Você está na página 1de 6

AULA DE LINGUA PORTUGUESA EJA IV

TEMA: LEITURA E CRIAÇÃO DE TEXTOS POÉTICO

Dados da Aula

O que o aluno poderá aprender com esta aula

• ler, compreender e interpretar textos poéticos;


• distinguir o ritmo das palavras nos versos;
• criar textos poéticos e organizá-los em forma de poema.

Duração das atividades

5 aulas de 50 minutos cada

Conhecimentos prévios trabalhados pelo professor com o aluno

• distinguir texto literário de não-literário;


• fazer distinção entre autor e “eu- poético” ou “eu- lírico.”

Estratégias e recursos da aula

• apresentação de vídeos;
• atividades em pequenos grupos em sala de aula.

AULA 1

ATIVIDADE 1

Como motivação, o professor poderá levar os alunos ao laboratório de informática para


assistir a alguns vídeos, disponíveis na internet, em que poetas, artistas e alguns autores
interpretam e declamam poesias de Fernando Pessoa, Cecília Meireles, Vinicius de
Moraes e Manuel Bandeira.
Vídeos disponíveis em:

a. Autopsicografia - Fernando Pessoa:

http://www.youtube.com/watch?v=wZqcv7Wm7yY

b. Motivo - Cecília Meireles:

http://www.youtube.com/watch?v=BpMl_Ln-x2s&feature=related

c. Retrato - Cecília Meireles:

http://newswrecker.com/news-bloopers/video/hYEMQ0Gbe38/Retrato-Cecilia-
Meireles.html
http://www.youtube.com/watch?v=hYEMQ0Gbe38

d. Soneto da Fidelidade - Vinícius de Moraes:

http://www.youtube.com/watch?v=9QoKw3eSUTM&feature=related

e. Desencanto - Manuel Bandeira:

http://www.youtube.com/watch?v=55q3gzERJNI&feature=related

f. Poética (1) - Vinícius de Moraes:


http://www.youtube.com/watch?v=4TZOpDrRdck&feature=related

AULA 2
ATIVIDADE 1

Em sala de aula, o professor deverá entregar uma cópia dos poemas aos alunos e
mostrar eles a diferença entre autor e “eu-poético” ou “eu lírico”. Pedir a eles que
observem o lirismo presente nos textos, em que o eu-poético/ eu-lírico exprime suas
emoções em relação ao mundo exterior.

Importante:

O professor deverá:
• fazer a leitura expressiva de cada um dos poemas.
• Observar aos alunos que o “eu-poético” ou “eu-lírico” é a voz que fala no poema e
nem sempre corresponde à do autor, pois ao escrever um poema, o poeta não fala
necessariamente de sua vida, de seus momentos de dor e de prazer. Ele fala da vida
humana e, para isso, escreve muitas vezes fingindo ser uma outra pessoa ou fingindo
sentir uma emoção não vivida.

Textos:

1. Autopsicografia (Fernando Pessoa)

O poeta é um fingidor.
Finge tão completamente
Que chega a sentir que é dor
A dor que deveras sente.

E os que lêem o que escreve,


Na dor lida sentem bem,
Não as duas que ele teve,
Mas só a que eles não têm.

E assim nas calhas de roda


Gira, a entreter a razão,
Esse comboio de corda
Que se chama o coração.

Texto disponível em:

http://www.releituras.comfpessoa_psicografia.asp/

2. Motivo ( Cecília Meireles)

Eu canto porque o instante existe


e a minha vida está completa.
Não sou alegre nem sou triste:
sou poeta.

Irmão das coisas fugidias,


não sinto gozo nem tormento.
Atravesso noites e dias
no vento.

Se desmorono ou se edifico,
se permaneço ou se desfaço,
- Não sei, não sei. Não sei se fico
ou passo.

Sei que canto. E a canção é tudo.


Tem sangue eterno e asa ritmada.
E um dia sei que es tarei mudo:
- mais nada.

Texto disponível em:

http://www.geocities.com/fedrasp/motivo.html

3. Retrato (Cecília Meireles)

Eu não tinha este rosto de hoje,


assim calmo, assim triste, assim magro,
nem estes olhos tão vazios,
nem o lábio amargo.

Eu não tinha estas mãos sem força,


tão paradas e frias e mortas;
eu não tinha este coração que nem se mostra.
Eu não dei por esta mudança,
tão simples, tão certa, tão fácil:
- Em que espelho ficou perdida
a minha face?
Texto disponível em:

http://www.geocities.com/fedrasp/retrato.html

4. Desencanto ( Manuel Bandeira)

Eu faço versos como quem chora


De desalento...de desencanto...
Fecha o meu livro, se por agora
Não tens motivo nenhum de pranto.

Meu verso é sangue. Volúpia ardente...


Tristeza esparsa..remorso vão..
Doi-me nas veias. Amargo e quente,
Cai, gota a gota, do coração.

