Você está na página 1de 4

15/07/2009 - 19h01

Região de Parelheiros, em São Paulo, abre as portas para o "ecoculturismo"


MARCEL VINCENTI
Colaboração para o UOL Viagem
Quem diria... A Paulicéia não é só desvario. A antítese do caos, e o antídoto para o estresse, existem a menos de 50 mil metros da
Praça da Sé. São as Áreas de Proteção Ambiental Capivari-Monos e Bororé-Colônia, localizadas na região de Parelheiros, que
começam a ganhar estrutura para receber turistas.

Na região de Parelheiros (SP), há mais de 30 cachoeiras que podem ser visitadas nas Áreas de Proteção Ambiental

FOTOS DE PARELHEIROS
VOCÊ É UM "TURISTA VERDE"?
JÁ EXPLOROU A REGIÃO?

Ambas compreendem território de 341 km², ou um quinto da capital paulista. Abrigam extensa área de mata atlântica, cachoeiras,
aldeias indígenas e, acreditem se quiser, uma cratera de 35 milhões de anos feita por um meteorito.

A prefeitura de São Paulo quer estimular o ecoturismo na área e, junto com o Sebrae e outros parceiros, desenvolveu roteiros a serem
percorridos neste belo rincão da metrópole. "Isso aqui é algo precioso que temos na cidade e que deve ser preservado", diz o
subprefeito de Parelheiros, Carlos Roberto Fortner. Segundo ele, um turismo consciente e controlado ajudará a proteger a
biodiversidade e os recursos hídricos locais.

Nada mais fundamental: nas APA's (como são chamadas as Áreas de Proteção Ambiental) encontram-se a bacia hidrográfica dos rios
Capivari e Monos, e nascentes que alimentam as represas de Guarapiranga e Billings (responsáveis por 30% do abastecimento de água
da região metropolitana de São Paulo). Também sobrevive no local cerca de 70% da mata atlântica da cidade. Proteger tal patrimônio
começa a ser encarado como questão de sobrevivência para paulistas e paulistanos.

Trilhas e templos

Mapa ilustrativo das Áreas de Proteção Ambiental Capivari-Monos e Bororé-Colônia (clique na imagem para vê-la ampliada)

VEJA FOTOS DE PARELHEIROS

De acordo com o monitor ambiental Erley Coradi, que guia passeios pela região, há mais de 30 cachoeiras - uma delas com 70 metros
de altura - que podem ser visitadas nas APA's. As trilhas, por sua vez, têm diferentes perfis: vão desde o passeio até a Cachoeira do
Sagui (caminhada de duas horas de duração) até a desafiadora descida a Itanhaém (trilha de 25 quilômetros de distância).

A diversidade étnica é outro dos atrativos do lugar. Há, na Capivari-Monos, duas aldeias indígenas guarani, que recebem visitantes em
programas guiados. São vizinhas da primeira colônia de imigrantes do Estado de São Paulo, criada quando, em 1829, 94 famílias
alemãs chegaram à região. Hoje, seus descendentes promovem importante evento cultural do município: o Colônia Fest, festival de
dança e músicas típicas realizado na metade do ano.

A comunidade japonesa, tão integrada à vida paulistana, também marca presença neste lado da cidade. A filosofia oriental deu origem
ao Solo Sagrado, uma área de 327 mil m² cheia de flores, lagos e pessoas praticando Johrei (técnica de purificação espiritual). A
represa de Guarapiranga, com suas águas plácidas, completa a paisagem.

O Solo Sagrado pertence à Igreja Messiânica Mundial, instituição de inspiração xintoísta fundada no Japão em 1935. Seu objetivo é ser
um "protótipo do paraíso terrestre", onde as pessoas podem entrar em contato com a natureza e se desenvolver espiritualmente.

Área carente

Mas São Paulo é terra de contrastes, e aqui não poderia ser diferente. Enquanto a Igreja Messiânica prega a erradicação "da doença,
da pobreza e do conflito", Parelheiros, o distrito que abriga as APA's, destaca-se com um dos lugares mais carentes e violentos da
capital.

Relatório do Observatório Cidadão Nossa São Paulo, de 2006, mostra que a região tem um dos maiores índices de assassinato da
cidade. Naquele ano foram 67 homicídios. Sua renda mensal, segundo a secretaria do trabalho, é uma das mais baixas: média de R$
900,00.

A sensação de insegurança, porém, parece se concentrar na parte urbana de Parelheiros: as APA's, como um mundo à parte,
preservam ainda um clima de paz rural. "Aqui é como o interior de São Paulo", diz Miguel Naghirniac Jr, diretor do acampamento infantil
Águias da Serra, situado dentro da Capivari-Monos. "Tenho esse negócio há dez anos e nunca tive problemas. O lugar é seguro".

