Você está na página 1de 3

A Máquina do Tempo

Certo dia, um cientista muito especial inventou


uma máquina muito estranha e rara, com
capacidades nunca antes vistas. Ele construiu uma
máquina do tempo! Como ele era muito curioso o
seu objectivo era viajar para o futuro e ver o que
tinha mudado.
A máquina que ele construiu era feita de
material reciclado, onde a parte principal era uma
velha casa de banho pública! Mas, a parte mais
importante era um enorme botão arredondado com
um sorriso estampado. Este botão tinha a
capacidade de fazer avançar e recuar o tempo.
O nosso cientista tinha tanto de génio como de
distraído e, certo dia, estava ele a tomar café e
poisou a chávena em cima do botão… a máquina
começou a fumegar e desapareceu.
Quando o cientista acordou não sabia o que
tinha acontecido. Saiu da máquina e viu que tudo
tinha mudado. Sentiu-se num sítio estranho e muito
diferente. O computador da máquina marcava o ano
3458! O nosso cientista decidiu explorar a zona.
Depressa começou a observar coisas estranhas:
casas que falavam, animais que comunicavam com
as pessoas através de coleiras que falavam, carros
que voavam e milhões de robots que faziam as
tarefas das pessoas. No futuro ninguém trabalhava
e por isso, as pessoas eram todas muito, muito,
muito gordas!
O nosso cientista ficou muito admirado pois,
nunca pensou que as pessoas ficassem preguiçosas
por causa da tecnologia. O cientista ficou muito
triste pois, como cientista, tinha ajudado com as
suas invenções a que o mundo ficasse assim.
Voltou ao passado, ao ano a que pertencia.
Decidiu que para mudar o futuro era preciso alterar
o presente. A partir deste momento, sempre que
inventava qualquer coisa avisava as pessoas das
coisas boas e coisas más que as suas invenções
faziam.
E o futuro tornou-se um lugar melhor!
Autores:
Alunos do 3º e 4º ano