P. 1
Relatório da Aula Prática - Decomposição de Forças

Relatório da Aula Prática - Decomposição de Forças

|Views: 1.406|Likes:
Publicado porf17machado

More info:

Published by: f17machado on Dec 09, 2010
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/14/2013

pdf

text

original

Aula Prática 2: Decomposição de forças Força de atrito

28/04/2010 Aluno: Fernando Antonio Machado

Experimento 1 - DECOMPOSIÇÃO DE FORÇAS  Objetivos Analisar o efeito da variação de ângulo e massa sobre um sistema e calcular todas as forças atuantes envolvidas neste.  Descrição Nesse experimento, analisamos as forças atuantes sobre um pequeno carrinho de 41,68g de massa, preso a um dinanômetro de 2N e apoiado a um plano inclinado 20°. Aumentamos o valor da massa do carrinho primeiramente em mais 49,85g e depois adicionamos 50,30g a esse valor resultante de massa. A seguir, variamos o ângulo para 30° e 55° para cada massa. Medimos a força com o auxílio do dinanômetro e depois calculamos novamente esta força pela fórmula Fd = m.g.sen(α), então, comparamos os resultados e determinamos o erro relativo.  Resultados
20 41,68 91,53 141,83 Fd Medido 0,06 0,25 0,45 Fd Calculado 41,68 x 10 x 9,8 x sen(20) = 0,14 91,53 x 10-3 x 9,8 x sen(20) = 0,31 141,83 x 10-3 x 9,8 x sen(20) = 0,48
-3

Ângulo M1 M2 M3

Erro Relativo = 133,3% = 24,0% = 6,7%

Ângulo M1 M2 M3

30 41,68 91,53 141,83

Fd Medido 0,22 0,47 0,80

Fd Calculado 41,68 x 10 x 9,8 x sen(30) = 0,20 91,53 x 10-3 x 9,8 x sen(30) = 0,45 141,83 x 10-3 x 9,8 x sen(30) = 0,69
-3

Erro Relativo = 9,0% = 4,3% = 13,8%

Ângulo M1 M2 M3

55 41,68 91,53 141,83

Fd Medido 0,28 0,68 1,80

Fd Calculado 41,68 x 10-3 x 9,8 x sen(55) = 0,33 91,53 x 10 x 9,8 x sen(55) = 0,73 141,83 x 10-3 x 9,8 x sen(55) = 1,14
-3

Erro Relativo = 17,9% = 7,4% = 36,7%

Fd-W x = m.a Fd-W x = 0 Fd = W x Fd = m.ax Fd = m.g.sen(α)

η-W y = m.a η-W y = 0 η = Wy η = m.ax η = m.g.cos(α)

Wx = Fd Fd = m.g.sen(α) Wy = η η = m.g.cos(α) W=P

Experimento 2 - DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE ATRITO ESTÁTICO  Objetivos Determinar o coeficiente de atrito estático entre duas superfícies diferentes e analisar a relação entre: coeficiente de atrito, tamanho da superfície de contato e massa de um bloco e a influência destes na força de atrito estático.  Descrição Sob uma superfície plana de PVC e com o auxilio de um dinanômetro de 2N, definimos o valor da força necessária para superar o atrito estático e gerar movimento, medindo com o dinanômetro o valor da força no momento exato em que o bloco de 318,70g começava a se mover e, logo depois, medimos também o de 253,92g, obtendo assim os valores para duas superfícies diferentes.  Resultados

O coeficiente de atrito não mudaria se o bloco fosse colocado com uma menor superfície em contato, pois , ou seja, a força de atrito estático é igual ao produto da força normal aplicada ao bloco pelo coeficiente de atrito estático, variando com o peso do bloco e o tipo de superfície (valor do coeficiente de atrito), mas não com o tamanho desta. Se for colocado mais um bloco sobre o primeiro, a força de atrito aumentará e o coeficiente de atrito permanecerá o mesmo, pois em , (coeficiente de atrito estático) é constante e η (força normal) é variável.

