P. 1
VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA

VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA

5.0

|Views: 7.490|Likes:
Publicado porDeny
Aula 02/08/2008
Aula 02/08/2008

More info:

Published by: Deny on Aug 05, 2008
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/11/2012

pdf

text

original

Frequência Cardíaca - Definição

FREQUÊNCIA CARDÍACA EM EXERCÍCIO FÍSICO

Frequência Cardíaca - Medidas
Palpação Frequencímetro Oxímetro

Frequência Cardíaca - Análise
Frequência Ritmo Amplitude

Frequência Cardíaca - Análise
Frequência
Pulso Normal Pulso Rápido Anormal Pulso Lento Anormal

Frequência Cardíaca - Conceitos
Incapacidade cronotrópica Frequência cardíaca máxima Frequência cardíaca submáxima

Ritmo
Regular Irregular

Amplitude
Pulso de Grande Amplitude Pulso de Pequena Amplitude Pulso de Amplitude Variável

Page 1

Importância da Frequência Cardíaca em Exercício Fácil medida Parâmetro utilizado para cálculo do VO2 Classificar a intensidade do esforço Prescrição de atividade física

Comportamento Normal da Frequência Cardíaca

Comportamento FC em Exercício e Recuperação

Frequência Cardíaca

Exercício MMSS X Exercício MMII

Respostas Anormais da Frequência Cardíaca em Exercício Físico

Page 2

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

O coração humano saudável varia sua frequência de

VARIABILIDADE DA FREQUÊNCIA CARDÍACA

funcionamento batimento a batimento, como consequência dos ajustes promovidos pelo SNA para manutenção da homeostase

Variabilidade da Frequência Cardíaca

Page 3

759 740 759 789 770 791 795 788 766 736 735 729 720 739 745 743 747 760 780 750 753 753 746 754 744 730 726 731 745

746 737 711 708 708 705 702 724 746 744 759 750 715 700 695 695 683 694 709 704 724 738 726 709 695 701 710 732 751

Variabilidade da frequência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Análise da VFC
Alterações da FC

Curtos Períodos
SNA

2, 5, 15 min

Longos Períodos

24 horas

Page 4

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Métodos de avaliação da Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Condições que impedem a análise da VFC
Pacientes com fibrilação atrial Pacientes com disfunção do nó sinusal Pacientes com distúrbios da condução AV Pacientes com marca-passo artificial

1) Métodos lineares: a) Domínio do Tempo b) Domínio da Freqüência

2) Métodos não lineares a) Dimensão fractal b) Entropia c) Expoentes de Lyapunov

Métodos de avaliação da VFC

Métodos de Avaliação da Variabilidade da Freqüência Cardíaca Domínio do Tempo

VFC – Domínio do Tempo
a) Métodos Estatísticos Baseados em intervalos RR individualmente

Expressa os resultados em unidade de tempo (ms)

- SDNN - SDANN - SDNN index Baseados em intervalos RR adjacentes - pNN50 - rMSSD

Métodos Estatísticos Métodos Geométricos

b) Métodos Geométricos - Índice triangular - Plotagem de Lorenz

Métodos de Avaliação da VFC Domínio do Tempo – Métodos Estatísticos
Baseados em intervalos RR individualmente Refletem a variabilidade global e representam a atividades do SNA simpático e parassimpático

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Baseados em intervalos RR adjacentes Refletem predominantemente o tônus vagal SDNN

→ desvio-padrão da média de todos os intervalos

RR normais, em gravação de 24 horas, expresso em ms

Page 5

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

SDANN

→ desvio-padrão das médias dos intervalos RR normais a

SDNN index

→ média dos desvios-padrão dos intervalos RR

cada 5 minutos, em gravação de 24 horas, expresso em ms.

normais a cada 5 minutos, expresso em ms.

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

pNN50

rMSSD

percentagem de intervalos RR adjacentes com

raiz quadrada da média do quadrado das diferenças

entre intervalos RR normais adjacentes, expressa em ms.

diferença de duração maior que 50 ms (Ex - 20%, ou seja, dos 10 intervalos RR adjacentes, apenas dois (o 2º e o 8º) apresentam diferença de duração superior a (+)50 ms.

Variabilidade da Freqüência Cardíaca
Limitações dos Métodos Estatísticos

Registros de boa qualidade

Mecanismos de filtragem

Page 6

Data Duration Sampling Rate

Value Unit 0:41:19 R-R Intervals kcal beats ms (142 bpm) ms (100 bpm) 940 ms (64 bpm) 17 ms 139,4 ms 2,23 632 ms ms ms ms % 3004,04 ms² ms² (79.7 %) ms² (17.3 %) ms² (3.0 %) % 133 4155

Energy Expenditure Number of Heart Beats Minimum R-R Interval 422 Average R-R Interval 599 Maximum R-R Interval RLX baseline Standard Deviation Max/min ratio Weighted RR Average SD1 15,7 SD2 202,6 RMSSD 18,6 pNN50 0,8

Total power (0,00 - 0,40 Hz) VLF (0,00 - 0,04 Hz) 2393,41 LF (0,04 - 0,15 Hz) 520,45 HF (0,15 - 0,40 Hz) 90,18 LF/HF ratio 577,2

Page 7

Condição: Repouso

Condição: Exercício

Condição: Adulto Normal

Condição: IRC

Variabilidade da Freqüência Cardíaca Variabilidade - Índices Geométricos

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade - Índices Geométricos

São utilizados a sequência de intervalos RR normais para construir uma forma geométrica (histogramas de densidades ou mapas de coordenadas cartesianas) de onde são extraídos os índices de VFC

Índice Triangular Plotagem de Lorentz

Page 8

Variabilidade da Freqüência Cardíaca Repouso x Exercício

VFC - Índice Triangular

Variabilidade da Freqüência Cardíaca
IRC x Normal

Plotagem de Lorentz

Mapa de pontos em coordenadas cartesianas

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Formas Gráficas na Plotagem de Lorentz

Pontos medidos de forma incorreta ficam de fora do envelope central

Page 9

Variabilidade da Freqüência Cardíaca IRC x Normal

Variabilidade - Plotagem de Lorentz

Limitação do Método - O número de pares correspondentes ao mesmo ponto do mapa não é conhecido

Repouso x Exercício

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

VFC no Domínio da Frequência

Frequência

Este processo, também denominado de análise espectral, permite decompor o sinal eletrocardiográfico originado do tacograma em seus diferentes componentes de frequência, ou seja, as chamadas bandas de frequência

É o número de vezes que um determinado fenômeno ocorre em relação ao tempo e a unidade de frequência habitualmente utilizada é o Hertz (Hz) que equivale a 1 ciclo por segundo

Page 10

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

VFC no Domínio do Tempo

Identifica e quantifica a frequência com que aparecem determinados elementos repetitivos nas variações da FC

Variabilidade da Freqüência Cardíaca Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Medidas dos Componentes Espectrais

Os componentes espectrais são medidos em valores absolutos de potência (ms2)

Valores de HF e LF - Unidades normalizadas

Page 11

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

HFun e LFun

Relação LF/HF

Representa o valor de cada um destes componentes em relação a potência total menos o componente de VLF

HF (un) = HF/(TP – VLF) x 100 LF (un) = LF/(TP – VLF) x 100

Fornece informações sobre o balanço entre os sistemas simpático e parassimpático

Variabilidade da Freqüência Cardíaca – Valores de Refêrencia

Variabilidade da Freqüência Cardíaca

Influência Vagal - pNN50 RMSSD HF Influência Simpática - LF

Page 12

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->