P. 1
A partir de 1530

A partir de 1530

|Views: 1.432|Likes:

More info:

Published by: Allexis Gonçalves Carvalho on Jan 18, 2011
Direitos Autorais:Attribution Non-commercial

Availability:

Read on Scribd mobile: iPhone, iPad and Android.
download as DOCX, PDF, TXT or read online from Scribd
See more
See less

12/11/2012

pdf

text

original

ECONOMIA E SOCIEDADE NOS PRIMEIROS TEMPOS

A partir de 1530, quando decidiu iniciar a colonização do Brasil, D. João III teve de resolver três sérios problemas: 1º) O que produzir no Brasil? 2º) Com que capital (dinheiro) iniciar essa produção? 3º) Como conseguir mão-de-obra?

O açúcar foi a solução O produto escolhido para dar inicio a exploração permanente das terras brasileiras foi o açúcar da cana. E porque se escolheu esse produto e não um outro qualquer? Primeiramente, porque naquela época o açúcar era muito procurado nos mercados europeus, e pela sua raridade, era também muito caro. Isso dava aos portugueses a possibilidade de ter grandes lucros com a sua produção em terras brasileiras. Outro motivo que contribuiu para essa escolha foi o fato de existirem no Brasil condições favoráveis ao cultivo da cana: o solo de massapé, o clima quente e úmido, e o regime de chuvas do litoral nordestino. Além desses motivos, deve-se também levar em consideração o fato de Portugal já ter experimentado com sucesso a produção de açúcar nas ilhas da Madeira, Cabo Verde e Açores.

O capital veio da Holanda Estava decidido: o Brasil iria produzir açúcar. Mas derrubar a mata, plantar a cana e fabricar o açúcar exigia muito dinheiro Dinheiro para conseguir trabalhadores, para comprar ferramentas, caldeira, tachos, cabeças de gado e construir moendas necessárias para um engenho produtor de açúcar. Entretanto, em 1530, quando resolveu iniciar a colonização do Brasil, Portugal não tinha dinheiro para montar a empresa açucareira no território brasileiro. Por isso pediu empréstimos aos banqueiros holandeses. Os holandeses concordaram aplicar capitais no negócio do açúcar. Mas, em troca, exigiam o monopólio da refinação e venda do açúcar brasileiro na Europa.

os d onos de engenho contrariavam: y Os povos indígenas. porem. escravizando e forçando os índios a trabalharem para eles. Em pouco tempo. A mão-de-obra veio da África Com o inicio da colonização. Porém. dos quais 101 estavam distribuídos entre Pernambuco e Bahia CAPITANIAS Itamaracá Pernambuco Bahia Ilhéus Porto Seguro Espírito Santo Rio de Janeiro São Vicente TOTAL ENGENHOS 1 66 58 6 1 6 3 4 122 . ao escravizar o índio. tanto para quem comercializava os escravos. Como se pode ver na tabela abaixo.Portanto. que não aceitavam a escravização do índio e conseguiram até mesmo que essa atividade fosse proibida por lei. y Os comerciantes e o rei de Portugal. que sempre que podiam. na Holanda. quanto para o governo de Português. que preferiam a escravização do africano. especialmente em Pernambuco e na Bahia. o açúcar que os comerciantes portugueses vinham comprar no litoral brasileiro só podia ser vendido aos holandeses. em São Vicente. assistiu -se ao declínio da lavoura canavieira em São Vicente a ao seu rápido progresso no Nordeste. os donos dos primeiros engenhos produtores de açúcar tentaram resolver o problema da mão-de-obra prendendo. porque era um negócio mais lucrativo. Diante de todos esses interesses contrários à escravização do índio. que cobrava imposto sobre esse comércio. y Os jesuítas. em 1585 o Brasil possuía 122 engenhos. os donos de engenho passaram a comprar negros trazidos da África pelos comerciantes de escravos A empresa açucareira no Brasil A empresa açucareira começou a ser montada no Brasil quando Martin Afonso de Sousa mandou construir. era refinado para depois ser revendido pelas possantes urcas holandesas nos principais portos da Europa. Esses o levavam para Amsterdã. o primeiro engenho produtor de açúcar. atacavam os engenhos para libertar sua gente.

