Você está na página 1de 47

01) Um cilindro com êmbolo móvel contém 100 mL de CO2 a 1,0 atm.

Mantendo a temperatura constante, se quisermos que o volume


diminua para 25 mL, teremos que aplicar uma pressão igual a:

a) 5 atm.
V1 = 100 L V2 = 25 L
b) 4 atm.
c) 2 atm. P1 = 1 atm P2 = ? atm

d) 0,4 atm.
P1 x V1 = P2 x V2
e) 0,1 atm
1 x 100 = P2 x 25

100
P2 =
25

P2 = 4 atm
02) Sem alterar a massa e a temperatura de um gás, desejamos que
um sistema que ocupa 800 mL a 0,2 atm passe a ter pressão de
0,8 atm. Para isso, o volume do gás deverá ser reduzido para:

a) 600 mL.
V1 = 800 mL V2 = ? mL
b) 400 mL.
c) 300 mL. P1 = 0,2 atm P2 = 0,8 atm
d) 200 mL.
e) 100 mL. P1 x V 1 = P2 x V2

0,2 x 800 = 0,8 x V2

160
V2 =
0,8

V2 = 200 mL
03) A cada 10 m de profundidade a pressão sobre um mergulhador
aumenta de 1 atm com relação à pressão atmosférica. Sabendo-se
disso, qual seria o volume de 1 L de ar (comportando-se como gás
ideal) inspirado pelo mergulhador ao nível do mar, quando ele
estivesse a 30 m de profundidade?

a) 3 L. V=1 L
b) 4 L. P =1 atm
c) 25 mL.
P 1d)X250
V1 = P2
mL. X V2
10 m P =2 atm
e)
1 333
x 1mL.
= 4 x V2
20 m P =3 atm
1= 4 x V2
1
V2 = V2 = 0,25 L 30 m V=? L
4 ou 250 mL P =4 atm
04) Um recipiente cúbico de aresta 20 cm contém um gás à pressão de
0,8 atm. Transfere-se esse gás para um cubo de 40 cm de
aresta,
mantendo-se constante a temperatura. A nova pressão do gás é
de:
a) 0,1 atm.
b) 0,2 atm. 20 cm

c) 0,4 atm. 40 cm
T = constante
d) 1,0 atm
20 cm
e) 4,0 atm. 20 cm 40 cm
40 cm
P = 0,8 atm
P’ = ? atm
3
8aL cm 3
20
V = 8000 V’ = 40 a L3 cm 3
64
64000
P’ x V’ = P x V
6,4
P’ x 64 = 0,8 x 8 P’ = P’ = 0,1 atm
64
01) Um recipiente com capacidade para 100 litros contém um gás
à temperatura de 27°C. Este recipiente e aquecido até uma
temperatura de 87°C, mantendo – se constante a pressão. O
volume ocupado pelo gás a 87°C será de:

a) 50 litros. V1 = 100 L T1 = 27°C + 273 = 300 K


b) 20 litros.
V2 = ? T2 = 87°C + 273 = 360 K
c) 200 litros.
d) 120 litros. V1
100 V2
= 300 X V2 = 100 x 360
e) 260 litros. 300
T1 360
T2

