UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL - UNIDERP CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

CRISTIANE BRASIL LOIDE PINTO PENHA MARIA ANA PENHA NASCIMENTO SENELZA VANDA ALICE MACIEL

O PROCESSO DE RENOVAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL

São Luis 2010

O assunto foca o serviço social no contexto das transfor mações e tem como tema central. O processo de renovação do serviço social que segundo Paulo Netto se desenvolveu em três direções que são: A perspectiva modernizadora. . como uma resposta construída pelos assistentes sociais nas redes de relações que se entretecem na interação profissionalidade/sociedade.1 INTRODUÇÃO: O texto apresentado é referente ao tema o processo de renovação do serviço social e seu objetivo é fornecer esclarecimento do processo de renovação experimentado pelo serviço social no Brasil entre os anos sessenta e oitenta. A renovação do serviço social aparece neste texto (Paulo Netto). a perspectiva da reatualização do conservadorismo e a perspectiva da intenção de ruptura.

fazia emergir posições contestadoras. efetivamente a mais compatível com a perspectiva modernizadora. contudo as idéias dessa perspectiva emergiram do I Seminário Regional Latino Americano de Serviço Social. do outro lado seu traço conservador e sua colagem à ditadura incompatibilizaran-na com os segmentos . ele ofereceu ao debate uma concepção extremamente articulada da metodologia do serviço social. ele foi realizado de 10 a 17 de janeiro de 1970. No seminário de Araxá dentre outros assuntos publicados o documento de Araxá. foi enfatizada a questão da dificuldade que tinha para se discutir a relação entre o serviço social e a sociedade do regime militar isto segundo Yasbek em 1996. A perspectiva modernizadora foi discutida e proposta no seminário de Araxá. A renovação é discutida no estudo de José Paulo Netto sobre o serviço social. na erosão da base do serviço social tradicional. Paulo Netto distinguiu dois aspectos da perspectiva modernizadora. ³modernizou´ a sua metodologia e os cursos para formar profissional moderno para atuar nas instituições burguesas remodeladas no regime militar. Nos seminários de Araxá (1967) e de Teresópolis (1970). depois da ditadura em 1964. Dantas era da concepção funcionalista e era fortemente influenciado teses de desenvolvimentista e do bem estar social emanadas de agências internacionais. isto levou ao movimento de reconceituação do serviço social latino-americano. criando um espaço onde se inscrevia a possibilidade de se gestarem alternativas às práticas e as concepções profissionais que ela demandava. os cursos e as conferências que ele proferiu atestam que ele foi o assistente social que mais apurou as concepções nucleares da modernização do serviço social. O movimento de reconceituação foi uma resposta local à crise internacional do serviço social. vinculado ao capital internacional. Segundo José Paulo Netto.2 O PROCESSO DE RENOVAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL O processo de renovação do serviço social ocorreu na crise do serviço social tradicional. a ditadura exigia que o profissional fosse preparado para atuar nas instituições que foram adaptados ao projeto de autocracia burguesa. A perspectiva modernizadora teve como principal representante José Lucena Dantas e segundo NETTO. ³³O serviço social na perspectiva modernizadora ajustou-se ao projeto de governo para atender ao´ grande capital´. em maio de 1965. De um lado seu conteúdo reformista não foi incorporado pelos assistentes sociais mais tradicionais. pois as suas teorias. Netto considera Dantas um profundo teorizador. ³a re flexão profissional se desenvolveu em três direções´: A perspectiva modernizadora. A crise da ditadura contribuiu para que a perspectiva modernizadora do serviço social perdesse a sua hegemonia. O seminário de Teresópolis foi o segundo seminário de teorização do serviço social. O mesmo regime que moldou a perspectiva modernizadora. ocorrido em Porto Alegre. publicado pelo CBCISS. A perspectiva da reatualização do conservadorismo e a perspectiva da intenção de ruptura ³A PESPECTIVA MODERNIZADORA´. trata dos níveis da micro atuação do serviço social.

