UNIVERSIDADE PARA O DESENVOLVIMENTO DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL - UNIDERP CURSO DE SERVIÇO SOCIAL

CRISTIANE BRASIL LOIDE PINTO PENHA MARIA ANA PENHA NASCIMENTO SENELZA VANDA ALICE MACIEL

O PROCESSO DE RENOVAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL

São Luis 2010

O assunto foca o serviço social no contexto das transfor mações e tem como tema central. .1 INTRODUÇÃO: O texto apresentado é referente ao tema o processo de renovação do serviço social e seu objetivo é fornecer esclarecimento do processo de renovação experimentado pelo serviço social no Brasil entre os anos sessenta e oitenta. a perspectiva da reatualização do conservadorismo e a perspectiva da intenção de ruptura. O processo de renovação do serviço social que segundo Paulo Netto se desenvolveu em três direções que são: A perspectiva modernizadora. como uma resposta construída pelos assistentes sociais nas redes de relações que se entretecem na interação profissionalidade/sociedade. A renovação do serviço social aparece neste texto (Paulo Netto).

na erosão da base do serviço social tradicional. A perspectiva da reatualização do conservadorismo e a perspectiva da intenção de ruptura ³A PESPECTIVA MODERNIZADORA´. ele ofereceu ao debate uma concepção extremamente articulada da metodologia do serviço social. os cursos e as conferências que ele proferiu atestam que ele foi o assistente social que mais apurou as concepções nucleares da modernização do serviço social. O movimento de reconceituação foi uma resposta local à crise internacional do serviço social. do outro lado seu traço conservador e sua colagem à ditadura incompatibilizaran-na com os segmentos . ocorrido em Porto Alegre. efetivamente a mais compatível com a perspectiva modernizadora. vinculado ao capital internacional. A renovação é discutida no estudo de José Paulo Netto sobre o serviço social. trata dos níveis da micro atuação do serviço social. ³modernizou´ a sua metodologia e os cursos para formar profissional moderno para atuar nas instituições burguesas remodeladas no regime militar. Nos seminários de Araxá (1967) e de Teresópolis (1970). em maio de 1965. Dantas era da concepção funcionalista e era fortemente influenciado teses de desenvolvimentista e do bem estar social emanadas de agências internacionais. criando um espaço onde se inscrevia a possibilidade de se gestarem alternativas às práticas e as concepções profissionais que ela demandava. depois da ditadura em 1964. pois as suas teorias. ³³O serviço social na perspectiva modernizadora ajustou-se ao projeto de governo para atender ao´ grande capital´. a ditadura exigia que o profissional fosse preparado para atuar nas instituições que foram adaptados ao projeto de autocracia burguesa. foi enfatizada a questão da dificuldade que tinha para se discutir a relação entre o serviço social e a sociedade do regime militar isto segundo Yasbek em 1996. ³a re flexão profissional se desenvolveu em três direções´: A perspectiva modernizadora. publicado pelo CBCISS. A perspectiva modernizadora foi discutida e proposta no seminário de Araxá. fazia emergir posições contestadoras. Netto considera Dantas um profundo teorizador. Segundo José Paulo Netto. O seminário de Teresópolis foi o segundo seminário de teorização do serviço social. contudo as idéias dessa perspectiva emergiram do I Seminário Regional Latino Americano de Serviço Social. isto levou ao movimento de reconceituação do serviço social latino-americano. A perspectiva modernizadora teve como principal representante José Lucena Dantas e segundo NETTO. A crise da ditadura contribuiu para que a perspectiva modernizadora do serviço social perdesse a sua hegemonia. O mesmo regime que moldou a perspectiva modernizadora. Paulo Netto distinguiu dois aspectos da perspectiva modernizadora. De um lado seu conteúdo reformista não foi incorporado pelos assistentes sociais mais tradicionais. ele foi realizado de 10 a 17 de janeiro de 1970. No seminário de Araxá dentre outros assuntos publicados o documento de Araxá.2 O PROCESSO DE RENOVAÇÃO DO SERVIÇO SOCIAL O processo de renovação do serviço social ocorreu na crise do serviço social tradicional.