Uma vez terminado o processo. local de onde vinham os escravos. O melado grosso e pastoso que se obtinha era colocado em formas de barro e transportado para casa de purgar. Essas instalações eram a moenda. que a empresa açucareira montada no Brasil para atender principalmente os interesses dos portugueses e holandeses apoiou -se em três elementos básicos: escravidão.Pernambuco e Bahia progrediram mais que São Vicente porque. ficavam mais próximos da África. de onde vinha os comerciantes de açúcar. A Plantation Para dar lucro. O caldo extraído escorria por meio de calhas até um grande recipiente onde era retirado em vasilhas e levado até a casa das caldeiras. além das condições naturais (clima e solo) favoráveis. os ombros dos escravos ou os carros de boi transportavam as caixas até as praias. desde o inicio da colonização. que ao sair das fôrmas tinha o aspecto de um bloco duro: o pão de açúcar. o caldo era colocado em grandes tachos de cobre para ser cozido. grandes propriedades e monocultura. Por isso. os pães eram quebrados e reduzidos a pó e postos pra secar ao sol. . Pode-se dizer. a cultura da cana -de-açúcar foi realizada em grandes propriedades (latifúndios). Daí. ia para os galpões. com numerosos escravos que produziam açúcar para ser vendido aos mercados consumidores europeus por preços que interessassem a metrópole. No Brasil. composta de três cilindros de madeira encapados com chapas de ferro batido. a casa das caldeiras. o que só seria possível se sua área de plantação fosse muito extensa. o melado permanecia por três ou quatro dias até virar açúcar. a grande propriedade cultivada por escravos ficou conhecida como plantation por comparação às antigas fazendas do sul dos Estados Unidos. Aí os escravos iam mexendo o caldo e retirando a espuma que se formava na sua superfície. Essa era a técnica usada para purgar (purificar) o açúcar. e da Europa. Na casa das caldeiras. em grandes caixas. O líquido restante do melado que escorria por um furo existente no fundo da fôrma. O engenho colonial No início da colonização do Brasil a palavra engenho significava o conjunto de instalações usadas para fabricar o açúcar. um engenho deveria produzir grandes quantidades de açúcar. Na casa de purgar. que é o cultivo básico de um único produto . Na moenda. a cana era moída. Nos galpões. então. onde seguiam para a Europa. a casa de purgar e os galpões.

Engenho então transformou -se num pequeno mundo. a roça de subsistência (plantação dos alimentos consumidos no dia -a-dia). que não possuíam divisões internas. rei da Espanha. a união das coras de Portugal e Espanha. o velho cardeal D. invadiu e conquistou a porção mais rica do Brasil naquela época: o Nordeste açucareiro. Com União Ibérica. a Espanha teve o domínio de Portugal e de todas as suas colônias. países situados na península Ibérica. aproveitando-se do fato de ser um dos parentes do rei morto. morreu sem deixar herdeiro quando combatia os árabes no norte da África. HOLANDESES NO BRASIL A União Ibérica (1580-1640) Só é possível entender o motivo pelo qual os holandeses invadiram o Brasil se compreendermos antes a União Ibérica. a casa-grande. Com isso. as matas. Sebastião. que viveu apenas até 1580 e também não deixou herdeiro. Todos os escravos de um mesmo engenho viviam misturados. casamentos e funerais católicos. um pequeno mundo Com o decorrer dos anos. a palavra engenho ganhou o significado de grande fazenda produtora de açúcar. pois toda a América do Sul passou ao domínio espanhol. que continha as instalações utilizadas para fabricar o açúcar. Henrique. A sede de onde se administrava a fazenda. o rei de Portugal. invadiu o território português e se fez coroar rei de Portugal. D. o canavial. Uma construção muito pobre. Foi quando Felipe II. feita de galhos trançados e cobertos com barro.Engenho. A senzala era a moradia dos negros escravos. y A Holanda após se libertar da Espanha. Nesse ano. . dando início a chamada União Ibérica. ou seja. inclusive o Brasil. batizados. A capela era o local onde se realizavam as missas. Enquanto o Brasil pertenceu a Espanha: y A linha de Tordesilhas deixou de ter validade. que durou de 1580 a 1640. o trono português passou as mãos do seu tio. a senzala e a capela A casa-grande era a residência do proprietário do engenho e de sua família. Essa historia tem sua origem em 1578.

