Você está na página 1de 4

Escola Antonio Gröhs

Em junho de 1980 concluíram a construção de seis salas, atualmente são: biblioteca, sala dos
professores, sala de hora atividade, salas 03, 04 06, 07, banheiros femininos e masculinos e cozinha (onde
é o depósito).Todas estas salas serviam como salas de aula somente a sala 06 era usada para secretaria /
direção/sala dos professores. A área construída era de 832 metros quadrados (conforme planta de
15/02/77). Também fora construído a quadra de esporte, muro e a calçada em frente. Neste ano de 1980,
738 alunos freqüentavam a escola que atendia do pré-escolar a 8ª série. O diretor era o Sr. Inácio Marmet.
A secretária srª Silene Peters Freitas. Coordenadora Fátima Marlise Maroni Rosa Lopes. E os professores:
1-Clair Klein. 2–Ilonia Marmet, 3-Eva Lourdes Wagner; 4-Mirian Iara Scherer; 5-Valdir Neuhaus; 6-Maria
Aparecida M de Assis; 7-Lori Baldus; 8-Lourdes Batista; 9-Eloir Piccinini; 10-Jacinta Genovei; 11-
Rosmary Rocha M Fernandes; 12- Ivete Borges; 13- Nilva Peripolli; 14-Paulo Morais Fernandes; 15-
Daniel Dário de Mello; 16- Elemar Lütcke 17- Rubi Baldus; 18- Ivone Didonet; 19- Ana Cleuza Z. dos
Santos;
Alguns funcionários da administração e apoio continuam a serviço na escola, são elas: Ilonia
Lorenzon, Lira Otila Galle, Maria José da Silva Brito, Terezinha de Fátima Meneguini, Seny Terezinha
Hilgert. E no dia 9 de junho de 1980 com a presença do governador do estado Sr. Frederico C. S. Campos,
do administrador do município, Sr Pedro Roos. Dos professores, pais, alunos e funcionários iniciaram as
aulas novo prédio e novo sistema educacional. A Escola Municipal 1º de Abril deixa de existir. Todos os
alunos continuam os estudos como alunos da rede estadual. Os professores e funcionários assinam contrato
com o governo do estado. Este período de transição vai até 14 de janeiro de 1981, quando é publicado em
diário oficial o reconhecimento da Escola estadual de 1º e 2º graus Antonio Gröhs. O Sr Pedro Roos muito
se empenhou para que a documentação fosse concluída.
No inicio de 1981 deixa a direção o Sr. Inácio Marmet e assume a direção o sr Renato Grehs. Eles
contam com prestimoso auxílio da coordenadora Fátima R. Lopes que incentiva e dá inicio ao curso
profissionalizante “Técnico em Contabilidade”, como extensão da escola “Marechal Eurico Gaspar Dutra”
de Barra do Garças com 49 alunos matriculados.
Em 06/06/81 o governador do estado Frederico Carlos S. Campos nomeou para a direção a srª
Geneci Bartz Kuhn, que esteve na direção até 1986.
No inicio de 84 é publicado em diário oficial o reconhecimento do curso “Técnico em
contabilidade” e no final do ano acontece à formatura da 1ª turma de 16 alunos. Momento marcante na
história da escola que estava iniciando e para o município que se emancipara em dezembro de 1979. A
formatura aconteceu no cinema da cidade “Cine Água Boa” (rua 05 nº 145) e o jantar festivo no
restaurante “Guaraciaba” (rua 05 esquina com rua 02). O patrono da turma foi sr. Pedro Roos
(administrador municipal e o paraninfo sr. Germano Zandoná).
No ano de 1987 concluíram o curso 13 alunos e no ano de 1986 concluíram 12 alunos. A partir de
1987, houve a extinção gradativa do curso. E a implantação do curso “Propedêutico”.
Durante o período de 1983-1985 a escola ofereceu a modalidade “Supletivo” –PAF-PEI, duas
turmas uma para ensino meio e outra fundamental. Lecionado pelas professoras Rosa Carboni e Leila
Garcia (esta faleceu em 1986, enquanto professora desta escola).
No ano de 1986 a escola assume a direção a professora Asta Pilger Guerino também neste ano a
escola ofereceu atendimento às pessoas portadoras de necessidades especiais. No dia 04-04-86 a professora
Nelsi Soares Dickmann iniciou a “sala especial” com 18 alunos.
Em 1987 é implantado o sistema de gestão democrática no estado, pelo qual é eleita para a direção
da escola a professora Marta Maria Gomes, que esteve na direção até 1989.
Em setembro 1989 a APM promoveu a festa Folclórica, momento marcante de integração entre a
escola e a sociedade.
No ano de 1990 a comunidade escolar elege a professora Maria Helena Favaretto Cioccari que
dirige a escola até 1991, quando é eleito o professor Lauro Feldmann até 1994. Em 1995 assume a direção
a professora Maria de Lourdes Garcia.
No ano de 1996 assume a direção a professora Helena Dorotéa Schegoscheski, e neste ano a
