P. 1
Resenha Critica Textual Do NT - 10jan 2011

Resenha Critica Textual Do NT - 10jan 2011

|Views: 447|Likes:
Publicado porDaniel Deusdete
Resenha do livro de Wilson Paroschi CRÍTICA TEXTUAL DO NOVO TESTAMENTO. Li e recomendo não somente a leitura, mas a sua posse em sua biblioteca particular.
Resenha do livro de Wilson Paroschi CRÍTICA TEXTUAL DO NOVO TESTAMENTO. Li e recomendo não somente a leitura, mas a sua posse em sua biblioteca particular.

More info:

Published by: Daniel Deusdete on Jan 09, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

03/02/2013

pdf

text

original

http://www.jamaisdesista.com.

br
“...eis que estou convosco todos os dias... “ (Mt 28:20)

"... esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo ..." (Fp 3:13,14).

Resenha

PAROSCHI, Wilson. Crítica Textual do Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1993.

Reflexões sobre o livro Crítica Textual do Novo Testamento O livro foi escrito por Wilson Paroschi, B. Th., M. Th.1 Paroschi tem atuado como pastor de igreja, editor e professor de NT e Interpretação Bíblica em São Paulo. Atualmente está fazendo estudos doutorais (Ph.D2) em Novo Testamento na Andrews University, nos EUA. A edição usada nesta resenha foi a de outubro de 1993 com o prefácio dos editores produzido pelo Dr. Russel P. Shedd. O livro de Wilson Paroschi apresenta uma excelente introdução à Crítica Textual, assunto este muito controverso, fascinante e de conhecimento obrigatório a todos aqueles que têm nas Escrituras a sua única regra de fé e prática. Ele explica com detalhes os principais métodos utilizados na Crítica Textual (possibilitam uma visão abrangente), a história resumida e precisa do texto do Novo Testamento e os principais e os mais importantes manuscritos com as suas respectivas traduções. Em sua obra, percebe-se a imparcialidade e seu aspecto conservador. A descoberta, por exemplo, do papiro 7Q5 nas cavernas de Qumran que data do ano 52-53 d.C. e que, provavelmente, é um trecho de Marcos 6.52-53, eleva o Evangelho correspondente numa posição de confiabilidade inquestionável. Nenhum outro documento antigo da história tem essa particularidade, pelo contrário há uma distância enorme de tempo entre o respectivo autógrafo e sua cópia mais antiga.                                                             
1

São referências aos graus alcançados na universidade de Oxford – B. Th. Celibatário de Teologia; M. Th. Mestre em Teologia (http://www.worldlingo.com/ma/enwiki/pt/Degrees_of_the_University_of_Oxford). 2 Ph. D – o maior título acadêmico que se pode alcançar no exterior.
Autor: Crerparaver@gmail.com (não se esqueça de citar as fontes) Visite: http://www.jamaisdesista.com.br (JAMAIS DESISTA!) http://www.scribd.com/crerparaver (SCRIBD)

1/4

http://www.jamaisdesista.com.br
“...eis que estou convosco todos os dias... “ (Mt 28:20)

"... esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo ..." (Fp 3:13,14).

O livro é dividido em 6 capítulos (o preparo dos manuscritos; fontes documentais; a história do texto escrito; o texto impresso; princípios e procedimentos textuais e análise dos textos), além de conter uma breve introdução e uma conclusão. Apresenta também 5 apêndices (distribuição dos manusctios gregos do NT por século; distribuição dos papiros do NT por livro; distribuição geográfica dos textos locais; relação dos textos locais com os autógrafos e reprodução parcial de Manuscritos e edições do NT grego). Por fim, se encontra a bibliografia com mais de 80 obras sendo citadas e um índice remissivo. Essa divisão e estruturação bem arranjada, precisa e lógica dão ao leitor uma boa impressão além de o estimular à leitura e ao aprendizado. À medida que ele, o leitor, vai se aprofundando na leitura e entendendo os assuntos, vai percebendo coerência, exatidão histórica e cronológica na transmissão dos conhecimentos. O livro é técnico, mas, como já salientado, bem estruturado e foi organizado de forma lógica e didática não se tornando uma leitura cansativa, antes estimula a curiosidade e desafia o leitor, caso haja interesses, no aprofundamento das pesquisas para melhor compreensão. Percebe-se na apresentação dos assuntos uma ordem também cronológica que ajuda o leitor a entender o avanço da escrita e da forma como esta foi registrada, armazenada e copiada. O livro se apresenta de forma analítica em relação às cópias existentes dos manuscritos uma vez que não temos mais os seus respectivos autógrafos ou os manuscritos originais. Ele procura avaliar a qualidade e a variedade dessas cópias possibilitando ao leitor, ao final, a formação de uma idéia do fascinate processo pelo qual a autenticidade do texto do Novo Testamento é pesquisado e avaliado. O autor, em sua conclusão, passa a idéia de que não é possível ainda alcançar uma clara e declarada compreensão do texto apostólico, principalmente do século I. Apesar disso e das dúvidas que permanecem, a crítica textual do Novo Testamento atingiu um alto grau de desenvolvimento que possibilita a redução ao mínimo tanto dos pontos de divergências quanto dos números de variantes ainda passíveis de alguma contestação. Ressalte-se ainda as novas pesquisas que desafiam os críticos atuais com a grande massa de mss. minúsculos hoje conhecidos. A tarefa gigante de análise desses mss. demandariam muito tempo e atenção, mas graças ao processamento computadorizado essa tarefa ganhou redução de tempo, além de melhor eficácia.