ao serem impedidos pelo rei espanhol Felipe II de participar do negocio do açúcar. Surpreendida pelo invasores. os holandeses. que em sua maioria eram protestantes. desembarcaram e ocuparam a cidade. com capital em Amsterdã. sem muita dificuldade . por razões de sucessão dinástica. a Companhia das Índias Ocidentais preparou-se para invadir a Bahia. Filipe II. O Brasil que. uma companhia de comercio chamada Companhia das Índias Ocidentais. os holandeses fundaram. decidiram lutar pela sua independência. O rei espanhol. ficava. organizando uma esquadra com 26 navios. 3. a população se retirou para as . passou a pertencer à Espanha.Conhecendo um pouco da história da Holanda ficamos sabendo por que os holandeses tiveram força para permanecer no nordeste brasileiro por 25 anos. proibido de receber navios holandeses em seus portos. A invasão da Bahia (1624 -1625) Interessada no açúcar produzido pelo Nordeste brasileiro. estava sob o domínio espanhol. O Brasil holandês Como você deve se lembrar. e formaram um pais chamado República das Províncias Unidas (Holanda). em 1621. desde o inicio da colonização os holandeses refinavam e vendiam o açúcar brasileiro na Europa e. Os navios dessa poderosa companhia foram autorizados pelo governo da Holanda a usar a violência (saque. Por essa razão.300 homens e 450 canhões. a Espanha cobrava impostos altíssimos dos holandeses. que. com isso. nessa época. proibiu a entrada de navios holandeses em todos os portos de seu domín io. porem. portanto. para prejudicá -la. Os holandeses chegaram a Salvador em 08 de maio 1624 e. Aproveitando-se dessa situação. não aceitou perder a Holanda e. Depois de muita luta. pirataria) para obter riquezas na África e América. obtinham lucros fabulosos. os holandeses decidiram usar a força das armas para conquistar os engenhos da região que mais produzia açúcar no mundo: o Nordeste brasileiro. A pequena e poderosa Holanda A região onde hoje é a Holanda tinha grande poder financeiro quando. no final do século XV . Para reunir os capitais necessários a essa conquista. por isso. se libertaram da Espanha católica.

afim de não deixar riquezas para o seu inimigo. Domingos Fernandes Calabar. o governo espanhol enviou ao Brasil uma poderosa esquadra composta de 52 navios e mais de 12 mil homens. A resistência aos holandeses foi organizada pelo bispo da cidade. antes disso. a tática utilizada contra os holandeses foi a guerra de emboscadas. atacavam os holandeses. Mas. Matias de Albuquerque prendeu Calabar e. os habitantes de Salvador saiam das matas onde estavam escondidos e. os holandeses conseguiram inúmeras vitórias. Para auxiliar a população local na luta contra os invasores. os holandeses foram impedidos de conquistar o interior da Bahia. porem. numa batalha contra os holandeses. os navios da Companhia das Índias Ocidentais. Desembarcando no litoral pernambucano. os holandeses conseguiram convencer um morador local. Atacados pelo interior e pelo litoral. em seguida mandou enforcá-lo. Como na primeira invasão. conquistando inclusive o Arraial do Bom Jesus. Graças a essa tática. Em Alagoas. nessa altura dos acontecimentos. Entretanto. de surpresa. D. Tempos depois. A população dessas duas vilas retirou-se para as matas e engenhos do interior. Era a chamada guerra de emboscadas. a lutar ao lado deles. que não deixavam os holandeses penetrarem na região dos engenhos. que era um profundo conhecedor da região. mandou incendiar os canaviais pernambucanos. o governador Matias de Albuquerque reuniu os homens e as armas que pôde e fundou o Arraial do Bom Jesus. Guiados por Calabar. antes disso. Mas. Nassau no Brasil holandês . deixando Salvador em 1º de maio de 1625. eram também os donos de Recife. os holandeses conquistaram Olinda com facilidade e. Divididos em pequenos grupos. Marcos Teixeira. Matias de Albuquerque retirou -se para Alagoas. A invasão de Pernambuco ( 1630-1654) Em fevereiro de 1630. entraram de novo em águas brasileiras. queimou os armazéns de açúcar e de mantimentos existentes na capital baiana.matas próximas a Salvador. depois de duas semanas de combate. os holandeses forma obrigados a render -se. uma construção fortificada de onde deveriam partir os ataques aos invasores. Dessa vez para invadir Pernambuco. Então. a resistência interna já tinha sido vencida e os holandeses eram os donos de boa parte dos Nordeste Brasileiro. e auxiliados por tropas vindas do exterior.