36000
V2 = V2 = 120 L
300
02) Certa massa de um gás ocupa um volume de 800 mL
a – 23°C, numa dada pressão. Qual é a temperatura na
qual a mesma massa gasosa, na mesma pressão, ocupa
um volume de 1,6 L?
a) 250 K. V1 = 800 mL
b) 350 K. T1 = – 23°C + 273 = 250 K
c) 450 K. V2 = 1,6 L = 1600 mL
d) 500 K. T2 = ?
e) 600 K.
800
V1 1600
V2
= 800 x T2 = 250 x 1600
T1
250 T2
400000
T2 = T2 = 500 K
800
01) Um recipiente fechado contém hidrogênio à temperatura
de 30°C e pressão de 606 mmHg. A pressão exercida
quando se eleva a temperatura a 47°C, sem variar o
volume será: T1 = 30°C + 273 = 303 K
a) 120 mmHg. P1 = 606 mmHg
b) 240 mmHg.
T2 = 47°C + 273 = 320 K
c) 303 mmHg.
P2 = ?
d) 320 mmHg.
P1
606 P2
e) 640 mmHg. 2 = P2 = 2 x 320
303
T1 320
T2
P2 = 640 mmHg
02) Em um dia de inverno, à temperatura de 0°C, colocou-se uma
amostra de ar, à pressão de 1,0 atm, em um recipiente de volume
constante. Transportando essa amostra para um ambiente a 60°C,
que pressão ela apresentará?
a) 0,5 atm. T1 = 0°C + 273 = 273 K
b) 0,8 atm.
P1 = 1 atm
c) 1,2 atm.
T2 = 60°C + 273 = 333 K
d) 1,9 atm.
e) 2,6 atm. P2 = ?
P11 P2
= 273 x P2 = 1 x 333
273
T1 333
T2
333
P2 =
273

P2 = 1,2 atm
3) Um cilindro munido de êmbolo contém um gás ideal representado
pelo ponto 1 no gráfico. A seguir o gás é submetido sucessivamente
à transformação isobárica (evolui do ponto 1 para o ponto 2), isocórica
(evolui do ponto 2 para o ponto 3) e isotérmica (evolui do ponto 3 para
o ponto 1). Ao representar os pontos 2 e 3 nas isotermas indicadas,
conclui-se que:

P (atm) e)aoatemperatura
b)
a)
d)
c) pressãodo
pressão
volume dogás
do gás
gás
do nono
gás
no
no estado
estado
estado 232éé23é10
estado 2é2atm.
atm.
450
600
L. K.
3 P = 1 atm
O gás
gás no estado32de
no estado tem1 temperatura
tem para 2 (isobárica)
volume de é20300
L. K.
1
2 2
10
V1 V
202
T (K) =
T1
300 T2
1 300 K
3 10 x T2 = 20 x 300

6000
10 20 30 V (L) T2 =
10

T2 = 600 K
01) Certa massa de gás hidrogênio ocupa um volume de 100 litros a
5 atm e – 73°C. A que temperatura essa massa de hidrogênio irá
ocupar um volume de 1000 litros na pressão de 1 atm?

a) 400°C. V1 = 100 L

b) 273°C. P1 = 5 atm
c) 100°C. T1 = – 73°C + 273 = 200 K
d) 127°C. V2 = 1000 L
51
P 100
x V 1 1 2 x 1000
P V2
e) 157°C. P2 = 1 atm
=
T2 = ? T1
200 T2

5 1
= 1 1000
X X
5 x T2 = 2 x 1 x 1000
2 T2

2000
T2 = T2 = 400 K – 273 = 127°C
5
02) Uma determinada massa de gás oxigênio ocupa um volume de 12 L a uma
pressão de 3 atm e na temperatura de 27°C. Que volume ocupará esta
mesma massa de gás oxigênio na temperatura de 327°C e pressão de 1 atm?

a) 36 L.
b) 12 L. P31 x 12
V1 P 12 x V2
V 1 = 12 L =
c) 24 L. 300
T1 600
T2
P1
d) 72 L. = 3 atm
300 x V2 = 3 x 12 x 600
e) 48
T L. + 273 = 300 K
1 = 27 °C
3 x 12 x 600
V2 = ? V2 =
300
T 2 = 327 °C + 273 = 600 K
V2 = 21600
P 2 = 1 atm
300
V 2 = 72 L
01) Assinale a alternativa correspondente ao volume ocupado por
0,25 mol de gás carbônico (CO2) nas condições normais de
temperatura e pressão (CNTP):
a) 0,25 L. 1 mol 22,4 L
b) 0,50 L. 0,25 mol V
c) 5,60 L.
1 22,4
d) 11,2 L. =
e) 22,4 L. 0,25 V