Autor: Crerparaver@gmail.com (não se esqueça de citar as fontes) Visite: http://www.jamaisdesista.com.br (JAMAIS DESISTA!) http://www.scribd.com/crerparaver (SCRIBD)

2/4

http://www.jamaisdesista.com.br
“...eis que estou convosco todos os dias... “ (Mt 28:20)

"... esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo ..." (Fp 3:13,14).

A descoberta de mais manuscritos como aquelas centenas de pergaminhos hebraicos e aramaicos encontrados em 1947 nas cavernas de Qumram geram exaustivos trabalhos de pesquisa que desafiam os estudiosos, mas os resultados são muito gratificantes. As suas palavras finais são digna de citação, pois refletem o seu pensamento que o norteou em toda a construção e elaboração desse livro abençoado: “Graças à providência divina e aos esforços de homens sábios e dedicados, ”o cristão pode tomar a Bíblia toda em suas mãos e dizer, sem hesitação ou temor, que está segurando a Palavra de Deus, transmitida sem perda essencial de geração a geração através dos séculos””.3 Esse livro trouxe edificação e possibilitou convencimento de que a Bíblia, em especial o Novo Testamento, não é qualquer livro produzido por qualquer mente ou por um conjunto de pessoas que resolveram montar uma teologia centrada numa personagem: Cristo! O Novo Testamento tem um autor que quis comunicar uma mensagem ao seu povo. Sendo composto por 27 livros poderiam as inúmeras cópias e citações espalhadas nas épocas e nos tempos da história terem sido adulteradas, trabalhadas para atenderem interesses ou suprimidas para ocultarem a verdade, no entanto, o fenômeno que poderia destruir o Novo Testamento como Escritura de Deus, acabou por confirmá-la e servir de garantias de que estamos diante de 27 documentos confiáveis. A manutenção de um único livro já é problemática, quanto mais 27 deles arranjados, distribuidos e, certamente, seus respectivos autógrafos, produzidos antes do final do século primeiro depois de Cristo. Era de se esperar, portanto, grandes e terríveis contradições que levariam qualquer pessoa sensata a ver que tudo isso não passa de uma grande farsa e embuste. Os fatos, documentos novos que são achados, pesquisas históricas e melhorias de técnicas somente fazem confirmar o que todos os que têm o Espírito Santo já sabem: o Novo Testamento possui um autor que quis comunicar uma mensagem ao seu povo. O livro referido é altamente recomendável e de aplicação imediata, principalmente para leitores de visão criteriosa sobre as questões relacionadas à crítica textual que, obviamente, envolvem o texto das Escrituras sagradas. O estudioso do Novo Testamento deve se esforçar por adquiri-lo e fazer dele um livro indispensável em sua biblioteca particular.

                                                            
3

PAROSCHI, Wilson. Crítica Textual do Novo Testamento. São Paulo: Vida Nova, 1993. pág.: 214.

Autor: Crerparaver@gmail.com (não se esqueça de citar as fontes) Visite: http://www.jamaisdesista.com.br (JAMAIS DESISTA!) http://www.scribd.com/crerparaver (SCRIBD)

3/4

http://www.jamaisdesista.com.br
“...eis que estou convosco todos os dias... “ (Mt 28:20)

"... esquecendo-me das coisas que para trás ficam e avançando para as que diante de mim estão, prossigo para o alvo ..." (Fp 3:13,14).

Aos que querem e pretendem se aprofundar nas questões relacionadas à Crítica Textual, este livro, em sua bibliografia, aponta mais de 80 obras relacionadas ao assunto que foram sendo citadas e usadas para reforçar os conceitos e idéias apresentadas e defendidas pelo autor. O recado final fica por conta do Dr. Russel P. Shedd ao qual aqui se parafraseia: aos pastores, seminaristas, estudiosos, curiosos, pesquisadores da Bíblia fica o dever e a obrigação de darem graças a Deus pela agora preenchida lacuna nasa literatura evangélica especializada brasileira.

 

Autor: Crerparaver@gmail.com (não se esqueça de citar as fontes) Visite: http://www.jamaisdesista.com.br (JAMAIS DESISTA!) http://www.scribd.com/crerparaver (SCRIBD)

4/4

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->