evitando assim possíveis confrontos entre os senhores de engenhos (católicos) e os holandeses (protestante). Entre os artistas destacam-se os pintores Franz Post e Albert Eckhout. Nessas capitanias. merecem destaque: o médico Wilhem Piso. Nassau: y y y Concedeu empréstimo aos senhores de engenho. Nassau trouxe muitos cientista e artistas europeus para trabalharem em Recife. muitas das terras dessas capitanias estavam arrasadas. construção de pontes. puderam recuperar as lavouras. que atualmente é um dos bairros da capital pernambucana. desde o começo do seu governo. que. os holandeses tinham conseguido conquistar Pernambuco.Depois de alguns anos de luta. com isso. gado morto e engenhos abandonados. Entre os cientistas. Além disso. que realizou o primeiro estudo científico da flora e da fauna brasileira. os portugueses lutavam para se libertar do domínio espanhol que os oprimia desde 1580. conquistando todas as terras situadas entre Sergipe e Maranhão E. os holandeses concluíram que para voltar a ter lucro com o açúcar brasileiro era necessário construir e desenvolver o Brasil holandês. O homem escolhido pelos donos da Companhia das Índias Ocidentais foi o jovem e instruído conde Mauricio de Nassau. Fez muitos melhoramentos em Recife: calçamento de ruas. procurou desenvolver e ampliar os domínios holandeses no Nordeste. A expulsão dos holandeses Enquanto os holandeses ocupavam novas terras no Brasil e na África. ao mesmo tempo. que estudou o aproveitamento das ervas medicinais e a cura das doenças da região nordestina. Paraíba e Rio Grande do Norte. Porém. jardins. Ambos retrataram com sensibilidade pessoas e paisagens brasileiras. na África. E para conseguir isso. aparelhar os engenhos e comprar muitos escravos. e de lá começaram a trazer negros bantos para os canaviais nordestinos. Deu liberdade religiosa aos católicos . Durante o governo de Nassau. Para desenvolver o Brasil holandês. hospitais. abertura de canais. Nassau chegou a Recife em 1637 e. e o pesquisador Jorge Marcgrave. . era comum ver plantações queimadas. ocuparam São Paulo de Luanda. o primeiro passo era escolher alguém capaz de governá-lo. Itamaracá. os holandeses ampliaram ao Maximo os seus domínios no Nordeste. e da cidade de Maurícia. Diante de todos esses problemas.

