Você está na página 1de 7

1

2ª. Apostila de Filosofia


Cultura

1. CULTURA.
 O que é o ser humano?
 Qual o lugar do homem no Universo?
 O que é o Universo para o ser humano?
 Onde acaba a natureza e começa a cultura?

2. O mito de Epimeteu

3. O que distingue o animal e humano


O corpo humano não está preparado para enfrentar as dificuldades do mundo
externo, como frio, calor, adaptado à fuga, à defesa própria, não é protegido, etc.
“O SER HUMANO PODE AJUSTAR-SE A UM NÚMERO MAIOR DE
AMBIENTES DO QUE QUALQUER OUTRA CRIATURA,
MULTIPLICAR-SE INFINITAMENTE MAIS DEPRESSA DO QUE QUALQUER
MAMÍFERO SUPERIOR E DERROTAR O URSO POLAR, A LEBRE, O GAVIÃO,
EM SEUS RECURSOS ESPECIAIS.
PELO CONTROLE DO FOGO E PELA HABILIDADE DE FAZER ROUPAS, O
HOMEM PODE VIVER, E VIVE, DESDE OS PÓLOS DA TERRA ATÉ O EQUADOR.
NOS TRENS OU AUTMÓVEIS QUE CONSTRÓI, PODE SUPERAR A MAIS
RÁPIDA LEBRE E AVESTRUZ. NOS AVIÕES E FOGUETES PODE SUBIR MAIS
ALTO QUE A ÁGUIA, E , COM OS TELESCÓPIO, VER MAIS LONGE DO QUE O
GAVIÃO. COM ARMAS DE FOGO PODE DERRUBAR ANIMAIS QUE NENHUM
TIGRE OUSARIA ATACAR.
MAS FOGO, ROUPAS, CASAS E TRENS, AUTOMÓVEIS, AVIÕES E
TELESCÓPIO NÃO SÃO PARTE DO CORPO DO HOMEM. ELES NÃO SÃO
HERDADOS NOS ENTIDO BIOLÓGICO. O CONHECIEMTNO NECESSÁRIO PARA
SUA PRODUÇAO E USO É APRTE DE NOSSA HERANÇA SOCIAL. RESULTA DE
UMA TRADIÇÃO ACUMULADA POR MUITAS GERAÇÕES E TRANSMITIDA NÃO
PELO SANGUE, MAS POR MEIO DA LINGUAGEM – FALA E ESCRITA.
A COMPENSAÇÃO QUE O HOMEM TEM PELOS DOTES CORPORAIS
RELATIVAMENTE POBRES É O CÉREBRO GRANDE E COMPLEXO, CENTRO
2

DE UM EXTENSO E DELICADO SISTEMA NERVOSO, QUE LHE PERMITE


DESENVOLVER SUA PRÓPRIA CULTURA. ” Gordon Childe. A evolução cultural do
homem, p. 40-1.

4. O animal
São seres produzidos pela natureza, que herdam suas características
biologicamente e repetem atos e padrões básicos da espécie, segundo seus
instintos. Os atos instintivos são cegos, os animais ignoram a finalidade da sua
própria ação. Eles repetem o padrão básico da espécie, pois a ação instintiva é
regida por leis biológicas, idênticas para espécie e invariáveis de indivíduo para
indivíduo.
O comportamento de grande parte dos animais é basicamente determinado
por reflexos e instintos, ou seja, resulta da herança biológica, por exemplo: a aranha.
Outros animais conseguem ser mais flexíveis, é caso dos chimpanzés.
No entanto, mesmo esses animais possuem apenas a inteligência concreta,
ou seja, depende da experiência vivida aqui e agora. O animal não consegue
aproveitar-se da experiência e transformar a sua realidade, acumular conhecimento.
Ele repete e esgota o ato ali mesmo. Ele não inventa e aperfeiçoa um instrumento,
nem o conserva para uso posterior. Seu gesto não tem sequência, nem significado
de experiência.

5. Os seres vivos realizam atos que se diferenciam de acordo com as


necessidades e habilidades destes seres. Existem diferentes tipos de atos:
 O ato instintivo: é cego, os animais ignoram a finalidade da própria ação. Ex da
aranha, perfeito e especializado, mas não é transformador ou inovador, é
passado hereditariamente para toda a espécie. Ex: a vespa
 O ato inteligente difere-se do ato instintivo por ser flexível, responder às
mudanças: ex Chipanzé com fome e o caixote.
O ato inteligente concreto: depende da experiência vivida aqui e
agora. O animal não inventa o instrumento, não o aperfeiçoa, não guarda o objeto
para outrao momento.
O ato humano voluntário - e um ato - é consciente da finalidade.
Existe como pensamento, possibilidade e sua execução resulta da escolha dos
meios necessários para seu fim. Eles respondem a mudanças, improvisa e cria.
3

Por que temos essa possibilidade? Somos dotados de racionalidade e graças


a ela temos a capacidade de criar símbolos, por meio da linguagem. A linguagem
humana é flexível, universal e versátil.
A linguagem possibilita nos afastarmos da experiência concreta e podemos
abstrair, reorganizando a experiência em outro contexto, dando outro sentido.
Os animais também se comunicam, mas é uma linguagem idêntica para todos
e depende da experiência vivida.

