Você está na página 1de 6

c 



 


   

O? Na área do aluno, há materiais de apoio disponíveis (planejamento inclusive). Para estudar por
conta. Apostila de exercícios no site.
O? aibliografia recomendada: não precisa comprar gramática alguma para acompanhar o curso,
desde que tenha alguma em casa! Qualquer gramática vale a pena, desde que seguidas as
recomendações do professor. Para aquele que não tem gramática em casa, a bibliografia indicada é:
- Gramática de hoje: Ernani Terra e José de Nicola. Ed Scipione.
- A vírgula. Celso Pedro Luft.
- Para entender o texto ʹ leitura e redação. Platão e Fiorin. Ed. Atica. (livro para aprender
interpretação).
- Coesão e coerência textuais. Leonor Lopes Fávero (Série Princípios). Ed. Atica.
- Dicionário Prático de Regência Nominal. Celso Pedro Luft. Ed. Atica.
- Dicionário Prático de Regência Verbal. Celso Pedro Luft. Ed. Atica.
O? Site que reúne todos os sebos do país: www.estantevirtual.com.br

 
      

?  
  
      

Compreensão nada mais é do que a captação das informações contidas no texto. A
Interpretação é o modo como cada leitor entende as informações contidas no texto. Então a
interpretação depende do leitor. Depende do conhecimento prévio de cada um.

·? 

O texto escrito se divide em duas modalidades:

O? c 
 é o texto escrito em versos. Esses versos podem estar organizados em estrofes, ou
não. Ter rima, ou não. Ter metrificação, ou não. A única característica que todo poema tem é a
escrita em versos.
O? c 
é o texto escrito em parágrafos.

Cuidado com isso. Muitos alunos ficam na dúvida na redação, quando o enunciado pede para
escrever um texto em prosa. Texto em prosa nada mais é do que um texto normal, escrito em
parágrafos. Não confundir com o poema (texto escrito em versos).
A interpretação de textos é a mesma para poema e prosa.
Tanto a poesia quanta a prosa se dividem em tipologias. O que é isso?

?  



Não confundir com gêneros textuais, que são os modos pelos quais você escreve o seu texto.
Cada vez que você reconhece um texto, está captando o gênero deste (e-mail, carta). Nós não vamos
falar de gêneros textuais, mas sim em tipologias textuais.
Tipologias textuais são os modos de organização do discurso. Há três:
O?   contar como algo é. Um ambiente, uma paisagem, uma pessoa. Para que uma
descrição esteja perfeita, ela precisa ter sequência.
O? 

  contar um fato. Para que uma narração esteja perfeita, ela precisa ter
personagem (com quem acontece a história), tempo (quando se passa a história), espaço (onde
acontece a história), enredo (a história em si) e desfecho (o final da história). Hoje é difícil dizer
que um texto seja apenas narrativo. Geralmente, ele é predominantemente narrativo ou
predominantemente descritivo ou predominantemente dissertativo..
O? 
  expor uma ideia. Toda dissertação pressupõe também uma argumentação. A
argumentação nada mais é do que a comprovação da ideia. Primeiro se expõe a ideia e depois
se comprova essa ideia. Exemplo: eu gosto muito da cor azul (ideia). Por quê? Por que a cor azul
é muito importante para quem estuda, já que faz com que o cérebro retenha com mais
facilidade as matérias estudadas (comprovação). Isso é argumentação. Só que dificilmente um
texto é apenas dissertativo. Geralmente, primeiro se descreve uma situação. Depois se narra um
problema. Depois se argumenta sobre alguma solução para esse problema. Então devemos dizer
que um texto é predominantemente dissertativo (não exclusivamente).
†? Importante se habituar a ler editoriais, que são textos dissertativos por excelência.
†? Cuidado com provas do Cespe: ͞o texto lido é predominantemente dissertativo,
razão pela qual ele narra a história de fulano de tal...͟. Certo? Errado! Se ele é
predominantemente dissertativo como que ele narra a história? Ele tem que
argumentar sobre algo.
†? Lição de casa: fazer as questões 1 a 7 da apostila de interpretação de texto.

Na prova, a interpretação para uma descrição, interpretação ou dissertação é a mesma. Mas a


interpretação de dissertações é mais comum, pois dá mais trabalho. Por isso, iremos estudá-la.

â?  
   

A interpretação de textos se dá de duas maneiras:

O? £
é pessoal, particular.
O? Î
 é comum, geral, consensual. Todas chegam a essa interpretação da mesma
maneira.
A interpretação que estará na nossa prova é a objetiva. Obviamente, pois precisa ter apenas
uma resposta correta. Nós estudaremos a interpretação objetiva. Nosso trabalho aqui é transformar
tudo que já aprendemos de interpretação subjetiva, em interpretação objetiva. As duas aulas de
interpretação de texto serão importantes para entender como interpretar objetivamente um texto de
concurso.
Para chegar à interpretação objetiva de um texto, é preciso passar por três etapas:

 !" 
 # 

O?   
Entender cada palavra no contexto em que ela aparece. Pensar na variação de
sentido que uma palavra sofre de um texto para o outro.
†? Exemplo: ͞Navegar é preciso.
Viver não é preciso.͟
(lema da Escola de Sagres)
Interpretar essas palavras. O que vocês entendem? Aluno responde: navegar é mais
importante do que viver. O professor diz que a chave da interpretação desse trecho passa
pelo significado da palavra ͞preciso͟. O que quer dizer ͞preciso͟?
Preciso Necessário.
Exato.
Se eu entender ͞preciso͟ como ͞necessário͟, quer dizer que navegar é mais
importante que viver. Mas eu também posso entender a palavra ͞preciso͟ como ͞exato͟,
caso em que a interpretação muda drasticamente.