Essa perspectiva discute a relação entre o serviço social e a sociedade capitalista. Esse método era considerado um trabalho de critica teórico-prática ao tradicionalismo. (a) A PESPECTIVA DE INTENÇÃO DE RUPTURA (DÉCADA 1980) A principal proposta da perspectiva de intenção de ruptura era romper com as práticas tradicionais do serviço social. aos modos de controle das classes subalternas. o autor faz a seguinte observação: ao ³pensamento causal´ quer substituir-se um pensamento não causal´ o fenomenológico. Nesse período sob a liderança de Leila Lima dos Santos e Ana Maria Queiroga foi criado o método Belo Horizonte conhecido como Método BH. Segundo NETTO essa perspectiva emergiu com o grupo da Escola se Serviço social Católica de Minas Gerais. Essa perspectiva foi expressa primeiramente na livre. mais a compreensão´ (Carvalho 1987) citado por Netto. A PESPECTIVA DA REATUALIZAÇÃO DO CONSERVADORÍSMO. A perspectiva da reatualização do conservadorismo sem discutir as causas e os conflitos de classe. dando -lhe um novo formato. A importância conferida ao movimento não foi suficiente para impedir a demissão dos principais gestores do Método BH. de 1972 a 1975 Apesar da repressão militar. daí foi interrompido o projeto de intenção de ruptura. foi no marco do seminário de Sumaré (1978) e no Seminário do Alto da Boa vista (1984) ³que explicitou´ a perspectiva da reatualização do conservadorismo. que são as seguintes: Pespectiva da reatualização do conservadorismo e a perspectiva de intenção de ruptura as quais comentaremos a seguir. O MOMENTO DA EMERSÃO DA INTENÇÃO DE RUPTURA 9DE 1972 A 1975). tinha como texto base intitulada ³Nova Proposta´. Anna Augusta de Almeida e outros autores da perspectiva da reatualização do conservadorísta não vislumbraram mudanças na organização da sociedade. Foi bastante significativa a preocupação dos teóricos da perspectiva da reatualização do conservadorismo eles buscaram suporte metodológico na fenomenologia que antes disso não era conhecida no meio profissional. á divisão social e técnica de trabalho ao estado. vinculadas aos interesses da classe dominante. Anna Augusta é a responsável pela formulação seminal desta vertente no processo de renovação do serviço social no Brasil. Segundo Netto. cujo quadro de referência não é a explicação. Quem concebeu as primeiras idéias do da perspectiva de intenção de ruptura foram os assistentes sociais que fizeram opção política de trabalhar em favor dos explorados e subalternos. Netto apreendeu três momentos dessa perspectiva: (a) O momento da emersão da intenção de ruptura: (b) O momento da consolidação acadêmica da intenção de ruptura e (c) O momento do espalhamento da intenção de ruptura no âmbito da categoria profissional. . Almeida nada incorpora da problemática relativa às lutas de classes. Eles não se apoiaram na teoria marxista e nem tão pouco na teoria positivista. às formas de manipulação ideológica. Em relação a abordagem marxista. trouxe a tona elementos do conservadorismo e do pensamento católico.docência de Anna Augusta de Almeida (1978). ³³No que se refere à abordagem positivista.3 profissionais críticos e isto resultou nas outras duas direções do processo de renovação do serviço social.

Mas ainda se observa uma distância entre ³a intenção de romper com o passado conservador do serviço social e os indicativos práticos profissionais para consumá-la. as pesquisas realizadas com base nas fontes teórico-metodológicas originais do marxismo clássico representavam um avanço. O avanço dessa perspectiva é visível nas contribuições teóricas que desvelaram o serviço social brasileiro e latino-americano. Vicente de Paula Faleiros. Merece registro o lançamento da Revista Serviço sócia e Sociedade. dá o tom da sua produção intelectual. editada pela Cortez. No período de 1982 a 1983. Raul de Carvalho. rebate na formação de quadros operadas nas agências acadêmicas de ponta e atinge as organizações representativas dos assistentes sociais. as pesquisas da intenção de ruptura ainda não se pautavam nas fontes originais do marxismo.4 (b) O MOMENTO DA CONSOLIDAÇÃO ACADÊMICA DA INTENÇÃO DE RUPTURA: aconteceu no final dos anos 1970 e início de 1980. Nessa década as universidades apresentavam alguns trabalhos de conclusão de pós. São produções teóricas que vão das origens da profissão até o serviço social na sua contemporaneidade. apesar de seu rigor intelectual. Manuel Manrique de Castro. penetra e informa os debates da categoria profissional. pautadas em fontes originais. José Paulo Netto. . Leila Lima dos Santos e outros autores discutiram o serviço sócia na perspectiva de intenção de ruptura. até início da década de 1980. que publicou grande parte dos textos na perspectiva da intenção de ruptura. outros eventos que a ela se reportam. (c) O MOMENTO DO ESPALHAMENTO DA INTENÇÃO DE RUPTURA NO ÂMBITO DA CATEGORIA PROFISSIONAL. O fato é que a incidência do projeto da ruptura. em 1979. a partir do segundo terço da década de 1980. o debate do serviço social na perspectiva da intenção de ruptura estendeu-se para o conjunto dos profissionais. Por isso. uma das mais importantes revistas profissionais do continente. Os autores: Marilda Villela Iamamoto. sem contar ainda.graduação e de ensaios sobre a intenção de ruptura. Segundo NETTO.

que fizeram opção de trabalhar em favor dos explorados e subalternos. A consolidação acadêmica da intenção de ruptura se deu no final da década de 1970 e primeiro terço de 1980. quando as universidades apresentavam alguns trabalhos de conclusão de pós-p graduação e de ensaios sobre a intenção de ruptura. . foram os que tiveram as primeiras idéias da perspectiva de intenção de ruptura que emergiu de 1972 a 1975. com a experiência do grupo da Escola de Serviço Social da Universidade Católica de Minas Gerais.5 CONCLUSÃO: Ao findar este trabalho concluímos que: Os assistentes sociais.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful