P. 1
Abordagem Estruturalista da Administração

Abordagem Estruturalista da Administração

|Views: 2.639|Likes:
Publicado porErick Fernandes

More info:

Published by: Erick Fernandes on Dec 05, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOC, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

04/15/2013

pdf

text

original

Abordagem Estruturalista da Administração

No início do século XX, Max Weber, um sociólogo alemão, publicou uma bibliografia a respeito das grandes organizações da sua época. Deu-lhes o nome de burocracia e passou a considerar o século XX como o século das burocracias, pois achava que essas eram as organizações características de uma nova época, plena de novos valores e de novas exigências. O aparecimento das burocracias coincidiu com o despontar do capitalismo, graças a inúmeros fatores, dentre os quais a economia do tipo monetário, o mercado de mão-de-obra, o aparecimento do estado-nação centralizado e a divulgação da ética protestante (que enfatizava o trabalho como um dom de Deus e a poupança como forma de evitar a vaidade e a ostentação). As burocracias surgiram a partir da era vitoriana como decorrência da necessidade que as organizações sentiram de ordem e de exatidão e das reivindicações dos trabalhadores por um tratamento justo e imparcial. O modelo burocrático de organização surgiu como uma reação contra a crueldade, o nepotismo e os julgamentos tendenciosos e parcialistas, típicos das práticas administrativas desumanas e injustas do início da Revolução Industrial. Basicamente, a burocracia foi uma invenção social aperfeiçoada no decorrer da Revolução Industrial, embora tenha suas raízes na Antiguidade histórica, com a finalidade de organizar detalhadamente e de dirigir rigidamente as atividades das empresas com a maior eficiência possível. Rapidamente, a forma burocrática de Administração alas Irou-s e por todos os tipos de organizações humanas, como indústrias, empresas de prestação de serviços, repartições públicas e órgãos governamentais, organizações educacionais, militares, religiosas, filantrópicas etc., em uma crescente burocratização da sociedade. O século XX representa o século da burocracia. A organização burocrática é monocrática e está sustentada no direito de propriedade privada. Os dirigentes das organizações burocráticas - sejam os proprietários ou não -possuem um poder muito grande e elevado sícilus social e econômico. Passaram a constituir uma poderosa classe social. A respeito dessa nova classe de dirigentes, Burnham parte do princípio de que nem o capitalismo nem o socialismo terão longa duração. O sistema do futuro será o gerencialismo (managerialism) e a nova classe dirigente do mundo, os administradores. O capitalismo, no sentido de propriedade, está ultrapassado e tende a desaparecer, constituindo apenas uma pequena fração no tempo da história humana. A classe dos gerentes nos levará a uma Revolução Gerencial e, com ela, a uma sociedade dirigida por gerentes, isto é, por administradores profissionais. O capitalismo está com seus dias contados devido à sua incapacidade de resolver os grandes problemas da humanidade, como o endividamento público e privado, o desemprego em massa, a depressão econômica, a precária distribuição da riqueza etc. Os fundamentos básicos do capitalismo, como a propriedade privada, a iniciativa privada e o individualismo, não seriam mais aceitos na sociedade do porvir. Também o socialismo estaria falido e prestes a desaparecer. A classe operária estaria se esvaziando e se tornando classe média. Os países socialistas estariam dominados por uma classe dominante, divorciada dos interesses do povo: os burocratas. Para Bumham, os gerentes seriam no futuro a nova classe dominante, a política seria dominada pela administração e pela economia, as posíções-chave seriam ocupadas por gerentes profissionais. Uma nova ideologia seria desenvolvida: maior ênfase no planejamento em detrimento da liberdade individual, mais responsabilidades e ordem do que direitos naturais, mais empregados do que oportunidades de emprego, o Estado torna-se proprietário dos principais meios de produção. No fundo, Burnham retraia o início de uma nova preocupação dentro da teoria administrativa: a visão de uma nova sociedade de organizações. O primeiro teórico das organizações foi incontestavelmente Max Weber. Weber estudou as organizações sob um ponto de vista estruturalista, preocupando-se com sua racionalidade, isto é, com a relação

Surgiu. 4. Alguns estudiosos foram buscar nas obras de um economista e sociólogo já falecido.como à Teoria das Relações Humanas . A visão estreita e limitada aos aspectos internos da organização passou a ser ampliada e substituída por uma visão mais ampla. assim. 9. Rotinas e procedimentos padronizados. Em outros termos. Profissionalização dos participantes. O termo também é empregado com o sentido de apego dos funcionários aos regulamentos e rotinas. é a burocracia. Competência técnica e meritocracia. Caráter legal das normas e regulamentos. 2. a burocracia tem as seguintes características: 1. a abordagem estruturalista se impõe definitivamente sobre a Abordagem Clássica e a Abordagem das Relações Humanas. Para conseguir eficiência. A partir daqui. Caráter formal das comunicações. a teoria administrativa — até então introspectiva e voltada apenas para os fenômenos internos da organização — ganhou uma nova dimensão por meio da abordagem estruturalista: além do enfoque intra-organizacional. Completa previsibilidade do funcionamento. 6. é uma organização baseada em uma legislação própria (como a Constituição para o Estado ou os estatutos para a empresa privada) que define . a Teoria da Burocracia na Administração. crescimento e proliferação das burocracias. a burocracia é entendida como uma organização na qual o papelório se multiplica e se avoluma. para Weber. a burocracia explica nos mínimos detalhes como as coisas deverão ser feitas. a burocracia é a organização eficiente por excelência. Para ele. Caráter racional e divisão do trabalho. Segundo Max Weber. envolvendo a organização e suas relações com outras organizações dentro de uma sociedade maior. 7. Max Weber.por seu romantismo ingênuo -revelaram a falta de uma teoria da organização sólida e abrangente e que servisse de orientação para o trabalho do administrador. a visão teórica ganha novas dimensões e novas variáveis.pelo seu mecanicismo . Embora predomine a ênfase na estrutura. Vejamos cada uma dessas características da burocracia. 8.entre os meios e recursos utilizados e os objetivos a serem alcançados pelas organizações burocráticas. Com o aparecimento. 3. 10. O conceito de burocracia para Max Weber é exatamente o contrário. O leigo passou a dar o nome de burocracia aos defeitos do sistema (disfunções) e não ao sistema em si mesmo. Especialização da administração. surgiu o enfoque interorganizacional. as críticas feitas tanto à Teoria Clássica . Caráter legal das normas e regulamentos A burocracia é uma organização ligada por normas e regulamentos estabelecidos previamente por escrito. a inspiração para essa nova teoria da organização. causando ineficiência à organização. Impessoalidade nas relações. A organização por excelência. 5. Características da burocracia segundo Weber Segundo o conceito popular. Hierarquia de autoridade. MODELO BUROCRÁTICO DE ORGANIZAÇÃO A partir da década de 1940. impedindo soluções rápidas ou eficientes.