o novo governo português firmou com a Holanda um acordo de paz por dez anos. obedecendo de novo às regras do Pacto Colonial. finalmente. no mesmo ano em que essa paz foi assinada. em 1645 começou a luta para expulsar novamente os holandeses do Brasil. Pressionados por terra e por mar. os escravos e o gado dos proprietários que não conseguiram saldar os seus débitos. deixou o cargo de governador e saiu do Brasil em 1644. munições e dinheiro fornecidos pela Inglaterra. os portugueses consegui ram recuperar a independência e. suspendeu a liberdade religiosa. Com a saída de Nassau. Ou seja. Portugal estava enfraquecido e sem condições de lutar para ter de volta o domínio de suas colônias. os holandeses perdiam também o controle do açúcar brasileiro. que na época disputava com a Holanda o domínio dos mares. que ficou conhecida como Insurreição Pernambucana. João IV. o rei de Portugal enviou a Recife uma frota de guerra trazendo armas. os holandeses começaram a ter sérios problemas no Nordeste brasileiro. E exigiam também que ele mandasse confiscar as propriedades daqueles que não pudessem pagar sua dividas no prazo fixado. Perdendo o Brasil. que se desenrolou no interior de Pernambuco em 1645. Embora tivesse voltado a ser um reino independente.Em 1640. os holandeses sofreram novas derrotas e começaram a perder o controle sobre a área onde estavam os engenhos pernambucanos. . Por isso. proibindo a livre pratica do catolicismo no Brasil holandês. foi liderada e financiada pelos senhores de engenho do Nordeste. Entusiasmado com as vitórias brasileiras. só podia vender seus produtos para Portugal e só poderia comprar mercadorias de navios portugueses. os holandeses capitularam. Mas. Os donos da Compan hia das Índias Ocidentais estavam cada vez mais descontentes com o governo de Maurício de Nassau. pela força das armas. Principalmente por essas duas razões. colocaram no trono português D. a companhia começou a confiscar as terras. o primeiro rei da dinastia de Bragança. Essa luta. E. Como Nassau não concordava com essas exigências. alem disso. Queriam que Nassau cobrasse imediatamente a divida dos empréstimos feitos aos senhores de engenho durante seu governo. o Brasil voltou a depender exclusivamente de sua antiga metrópole. A partir de então. em 1645 na Campina da Taborna. A decadência da economia açucareira Expulsos os holandeses. A primeira batalha importante vencida pelos brasileiros foi a do Monte das Tabocas.

apressaram-se em erguer um pelourinho no centro de Recife. não podiam ser vereadores na única câmara existente em Pernambuco. acompanhado por muitos soldados. saíram dessa guerra vitoriosos. Os mascaste. portanto. que. por sua vez. por exemplo. E isso contrariava os interesses dos comerciantes. Em 1711. O rei atendeu ao pedido dos mascates (apelido dado aos comerciantes portugueses). esse problema se agravou. Ou seja. . Inconformados com essa nova situação. esse açúcar produzido pelos holandeses na Antilhas entrou em concorrência com o açúcar fabricado no Brasil. Recife manteve a sua posição de vila independente e passou a ser a capital de Pernambuco. Isso significava que a partir de então Recife podia ter sua própria Câmara Municipal. Os recifenses reagiram e a guerra entre essas duas localidades (conhecida como Guerra dos Mascates) se prolongou por quase um ano. em pouco tempo o açúcar antilhano ocupou o mercado internacional. Estes. os homens bons da colônia. mas faltava-lhes o poder político.Inconformados com isso. Os lideres olindenses fora m presos e mandados para Portugal. e lá passaram a produzir seu próprio açúcar. diminuíram os lucros dos senhores de engenho residentes em Olinda. invadiram Recife e destruíram o pelourinho. Para aparelhar seus engenhos e continuar comprando escravos. Poucos anos depois. e ela era controlada pelos senhores de engenho. nas Antilhas. Por isso pediram ao rei de Portugal para que ele elevasse Recife à categoria de vila independente de Olinda. Com o tempo. tinha dinheiro. o rei de Portugal enviou a Pernambuco um novo governador. os senhores de Olinda foram obrigados a pedir empréstimos aos comerciantes portugueses do Recife Na capitania de Pernambuco. embora estivessem ficando cada vez mais ricos. só a vila de Olinda possuía Câmara Municipal própria. Era a primeira vez que Portugal contrariava os interesses dos poderosos senh ores de engenho do Brasil. E como os holandeses tinham uma grande frota naval e enorme experiência na distribuição de açúcar pela Europa. os proprietários olindenses se armaram. A Guerra dos Mascates (Pernambuco 1710) Com a desvalorização do açúcar no mercado internacional. ele levaram seus capitais para as ilhas de Curaçao.

You're Reading a Free Preview

Descarregar
scribd
/*********** DO NOT ALTER ANYTHING BELOW THIS LINE ! ************/ var s_code=s.t();if(s_code)document.write(s_code)//-->