Você está na página 1de 2

RESENHA CRÍTICA

DADOS GERAIS
Disciplina Sistemas de Gestão da Segurança do Trabalho
Professor Robson Spinelli Gomes
Aluno Luciano Garcia Mangueira
Turma A Telefone (22) 9221- e-mail lgmang@hotmail.com
3585
ANÁLISE DO TEXTO
Título do Texto Da medicina do trabalho à saúde do trabalhador
Autor (es) MENDES, R. & DIAS, E.C.
PALAVRAS-CHAVE DO TEXTO (no máximo 4 palavras)
Saúde Ocupacional Medicina Ocupacional História
DESCRIÇÃO DO ASSUNTO (no máximo 50 palavras)
O artigo constitui um ensaio de revisão sobre a evolução dos conceitos e práticas da
medicina do trabalho à saúde do trabalhador, passando pela saúde ocupacional. O presente
artigo busca responder as seguintes questões: quais as principais características da
medicina do trabalho; como e por que evoluiu a medicina do trabalho para a saúde
ocupacional; por que o modelo da saúde ocupacional se mostrou insuficiente; em que
contexto surge à saúde do trabalhador; quais as principais características da saúde do
APRECIAÇÃO CRÍTICA (no máximo 300 palavras)
O presente artigo constitui um ensaio de revisão sobre os conceitos e práticas da
medicina do trabalho à saúde do trabalhador, passando pela saúde ocupacional.
O artigo tem como objetivo responder algumas questões, tais como: quais as
principais características da medicina do trabalho; como e por que a medicina do trabalho
evoluiu para a saúde ocupacional; por que o modelo da saúde ocupacional mostrou-se
insuficiente; como surgiu a saúde do trabalhador e suas principais características.
Em relação à primeira questão, os autores MENDES e DIAS relatam o surgimento da
medicina do trabalho, fato que ocorreu em plena revolução industrial, século XIX na
Inglaterra. Época em que havia um processo acelerado e desumano de produção. A história
começou a mudar quando um proprietário de uma fábrica chamado Robert Dernham,
preocupado com o fato de seus trabalhadores não dispunham de nenhum cuidado médico,
procurou Dr. Robert Baker, seu médico, pedindo que indicasse a maneira para resolver tal
situação. Dr. Baker então sugeriu a presença de um médico no interior da fábrica, de forma a
observasse o efeito do trabalho sobre as pessoas e se algum trabalhador estaria sofrendo a
influência de causas que poderiam ser prevenidas. A decisão do empregador foi contratar o
Dr. Baker para trabalhar na sua fábrica, surgindo assim, em 1830, o primeiro serviço de
medicina do trabalho.
Em relação à evolução da medicina do trabalho para a saúde ocupacional, segunda
questão, o texto descreve o custo provocado pela perda de vidas ou por doenças do trabalho
no período da guerra e pós-guerra, provocando desta forma, pesadas indenizações por
incapacidade.
A tecnologia industrial evoluíra de forma acelerada, traduzida por novos processos,
novos equipamentos e novos produtos. Surge então a Saúde Ocupacional, onde os serviços
médicos passam a ganhar destaque dentro das grandes empresas.
A terceira e a quarta questão são respondidas logo a seguir, quando os autores
relatam o surgimento da insuficiência da saúde ocupacional. Eles descrevem que, na década
de 60, surge um movimento social renovado e revigorado, marcado por alguns
questionamentos, dentre eles: o sentido da vida, o valor da liberdade e o significado do
trabalho na vida.
Este processo resulta na exigência da participação dos trabalhadores nas questões de
PARALELO COM A REALIDADE DA SUA EMPRESA/ESCOLA
A obra dos autores nos traz um apanhado histórico da medicina do trabalho, sua
evolução para saúde ocupacional até a saúde do trabalhador. O texto nos revela o quanto
evoluímos nessas questões ao longo do tempo; relata as relevantes conquistas trabalhistas e
a autonomia do trabalhador no pensar e nas decisões em relação ao trabalho perigoso ou
arriscado. Autonomia essa fortalecida, através das mudanças na legislação do trabalho,
institutos que estudam os ambientes e as condições do trabalho, sindicatos e demais