1 x V = 0,25 x 22,4
V = 5,6 L
02) Nas CNTP, o volume ocupado por 10g de monóxido de carbono
é:
Dados: C = 12 u; O = 16 u.
a) 6,0 L. 1 mol 22,4 L 28
Mg
b) 8,0 L.
V 10 g
c) 9,0 L. CO M = 12 + 16
22,4 28
M = 28 u28 x V = 10 x 22,4
d) 10 L. =
e) 12 L. V 10 224
V = = 8L
28
Podemos calcular o seu valor considerando-se um dos
estados do gás nas CNTP, isto é,
T0 = 273 K, P0 = 1 atm ou 760 mmHg e
V0 = 22,4 L, assim teremos:

PV 1 X 22,4
= 0,082 para 1 mol
T 273

Considerando “n” mols de gás ideal a relação é:

PV
= 0,082
R X n P x V = n x R xT
T
A constante universal dos gases pode ser:
atm . L mmHg . L
R = 0,082 ou R = 62,3
mol . K mol . K
01) Podemos afirmar que 5 mols de moléculas de gás oxigênio submetido a
27°C e ocupando o volume de 16,4 L exercerão uma pressão de:

a) 3,0 atm. n = 5 mols


P.V=n.R.T
b) 5,0 atm. T = 27°C + 273 = 300 K
c) 3,5 atm.
P x 16,4 = 5 x 0,082 x 300
V = 16,4 L
d) 7,5 atm. P x 16,4 = 123
P=?
e) 2,5 atm. 123
P =
16,4

P = 7,5 atm
02) O volume ocupado por 14,2g de gás cloro (Cl2) medidos a 8,2 atm
e 727°C é de:
V=?
Dado: Cl = 35,5 u
14,2
m = 14,2 g n = = 0,2 mol
a) 1,0 litro. 71
P = 8,2 atm
b) 1,5 litros.
T = 727°C + 273 = 1000 K
c) 2,0 litros.
P.V=n.R.T
d) 2,5 litros.
e) 3,0 litros. 8,2 x V = 0,2 x 0,082 x 1000
8,2 x V = 16,4
16,4
V = V = 2L
8,2
03) Qual a temperatura de um gás, de modo que 2,5 mol desse gás
ocupem o volume de 50 L à pressão de 1246 mmHg?
a) 250 K. T=? P.V=n.R.T
b) 300 K. n = 2,5 mol
1246 x 50 = 2,5 x 62,3 x T
c) 350 K. V = 50 L
62300 = 155,75 x T
d) 400 K. P = 1246 mmHg
62300
e) 450 K. T =
155,75

T = 400 K
V=2L V=2L
T = 300 K P = 1 atm T = 300 K P = 1 atm

Volumes IGUAIS de gases quaisquer, nas


mesmas condições de TEMPERATURA e PRESSÃO
contêm a mesma quantidade de MOLÉCULAS
01) Um balão A contém 8,8 g de CO2 e um balão B contém N2. Sabendo
que os dois balões têm igual capacidade e apresentam a mesma
pressão e temperatura, calcule a massa de N2 no balão B.
Dados: C = 12 g/mol; O = 16 g/mol; N = 14 g/mol.
a) 56g.
balão B
balão A
b) 5,6g.
N2
CO2
c) 0,56g.
d) 4,4g. mB x 44 = 28 x 8,8= ?
m
m = 8,8g
e) 2,8g. 246,4
mB =
VA = VB mA
8,8 m44
B
nA = nB
PA = P B mAB = 5,6
44
M MBg
28
TA = TB
02) (Covest-98) Em certas condições de temperatura e pressão, 10 L de
hidrogênio gasoso, H2, pesam 1 g. Qual seria o peso de 10 L de
hélio, He, nas mesmas condições?
Dados: H = 1g / mol; He = 4 g / mol

VH2 = 10 L
VHe = 10 L mHe m1H2
nHe = nH 2
PHe = PH2 M4He M2H2
THe = TH2 mHe X 2 = 4 X 1
mH2 = 1g 4
mHe = mHe = 2 g
mHe = ? 2
Muitos sistemas gasosos são formados por diversos tipos de gases e
estas misturas funcionam como se fosse um único gás