não em consideração à sua pessoa.o poder de controle resultante de uma posição . funções específicas e uma esfera de competência e responsabilidade. quais são os limites de sua tarefa. Daí o caráter impessoal da burocracia.antecipadamente como a organização burocrática deverá funcionar. Todos os cargos estão dispostos em uma estrutura hierárquica que encerra privilégios e obrigações. Daí o aspecto racional da burocracia. Cada participante tem um cargo específico. As regras. mas como ocupantes de cargos e de funções. qual é a sua capacidade de comando sobre os outros e. decisões e ações administrativas são formuladas e registradas por escrito. sobretudo. prevêem todas as ocorrências e as enquadram dentro de um esquema definido capaz de regular tudo o que ocorre dentro da organização. Hierarquia da autoridade A burocracia é uma organização que estabelece os cargos segundo o princípio da hierarquia. ou seja. A obediência prestada pelo subordinado ao superior também é impessoal. Impessoalidade nas relações A distribuição das atividades é feita impessoalmente. Ele obedece ao superior. a burocracia lança mão de rotinas e formulários para facilitar as comunicações e rotinizar o preenchimento de sua formalização. Daí a necessidade da hierarquia da autoridade para definir as chefias nos vários escalões de autoridade. A burocracia precisa garantir a sua continuidade ao longo do tempo: as pessoas vêm e vão. Caráter formal das comunicações A burocracia é uma organização ligada por comunicações escritas. não interferir na competência alheia e nem prejudicar a estrutura existente. a burocracia é uma estrutura social legalmente organizada. A distribuição de autoridade serve para . a burocracia é uma estrutura social formalmente organizada. Assim. isto é. ela é adequada aos objetivos a serem atingidos: a eficiência da organização. mas ao cargo que o superior ocupa. Como as comunicações são feitas repetitiva e constantemente. definidos por regras específicas. direito e poder. A administração da burocracia é realizada sem considerar as pessoas como pessoas. Assim. Assim. O poder de cada pessoa é impessoal e deriva do cargo que ocupa. A autoridade . bem como assegurar a interpretação unívoca das comunicações. Assim. Essas normas e regulamentos são escritos e também são exaustivos porque abrangem todas as áreas da organização. estabelecendo as atribuições de cada participante. Cada cargo inferior deve estar sob o controle e supervisão de um posto superior. para não ultrapassar esses limites. A divisão do trabalho atende a uma racionalidade. a burocracia é uma estrutura social racionalmente organizada. As normas e os regulamentos são legais porque conferem às pessoas investidas da autoridade um poder de coação sobre os subordinados e os meios coercitivos capazes de impor a disciplina. Nenhum cargo fica sem controle ou supervisão. Caráter racional e divisão do trabalho A burocracia é uma organização que se caracteriza por uma sistemática divisão do trabalho. Há uma divisão sistemática do trabalho e do poder. Daí o caráter formal da burocracia: todas as ações e procedimentos são feitos para proporcionar comprovação e documentação adequadas.é inerente ao cargo e não ao indivíduo que desempenha o papel oficial. a burocracia é uma estrutura social impessoalmente organizada. em termos de cargos e funções e não de pessoas envolvidas. Cada participante deve saber qual é a sua tarefa. os cargos e funções permanecem ao longo do tempo.

a burocracia é uma estrutura social hierarquicamente organizada. Rotinas e procedimentos padronizados A burocracia é uma organização que fixa as regras e normas técnicas para o desempenho de cada cargo. A disciplina no trabalho e o desempenho no cargo são assegurados por um conjunto de regras e normas que ajustam o funcionário às exigências do cargo e às exigências da organização: a máxima produtividade. os administradores da burocracia não são seus donos. testes e títulos para admissão e promoção dos funcionários. O funcionário não pode vender. por via do contato (oficial) restritivo. Os padrões facilitam a avaliação do desempenho de cada participante. a admissão. o subordinado está protegido da ação arbitrária do seu superior. não são propriedade dos burocratas. isto é. cujas atividades são executadas de acordo com as rotinas e os procedimentos. Em outros termos. Dessa forma.não faz o que deseja. Competência técnica e meritocracia A burocracia é uma organização na qual a escolha das pessoas é baseada no mérito e na competência técnica e não em preferências pessoais. comprar ou herdar sua posição ou cargo. Os meios de produção. mas um profissional especializado na sua administração. Assim. concursos. e daí o afastamento do capitalista da gestão dos negócios. a transferência e a promoção dos funcionários são baseadas em critérios de avaliação e classificação válidos para toda a organização e não em critérios particulares e arbitrários. Especialização da administração A burocracia é uma organização que se baseia na separação entre a propriedade e a administração. diversificando as suas aplicações financeiras de capital. os recursos necessários para desempenhar as tarefas da organização. Os membros do corpo administrativo estão separados da propriedade dos meios de produção. com o condicionamento e o treinamento racionais do desempenho no trabalho. O ocupante de um cargo . surge o profissional que se especializa em gerir a organização. As regras e normas técnicas regulam a conduta do ocupante de cada cargo. .. “Existe um princípio de completa separação entre a propriedade que pertence à organização e a propriedade pessoal do funcionário. acionistas ou proprietários. O dirigente não é necessariamente o dono do negócio ou grande acionista da organização. As atividades de cada cargo são desempenhadas segundo padrões definidos relacionados com os objetivos da organização. A estrita separação entre os rendimentos e bens privados e públicos é a característica específica da burocracia e que a distingue dos tipos patrimonial e feudal de administração. pois as ações de ambos se processam dentro de um conjunto mutuamente reconhecido de regras. Esses critérios universais são racionais e levam em conta a competência.reduzir ao mínimo o atrito.o funcionário .. Essa racionalização do trabalho encontrou sua forma mais extremada na Administração Científica. Daí a necessidade de exames. em relação às maneiras definidas pelas regras da organização. e sua posição e cargo não podem ser apropriados e integrados ao seu patrimônio privado.". mas o que a burocracia impõe que ele faça. A seleção. o mérito e a capacidade do funcionário em relação ao cargo. Com a burocracia.

