Você está na página 1de 20

Variáveis e Escalas

(Parte II)
Métodos de Pesquisa Experimental
em Engenharia de Software

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 1


Significado das Relações
• Simétrica
– Nenhuma das variáveis exerce efeito, influência ou
ação sobre a outra
• Recíproca
– Interação e reforço mútuo
• Assimétrica
– Uma variável (independente) é responsável pela
outra (dependente)

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 2


Relações Simétricas
• As variáveis são indicadoras do mesmo
conceito ou construto
• Ambas as variáveis são efeitos de uma causa
comum
• Interdependência funcional: diversas partes
são indispensáveis para a realização do todo
• Partes de um sistema complexo
• Variáveis fortuitamente associadas
© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 3
Relação Recíproca
• Tentar determinar a causa principal:
– “o ovo ou a galinha?”
• Verificar se uma delas exerce maior influência
que a outra

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 4


Relação Assimétrica
• Estímulo e Resposta
– É a determinação mais diretamente causal
• Disposição e Resposta
– Atitudes
– Valores
– Traços de personalidade
– Impulsos, etc.
• Propriedade e Disposição
• A variável independente é pré-condição para a depente
• Relação imanente (inerente à natureza do organismo)
• Fins e Meios

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 5


Variáveis Dependentes e
Independentes
• Variável Independente (X):
– É a que influencia, determina ou afeta outra variável
– Fator determinante, condição ou causa de um efeito
– Fator manipulado pelo investigador
• Variável dependente (Y):
– Fenômenos ou fatores a serem explicados ou
descobertos
– Fator que aparece, desaparece ou varia quando se
introduz, tira ou modifica a variável dependente

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 6


As variáveis na pesquisa
• Predições:
– A partir da variável independente para a variável
dependente.
– Ex: se método ágil for utilizado (variável independente)
então a equipe será mais produtiva (variável dependente)
• Explicações:
– Quando se quer explicar um fenômeno encontrado
(variável dependente) procura-se pela causa (variável
independente)
– Ex: ao se deparar com a baixa produtividade de um
projeto, o gerente pode investigar a influência das
ferramentas de desenvolvimento utilizadas ou o nível de
absenteísmo da equipe.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 7


Fatores Determinantes das Relações
• Susceptibilidade da influência:
– Idade e interesse político
– Sexo e disposição para trabalhar com qualidade
• Dois fatores:
– Ordem Temporal
– Fixidez ou alterabilidade das variáveis
• Sexo, raça, ordem de nascimento, nacionalidade, etc.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 8


Tipos de Relação Causal
• Determinista: • Irreversível
– Se X, então sempre Y – Se X então Y, mas se Y nada se
• Suficiente produzirá
– X causa Y • Seqüencial
• Coextensiva – Se X então Y ocorrerá mais
tarde
– Se X então Y
• Contingente
• Reversível – Se X então Y desde que M
– Se X então Y e se Y então X
• Estocástica ou
• Necessária Probabilística:
– Se X e somente X, então Y – Se X então Y provavelmente
• Substituível ocorrerá
– Se X então Y, mas se H então
também Y

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 9


Variáveis Moderadoras
• Também são causa, mas secundária
• Exemplo: pode-se especular que a utilização
de revisões de código aumentam a detecção
de erros antes dos testes e que este aumento
é maior quando os revisores são do sexo
feminino.
– X: Utilização de revisões de código
– Y: detecção de erros
– M: Sexo

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 10


Variáveis de Controle
• São fatores, fenômenos ou propriedades que o
investigador neutraliza ou anula propositalmente
com a finalidade de impedir que interfira na
análise da relação entre as variáveis
independente e dependente.
• São importantes em fenômenos complexos, onde
podem existir diversas causas
– Exemplo:
• X: treino em uma ferramenta
• Y: desempenho na tarefa
• C: experiência profissional (C1) e tempo no projeto (C2)

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 11


Fator de Teste
• Uma variável (T) introduzida na análise para
aumentar a compreensão da relação entre as
variáveis independente e dependente.
• O objetivo é verificar se a relação entre X e Y
se deve ou não ao fator T.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 12


Tipos de Fatores de Teste
• Variáveis Extrínsecas
• Variáveis Componentes
• Variáveis Intervenientes
• Variáveis Antecedentes
• Variáveis de Supressão
• Variáveis de Distorção

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 13


Variáveis Extrínsecas
• Pergunta crucial de uma investigação:
– A relação encontrada é real?
– A relação é uma ligação inerente às duas variáveis
ou é uma conexão acidental a alguma variável
associada?
• Se a conexão é acidental então se diz que a
relação é espúria.
• À variável associada se dá o nome de
Extrínseca

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 14


Variáveis Componentes
• Conceitos complexos ou globais se constituem
de diversos subconceitos ou variáveis
componentes:
– Ex: classe social, estilo de liderança, etc.
• Sendo X constituído de variáveis componentes
(X1, ..., Xn), Se X se relaciona com Y, não se
pode dizer que a relação de Y se dá da mesma
forma com as componentes X1, ..., Xn

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 15


Variáveis Intervenientes
• Se coloca entre a variáveis independente e a dependente:
– Ampliar, diminuir ou anular o efeito de X sobre Y
• Neste caso, existem três relações assimétricas:
– Entre X e Y, onde X causa Y.
– Entre X e W, onde X causa W.
– Entre W e Y, onde W causa Y.
• Exemplo: ao se encontrar uma relação entre a estrutura
organizacional rígida (X) e defeitos de integração (Y), pode-
se postular que a comunicação horizontal (W) é
interveniente:
– Estrutura rígida (X) causa menor comunicação horizontal (W)
– Comunicação horizontal (W) diminui defeitos de integração (Y)
• Quando se controla W deve desaparece a relação (X,Y)

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 16


Variáveis Antecedentes
• Se coloca antes da variável independente X na
relação (X,Y):
– O propósito é explicar ou esclarecer as influências
que precederam a relação
• Devem existir três relações:
– Z, X e Y devem se relacionar
– Quando se controla Z, a relação X e Y não
desaparece
– Quando se controla X, a relação Z e Y desaparece

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 17


Variáveis de Supressão e Distorção
• Supressão:
– Atua de forma contrária à variável extrínseca, pois
podem mascarar uma relação real entre variáveis,
levando-se a aceitar como inexistente uma relação
existente.
• Distorção:
– Inverte o sentido da relação encontrada.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 18


Fator de Teste e Interpretação
• Os fatores de teste aumentam a confiança na
interpretação da relação entre variáveis.
• A confiança aumenta na proporção direta da
utilização de fatores de teste.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 19


Este documento está sujeito a copyright. Todos os direitos estão reservados para o todo ou partes do documento. Em particular, os
direitos de tradução, reprodução, reuso de figuras, citações, reprodução de qualquer forma, armazenagem em sistemas de informação,
inclusive na Web, estão sujeitas a autorização prévia por escrito dos autores.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010.

O uso de nomes registrados, marcas, figuras de outras publicações etc. neste documento não implica que estes objetos deixam de
estar sujeitos às leis de proteção da propriedade intelectual aplicáveis. Portanto, mesmo sem indicação explícita, esses objetos não
estão disponíveis para uso livre.

© Fabio Queda Bueno da Silva, 2010. 20