E nestes versos de angústia rouca


Assim dos lábios a vida corre,
Deixando um acre saber na boca.

- Eu faço versos como quem morre.

Texto disponível em:

http://www.luso-poemas.net/modules/news03/article.php?storyid=708

5. Poética (1) (Vinícius de Moraes)

De manhã escureço
De dia tardo
De tarde anoiteço
De noite ardo.

A oeste a morte
Contra quem vivo
Do sul cativo
O este é meu norte.

Outros que contem


Passo por passo:
Eu morro ontem

Nasço amanhã
Ando onde há espaço
-Meu tempo é quando

Texto disponível em:

http://vagalume.uol.com.br/vinicius-de-moraes/poetica-i.html
ATIVIDADE 2

O professor pedirá aos alunos que trabalhem em grupo ( quatro pessoas).Cada grupo
deverá analisar um dos poemas, observando os seguintes aspectos de sua estrutura
organizacional:
a) número versos ou linhas;
b) número de estrofes ou grupos de versos
c) se há rimas - sons que se repetem no final de certas palavras, responsáveis pela
criação no texto de um efeito de eco ou musicalidade entre as palavras;
d) a presença de recursos sonoros, tais como repetição de letras, de palavras, de versos
ou grupos de versos;
e) figuras de linguagem que geram expressividade, tais como metáfora, comparação,
etc.
f) as idéias, os sentimentos, as emoções do eu-poético / eu-lírico que são apresentadas
no poema.
Após a análise dos poemas, os alunos deverão preparar o poema para se declamado,
pelo grupo, parte do grupo ou individualmente.

AULA 3

ATIVIDADE

Expressão oral

Após a análise dos textos, os alunos deverão se preparar para fazer a declamação do
poema analisado por eles (Autopsicografia, Retrato, Motivo, Retrato, Desencanto e
Poética (1)). A declamação poderá ser feita individualmente ou em grupo. Caso seja
feita em grupo, todos podem ler ao mesmo tempo; alguns versos podem ser lidos pelos
meninos, outros pelas meninas, etc. Lembrar aos alunos para ficarem atentos ao ritmo
do poema, pois um poema é escrito para ser declamado.
No momento da apresentação do trabalho, o grupo deverá expor a análise realizada,
finalizando a atividade com a declamação da poesia.

Importante:

Para a declamação das poesias, os alunos deverão observar as seguintes orientações:


• ler o poema, ensaiando várias possibilidades de entonação e expressão para estrofe ou
verso;
• procurar memorizar o texto;
• ensaiar a declamação várias vezes;
• definir a postura corpo ral no momento da declamação: olhar diretamente para o
público, movimentar o corpo para dar mais expressividade à declamação.

AULA 4

ATIVIDADE
Produção de texto
Propor aos alunos que criem um poema. Para isso, o professor deverá apresentar a eles
um roteiro – oralmente ou por escrito – para orientá-los nesse processo, qual seja:
Antes de começar a escrever a sua poesia:
• pense em diferentes sentimentos que qualquer pessoa, por qualquer motivo, possa
estar sentindo: amor, saudade, medo, desejo, desilusão, revolta, ciúme, prazer, ódio,
paz, etc. Escolha um desses sentimentos e comece a anotar tudo o que você sente em
relação a ele.
• busque imagens que possam sugerir o que você pretende comunicar. Escreva seu texto
procurando exprimir o que você sente;
• leia e releia o que você está escrevendo, de preferência em voz alta. Isso pode ajudá-lo
a perceber o ritmo das palavras e dos versos: leia e sinta as palavras. Deixe se guiar pelo
ritmo delas.
• altere, substitua palavras, versos, expressões e ao poucos verá surgir um poema
organizado.
Assim que os alunos terminarem esta atividade, o professor deverá pedir a eles que
troquem os poemas entre si, para leitura e apreciação do trabalho do colega.
Caso os alunos manifestem o desejo de recitar os poemas criados por eles, após a
preparação, o professor poderá propor uma roda de poemas, na sala de aula: os alunos
formarão um único círculo, para declamar e assistir a apresentação dos colegas no
centro da sala. O professor deverá sugerir aos alunos que coloquem um fundo musical
adequado ao tema do poema que se vai recitar.

Recursos Complementares

Apresentar aos alunos o vídeo/recital de poesia:

http://www.youtube.com/watch?v=-85G68oMZaM&feature=related

http://www.youtube.com/watch?v=HBsZJI_2Ja0/

Avaliação

A atividade de declamação de poesia poderá ser avaliada, de acordo com os seguintes


critérios:
• entonação adequada aos sentimentos/ idéias expressos no poema;
• dicção clara e audível;
• memorização do poema;
• postura corporal.
Os textos escritos deverão ser entregues ao professor para correção. Após a correção, se
fizer necessário, os alunos os reescreverão para que, posteriormente, sejam expostos no
mural da sala.

Interesses relacionados