para trabalhar. É assalariado. seja no cargo. À medida que um funcionário demonstre mérito. nomeado (admitido).Profissionalização dos participantes A burocracia é uma organização que se caracteriza pela profissionalização dos participantes. ao longo de sua vida. obviamente. promovido ou demitido da organização pelo seu superior hierárquico. Segue carreira dentro da organização. É nomeado pelo superior hierárquico. Sua especialização varia conforme o nível hierárquico. O administrador administra a organização. O superior hierárquico tem plena autoridade (autoridade de linha) sobre seus subordinados. ele pode ser promovido para outros cargos superiores. somente as organizações têm condições financeiras de adquiri-los. Em outros termos. Daí as organizações assumem o monopólio dos meios de produção. O funcionário é um profissional selecionado e escolhido por sua competência e capacidade. f. à medida que se desce nos escalões hierárquicos. Quando um funcionário ocupa um cargo dentro da burocracia. Os funcionários da burocracia participam da organização e. pelas seguintes razões: • Aumento do número de acionistas das organizações. Cada funcionário é especializado nas atividades do seu cargo. O funcionário não ocupa um cargo por vaidade ou honraria. o tempo de permanência no cargo é indefinido e indeterminado. ocasionando dispersão e fragmentação da propriedade das suas ações. Não que o cargo seja vitalício. Enquanto os que ocupam posições no topo da organização são generalistas. assalariado. b. É um especialista. capacidade e competência. . seja na organização. c. portanto. em detrimento dos demais interesses envolvidos. e. pois: a. O funcionário utiliza as máquinas e os equipamentos mas não é dono deles. é o superior quem toma decisões a respeito de seus subordinados. maior o salário e. Administrador profissional tende a controlar cada vez mais as burocracias. Os funcionários são recompensados exclusivamente por salários e não devem receber pagamentos de clientes. Seu mandato é por tempo indeterminado. a fim de preservarem sua orientação para a organização. h. i. mas porque é o seu meio de vida. O trabalho na burocracia representa a principal ou única fonte de renda do funcionário. mas porque não existe uma norma ou regra que determine previamente o tempo de permanência de um funcionário. para tanto. enquanto o funcionário. Como as máquinas e os equipamentos vão-se tornando sofisticados pela tecnologia e. O funcionário da burocracia é um ocupante de cargo e seu cargo é sua principal atividade dentro da organização. o funcionário na burocracia também é recompensado por uma sistemática promoção. através de uma carreira dentro da organização. Cada funcionário da burocracia é um profissional. os que ocupam posições mais baixas vão se tornando gradativamente mais especialistas. É ocupante de cargo. O funcionário é um profissional que faz do trabalho a sua carreira. mas não é o proprietário dos meios de produção. Em outros termos. As burocracias são dirigidas e controladas por administradores profissionais. O administrador gere a organização em nome dos proprietários. recebem salários correspondentes ao cargo que ocupam. O funcionário passa a defender os interesses do cargo e da organização. mais caros. g. Quanto mais elevado o cargo na escala hierárquica. d. o seu ganha-pão. o poder. tomando todo o seu tempo de permanência nela. É fiel ao cargo e identifica-se com os objetivos da empresa. precisa das máquinas e dos equipamentos fornecidos pela organização. Não possui a propriedade dos meios de produção e administração.

