Você está na página 1de 1

POR QUÊ FAZEMOS PLANOS NO FINAL DO ANO?

O ser humano tem necessidade de renovação. A cada primeiro de janeiro ele "entende"
que a vida recomeça, os planos recomeçam e que mudanças acontecerão. Não percebe,
no entanto, que a vida é um contínuo e que somos renovados a cada amanhecer. É como
se o novo ano fizesse os erros, as decepcções e/ou frustrações deixarem de existir, o
que de fato não acontece. Quem foi muito feliz neste ano espera ser mais no ano
seguinte e os planos são ainda mais audaciosos.

Para se cumprir as metas feitas a pessoa tem que ter a exata noção daquilo que se
pretende, ter perseverança e fé. Nem tudo se consegue sem lutar. É não desistir no
primeiro tombo, é ter um objetivo claro, é focar no alvo, sem deixar de "viver".

Muitos não conseguem atingir seus objetivos porque se esquecem que têm família,
amigos, Deus. Ou querem atingir suas metas sozinhos. Ninguém vive sozinho. Quando
se tem um objetivo na vida o importante é saber compartilhar. Compartilhar
sentimentos, compartilhar informações, compartilhar sonhos.

Se você realmente deseja algo, então você terá que renunciar a outras coisas. Quem
quer emagrecer, por exemplo, tem que abrir mão dos prazeres da comida, quem quer
abrir um negócio próprio tem que abrir mão da segurança de um emprego com salário
fixo. A nossa vida é feita das escolhas que fazemos. Não conseguimos ter tudo que
queremos. Seria ótimo, mas não conseguimos. Então o primeiro passo para o
cumprimento das metas pessoais é saber o que é realmente importante para você, quais
as suas prioridades, onde quer chegar, com quem deseja compartilhar.

Ouvimos muitas histórias de superações, onde pessoas, por vezes limitadas, conseguem
atingir seus objetivos. E por quê isso não ocorre com as outras pessoas?? Não acontece
porque não foi feito um planejamento. Não foi estabelecido para a própria pessoa qual é
o grande objetivo dessa conquista, não existiu amor no que fez.
Ah, o amor...sem ele não se faz nada. E o amor pode ser a você mesmo, aos outros e/ou
ao trabalho que você faz.

Você tem metas? O quanto de amor você investe nelas? Isso tem que ser claro para
você. O resto é consequência, sem sofrimento, mas baseado na vontade de dar certo.

O prejuízo maior de um não cumprimento de metas é o emocional, a sensação de


incapacidade ou de limitação que a pessoa sente e que nem sempre é o caso. Quando a
pessoa faz planos, estabelece metas para sua vida e não atinge ela pode se sentir
frustrada, diminuindo sua auto-estima, aumentado a ansiedade e, em alguns casos,
levando essa pessoa à depressão.

O que fazer então? Você deve olhar para dentro de si mesmo e procurar entender o que
te motiva, o que te dá prazer. Entender como você é, como você gostaria de ser. Depois
disso procurar estabelecer metas que sejam atingíveis. Não adianta fazer planos
impossíveis. Comece devagar. A medida que sua primeira meta for atingida vá
aumentando aos poucos. Não tenha pressa. Tudo a seu tempo, no seu ritmo, na sua
capacidade de absorção de informações.

O mais importante de tudo é escolher SER FELIZ, seja qual for a sua meta.

Romênia Gomes
Psicóloga CRP 09/3160
Auditoria Líder da Qualidade