GÁS A GÁS B MISTURA

PA VA TA nA PB VB TB nB P V T

nT = nA + nB
Podemos estudar a mistura gasosa ou relacionar a
mistura gasosa com os gases nas condições iniciais
pelas expressões

P xV PA x V A PB x V B
P . V = nT . R . T e = +
T TA TB
01) Dois gases perfeitos estão em recipientes diferentes. Um dos gases ocupa
volume de 2,0 L sob pressão de 4,0 atm e 127°C. O outro ocupa volume
de 6,0 L sob pressão de 8,0 atm a 27°C. Que volume deverá ter um
recipiente para que a mistura dos gases a 227°C exerça pressão de 10 atm?

gás A gás B P . V PA . VA PB . VB
= +
T TA TB
10 . V 4 . 2 8. 6
= +
g

500 400 300

10 . V 4 . 2 8. 6
VA = 2,0 L = +
5 4 3
PA = 4,0 atm
VB = 6,0 L V = ?
TAA = 400
127 K
ºC
PB = 8,0 atm P = 10 atm 2 . V = 2 + 16

TBB = 300
27 ºC
K T = 500
227 K
ºC 18
V = V = 9L
2
02) Se o sistema representado abaixo for mantido a uma temperatura
constante e se os três recipientes possuírem o mesmo volume, após
abrirem as válvulas A e B, a pressão total nos três recipientes
será:
a) 3 atm.
b) 4 atm.
c) 6 atm.
d) 9 atm..
e) 12 atm. H2 He

P x 3VV P31 x V1 P92 x V2


= +
T TT1 TT2

3P = 3 + 9
12
3 P = 12 P= P = 4 atm
3
temperatura constante de 300 K,
são colocados 110 L de nitrogênio a 5,0 atm e 57ºC, 80 L
de oxigênio a 2,5 atm e
– 23ºC e 50 litros de neônio a 3,2 atm e 47ºC. A pressão
total da mistura gasosa,
a) 4,45 atm. V = 200 V1 = 110 L V2 = 80 L V3 = 50 L
em atm, é:
b) 5,00 atm. L P1 = 5,0 atmP2 = 2,5 atm P3 = 3,2 atm
c) 5,70 atm. P = ? 57°CK T2 = 250
T1 = 330 – 23 K°C T3 = 320
47 °C
K
d) 7,50 atm. atm
P x V P1 x V1 P2 x V2 P3 x V3
= + +
e) 9,90 atm. T = 300
T T1 T2 T3
K
P x 200 5 x 110 2,5x 80 3,2x 50
= + +
300 330 250 320

2 x P 5 x 1 1x 8 1x 5 8
= + + 20 P
20
P =P9
50
= + 24 +P15
=
3 3 10 10 89 2
= 4,45
0
04) Em um recipiente com capacidade para 80 L são colocados 4,06 mols de um
gás X e 15,24 mols de um gás Y, exercendo uma pressão de 6,33 atm.
Podemos afirmar que a temperatura em que se encontra essa mistura gasosa
é:
a) 300 K. T = ? n X = 4,06 mols
b) 320 K. V = 80 L n Y = 15,24 mols
c) 150 K.
P = 6,33 atm n T = 19,3 mols
d) 273 K.
e) 540 K. P . V = nT . R . T
6,33 X
80 = 19,3 X 0,082 X T 506,4 = 1,5826 X T
506,4
T = T = 320 K
1,5826
05) Considere a mistura de 0,5 mol de CH4 e 1,5 mol de C2H6, contidos

num recipiente de 30 L a 300K. A pressão total, em atm, é igual a:


a) 1,64 atm. P . V = nT . R . T
b) 0,82 atm.
P . 30 = 2 . 0,082 . 300
c) 0,50 atm.
2 . 0, 82 . 30
d) 0,41 atm. P =
e) 0,10 atm. 30