6. A linguagem
A linguagem é um sistema de símbolos. O ser humano é o único animal
capaz de criar símbolos que são aceitos socialmente e possibilita a comunicação
entre os membros do grupo.
A linguagem animal desconhece o símbolo, visa à adaptação de uma situação
concreta. A linguagem humana por meio da abstração, nos distancia da experiência
vivida e permite que nós retornemos ao mundo para reorganizá-lo e transformá-lo.
Existem vários tipos de linguagem: verba, gestual, matemática, artística. A
linguagem virtual.
A linguagem é uma construção da razão humana.
A linguagem é um dos fatores essenciais na construção do mundo cultural,
pois nos permite transcender a nossa própria realidade e experiência.
É a palavra que permite que a transmissão do conhecimento acumulado – a
cultura. A linguagem é um produto bastante sofisticado, criado pela razão humana e
que permite o homem transformar o seu mundo.

7. O ser humano
O homem transforma e cria cultura, reorganiza e dá sentido a realidade. Os
seres humanos são seres culturais que transformam o estado da natureza. Os
homens têm, por meio do raciocínio, a capacidade de construir a linguagem
simbólica:
O homem APRENDE e REELABORA O CONTEUDO APRENDIDO E
CONSTRÓI UM NOVO CONTEÚDO.
O homem ROMPE COM O PASSADO, QUESTIONA O PRESENTE E CRIA
O FUTURO.
4

Nós estamos sempre criando e nascendo. Nosso mundo não é pronto, dado,
como o mundo para os animais. Isso faz com que o comportamento humano tenha
características particulares e especiais.
O ser humano é uma síntese de características biológico e cultural, melhor
dizendo, possui aspectos herdados biologicamente e outros adquiridos pela cultural.
 integra características hereditárias e adquiridas,
 aspectos individuais e sociais,
 elementos da natureza e da cultura.
 é um produto da natureza e da cultura
 transforma a natureza e cultura
 criatura e criador do mundo em que vive
 capaz de dominar a natureza e destruí-la
O ser humano se torna contraditório, ambíguo, instável e dinâmico.
Por meio da cultura o ser humano cria um mundo novo, diferente do cenário
natural originalmente encontrado – natureza. Essa construção se dá pelos
conhecimentos e realizações desenvolvidas pelos diferentes grupos sociais.
8. Natureza e Cultura: dois níveis essenciais da realidade
Natureza – não depende da vontade e da ação humana, opera por si mesmo
em uma ordem de causa e efeito.
Cultura –é o campo instituído pela ação humana, pois este é dotado de
liberdade e razão, agindo por escolha, de acordo com valores e fins estabelecidos
por ele próprio.
Onde acaba a natureza e começa a cultura? Vários estudiosos buscaram
responder a essa questão.
A cultura surge pela linguagem e quando os homens produzem as primeiras
transformações da natureza pela ação do trabalho. O trabalho é o momento que
abre a vida humana para a cultura, pois é quando os homens começam a produzir
seus meios de vida, sua vida material que surge a organização da vida espiritual,
das relações sociais, formando a cultura.
Outro fator fundamental nessa passagem para a cultura é a linguagem
simbólica, pois ela permite a troca e a construção cultural. A linguagem possibilita a
comunicação entre os homens, a expressão de idéias, sentimentos, desejos, etc.
Na natureza – o tempo é repetição
Na cultura – o tempo é transformação, mudanças nos costumes, leis, valores,
5

9. Significado de cultura.
Existem diferentes significados para cultura. De acordo com o pensamento
antropológico, sociológico e histórico, cultura é entendida como o conjunto de modos
de vida criados e transmitidos de uma geração para outra, abrangendo crenças,
artes, normas, costumes, linguagem.
É tudo que o ser humano produz ao construir sua existência.
É um amplo conjunto de conceitos, símbolos, valores e atitudes que modelam
uma sociedade. Para os filósofos a cultura é instituída no momento em que os
homens determinam para si mesmas regras e normas de conduta que asseguram a
existência e conservação da comunidade, sob pena de punição.
Toda cultura tem seus valores e sua própria verdade.
CULTURA é a resposta do ser humano organizado em grupos sociais ao
desafio da existência. Inclui razão, sentimento e ação.

