Você está na página 1de 2

Definição e utilização da bridge: Bridge ou ponte é o termo utilizado em informática para

designar um dispositivo que liga duas ou mais redes informáticas que usam protocolos
distintos ou iguais ou dois segmentos da mesma rede que usam o mesmo protocolo, por
exemplo, ethernet ou token ring. Bridges servem para interligar duas redes, como por exemplo
ligação de uma rede de um edificio com outro.Uma bridge é um segmento livre entre rede,
entre o servidor e o cliente(tunel), onde possibilita a cada usuário ter sua senha independente.

Uma bridge ignora os protocolos utilizados nos dois segmentos que liga, já que opera a um
nível muito baixo do modelo OSI (nível 2); somente envia dados de acordo com o endereço do
pacote. Este endereço não é o endereço IP (internet protocol), mas o MAC (media access
control) que é único para cada placa de rede. Os únicos dados que são permitidos atravessar
uma bridge são dados destinados a endereços válidos no outro lado da ponte. Desta forma é
possível utilizar uma bridge para manter um segmento da rede livre dos dados que pertencem
a outro segmento.

É freqüente serem confundidos os conceitos de bridge e concentrador (ou hub); uma das
diferenças, como já enunciado, é que o pacote é enviado unicamente para o destinatário,
enquanto que o hub envia o pacote em broadcast.

Endereços MAC

As pontes têm, internamente, uma memória que armazena os endereços MAC de todos os
computadores da rede, a partir dos endereços de origem dos frames. Com base nessas
informações é criada uma tabela na qual identifica cada computador e o seu local nos
segmentos de rede. Quando a ponte recebe o pacote do endereço de destino é comparado
com a tabela existente, se reconhecer o endereço ela encaminhará o pacote a esse endereço,
caso contrário para todos os endereços da rede. Uma bridge é estabelecida entre conexão com
o provedor de serviços ao contrario de um roteador que faz um rota com um unico ip
dividindo a banda entre os computadores.

(Ponte, serve para conectar duas redes distintas, permitindo comunicações entre elas. O
bridge pode ser um dispositivo dedicado ou então um PC com duas placas de rede,
configurado para executar esta função. À primeira vista pode parecer que o bridge tem a
mesma função de um hub comum, mas as aplicações são bem diferentes. Um hub permite
conectar vários PCs, que passam a fazer parte de um único segmento de rede, onde todos os
dados transmitidos por um PC são transmitidos a todos, o que diminui o desempenho da
rede conforme aumenta o tráfego de dados e a quantidade de PCs. O Bridge permite unir
dois ou mais hubs, transformando-os em uma única rede, onde os PCs conectados a cada
hub tornam-se um segmento de rede distinto. Isso faz toda a diferença, pois o bridge é capaz
de examinar os pacotes e transmitir os pacotes apenas ao destinatário correto, isso previne
a saturação da rede, mesmo que existam muitos PCs. As limitações são que o bridge pode
conectar apenas redes que utilizem a mesma arquitetura (Ethernet por exemplo) e que
utilizem o mesmo protocolo de rede (TCP/IP por exemplo). No máximo é possível juntar uma
rede que utilize cabos de par trançado com outra que utilize cabos coaxiais. Os switches,
seguidos pelos roteadores são os próximos degraus da escala evolutiva.)
Conceito de segmentação:

Conceito de Dominio de difusão

Conceito de Dominio de colisão

Regras de Segmentação