Para o subprefeito de Parelheiros, o turismo pode ajudar a melhorar as condições de vida da comunidade. Algumas redes de prestação
de serviço já foram criadas, como a Associação dos Empreendedores de Ecoturismo da APA (Aecotur) e a Associação de Monitores
Ambientais da APA Capivari-Monos (Amoaapa) - uma cooperativa de 35 guias, incluindo dois indígenas, que conduzem os turistas pela
conhecer as atrações locais.

Visitas guiadas

De acordo com Fortner, a intenção da prefeitura é que, neste primeiro estágio, as visitas às áreas de proteção sejam feitas com guias
locais ou agências especializadas. "A região ainda não está pronta para o turismo autônomo", afirma o subprefeito. Locomover-se entre
os diversos pontos de interesse das APA's, de fato, é difícil.

Parte da Igreja Messiânica do Brasil, o Solo Sagrado é um lugar aonde as pessoas vão meditar, praticar Johrei e entrar em
contato com a natureza

FOTOS DE PARELHEIROS
VOCÊ É UM "TURISTA VERDE"?
ECODESTINOS NO BRASIL

Os roteiros oferecidos por agências especializadas incluem visitas às aldeias indígenas, a cachoeiras e passeios de escuna. Também é
possível dedicar-se a um turismo puramente cultural: lugares como a Capela de São Sebastião, construída na Ilha do Bororé em 1904,
e a Sociedade de Cultura Afrobrasileira Asé-Ylê do Hozoouane, praticante do candomblé, estão abertos aos forasteiros. Para dormir,
há uma série de pousadas e alguns campings disponíveis.

A Cratera da Colônia, por fim, é um dos destinos que não devem ser ignorados em uma turnê pela Capivari-Monos. Com 3,6
quilômetros de diâmetro, criados pelo choque de um meteorito há 35 milhões de anos, o enorme buraco abriga hoje um loteamento
irregular com 45 mil pessoas. Há lá também construção feita pelo Estado: um presídio com mais de mil detentos. Um bom exemplo de
como não deve ser tratado esse belíssimo recanto de São Paulo.

Informações úteis

A região que abriga as Áreas de Proteção Ambiental já possui uma boa infra-estrutura para receber turistas. Há uma lista com as
pousadas, campings, restaurantes e agências que operam na área, com informações do Sebrae. Para visitar algumas das atrações é
necessário agendamento prévio.

COMO CHEGAR

O Posto de Atendimento ao Turista (PAT) se encontra no número 8000 da avenida Senador Antônio Vilela, que é a principal via de
acesso às Áreas de Proteção Ambiental. A avenida Senador Antônio Vilela pode ser acessada pela ponte do Socorro, via avenida
Robert Kennedy, ou pela ponte Jurubatuba, via avenida Interlagos.

Posto de Atendimento ao Turista


Av. Senador Teotônio Vilela, 8000
Tel: (11) 5925-2736

AGÊNCIAS

Associação de Monitores Ambientais da APA Capivari-Monos


Tel: (11) 5920-8949 / 9795-5340

Graffit Viagens e Projetos Turísticos


Tel: (11) 5549-9569
www.graffit.com.br

Na Trilha do Bicho
Tel: (11) 5975-4102

Rotre - Roteiros, Trilhas e Eventos


Tel: (11) 8586-9333

Trilha Brazil
Tel: (11) 5925-1635

Trip on Jeep Ecoturismo


Tel: (11) 5543-5281
www.triponjeep.com

ONDE COMER

Armazém do Edinho
Estrada de Itaquaquecetuba, 7530 - Ilha do Bororé
Tel: (11) 5974-2595

Hof Schunck - Fogão à Lenha


Rua Benedito Schunck, 111/113 - Embura
Tel: (11) 5978-6470

Pesqueiro Aquarium
Rua Yoshio Matsumura, 300 - Colônia
Tel: (11) 5920-8011
www.pesqueiroaquarium.com.br

Pesqueiro Matsumura
Rua Yoshio Matsumura, 452 - Colônia
Tel: (11) 5974-2504 / 5974-2225
www.matsumura.com.br

Restaurante Bar do Peixe


Estrada de Itaquaquecetuba, 8820 - Ilha do Bororé
Tel: (11) 5974-9493

Restaurante Leishe
Rua Carlos Rasquinho, 227 - Colônia
Tel: (11) 5920-3538

Restaurante O Celeiro
Estrada de Itaquaquecetuba, 333 - Ilha do Bororé
Tel: (11) 5974-2011

ONDE FICAR

Águias da Serra Acampamento


Belo acampamento infantil, onde as crianças podem entrar em contato total com a natureza.
Tel: (11) 5660-6102
www.aguiasdaserra.com.br