P = 1,64 atm
É a pressão exercida por um gás, ocupando sozinho o volume da
mistura, na temperatura da mistura

Pressão parcial do gás A


B

P BA
P’
T

V
nn TAB
MISTURA GASOSA

P x V = n T x R x T

P’A x V = n A x R x T

P’ A x V PA x V A
=
T TA

P’B x V = n B x R x T

P’B x V PB x V B
=
T TB
Verifica-se que:
P = P’A + P’B
01)(UEL-PR) Considere a mistura de 0,5 mol de CH4 e 1,5 mol de C2H6,

contidos num recipiente de 30 L a 300K. A pressão parcial do CH4,

em atm, é igual a: P . V = nT . R . T
a) 1,64 atm.
P . 30 = 0,5 . 0,082 . 300
b) 0,82 atm.
c) 0,50 atm.
0,5 . 0, 82 . 30
P =
d) 0,41 atm. 30
e) 0,10 atm. P = 0,41 atm
02) Uma mistura de 12 g de etano ( C2H6 ) e 2,4g de hélio (He) foi
recolhida num balão de volume igual a 22,4 L mantido a 273 K. As
pressões parciais, em atm, do C2H6 e do He no interior do balão
são, respectivamente:
12
a) 0,5 e 0,5. m C H = 12 g n = = 0,4 mol V = 22,4 L
2 6
30
b) 0,4 e 0,6.
T = 273 K
c) 1,6 e 2,4. 2,4
m He = 2,4 g n = = 0,6 mol
4
d) 0,8 e 1,2.
PC2H6 x 22,4 = 0,4 x 0,082 x 273
e) 3,0 e 4,0.
8,95
P C2H6 = P He = 0,4 atm
22,4

PHe x 22,4 = 0,6 x 0,082 x 273


13,43
P He = P He = 0,6 atm
22,4
É o volume que um dos
componentes da
mistura gasosa deve
P’
PA ocupar, na temperatura
da mistura, para
T
exercer a pressão da
V’ A
mistura gasosa
n T
A
P x V = nT x R x T

P x V’B = nB x R x T

P
P . V’B PB . VB
T =
T TB

V’
VB ou

P x V’A = nA x R x T
nBT

P . V’A PA . VA
=
LEI DE AMAGAT T TA

Verifica-se que: V = V’A + V’B


01) Uma mistura gasosa contém 4 mols de gás hidrogênio, 2 mols de
gás metano exercem uma pressão de 4,1 atm, submetidos a uma
temperatura de 27°C. Calcule os volumes parciais destes dois gases.

nH2 = 4 mols P X VH2 = nH2 x RxT


nCH4 = 2 mols
4,1 X V’H2 = 4 x 0,082 x 300 4,1 X V’CH4 = 2 x 0,082 x 300
P = 4,1 atm

T = 300
27° C
K 4 x 0,082 x 300 2 x 0,082 x 300
V’H2 = V’CH4 =
4,1 4,1
V’ H2 = ?
V’ CH4 = ? V’H2 = 24 L V’CH4 = 12 L
02) Uma mistura gasosa contém 6 mols de gás hidrogênio, 2 mols de
gás metano e ocupa um recipiente de 82 L. Calcule os volumes
parciais destes dois gases.
n H2 = 6 mols
Podemos relacionar, também, o volume parcial
n CH4
= 2 mols com o volume total da mistura pela
expressão abaixo
V = 82 L

V’ A = x A x
V

6
x H2 = = 0,75 V’H2 = 0,75 x 82 = 61,5 L
8
2
x CH4 = = 0,25 V’CH4 = 0,25 x 82 = 20,5 L
8
A densidade absoluta de um gás é o quociente entre a
massa e o volume deste gás medidos em certa
temperatura e pressão

m m
P x V = n x R x T P x M= d x R x T
M V

P x M
d =
R x T
01) A densidade absoluta do gás oxigênio (O2) a 27ºC e 3 atm de pressão
é:
Dado: O = 16 u d=?
a) 16 g/L. MO2 = 32 u
b) 32 g/L.
T = 27°C+ 273= 300 K
c) 3,9 g/L.
P = 3 atm
d) 4,5 g/L.
e) 1,0 g/L. R = 0,082 atm . L / mol . K

