Você está na página 1de 1

Dez Mandamentos para a Paz na Família

Tenha fé e viva a Palavra de Deus, amando o próximo como a si mesmo.


Ame-se, confie em si mesmo, em sua família e ajude a criar um ambiente de amor e paz ao
seu redor.
Reserve momentos para brincar e se divertir com sua família, pois a criança aprende
brincando e a diversão aproxima as pessoas.
Eduque seu filho através da conversa, do carinho e do apoio. Tome cuidado: quem bate
para ensinar está ensinando a bater.
Participe com sua família da vida da comunidade, evitando as más companhias e diversões
que incentivam a violência.
Procure resolver os problemas com calma e aprenda com situações difíceis, buscando em
tudo o seu lado positivo.
Partilhe seus sentimentos com sinceridade, dizendo o que você pensa e ouvindo o que os
outros têm para dizer.
Respeite as pessoas que pensam diferente de você, pois as diferenças são uma verdadeira
riqueza para cada um e para o grupo.
Dê bons exemplos, pois a melhor palavra é o nosso jeito de ser.
Peça desculpas quando ofender alguém e perdoe de coração quando se sentir
ofendido, pois o perdão é o maior gesto de amor que podemos demonstrar.
Coisas e Pessoas
Há uma lei certíssima dentro de nós: para vivermos plenamente, precisamos
aprender a usar as coisas e amar as pessoas... E não amar as coisas e usar as pessoas.
Como seria bom se houvessem homens que amassem suas esposas tanto quanto
amam seus carros, seus negócios! Como seria lindo se os homens acariciassem e tivessem o
cuidado com suas esposas como cuidam, limpam e revisam suas máquinas!
E, com seria bom se as mulheres tivessem o mesmo cuidado com os maridos como
têm com as roupas, a limpeza da casa e as coisas que fazem!
Nosso mundo é coisificado. Tudo virou coisa. Tudo virou objeto. Tudo virou objeto
de produção e consumo. Ama-se muito mais as coisas do que as pessoas. Elas se tornaram
máquinas de produção e são valorizadas por aquilo que produzem, que têm; e não por
aquilo que são.
Não se pode amar as coisas. Das coisas a gente gosta. Somente se ama as pessoas.
Mas, amar as coisas é mais fácil porque não comprometem em nada. As coisas não exigem
resposta, não têm sentimento, não reagem. Agora, amar as pessoas exige compromisso; a
gente se torna responsável por quem ama. A pessoa exige cuidado, carinho, compreensão e
muita dedicação.
Que tenhamos a sabedoria para usar as coisas e amar as pessoas.

“Quem não perde tempo com os filhos, perde os filhos com o tempo”
EMEB Natalina Cuzziol Ferro – Maio/2009