O modelo burocrático de Weber pressupõe que o comportamento dos membros da organização é perfeitamente previsível: todos os funcionários deverão comportar-se de acordo com as normas e regulamentos da organização. pois o negócio é conduzido através de regras conhecidas. hoje em dia. 8. 4. Tudo na burocracia é estabelecido no sentido de prever antecipadamente todas as ocorrências e rotinizar sua execução. as pessoas são treinadas para se tornarem especialistas.• Em função de sua riqueza. O administrador pode ter mais poder sobre a organização do que um grande acionista. pois cada um conhece o que deve ser feito e por quem e as ordens e os papéis tramitam através de canais preestabelecidos. Continuidade da organização por meio da substituição do pessoal que é afastado. Uniformidade de rotinas e procedimentos que favorece a padronização. 3. elimina a discriminação pessoal. 7. para que a máxima eficiência do sistema seja alcançada. preferências pessoais. pois os mesmos tipos de decisão devem ser tomados nas mesmas circunstâncias. a informação é discreta. a fim de que essa atinja a máxima eficiência possível. o trabalho é dividido entre as pessoas de maneira ordenada. raiva. pois a hierarquia é formalizada. os proprietários passaram a dispersar o risco do seu investimento em várias organizações. por ser despersonalizado no sentido de excluir sentimentos irracionais. são: 1. 2. podendo encarreirar-se na organização em função de seu mérito pessoal e competência técnica. pois cada funcionário conhece o que é exigido dele e quais os limites entre suas responsabilidades e as dos outros. para Weber. Confiabilidade. a redução de custos e erros. Rapidez nas decisões. 10. Precisão na definição do cargo e na operação. os critérios de seleção e escolha do pessoal baseiam-se na capacidade e na competência técnica. os administradores profissionais chegam a posições de comando sem possuírem a propriedade do que é comandado e controlado. 6. 9. Completa previsibilidade do funcionamento A consequência desejada da burocracia é a previsibilidade do comportamento dos seus membros. pelo conhecimento exato dos deveres. Benefícios para as pessoas na organização. Vantagens da burocracia Weber viu inúmeras razões para explicar o avanço da burocracia sobre as outras formas de associação. Constância. As decisões são previsíveis e o processo decisório. Além disso. Por outro lado. como amor. pois as rotinas são definidas por escrito. • Através de sua carreira na organização. e os casos similares são metodicamente tratados dentro da mesma maneira sistemática. Em decorrência disso. . Racionalidade em relação ao alcance dos objetivos da organização. 5. o controle acionário está subdividido e diminuído com o crescimento do número de acionistas. Univocidade de interpretação garantida pela regulamentação específica e escrita. pois é fornecida apenas a quem deve recebêla. Redução do atrito entre as pessoas. As vantagens da burocracia.

