Você está na página 1de 2

ILEO MECONIAL

É uma obstrução intraluminal que ocorre no periodo neonatal, causada por intenso
espessamento meconial, geralmente ao nivel do ileo terminal, na maioria dos casos
relacionada á fibrose quistica.

Etiologia

Em 10 / 20% dos lactentes nascidos com fibrose quistica, o mecónio anormalmente


espessado bloqueia o íleo terminal levando a um quadro grave de obstrução intestinal.
Usualmente ocorre na porção média do íleo, mas pode se densevolver ni jejuno e colon.
Embora não haja uma correlação clara entre a insuficiência pancreática e o
densevolvimento do meconio espessado,o íleo meconeal ocorre tambem em pacientes
com obstrução do canal pancretico e aplasia do pancreas. Obstrução sem causa aparente
tem sidodescritas, em recem – nascidos.

Qudro clínico

O paciente tem um peso normal ao nascer , não elimina meconio nas 1ª 48 horas de
vida,apresentando um abdomen distendido ,vomitos em grande volume e de aspecto
verde escuro, as alças intestinais distendidas podem ser vistas e palpadas..ao toque rectal
tem um recto vazio ou com saida de pequenas quantidades de meconio espesso.quando
ocorre volvo e perfuração da alça intestinal no periodo itra uterino, os neonatos
apresentam normalmente distenção abdominal ou ascite e vomitos logo ao nascimento.

Pode haver história familiar de fibrose cística e polihidramnio

Estudos por imagem

As radiografias simples do abdomen mostram alças intestinais com grande variação de


diametro.o meconio espesso confere um aspecto de vidro moido. O ar misturado com
meconio produz o sinal de “bolha de sibão” que esta localizado,geralmente no quadrante
inferior direito. As radiografias tiradas logo apos o lactente ser posto em posição
ortostatica podem não mostrar os niveis liquidos, porque o meconio espesso ,viscoso,não
forma camadas rapidamente.
O enema contrastado mostrará micro colon,com algumas de meconio.o refluxo do
materialde contraste através da valvula íleo cecal demostra um íleo terminal
pequeno,contendo”pelotus” de muco espessado, num sentido mais proximal,o
intetinoestá distendido com meconio impactado. A perfuração pré natal pode ser
dectetado,pela presença de calcificações abdominais.

Diagnostico diferencial
Deve se diferenciar o íleo meconial de outras causas de obstrução intestinal: doença de
hirschprung, anomalias ano rectais, sindrome do colon esquerdo, rolha meconeal.
Complicações

Pode ser complicado com volvo das anças intestinais distendidas. Dependendo
de quão cedo na vida fetal isto ocorra;o volvo pode oprogredir para gangrena do
intestino,perfuração com peritonite meconial ou atresia do ileo que podem ocorrer
isoladamente ou em combinação. Outras complicações comuns do íleo meconeal estão
relacionadas com a presença, quase universal da fibrose cística. Estes pacientes são
susceptíveis a infecções pulmonares de repetição, com DPOC e abcessopulmonar.
A má absorção, devido a insuficiência pancreatica,o prolapso rectal e a intussuscepção
podem ser produzidas pela passagem de fezes espessadas. Os polipos nasais e sinusite são
frequentes.

Tratamento e prognostico

60-70% dos casos, o tratamento não operatorio é bem sucedido.uma sonda nasogastrica
deve ser inserida e conectada a um aspirador sob controlo fluoroscopico,enemas contendo
soro fisiologico,diatrozoato de meglumina em concentração integral,que é higroscopico,
ou aceticisteína que é mucolítica, podem dispersar o meconio,em casos não complicados.
O lactente deve estar bem hidratado e as infusões venosas devem ser mantidas durante e
após procedimento a fim de prevenir a hipovolémia. Se isto falhar em aliviar a obstrução,
esta indicada a laparatomia .o íleo é aberto e se possivel irrigado até clarear ,pode ser
feita a anastomose do intestino ou é trazido para a parede ,como um estoma em”cano
duplo”.alternativamente em T pode ser colocado no intestino,exteriorizado para a parede
abdominal anterior para irrigações no pos operatorio.o intestino comprometido é
ressecado,e reliza se apendicectomia por causa da alta frequência da apendicite em
pacientes com fibrose cistica.
Todos pacientes devem ser avaliados para a fibrose cistica. A reposição das enzimas
pancreaticas pode ser necessaria, uma formula láctea de baixo teor de ácidos graxos de
cadeia longa e alto de trigliceridos de cadeia media,pode proporcionar absorção e
crescimentos melhores do que as formulas padrão. O paciente deve ser colocado em
ambiente com humidade alta ,para manter fluidas as secrecões traquebronquicas.
Deve se ensinar aos pais a drenagem postural,com tapotagemdo torax de modo que eles
continuem a manter, indefinidamente , a limpeza da traqueia e bronquios.
Não ha indicação para uso profilatico de antibioticos a longo prazo,pois, a infecção por
germes como pseudomonas e klebsiella,resistentes aos antibioticos geralmente se
densevolve.
As crianças maiores e os adolescentes podem apresentar um sindrome semelhante ao íleo
meconeal, denominada sindrome de obstrução do íleo distal, esta obstrução do íleo deve
se as vezes espessadas (comuns naqueles que negligenciam seus medicamentos.), na
maioria das vezes responde bem a enemas contrastados hipertonicas.