Centro Paulus
Rua Amaro Alves do Rosário, 102 - Parelheiros
Tel: (11) 5920-8933 / 5920-8935
www.centropaulus.com.br

Chácara São Francisco


Estrada de Itaquaquecetuba, 8470 - Ilha do Bororé
Tel: (11) 5974-2372 (área de camping)

Clube da Mata Ana Paula


Estrada Pedro Tico, 4000 - Gramado
Tel: (11) 5975-1026

Rancho M.S. Camping


Estrada do Curucutu, 3500 - Barragem

Silcol Ecopousada
Estrada da Ponte Alta, 5005
Tel: (11) 5971-1207 / 5971-0400
www.silcol.com.br

Tagaste Eco Park


Rua José Roschel Rodrigues, 940 - Recanto Campo Belo
Tel: (11) 5979-2526
www.tagaste.com.br

ATRAÇÕES
Aldeia Krukutu

A aldeia ocupa uma área às margens da represa Billings, a Área de Proteção Ambiental Capivari-Monos, e abriga cerca de 300 índios.
Visitas mediante agendamento. Endereço: Estrada Curucutu s/n - Barragem. Telefone: (11) 5977-0025 / 9845-9268
Aldeia Tenondé-Porã

Localizada em território de 26 hectares, e habitada por cerca de 850 índios, a aldeia recebe visitas mediante agendamento. Abriga
trilhas e uma casa de reza, onde os locais se reúnem para realizar cerimônias religiosas. Endereço: Estrada John Lang, 153 -
Barragem. Telefone: (11) 5977-3689 / 9848-2812

Capela de São Sebastião

Construção de 1904, a capela abriga estátua de São Sebastião esculpida por um índio guarani e é um dos principais marcos históricos
das Áreas de Proteção Ambiental. Endereço: Estrada de Itaquaquecetuba, 7.529 - Ilha do Bororé.

Cemitério da Colônia

Trata-se do primeiro cemitério protestante do Brasil, construído pelos colonos europeus no século 19. O local abriga lápides esculpidas
há 180 anos. Endereço: Rua Sachio Nakao, 28 - Colônia. Telefone: (11) 5921-9808

Centro Paulus

Centro de doutrina antroposófica (uma espécie de "ciência espiritual", que estuda a relação da natureza com o aspecto emocional de
cada um). Oferece hospedagem. Endereço: Rua Amaro Alves do Rosário, 102 - Parelheiros. Telefone: (11) 5920-8933 / 5920-8935

Florarte

Sítio que cultiva plantas ornamentais e cogumelos shimeji. O local revela a forte presença da comunidade japonesa na região. Endereço:
Av. Paulo Guilguer Reimberg, 14385 - Ilha do Bororé. Telefone: (11) 5974-2219

Marina SOS Levi

Localizada na Ilha do Bororé, é uma das principais organizações de ecoturismo na região. Promove passeios de caiaque e barco inflável
na represa Billings. Endereço: Rua 03, 150 - Parque dos Manacás. Telefone: (11) 3416-0099

Núcleo Curucutu

Parte do Parque Estadual da Serra do Mar, abriga a trilha do Mirante, de onde é possível ver parte do litoral sul de São Paulo.
Agendamento necessário. Endereço: Estrada da Bela Vista, 7090 - Emburu Alto. Telefone: (11) 5975-2000

Sítio Paiquerê

Recebe aves migratórias de setembro a março, que utilizam o espaço para procriação. No sítio, os turistas podem conhecer de perto a
fauna local. Endereço: Rua São Genésio, 55 - Ilha do Bororé. Telefone: (11) 5974-2596

Sociedade de Cultura Afrobrasileira Asé-Ylê do Hozoouane

Representa a comunidade negra da região. Mantém as tradições da dança de roda, da capoeira e do maculelê. Promove consultas
espirituais (agendamento prévio necessário). Endereço: Rua Conde de Fontalva, 100 - Jardim Santa Fé. Telefone: (11) 5920-8696 /
3496-6087

Solo Sagrado da Igreja Messiânica do Brasil

Ocupa um dos mais belos locais da região, com uma área de 327 mil m², onde medita-se, pratica-se Johrei e contempla-se a natureza.
A represa de Guarapiranga completa a paisagem. Endereço: Estrada do Jaceguai, 6567 - Jardim Casa Grande. Telefone: (11)
5970-1127

Tagaste Eco Park

Fundado por padres agostinianos, o parque oferece atividades de educação ambiental e hospedagem. Agendamento necessário.
Endereço: Rua José Roschel Rodrigues, 940. Telefone:
© 1996-2009 UOL - O(11) 5979-2526
melhor conteúdo. /Todos
3207-6901
os direitos reservados.
Hospedagem: UOL Host