As normas e os regulamentos passam a se transformar de meios em objetivos. Resistência às mudanças Como tudo dentro da burocracia é rotinizado. um desvio ou exagero. faz com que toda a previsibilidade do comportamento. o homem (excluído dos estudos de Max Weber. o que passa a lhe proporcionar uma completa segurança a respeito de seu futuro na burocracia. o funcionário burocrata torna-se um especialista. As disfunções da burocracia são as seguintes: Internalização das regras e apego aos regulamentos As diretrizes da burocracia. próprio e importante. Os regulamentos. ao estudar as conseqüências previstas (ou desejadas) da burocracia que a conduzem à máxima eficiência. o que Merton chamou de disfunções da burocracia. de vias adicionais de formulários e de comunicações. mas por conhecer perfeitamente as normas e os regulamentos que dizem respeito ao seu cargo ou função. Todavia. não por possuir conhecimento de suas tarefas. Atendendo às normas e aos regulamentos impostos pela burocracia. a imaginar que toda burocracia tem necessariamente um volume inusitado de papelório. o que leva o leigo. Passam a ser absolutos e prioritários: o funcionário adquire "viseiras" e esquece que a flexibilidade é uma das principais características de qualquer atividade racional. O conceito popular de burocracia faz pensar que o grau de eficiência administrativa desse sistema social racional é baixíssimo. que deveria ser a maior consequência da organização. passam a ser os principais objetivos do burocrata. Com isso. então. Segundo Merton. de documentação e. ao contrário. Aliás.Disfunções da burocracia Para Weber. Isso porque o tipo ideal de burocracia sofre transformações quando operado por homens. A essas consequências imprevistas. Merton salienta que os cientistas deram muita ênfase aos resultados positivos da organização burocrática e descuidaram das tensões internas. o papelório constitui uma das mais gritantes disfunções da burocracia. Merton notou também as consequências imprevistas (ou não desejadas) que levam à ineficiência e às imperfeições. não existe uma organização totalmente racional e o formalismo não tem a profundidade descrita por Weber. padronizado. Excesso de formalismo e de papelório A necessidade de documentar e de formalizar todas as comunicações dentro da burocracia a fim de que tudo possa ser devidamente testemunhado por escrito pode conduzir a tendência ao excesso de formalismo. muitas vezes. que descreveu um sistema social desumano e mecanicista). quando participa da burocracia. a burocracia é uma organização cujas consequências desejadas se resumem na previsibilidade do seu funcionamento no sentido de obter a maior eficiência da organização. de meios. enquanto o leigo. Verifica-se. o funcionário geralmente se acostuma a uma completa estabilidade e repetição daquilo que faz. o funcionário . tendem a adquirir um valor positivo. Para Merton. emanadas por meio das normas e dos regulamentos para atingir os objetivos da organização. Merton deu o nome de disfunções da burocracia para designar as anomalias de funcionamento responsáveis pelo sentido pejorativo que o termo burocracia adquiriu junto aos leigos no assunto. previsto com antecipação. independentemente daqueles objetivos. de papelório. passando a substituí-los gradativamente. tem exagerado as imperfeições da burocracia.8 Cada disfunção é uma consequência não prevista pelo modelo weberiano. escape ao modelo preestabelecido. conseqüentemente.