O?  
   
 
!onotação é o sentido figurado (depende do ontexto);
!enotação é o sentido real (do icionário).
†? Exemplo:- Atanagildetina plantou uma rosa (sentido real: denotação).
- Atanagildetina é uma rosa (sentido figurado: depende do contexto).

·$%&
#

É importante utilizar a gramática para entender o texto. Hoje se chama isso de
lingüística textual.
†? Exemplos:
- Ñ     
 
    A frase está dizendo que o filho levou os pais ao
cinema, pois o verbo está no singular. A concordância ajuda a interpretar o texto.
-   

 Não dá pra saber quem enganou quem. A construção da


frase não permite saber. É preciso alterar a frase: Enganou ao aluno o professor. Nesse
caso quem enganou foi o professor. Quem foi enganado foi o aluno. A regência ajuda a
interpretar o texto.
-  . Quem ama quem? O João ama a Maria. A Maria ama o João. Ou a
Maria João ama alguém que não aparece no texto? A frase está obscura. Para concertá-
la, basta colocar uma vírgula: Maria, João ama. Aqui a pontuação ajuda a compreender
o texto.

$%'
 (   ) 

†? Exemplos:

- Ex1.:

? =

- Ex2.:

2 10 12 16 17 18 19 ? = 200
d d d d d d d d

- Ex3.:

Para os índios brasileiros, o movimento das bandeiras foi formidável, pois representou para
eles o que, hodiernamente, a S.I.D.A. é para nós: a morte.
Quais palavras são sinônimos para as palavras sublinhadas?
a)? Terrível, modernamente.
b)? Terrível, antigamente
c)? Excelente, modernamente.
d)? Excelente, antigamente
e)? N.d.a.

aandeiras S.I.D.A.
- Índios - Nós
- Passado - Presente
(sinônimo: hodiernamente)
- Formidável - Morte
(terrível). (algo terrível).

    
*?   
+
,
 - 
 
  
  

Formulação de argumentos: argumento é a comprovação de um ideia. Formular argumentos,
portanto, é comprovar as suas ideias.
Adequação semântica: a semântica tem a ver com o sentido, significado das palavras.
Adequação semântica é usar a palavra certa no contexto adequado. Trata das minhas escolhas
vocabulares. O professor não conversa com a turma da mesma forma que conversa com seus amigos.
Coerência: coerência pode ser definida com uma única palavra: unidade. O que garante a
coerência de um texto? A coesão. A coesão sustenta a unidade. Ela permite que todas as informações
do texto remetam à mesma ideia. A coesão se refere a determinados elementos dentro do texto. A
coesão é local. Já a coerência é global (se percebe na totalidade do texto).
Exemplo:
- c                  

c       


Quantas vezes o papai aparece no texto? Três vezes. No exemplo, deram-se três informações
diferentes. Como eu entendo a coerência desse texto? Como eu sei que todas essas ideias se relacionam
a ͞papai͟? Por causa dos elementos de coesão (pronome e sujeito oculto).
Há casos de textos coerentes sem elementos de coesão e textos coesos sem coerência. Mas
aqui no curso nós estudaremos coerência e coesão sempre juntos. Geralmente, quando eu erro a
coesão, a coerência da frase fica prejudicada.
Exemplos:
- Atanagildetina e eu vivemos em harmonia e felizes, pois as minhas ideias vão de encontro às
dela.
Esse texto é incoerente. Por quê? De encontro a significa oposição e ao encontro de significa
harmonia. Nós unimos as duas frases acima com a conjunção ͞pois͟, a qual significa que a
frase seguinte trará uma ideia complementar à anterior. O problema está, portanto, em
utilizar a preposição ͞pois͟ e uma ideia divergente da primeira frase no mesmo contexto.
Portanto, para corrigir esse texto, ou eu troco "de encontro a͟ por ͞ao encontro de͟ ou eu
troco o ͞pois͟ por ͞porém͟.

- Posto que1 não há alternativa meio certa ou meio errada, fica difícil optar por uma ou outra.

Essa frase é coerente ou incoerente? Incoerente. Pois, se não há alternativa meio certo ou
meio errada, fica impossível optar por uma ou por outra.

- Essa garantia cobre todos os defeitos de fabricação, exceto os causados pelo mau uso do
aparelho.

Essa frase é incoerente. A primeira frase diz que a garantia cobre todos os defeitos de
fabricação. Os defeitos de mau uso não são erros de fabricação. Portanto, não cobrir erros
decorrentes do mau uso não é uma exceção à regra que garante a cobertura dos erros de
fabricação.

- O aruxo do Cosme Velho foi homenageado em nossa cidade. Machado de Assis merece essa
homenagem. No texto, ao ler aruxo do Cosme Velho, eu não sabia quem era esse personagem.

1
Significa embora! Ele não percebeu isso! ó
Ao continuar a leitura, eu percebo que se trata de Machado de Assis. Isso se chama de
 
 

†? Ñ  

 - Procurar, em casa, referenciação.
- Questões de 1 a 7, 30, 9, 12, 13, 14, 15, 16, 33 e 34.

Resolução:

1.?A
2.?A a
3.?a
4.?C
5.?A
6.?C
7.?A
9. E
12. a
13. a E
14. D
15. a
16. E (2-6-5-4-3-7-1)
30. D E
33. a
34. E

R?