Tabela 1
Superfície lisa do bloco de 318,70g

Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Fe média ( ) Desvio Padrão (Dx) Erro Padrão (

1,40 1,40 1,40 1,42 1,50 1,46 1,42 1,48 1,42 1,46 1,44 0,04

0,0013 0,0013 0,0013 0,0003 0,0041 0,0006 0,0003 0,0019 0,0003 0,0006 = 0,0118

1,44 0,01

0,01

Tabela 2
Superfície emborrachada do bloco de 253,92g

Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Fe média ( ) Desvio Padrão (Dx) Erro Padrão (

2,10 2,10 2,12 2,08 2,06 2,12 2,08 2,10 2,08 2,06 2,09 0,02

0,0001 0,0001 0,0009 0,0001 0,0009 0,0009 0,0001 0,0001 0,0001 0,0009 = 0,0042

2,09 0,01

0,01

O coeficiente de atrito estático (

) pode ser obtido em:

Superfície lisa: Havendo uma medida que contenha uma taxa de erro, é necessário um cálculo específico para evitar a propagação do erro:

, onde

e

Logo,

da superfície lisa é 0,46±0.

Superfície emborrachada: Havendo uma medida que contenha uma taxa de erro, é necessário um cálculo específico para evitar a propagação do erro:

, onde

e

Logo,

da superfície emborrachada é 0,84±0.

Experimento 3 - DETERMINAÇÃO DO COEFICIENTE DE ATRITO ESTÁTICO  Objetivos Determinar o ângulo em que a caixa começa a “escorregar”, definir se há alguma relação entre diversos pesos e respectivos ângulos e determinar o coeficiente de atrito estático.  Descrição Sob uma rampa de plano inclinado, definimos o ângulo em que o bloco de 253,92g de massa começa a deslizar e aumentamos a massa desse bloco mais 318,70g, resultando em uma massa de 572,62g, em seguida, tornamos a medir o ângulo em que ocorre o deslizamento, dessa vez com uma massa diferente e, por fim, calculando o coeficiente de atrito estático.

Resultados
Tabela 3
Bloco de 253,92g

Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Fe média ( ) Desvio Padrão (Dx) Erro Padrão (

ângulo (α) 40,0 42,0 39,0 40,0 38,0 41,0 40,0 41,0 39,0 40,0
40,0 1,15

0,0 4, 0 1,0 0, 0 4,0 1,0 0,0 1,0 1,0 0,0
= 12,0

40 0,36 = 0,4

0,4

Tabela 4
Bloco de 572,62g

Nº 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10 Fe média ( ) Desvio Padrão (Dx) Erro Padrão (

ângulo (α) 45,0 46,0 44,0 45,0 45,0 46,0 44,0 43,0 45,0 46,0
44,9 = 45 0,99

0,01 1,21 0,81 0,01 0,01 1,21 0,81 3,61 0,01 1,21
= 8,9

45 0,31 = 0,3

0,3

Sabemos que não há deslocamento no plano inclinado no momento em que a força de atrito estático é igual à W x. Então, a partir disso, podemos supor que:

Assim, o coeficiente de atrito estático é igual à tangente do ângulo. No caso do bloco de 253,92g, que necessita de um ângulo α = (40±0,4)º para “deslizar”, há um erro na medida, portanto, é necessário um cálculo específico para evitar a propagação do erro: , onde e

Portanto, o coeficiente de atrito estático do bloco de 253,92g é igual 0,84±0. No caso do bloco de 572,62g, que necessita de um ângulo α = (45±0,3)º para “deslizar”, há também um erro na medida, portanto, é necessário um cálculo específico para evitar a propagação do erro: , onde e

Portanto, o coeficiente de atrito estático do bloco de 572,62g é igual 1±0. Podemos notar que, para que haja deslocamento, é necessária uma inclinação proporcional à massa do objeto e, à medida que a massa aumenta, aumenta também a força de atrito estático. Sabendo-se que , pode-se dizer também que, numa superfície plana, quanto maior o peso do objeto ( ), maior a força de atrito ( ), no entanto, numa superfície com uma angulação, há influência do ângulo na intensidade do atrito, só havendo deslocamento do objeto se:

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->