Como uma burocracia eficaz exige devoção estrita às normas e aos regulamentos. os quais passa a dominar com plena segurança e tranquilidade com o passar do tempo. à "psicose ocupacional" (segundo Dewey): o funcionário burocrata trabalha em função dos regulamentos e rotinas e não em função dos objetivos organizacionais que foram estabelecidos. a mudança passa a ser indesejável para o funcionário. portanto. essa devoção às regras e aos regulamentos conduz à sua transformação em coisas absolutas: as regras e rotinas não mais são consideradas relativas a um conjunto de objetivos. ou ainda. O efeito da estrutura burocrática sobre a personalidade dos indivíduos é tão forte que leva à "incapacidade treinada" (no conceito de Veblen) ou à "deformação profissional" (no conceito de Warnotte). como pode ser ativa e agressiva através de comportamentos de reclamação. Por outro lado. algo que pode trazer perigo à sua segurança e tranquilidade. essa mudança tende a ser interpretada pelo funcionário como algo que ele desconhece. estereotipadamente. Quem decide é sempre aquele que ocupa o posto hierárquico mais alto. E. a fim de lidar com elas com mais facilidade. regulamentos. Superconformidade às rotinas e aos procedimentos A burocracia baseia-se em rotinas e procedimentos. o burocrata não os toma mais como pessoas mais ou menos individualizadas. pois ela enfatiza os cargos e não as pessoas que os ocupam. categorizar significa uma maneira de classificar as coisas. o conhecimento é feito pelo número do registro do colega ou por qualquer outra forma de identificação das pessoas imposta pela organização. menor será a procura de alternativas diferentes de solução. Daí o seu caráter impessoal. ele passa a resistir a qualquer tipo de mudança que se queira implantar na burocracia. Quando surge alguma possibilidade de mudança dentro da organização. Quanto mais se lançar mão da categorização no processo decisório. além da crescente incapacidade de compreender o significado de suas próprias tarefas e atividades dentro da organização como um todo. Categorização como base do processo decisório A burocracia se assenta em uma rígida hierarquização da autoridade. Algumas vezes. Os funcionários passam a conhecer os colegas não pêlos seus nomes pessoais. Essa resistência à mudança pode ser passiva e quieta. mesmo que nada saiba a respeito do problema a ser resolvido. na medida do possível. mas passam a ser absolutas. independentemente do seu conhecimento sobre o assunto. como meio de garantir que as pessoas façam exatamente aquilo que delas se espera. as regras e as rotinas tornam-se sagradas para o funcionário. mas como ocupantes de cargos. Isso leva a uma diminuição das relações personalizadas entre os membros da organização: diante dos demais funcionários. . Com isso. tumultos e greves. Com o tempo. quem toma decisões em qualquer situação será aquele que possui a mais elevada categoria hierárquica. Essa superconformidade a regras.torna-se simplesmente um executor das rotinas e procedimentos. rotinas e procedimentos conduz a uma rigidez no comportamento do burocrata: o funcionário passa a fazer o estritamente contido nas normas. mas pêlos títulos dos cargos que ocupam. e. com direitos e deveres previamente especificados. Portanto. O impacto dessas exigências burocráticas sobre a pessoa provoca profunda limitação em sua liberdade e espontaneidade pessoal. Despersonalização do relacionamento A burocracia tem como uma de suas características a impessoalidade no relacionamento entre os funcionários. Daí a despersonalização gradativa do relacionamento entre os funcionários da burocracia.

para seu superior hierárquico que avalia o seu desempenho. Dificuldade no atendimento a clientes e conflitos com o público O funcionário está voltado para dentro da organização. nas rotinas e nos procedimentos impostos pela organização. Todos os clientes são atendidos de forma padronizada. a criatividade e a inovação. As pressões do público. Exibição de sinais de autoridade Como a burocracia enfatiza a hierarquia de autoridade. do estacionamento. Essa perde toda a sua flexibilidade. de acordo com regulamentos e rotinas internos. como o uniforme. Daí surge a tendência à utilização intensiva de símbolos ou de sinais de status para demonstrar a posição hierárquica dos funcionários. pois o funcionário restringe-se ao desempenho mínimo. fazendo com que o público se irrite com a pouca atenção e descaso para com os seus problemas particulares e pessoais. Em algumas organizações ..como o exército. a Igreja etc. . a localização da sala. o tipo de mesa etc. Daí a tendência à defesa contra pressões externas à burocracia. para suas normas e regulamentos internos. como meios de identificar quais são os principais chefes da organização. aos olhos de todos. do banheiro. do refeitório. Essa atuação interiorizada para a organização o leva a criar conflitos com os clientes da organização. Perde a iniciativa. que pretende soluções personalizadas que a burocracia padroniza. torna-se necessário um sistema capaz de indicar. aqueles que detêm o poder. fazem com que o funcionário perceba essas pressões como ameaças à sua própria segurança.o uniforme constitui um dos principais sinais de autoridade. . para suas rotinas e procedimentos.nas regras. nos regulamentos.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->