Você está na página 1de 1

Fotos: MPD

45 anos

pela democratização do MP

O vice-presidente do MPD, Antonio Visconti, é homenageado por amigos e colegas de MP em noite com direito a serenata e muita emoção

Antonio Visconti, um dos fundado- res do MPD e atual vice-presidente da entidade, foi homenageado, em 11 de setembro, em razão de sua aposenta- doria do Ministério Público, onde atua há 45 anos. “Fiquei muito feliz e emo- cionado com a homenagem prestada a mim e com a presença dos colegas”, afirma. “Ainda não pude sentir como é me aposentar”.

O encontro realizado no restaurante Dinho’s, em São Paulo, foi um suces- so. Membros do MPD, amigos de longa data de Visconti, como o ex-deputado e procurador de Justiça aposentado Plínio de Arruda Sampaio, e ex-procuradores- gerais de Justiça, como Oscar Xavier de Freitas, Rodrigo César Rebello Pinto e José Geraldo Brito Filomeno, estiveram presentes no jantar. “Não há instituição que possa ser eficaz e correta sem uma forte personalidade ética, e o Visconti representa isso, um padrão moral”, diz Arruda Sampaio.

Filomeno acrescenta: “Visconti sem- pre foi um batalhador pela independên- cia e valorização dos ideais do Ministé- rio Público. Muitas vezes, até, de forma quixotesca, diante de alguns obstácu- los quase instransponíveis, quando sobretudo disputas internas se antepu- nham àqueles ideais”.

Luiz Antonio Guimarães Marrey, fun- dador do MPD e atual secretário da Jus- tiça e Defesa da Cidadania do estado de São Paulo, foi o responsável pelo discurso de homenagem. “É importan- te registrar que nos momentos mais difíceis Visconti nunca nos deixou desanimar”, diz Marrey, também ex-

procurador-geral de Justiça. “Ao apo- sentar-se deixa uma longa legião de amigos e admiradores, que continuam contando com a sua inspiração, a sua cobrança e o seu exemplo”.

O promotor de Justiça Roberto Livia- nu, responsável pela iniciativa, entregou uma placa a Visconti para registrar a data. “Essa homenagem foi muito merecida e fiquei feliz em poder coordenar a realiza- ção dessa festa, pois ele é um símbolo para mim e várias gerações do MP”, diz.

Dona Nilfa, esposa de Visconti, tam- bém foi homenageada. Recebeu flores das mãos da promotora de Justiça Anna Trotta Yaryd. A noite ainda contou com uma serenata dos Trovadores Urbanos, que deixaram todos muito emociona- dos ao tocarem a canção “Amigo”, de Roberto Carlos e Erasmo Carlos.

“A atuação do Visconti ajudou e colaborou na modernização do MP”, observa o ex-procurador-geral de São Paulo, Oscar Xavier de Freitas, que conheceu Visconti quando este ainda era promotor de Justiça em Sorocaba, interior paulista.

Rodrigo César Rebello Pinho, procu- rador-geral de Justiça de São Paulo de 2004 a 2008, acredita que Visconti “é um exemplo de compromisso com a éti- ca e com a sociedade”.

Em julho de 2009, Visconti assumiu a vice-presidência do MPD. “A historia do Visconti se confunde com a história de democratização do Ministério Pú- blico. Ele é fundamental para o MPD, que ainda precisa muito dele”, com- plementa Livianu.

MPD, que ainda precisa muito dele”, com- plementa Livianu. Os ex-procuradores-gerais de Justiça Rodrigo César Rebello

Os ex-procuradores-gerais de Justiça Rodrigo César Rebello Pinho, Oscar Xavier de Freitas, Luiz Antonio Marrey e José Geraldo Brito Filomeno, com o homenageado Antonio Visconti.

Geraldo Brito Filomeno, com o homenageado Antonio Visconti. Jaqueline M. L. Martinelli, Inês do A. Büschel,

Jaqueline M. L. Martinelli, Inês do A. Büschel, Roberto Livianu, Anna Trotta Yaryd, Antonio Visconti e Luiz Antonio Marrey.

“Ao aposentar-se, Visconti deixa uma longa legião de amigos e admiradores, que continuam contando com a sua inspiração, a sua cobrança e o seu exemplo”.

Luiz Antonio Guimarães Marrey, secretário da Justiça e Defesa da Cidadania do estado de São Paulo

23