente são rosas..se quiser a chave.tulipas.[Ela observa à todas as plantas ali e então de depara com uma arvore estranh a que tinha formas muito semelhantes á de uma mulher.mandragora entre outras [ela olha para a taça e depois para Raziel e aceita a bebida]-Adoro rosas!Bom ja e sta ficando tarde demais.eu vou sair..precebe-se que gostas de plantas.então ela se vira para ele e se aproxima de seu labios e os toca suavemente olhando-o nos ol hos..roxos.como se atreve [empurrando Raziel]tem algo muito estranho aqui.prefiro não beber obrigada.estou amolecida e confusa.realmente magni ficas..

eu quero mais![Ordena Raziel.quero sentir seu cacete pulsando dentro.tudo nele era um traçado de arte.não entende o que Raziel diz.tem vida propria.o mesmo cai por sobre o bico de seus seios empinadinhos..na espera de um toque profundo.bem rapido e fort e.a cena a excita mais ainda..e seu liquido escorre abundante.ele afasta seus cabe los e beija seu pescoço com mordidas a deixando deixando paralizada de extase] -Quero ser sua[diz Emily em um tipo de estado de embriagues..enfraquecida. Emily não deixa de reparar na mandragora..uma por sua vez muito fina e transparente.ela senta de costas para ele e começa a cavalgar no seu pau.aberta.Ela acaricia seus seios.desliza com as pontas dos dedos e massageia seu sexo.passando a borda da taça pela sua virilha.Entrando em transe comple to.quase desmaia.Raziel suspira puxando seus cabelos] -Ahhh!!Isso! [Emily percebe a mandragora se mecher.Ele arranca sua calcinha e penetra um dedo bem fundo nela a be ijando na boca] -Deixe eu sentir seu gosto [Raziel se agaxa e chupa ela forte penetrando a lingua.enquanto ele a chupa mais forte e intensamente] -Hummm [Raziel começa a lambe-la prescionando seu clitoris]-Aaaaahhhh [Emily geme baixinh o a cada chuapada dele.ele a acaricia deslizand o seus dedos sobre seu corpo e afasta a alça de seu vestido e se afasta vendo ele cair no chão.Emily delira com os toques dele.Raziel era branco e tinha uma tatoagem de uma rosa negra no peito b em definido e malhado.] -Como assim? [Raziel apenas volta a penetra ela mais forte a jogando pra cima e fazendo cair .pois estava somente de calcinha.pronta para gozar ela se deixa levar.] -Ela esta viva [Raziel a segura pela cintura firme] -Graças a voce Emely! [Emily.tirando a camisa e o sinto a olhando.[Emily parece possuida.Raziel sorri e agarra firme deitando ela no chão da estufa] -Voce logo sera nossa.quer o senti-lo dentro de min.sent indo a lingua de Raziel a invadir mais e mais...]-Me fode vai.o corpo de Emily se arrepia todo.a mesma que se solta com a força com que ela a segurou.estava a todo o momento observando os d ois transarem.Ao sentir o corpo de Raziel tocar ao seu ela o sente frio mais seu calor era tão intenso que o esquentava.à merce do que Raziel quiser.que cada vez mais para ela se parece com um corpo de uma mulher.ndo o terno e abrindo os primeiros botoes de sua camisa.bem fundo.seus quad ros a estufa e seu corpo escultural.vem s eu filho da puta me fode gostoso.acaricia o peito de Raziel e meio que tonta se segura na calça dele.um corpo perfeito.co meça a penetra-la rapidamente. ele a chupa mais forte e depois a massageia rapido lhe beijando na boca enquanto enxe a taça com seu gozo] -Mais.Raziel aumenta o ritimo] -Rebola no meu pau [Raziel diminui lenatamente o ritimo e depois tira deitando-se para ela se sent ar.a cada estocada del e ela se curvava e gemia.pode até em relance ver os olhos negros dela brilhar.] -Beba um pouco [Raziel derrama um pouco de sua secreçao em sua boca e vc sente aquele gostinho do ce e pegajoso de antes.com a vista meio embassada não repa ra que a mandragora sim.Ela meio que tenta cobrir seu se xo.ele a mas sageia enquanto a presciona seu clitoris com a boca e poem a taça entre suas perna s] -Goza pra mim![Emily senta meio que apoiada pelos braços.Ela à ponto de gozar.esta entregue.ela inclica a cabeça para tras e relaxa os musculos..Emily nem repara na taça que Raziel segura.para observar ele a chupa ndo todinha.ele a penetra com força.apertando-os bem forte.seus dedos eram firmes e rapidos não paravam e as vezes escorregavam penetrando ela bem fundo..abre-se mais e mais para ele.re tira então o laço que prendia seu cabelo.Emily se extremesse de tanto pr azer que acaba prendendo a cabeça de Raziel por entre as pernas.colhendo as suas secreçoes.mais d esconsidera a visão. [A voz de Raziel abafada beijando seu pescoço e que desliza pelos seus seios morde ndo e chupando.