10. Características da cultura:


 Criação dos seres humanos
 Duradoura,
 Transforma-se segundo as normas e a compreensão do mundo da sociedade
 É adquirida pela aprendizagem e não herdada pelos instintos
 Transmitida de geração para geração por meio da linguagem
 Contém vários aspectos: é múltipla.
O ser humano é cultural e histórico.
Os seres humanos variam de acordo com as condições sociais, econômicas,
políticas e históricas em que vivem. Por meio da cultura o homem cria a ordem
simbólica.

11. Ordem Simbólica


A criação da ordem simbólica consiste na capacidade humana para dar às
coisas um sentido, atribuindo valores e significações às coisas.
Graças a linguagem e ao trabalho, o homem toma consciência do tempo e
das diferenças temporais – passado, presente e futuro.
O mundo cultural é um sistema de significados já estabelecidos por outros. Ao
nascer a criança já encontra um mundo de valores dados. A linguagem, o alimento e
o jeito de ser, tudo é codificado de um modo determinado. O ser humano não existe
6

de forma natural. Tudo é modelado. É coletivo. Tem valores. Tem uma herança
social.
Existem várias culturas com sistemas de proibição e permissão, as
instituições sociais, religiosas, políticas, valores, crenças. A filosofia se interessa por
todas as manifestações culturais: ciências, religião, artes, ética, política.
Todas as sociedades humanas, da pré-história aos dias de hoje possuem
uma cultura. E cada cultura tem seus próprios valores e sua própria verdade.
O mundo que resulta do pensar e agir humanos não podem ser chamados de
natureza, pois se encontra ampliado e transformado por nós.
O trabalho é uma condição de transcendência e deveria ser uma expressão
de liberdade. É por meio do trabalho e da linguagem que o homem entra no mundo
da cultura e se distingue do animal.

12. A cultura
O mundo humano resulta do pensamento e da ação e, portanto se distingue
do mundo natural. Enquanto o animal vive na natureza, nós a transformamos.
“A natureza do homem é a mesma, são os seus hábitos que os mantêm
separados.” Confúcio.
Como entender a multiplicidade de comportamentos, crenças, valores, visão
de mundo. Surgiram várias tentativas de entender a origem dessas diferenças.
12.1. O determinismo biológico: essa corrente teórica atribui capacidades
específicas a raças e etnias, considerando que as diferenças genéticas determinam
diferenças de comportamentos culturais.
12.2. O determinismo geográfico: essa teoria sugere que as diferenças do
ambiente físico condicionam a diversidade cultural.
Essas teorias foram criticadas e desmascaradas. As diferenças existentes
entre os homens não são fruto das condições biológicas ou ambientais.

13. Então, o que é cultura?


O homem é resultado do meio cultural em que foi socializado. Ele é herdeiro
de um longo processo acumulativo, que refletem o conhecimento e a experiência
adquiridos pelas gerações anteriores. A partir do conhecimento adquirido, o homem
transforma, inova, cria.
7

14. O que é cultural e o que natural?


Há uma enorme confusão em relação ao que se chama de natural e cultural.
Diz-se que:
- é da natureza da mulher chorar, ser sensível, ser mãe, amamentar.
- é da natureza do homem ser corajoso, forte, provedor,
- existe instinto de conservação? Filia? Maternal?
Esses comportamentos não são determinados biologicamente, são padrões
culturais. Tudo que o homem faz aprendeu com seus semelhantes.

15. Como opera a cultura?


O modo que vemos o mundo – os valores, os julgamentos, os
comportamentos, as crenças, as posturas corporais – é produto de uma herança
cultural.
O homem vê o mundo através de sua cultura. Cada uma acredita que a sua
cultura é a certa e superior, é o centro do mundo. É o etnocentrismo, que é um
fenômeno universal.

16. A lógica de um sistema cultural. Todo sistema cultural tem sua própria lógica.
Um hábito cultural só é considerado coerente dentro e sue próprio sistema cultural.

17. A cultura é dinâmica. Toda cultura está em continuo processo de modificação.


Há mudanças internas, resultado da dinâmica do próprio sistema cultural ao longo
do tempo, e externas, resultado do contato com um sistema cultural diferente.
Entender esta dinâmica é importante para atenuar o choque entre as gerações e
evitar comportamentos preconceituosos.

18. Leitura recomendada:


ARANHA, Maria Lúcia de Arruda; MARTINS, Maria Helena Pires. Filosofando. São
Paulo, Moderna, 2003.
CHAUÍ, Marilena. Convite à Filosofia. São Paulo, Ática, 2006.
LARAIA, R. Cultura: um conceito antropológico. Rio de Janeiro: Zahar, 2009.