P x M 3 x 32 96
d= = = = 3,9 g/L
R x T 0,082 x 300 24,6
M
d =
22,4
01) A densidade de um gás é 1,96 g/L medida nas CNTP. A massa
molar desse gás é:
M
a) 43,90 g / mol. 1,96
d =
22,4
b) 47,89 g / mol.
M = 1,96 x 22,4
c) 49,92 g / mol.
d) 51,32 g / mol. M = 43,90 g/mol
e) 53,22 g / mol.
É obtida quando comparamos as densidades de dois gases,
isto é, quando dividimos as densidades dos gases, nas
mesmas condições de temperatura e pressão

Dados dois gases A e B, pode-se afirmar que a densidade


de A em relação a B é:

MA
d A,B =
MB
01) A densidade do gás carbônico em relação ao gás metano é igual a:
Dados: H = 1u; C = 12 u; O = 16 u

a) 44.
M44CO2
b) 16 d CO2 , CH4 = = 2,75
c) 2,75. M16CH4
d) 0,25
e) 5,46 CH42
CO M == 12
M 12
16
44 u.m.a.
++ 232
4 XX 16
1
Uma densidade relativa muito importante é quando
comparamos o gás com o ar atmosférico, que tem
MASSA MOLAR MÉDIA de 28,96 g/mol

M A
d A , Ar =
28,96
01) A densidade relativa do gás oxigênio (O2) em relação
ao ar atmosférico é:
Dado: O = 16 u

a) 16. M
32O2
d O2 Ar = = 1,1
b) 2. 28,96

c) 0,5.
O2 M = 32
2 u.m.a.
X 16

d) 1,1.
e) 1,43
Uma bola de festas com um certo tempo murcha,
isto ocorre porque a bola tem poros e o gás que se
encontrava dentro da bola sai por estes poros

Este fenômeno
denomina-se de
EFUSÃO
Quando abrimos um recipiente
contendo um perfume, após certo
tempo sentimos o odor do perfume

Isso ocorre porque algumas moléculas do


perfume passam para a fase gasosa e se
dispersam no ar chegando até nossas
narinas

Esta dispersão recebe o nome de


DIFUSÃO
A velocidade de difusão e de efusão é dada pela
LEI DE GRAHAM
que diz:

A velocidade de difusão e de efusão de um gás é


inversamente proporcional à raiz quadrada de sua densidade

Nas mesmas condições de temperatura e pressão a relação entre


as densidades é igual à relação entre suas massas molares, então:

vA dB vA M B
= =
vB dA vB MA
01) A velocidade de difusão do gás hidrogênio é igual a 27 km/min, em
determinadas condições de pressão e temperatura. Nas mesmas
condições, a velocidade de difusão do gás oxigênio em km/h é de:

Dados: H = 1 g/mol; O = 16 g/mol.

a) 4 km/h. v H2 =27 km/min=


27 km / (1/60) h
b) 108 km/h. v O2 = ?
c) 405 km/h. v H2 MO 2

d) 240 km/h. =
v O2 M H2
e) 960 km/h.
27 x 60 32
16
= 4 4 x v O2 = 27 x 60
v O2 2
1620
422 x
H
O v OM
2 =
= 1620
32
22u.m.a.
u.m.a.
XX 16
1 v O2 = = 405 km/h
4
02) ( Mackenzie – SP ) Um recipiente com orifício circular contém os
gases y e z. O peso molecular do gás y é 4,0 e o peso molecular do
gás z é 36,0. A velocidade de escoamento do gás y será maior em
relação à do gás z: M
y = 4u
a) 3 vezes
M z = 36 u
b) 8 vezes
vy M
36z
c) 9 vezes 9
= 3
d) 10 vezes vz M
4y
e) 12 vezes
vy = 3 x vz