Qual a importância de conhecer o Direito Romano em nossos dias?

É de suma importância o conhecimento do Direito Romano nos dias atuais, haja vista, a influência que exerce em nossas vidas. Percebe-se que o homem não nasceu para viver só. E quando no seio da sociedade, para que houvesse um equilíbrio nas interações, se fez necessário o Direito. O Direito que todos exercemos e é tutelado pelo Estado, tem origem no Direito Romano que rompeu barreiras por mais de doze séculos até chegar aos nossos dias, redesenhado á nossa realidade, entretanto vigora institutos dentre os quais o de compra e venda, da liberdade, arrendamento de terras, empréstimo, depósito, comodato, penhor, hipoteca, pátrio poder (poder familiar) , usucapião, divórcio, testamento, tutela, curatela, adoção e outros. Podemos definir o Direito Romano como sendo um conjunto de normas que os romanos criaram para si como direito. Vigorando por mais de doze séculos, ou seja, desde o edito do primeiro rei até a última constituição imperial. Para entendermos o porquê esse conhecimento é necessário, precisamos conhecer alguns elementos do Direito Romano, ou seja: A fonte do direito romano provém do:

a) Costume: é o uso prolongado e repetido de determinado procedimento que funciona como lei não escrita. O costume foi a primeira e principal fonte do Direito Romano.

b) Lei : é uma norma de poder competente com finalidade precípua de disciplinar dever e direitos.

c) Plebiscito: tudo aquilo que a plebe (povo) manda e delibera. Passou a ter força de lei, a partir da lei Hortênsia, no ano 286 AC.

Classe formada por antigos escravos alforriados e libertos ou de estrangeiros que clandestinamente perambulavam pelas ruas de Roma. em que as garantias individuais são ameaçadas. Os pretores aplicaram o direito com eqüidade: “tratando iguais com iguais e desiguais com desiguais”. Não tinha nenhum direito. Edil Curul . Proprietários de terras. Questura – Os questores eram encarregados da guarda do Tesouro.A sua organização era assim distribuída: Patrícios – cidadãos ricos.Eram encarregados da fiscalização dos gêneros alimentícios no . Roma viveu dois Triunviratos (Júlio César – Pompeu – Crasso e Marco Antônio – Otávio e Otávio Augusto este foi o 1º imperador romano. Roma conheceu duas espécies de magistraturas: Extraordinárias Ditadura – governo de exceção. da arrecadação de Tributos e da Segurança. Triunvirato – governo de três. Não trabalhavam. Clientes – Representavam as minorias. dividido entre três membros. à regra. Detentores de todos os direitos e privilégios. sem vontade popular. Descendentes das primeiras tradicionais famílias romanas. Ordinárias Pretoria . assume por força. Somente depois da reforma social de Sérvio Túlio passaram a pagar impostos e prestar serviço militar.Foi o direito humanizado na sua aplicação pelos pretores. Plebeus – classe numerosa e trabalhadora.

Governadoria . que atingiu o seu ápice no direito clássico. .Exercida pelos procuradores. Procuradoria . conseqüentemente. Em fim o que chamamos hoje de direito romano representa um milênio de desenvolvimento do pensamento e dos sistemas jurídicos. Censoria . que cuidavam do recenseamento do império e fiscalizavam os costumes. Algumas soluções jurídicas romanas provaram–se atemporais. não seria possível sem o chamado direito romano que tanto contribuiu para a estrutura e os dispositivos legais.Exercida pelos censores. sendo adotadas . o de 2002). É bom lembrar que o Código Civil brasileiro de 1916 (e. até hoje.Exercida por governadores de províncias. Defensores dos interesses do estado romano no âmbito da justiça e fora dela. ficou famoso por lavar as mãos no caso Pôncio Pilatos de Jesus.mercado.

Sign up to vote on this title
UsefulNot useful