escola adquire seu 1º computador, para melhorar a qualidade das provas e textos para os alunos. A APM
contrata katiele Renck como digitadora. Em 1997 é contratada, como digitadora Sheila Guerino que fica
nesta função até o ano de 2003 quando da extinção da APM. Neste período a escola adquire mais dois
computadores que estão instalados na sala dos professores. A funcionária Sheila continua na escola, como
técnica administrativa. È construído com estrutura metálica, uma área coberta, para refeitório.
A professora Helena fica no cargo até o ano 2000 quando assume a professora Silvia Zanardi.
Neste ano acontece o redimensionamento escolar entre as escolas estaduais “9 de Julho” e “Antonio
Gröhs”, pelo qual ficou estabelecido que todos os alunos matriculados na rede pública estadual para cursar
de 1ª a 5ª série e “EJA” freqüentariam a escola 9 de Julho e os de 6ª série em diante matriculariam na
escola “Antonio Gröhs”. Neste ano foram empossados os novos profissionais concursados em 99.
Em março assume a função de secretária a técnica administrativa Luciene Provence, ela fica no
cargo até final de 2003.
Em 2001 o governo do estado libera a verba, solicitada desde 96, para a cobertura da quadra
esportiva. È feita à reforma e ampliação da cozinha.
No ano de 2002 é eleito o professor Alceu Busanello, que continua na função de diretor. Inicia-se
o projeto “Gincana da Cidadania”, que está acontecendo pelo 4º ano consecutivo.
Em 2002 a escola participou do projeto “Protagonismo Juvenil”, sob a coordenação da profª Lúcia
Schuster. Este projeto foi a nível estadual, direcionado pela Seduc para incrementar os espaços de
participação dos jovens no interior das escolas e nas comunidades, buscando responder problemas reais
através da ação. Os participantes do projeto delimitaram a ação no problema do lixo, intitularam o trabalho
como “Desperta cidadão o lixo está demais”. Este projeto deu origem em 2003 ao “projeto” Sonho
possível que visa despertar a preservação do meio ambiente, através da diminuição do lixo e do
ajardinamento da escola. Os alunos continuam atuando no “projeto”, reúnem –se para as atividades em
turnos contrários aos das suas aulas.
Embora muitos dados não tenham sido arquivados e não se possa comprovar com precisão
algumas datas, contamos com relatos e testemunhos de fatos marcantes ao longo destes 25 anos de escola.
E 30 anos da educação em Á Boa.
Todos os anos a escola promoveu festa junina como momento de integração da comunidade.
Muitas vezes foram feitos mutirões para conservação e pintura do prédio. Os pais sempre responderam aos
chamados da escola, auxiliando nas promoções a fim de angariar fundos para a escola.
A escola Antonio Gröhs sempre se fez presente nas horas cívicas, desfiles da semana da Pátria,
festejos municipais. Promovemos, apoiamos e participamos das mostras, feiras, jogos, comemorações para
as quais fomos convidados. E queremos registrar: Participação em diversas feiras de ciência e em certas
ocasiões chegando aos 1º lugares como classificação p/ fase internacional com aluno da escola Antonio
Gröhs sob orientação do prof. Miguel Tumolo indo a feira Internacional no Chile, para representar o
Estado de Mato Grosso.
Participação em jogos Estudantis Estaduais chegando aos 1º lugares em algumas modalidades,
também em nível estadual. Nesta época a escola investiu nos projetos de atletismo. Construiu uma pista de
corrida ao redor da quadra.
A escola Antonio Gröhs faz parte da vida de muitas famílias deste município, vários pais de
alunos de hoje, são ex-alunos da Escola Antonio Gröhs que juntos fazemos a história desta escola.
Neste ano jubilar, estamos trabalhando com projetos paralelos as atividades em sala de aula e
destacamos: Participação nas Olimpíadas Matemática, 1º Simulado “Preparando o aluno p/ vestibular”.
Projeto Sonho Possível, IV Gincana da Cidadania. E ficará historicamente marcado neste ano a reforma
geral da escola, foi liberado a verba estadual de R$ 300.000,00 (trezentos mil reais) através de convênio
com o FEE e prefeitura Municipal. Serão reformados as instalações elétricas em geral, cobertura,
esquadrias, piso, pintura, instalação hidro-sanitária, instalação de Pára-raios c/ sinalização e construção de
Hall de entrada de 2,40x 22,0 m.
ESCOLA ESTADUAL ANTONIO GROHS

HISTÓRICO NO ANO JUBILAR

25 ANOS

1980 / 2005