3 profissionais críticos e isto resultou nas outras duas direções do processo de renovação do serviço social. trouxe a tona elementos do conservadorismo e do pensamento católico. cujo quadro de referência não é a explicação. Esse método era considerado um trabalho de critica teórico-prática ao tradicionalismo. Almeida nada incorpora da problemática relativa às lutas de classes. A PESPECTIVA DA REATUALIZAÇÃO DO CONSERVADORÍSMO. (a) A PESPECTIVA DE INTENÇÃO DE RUPTURA (DÉCADA 1980) A principal proposta da perspectiva de intenção de ruptura era romper com as práticas tradicionais do serviço social. que são as seguintes: Pespectiva da reatualização do conservadorismo e a perspectiva de intenção de ruptura as quais comentaremos a seguir. A perspectiva da reatualização do conservadorismo sem discutir as causas e os conflitos de classe. dando -lhe um novo formato. ³³No que se refere à abordagem positivista. Segundo NETTO essa perspectiva emergiu com o grupo da Escola se Serviço social Católica de Minas Gerais. . vinculadas aos interesses da classe dominante. Essa perspectiva foi expressa primeiramente na livre. o autor faz a seguinte observação: ao ³pensamento causal´ quer substituir-se um pensamento não causal´ o fenomenológico. foi no marco do seminário de Sumaré (1978) e no Seminário do Alto da Boa vista (1984) ³que explicitou´ a perspectiva da reatualização do conservadorismo. O MOMENTO DA EMERSÃO DA INTENÇÃO DE RUPTURA 9DE 1972 A 1975). Netto apreendeu três momentos dessa perspectiva: (a) O momento da emersão da intenção de ruptura: (b) O momento da consolidação acadêmica da intenção de ruptura e (c) O momento do espalhamento da intenção de ruptura no âmbito da categoria profissional. Eles não se apoiaram na teoria marxista e nem tão pouco na teoria positivista. Nesse período sob a liderança de Leila Lima dos Santos e Ana Maria Queiroga foi criado o método Belo Horizonte conhecido como Método BH. A importância conferida ao movimento não foi suficiente para impedir a demissão dos principais gestores do Método BH. de 1972 a 1975 Apesar da repressão militar. Anna Augusta de Almeida e outros autores da perspectiva da reatualização do conservadorísta não vislumbraram mudanças na organização da sociedade. às formas de manipulação ideológica. Foi bastante significativa a preocupação dos teóricos da perspectiva da reatualização do conservadorismo eles buscaram suporte metodológico na fenomenologia que antes disso não era conhecida no meio profissional. á divisão social e técnica de trabalho ao estado. Anna Augusta é a responsável pela formulação seminal desta vertente no processo de renovação do serviço social no Brasil. aos modos de controle das classes subalternas. tinha como texto base intitulada ³Nova Proposta´. Quem concebeu as primeiras idéias do da perspectiva de intenção de ruptura foram os assistentes sociais que fizeram opção política de trabalhar em favor dos explorados e subalternos. Essa perspectiva discute a relação entre o serviço social e a sociedade capitalista. daí foi interrompido o projeto de intenção de ruptura. Em relação a abordagem marxista. mais a compreensão´ (Carvalho 1987) citado por Netto.docência de Anna Augusta de Almeida (1978). Segundo Netto.

Segundo NETTO. as pesquisas da intenção de ruptura ainda não se pautavam nas fontes originais do marxismo. Merece registro o lançamento da Revista Serviço sócia e Sociedade. que publicou grande parte dos textos na perspectiva da intenção de ruptura. Mas ainda se observa uma distância entre ³a intenção de romper com o passado conservador do serviço social e os indicativos práticos profissionais para consumá-la. a partir do segundo terço da década de 1980. dá o tom da sua produção intelectual. Leila Lima dos Santos e outros autores discutiram o serviço sócia na perspectiva de intenção de ruptura. No período de 1982 a 1983. Vicente de Paula Faleiros. em 1979. apesar de seu rigor intelectual.4 (b) O MOMENTO DA CONSOLIDAÇÃO ACADÊMICA DA INTENÇÃO DE RUPTURA: aconteceu no final dos anos 1970 e início de 1980. até início da década de 1980. rebate na formação de quadros operadas nas agências acadêmicas de ponta e atinge as organizações representativas dos assistentes sociais. José Paulo Netto. Manuel Manrique de Castro. editada pela Cortez. outros eventos que a ela se reportam. penetra e informa os debates da categoria profissional. Raul de Carvalho. Os autores: Marilda Villela Iamamoto. sem contar ainda. uma das mais importantes revistas profissionais do continente.graduação e de ensaios sobre a intenção de ruptura. O avanço dessa perspectiva é visível nas contribuições teóricas que desvelaram o serviço social brasileiro e latino-americano. Por isso. Nessa década as universidades apresentavam alguns trabalhos de conclusão de pós. O fato é que a incidência do projeto da ruptura. pautadas em fontes originais. as pesquisas realizadas com base nas fontes teórico-metodológicas originais do marxismo clássico representavam um avanço. o debate do serviço social na perspectiva da intenção de ruptura estendeu-se para o conjunto dos profissionais. . São produções teóricas que vão das origens da profissão até o serviço social na sua contemporaneidade. (c) O MOMENTO DO ESPALHAMENTO DA INTENÇÃO DE RUPTURA NO ÂMBITO DA CATEGORIA PROFISSIONAL.

que fizeram opção de trabalhar em favor dos explorados e subalternos. . foram os que tiveram as primeiras idéias da perspectiva de intenção de ruptura que emergiu de 1972 a 1975.5 CONCLUSÃO: Ao findar este trabalho concluímos que: Os assistentes sociais. quando as universidades apresentavam alguns trabalhos de conclusão de pós-p graduação e de ensaios sobre a intenção de ruptura. com a experiência do grupo da Escola de Serviço Social da Universidade Católica de Minas Gerais. A consolidação acadêmica da intenção de ruptura se deu no final da década de 1970 e primeiro terço de 1980.