Raziel a beija levando ela para proximo da arvore e entao quando ele termina d e beija-la ela sente uma estocada.mais não para a chupada que é al ternanda entre rapidas e lentas.Raziel fica impressionado com o vigor dela.Ela o c hupa bem devagar.os gritos dos dois a atormentavam.em seu penis com força até ela gozar e assim que ela goza ele vira seu corpo em dir eção a arvore] -Regue minha pobre maezinha doente [Raziel fala em tom de sarcasmo rindo.ou não! [Raziel fala manso baixinho com ela abraçada em seus braços.quero que cuspa aqui! [O seu gozo se misura à saliva dela que escorre pelo cantinho da boca.A vida de Emily se esvai pela estufa..descia por entre as pernas da mandragora um fluído esverdeado misturado à sangue e gozo colhido s das vítimas e pricipalmente de Emily.Raziel jorra mais e mais suspirando a olhando] -Ahhh!!Delicia [A taça então se enche de secreçoes..Raziel molha Emily tambem e por fim pega seu cigarro e ascende com um isquero] -Tenha bons sonhos Emily [Raziel da um trago jogando o isquero na estufa e abraça sua mandragora pela cintu ra olhando a estufa queimar.Raziel apenas acaricia seu rosto e da para ela o que ela quer.caída Emily observava os dois transarem no chão da estufa.talvez o tesao ou talvez o seu vigor.pele macia.]-Deixa-me chupa-lo. começa então à encharcar a estufa de gasolina.entre suores.Dentro do carro a mandragora se nte um aperto no peito e fala a sua primeira palavra: "Acorde".para darem vida à sua criação.Emily chega a engasgar.] -Não lute.mais de nada adiantava.entregou-se a Raziel.quero sentir seu gosto[E la se vira à ele e se abaixa em direção seu sexo.com sua mandragora viva.todas mortas.saliva e gozo.Eles saem apressados..o fato é que a essa hora era para estar desmaiada.Raziel apenas a olha e Emily olha para o peito e ve uma especie de estaca que a perfurou por tras. cobrindo cada cm de seu pau.Ela tentava aparar o sangue que jorrava de seu peito..Emily o olha e como ultimo suspiro pergunta: Por q ue?Raziel aponta para a arvore] -Ela é minha mulher perfeita e precisava de voce para cura-la!Logo vc sera um belo quadro em minha sala[Tudo agora fazia sentido para Emily.eram vitimas de Raziel.ele suspira puxando seu cabelo com tesao] -Ahhh!Isso! [Engolindo todo o seu membro.Emily não consegue escutar o que Raziel fal a.Emily caiu para frente e viu a arvore tomar mais forma.Raziel começa a se livrar de todas as pistas. e pois engolindo cada pedacinh o dele e cobrindo de saliva.Na estufa em uma sala separada com todas as plantas queimadas uma arvore abre os olhos.] lady syren 28/11/2010 .apena feche os olhos e pense que vc ira se transforma em algo melhor.mais não sabia falar.Raziel chega a recolher-se de tesao mais depois empurra sua boca] -Não engula.uma gota de sangue escorre d e sua boca cujo Raziel lambe.os quadros de mulheres pintadas em meio as plantas..ela tinha corpo de mulher.e "drogada" se poe a satisfaze-lo.Emily volta então à beija-l o.

Interesses relacionados